História Amor Criptografado. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 23
Palavras 5.430
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Música: You Don't know me - Elizabeth Gillies.
Música: Who Knew - Pink.

Capítulo 3 - Quem diria.



- Então, você passou a noite com o senhor youtuber? - Perguntou Julie enquanto pintava as unhas dos pés.

- Quem te contou? - Perguntou Sofia parando de dedilhar no violão de sua irmã.

- Então é verdade? - Questionou Alexa maliciosa apoiando seus cotovelos nos joelhos.

Sofia apenas levantou a sombrancelha, esperando a primeira pergunta ser respondida.

- O Tom contou pra gente - Respondeu Jô que estava sentada no tapete felpudo roxo.

As garotas estavam reunidas no apartamento de Joana que tinha suas paredes brancas cheias de quadros de suas bandas favoritas e de frases inspiradoras, as cores de seu apartamento intercalava entre branco, roxo e preto.

Sofia soltou o ar pela boca antes de voltar a dedilhar nas cordas do violão, mantendo seu olhar baixo.

- Sim, passei a noite com ele pelo fato da doida da Alana me prender lá por ciúmes dele, que falando nela está suspensa por três semanas - Ela tocou mais fortes nas notas e sorriu sem mostrar os dentes, Sofia queria ter visto a cara de Alana ao ser suspensa, sabia que poderia ter a chance de haver uma revanche, até porque suas duas seguidoras não paravam de encara-la com ódio nos olhos.

- E como foi? - Perguntou Julie ansiosa.

- Como foi o que?

- Você sabe, não se faça de inocente, você com aquele gato presos em uma sala a noite toda! O que rolou? - Perguntou Lex.

- Nada - Respondeu Sofia sem dar importância.

- Nada?! Você vai olhar nos meus olhos e repetir essa calúnia! - Exclamou Lex fazendo Sofia olha-la.

- Nada - Repetiu antes de voltar a atenção pro violão.

Alexa bufou e colocou as mãos na cabeça indignada, apontou para ela com as duas mãos enquanto olhava para as garotas, mostrando sua indignação.

Joana riu pelas narinas.

- Vai Sofia, deve ter acontecido alguma coisa - Incentivou Jô.

Sofia revirou os olhos, suas amigas eram persistentes.

- Nós... Brincamos com o bambolê - Respondeu envergonhada fazendo um bico ao terminar de falar.

- VOCÊ TÁ FALANDO SÉRIO?! - Gritaram Julie e Alexa enquanto Joana riu antes de tomar um gole de sua limonada.

- Se fosse comigo, nós iríamos brincar de outra coisa - Falou Lex maliciosa.

- Pode pegar pra você, não me interessa - Falou Sofia fazendo Alexa lhe mostrar a língua.

- Tão sincera maninha - Falou Jô com um sorriso irônico - Mas falando sério, você deve ter algo interessante para nós contar - Sofia abriu a boca mas Joana a interrompeu - A brincadeira do bambolê não conta.

Sofia abaixou o olhar e se lembrou do jeito despreocupado que JP teve ao descobrir que estava preso junto com ela, enquanto ela dava um piti ele ficava... Estranhamente calmo.

- Ele é aturavel, quando não está se achando o tal - Comentou e se lembrou o que ele havia lhe respondido quando perguntou se alguém sentiria sua falta. 

"Não, não vão".

- Sofia? Está me ouvindo?! - Exclamou Alexa fazendo ela acordar de sua lembrança.

- Desculpa, não ouvi - Respondeu sincera.

- Olha só, já está até sonhando acordada ao perguntarmos dele - Falou Julie sugestiva, recebendo em seguida uma almofada na cara que havia sido jogada pela Sofia.

- Não provoca - Murmurrou ela fazendo as garotas gargalhar enquanto Julie abraçava o travesseiro que havia acertado seu rosto.

As reações de Sofia eram impagáveis. Aos poucos que as risadas iam diminuindo Alexa ia ficando cada vez mais triste, sua expressão ia se fechando aos poucos, como se houvesse lembrado de algo.

- O que foi Alexa? - Perguntou Julie, preocupada.

- É sobre o show de amanhã, é o dia - Falou ela fazendo o sorriso de todos sumirem.

- Alexa, já faz muito tempo - Comentou Jô a fazendo suspirar.

- Vai ser a última vez - Informou enquanto encarava seu copo de suco já vazio - Vai completar três anos que ele foi embora.

Alexa sofria de coração partido dês do início do segundo ano, havia sido apaixonada e sentia que era recíproco, ela e seu parceiro se conheciam dês dá infância mas seus sentimentos afloraram na oitava série, eram jovens, bobos mas o amor deles era real, muitos diziam que era um romance passageiro mas Lex nunca concordava e achava um absurdo quem dizia isso para ela.

Ela considerava os dois como almas velhas mas com corações jovens e ele concordava com ela. Até que no final do primeiro ano, nas férias de dezembro ele sumiu, havia se mudado para outro país sem avisá-la, tentou encontrar todo tipo de meio de comunicação para falar com ele mas era em vão, era como se ele tivesse lhe apagado. Chorou por semanas, não aceitando que havia sido deixada mas havia, deixada e esquecida. Seu coração ficou vazio para esse tipo de amor e constantemente tentava preenchê-lo com garotos novos a cada dia e para extravasar essa frustração todo ano escrevia uma música diferente referente a sua mágoa por ele qual tocava todo vez na data de quando haviam começado a namorar.

- Vai ser seu ponto final? - Perguntou Sofia carinhosa, sabia o quanto esse assunto era delicado para ela.

- Vai - Respondeu Alexa séria antes de sorrir - Já tava na hora não é mesmo? - Brincou, tentando amenizar o clima.

Era assim que ela gostava de mudar de assunto, fazendo alguma piada sobre si ou que a envolvia, parecia ser mais fácil.

- Oh! O Gabriel chegou - Falou Jô ao olhar a mensagem que havia acabado de chegar em seu celular.

- É bom ele ter trazido as minhas batatinhas - Falou Alexa ao se espreguiçar com um sorriso ladino.

- Ele trouxe sim - Falou Julie

- Duvido - Rebateu Sofia com um sorriso convencido.

- Apostado - Falou Julie fazendo um "toca aqui" com Sofia.

Jô apenas revirou os olhos enquanto andava em direção a porta e ao abri-la sorriu ao ver seu namorado que se limitava a sorrir timidamente.

Ele deu um passo para entrar no apartamento e puxou Jô pela cintura, selando seus lábios em um beijo simples.

- As garotas ainda estão aí? - Perguntou ele ao separar os lábios dos dela.

- Estão e a Sofia e a Julie fizeram uma aposta para saber se trouxe os salgadinho da Alexa.

- Acho que uma delas vai perder - Respondeu ele, erguendo a sacola, mostrando que havia trazido.

Jô riu antes de dar espaço para ele entrar enquanto fechava a porta.

- Fala Biel - Falou Sofia ao avistar o namorado de sua irmã aparecendo na sala.

- Eai Sofi - Disse ele sorridente.

- Por que você sempre engole o "a"? - Resmungou ela se referindo ao apelido pelo qual ele a chamava.

- Trouxe meu salgadinho? - Perguntou Alexa e na mesma hora Gabriel jogou para ela que por pouco não pegou - Isso que é ter um bom namorado Jô! - Exclamou.

Joana riu pelas narinas ao chegar na sala e apoiar o cotovelo no ombro de seu namorado.

Sofia revirou os olhos ao ver o sorriso triunfante de Julie que mexia a cabeça alegremente enquanto assoprava suas unhas.

Joana considerava Gabriel literalmente o amor de sua vida. Eles haviam se conhecido na faculdade, ele cursava biologia marinha e havia conhecido ele em uma das festas da faculdade, para Jô, Gabriel havia surgido como o parceiro ideal, conseguiam conversar sobre tudo, desde sujeira no asfalto aos seus mais profundos sentimentos.

Eles eram aquele tipo de casal que exala calmaria e ao mesmo tempo destreza.

- Elas ainda vão demorar? - Susurrou Gabriel em seu ouvido fazendo Jô franzir o cenho, estranhando a pergunta, ele adorava suas amigas - Tenho algo sério pra conversar com você.

E novamente estranhou a atitude do namorado mas achou melhor não discutir foi apenas lançar um olhar para suas amigas para elas entenderem que eles queriam um momento sozinhos.

- Bom, tá ficando tarde e eu ainda tenho que terminar um trabalho da escola - Comentou Julie em pé alongando seus braços.

- Quer aproveitar a carona Alexa? - Perguntou Sofia enquanto colocava o violão ao lado do sofá.

- Já é - Respondeu Lex já em pé - Depois a gente discute a primeira música que vamos tocar.

Se despediram de Jô e Gabriel e logo saíram do apartamento mas curiosas que eram no instante em que elas fecharam a porta pegaram seus celulares e mandaram mensagem no grupo delas, querendo saber sobre o que havia sido a conversa.

- Elas já mandaram mensagem? - Perguntou Gabriel sorridente ao ver o celular dela vibrar.

- Fala como se não conhecesse elas - Falou ela sentando ao seu lado no sofá lhe entregando a caneca de chá - Então, o que você queria me falar?

•••

- Sofia, você tá ansiosa? - Perguntou Tomas.

- Não, por que a pergunta?

- Você tá mexendo a sua perna esquerda sem parar - Justificou a fazendo olhar para sua perna e perceber que a estava mexendo de um jeito frenético.

- Eu não consigo esconder nada de você não é?

- E se você tentar o seu corpo me conta, literalmente, agora, desembucha - Pediu.

- É a Jô, ela ainda não contou o que ela conversou com o Gabriel, disse que contaria para todas nós apenas sábado - Ela deitou a cabeça entre seus braços enquanto suspirava - Isso tá me matando, e se for algo sério? Sei que eles não terminaram porque ela não apagou as fotos que tem com ele do Instagram.

- Relaxa - Falou Tomas empurrando a cabeça dela para o lado - Ela deve tá se divertindo com essa curiosidade de vocês, pode ser que ele tenha sugerido morar junto com ela.

Sofia soltou o ar pela boca, pensativa.

- Eu não sei...- Ela levantou a cabeça e ajeitou a manga de seu moletom - Mas tudo bem, ela vai nos contar sábado, consigo aguentar até amanhã.

- Sofia? O diretor está questionando o motivo de você ter dado uma das salas para o novo clube - Falou Giovanna enquanto lia um e-mail do diretor por seu notebook.

- Novo clube? Que novo clube? - Questionou Sofia se levantando indo até Giovanna, confusa.

- Eu não sei, ele apenas disse que um novo clube foi aberto - Respondeu ela, mostrando o e-mail para Sofia.

- Onde fica essa sala? - Perguntou séria.

- Segundo andar, última sala a esquerda.

Sofia saiu da sala sendo acompanhado por Tomas que também estava curioso, não era comum um novo clube ser aberto sem ter o consentimento da presidente do grêmio.

Ao subirem as escadas não demoraram a avistar a sala, era a que estava com a porta escancarada e a que tinha vários alunos perto.

Sofia entrou na sala e ficou confusa mais uma vez ao ver garotas sentadas pintando suas unhas e garotos jogando bolinhas de papel, e alguns casais que pareciam que iam se engolir.

- Isso aqui tá um caos! - Exclamou Tomas.

Ela olhou de um lado para o outro até avistar Pietra uma das amigas de Alana, sentada na mesa principal.

- O que está acontecendo aqui? Por que entraram nessa sala? E quem deu permissão para vocês se apossarem dela? - Questionou Sofia tentando se manter calma.

- O nosso querido diretor cultural! Ele disse que podíamos usá-la a vontade - Respondeu Pietra enquanto tirava uma selfie.

- ELE FEZ O QUE?! - Exclamou chamando a atenção de todos na sala.

Ela conseguia sentir seu sangue fervendo em suas veias e suas bochechas vermelhas devido a raiva.

Sofia deu a volta e saiu pela porta e Tomas foi atrás dela, não entendo sua reação.

- Tomas, manda mensagem pra Giovanna vir resolver o problema com a sala, agora! - Falou ela enquanto andava rápido enquanto descia as escadas.

- Eu posso resolver isso Sofia - Sugeriu Tomas enquanto digitava a mensagem para Giovanna.

- Eu vou precisar de você para me controlar caso eu faço uma besteira - Justificou ela antes de ranger seus dentes - Aonde aquela peste se meteu? - Sofia olhou para os lados enquanto passava pelo corredor até avistar JP entrando na sala do grêmio.

Ela bufou antes de correr mais rápido para alcança-lo, ela abriu a porta a fazendo bater forte na parede, assustando todos na sala.

- Quem você pensa que é?! Me diz, quem você pensa que é?! - Exclamou ela enquanto andava pisando duro em direção de JP.

Tomas entrou em seguida na sala, fechando a porta, ofegante.

- Essa garota corre - Murmurrou.

- Do que você tá falando? Você tá bem? Tá de TPM? - Perguntou ele com um sorriso nervoso.

- E você? Acabou todos os neurônios que te restou?! Quem te deu o poder de dar a permissão para abrir alguma clube? Ou de dar uma sala pra um bando de alunos?!

- As garotas me pediram e eu achei que não teria problema... Achei que já estávamos de boa - Falou ele dando de ombros.

- DE BOA? Não é porque ficamos trancados numa sala juntos que estamos de boa! E duvido que iremos ficar depois disso que você fez! - Exclamou batendo o pé no chão.

Se ela pudesse, provavelmente soltaria fogo pela boca.

- Relaxa, eles não estão fazendo nada demais - Falou JP empurrando o ombro dela com o dedo indicador a fazendo ficar indignada com essa ação.

- Nada? Eles estão fazendo um motel com aquela sala! Garotas estão pintando as unhas e não é de um modo artístico e muito menos construtivo! - Ela andava o fazendo recuar até ele sentir suas costas tocarem a parede. Ela estava a centímetros de seu rosto, ofegante e com raiva mas ao olhar em seu olhos arregalados pode ver a imensidão azul que eles eram, nunca ligou muito para a aparência dos outros, sempre achou algo muito supérfluo mas se chocou ao ver aqueles olhos, ela nunca havia visto cor igual.

Ela respirou fundo antes de deixar o ar sair.

- Você vai resolver isso junto com a Giovanna e espero que esteja tudo bem até o final do dia - Ela apontava o dedo indicador na cara dele e a única coisa que ele conseguiu fazer foi assentir.

Sofia geme frustrada antes de sair da sala, tentando não bater em ninguém no meio do caminho.

- Ela, fica sempre assim quando as coisas não saem do jeito dela? - Perguntou JP ainda na parede.

- Você provocou - Disse Tomas indo até ele o puxando pelo braço o colocando para fora da sala - Resolve logo isso antes que ela coloque essa escola a baixo, a Giovanna vai te ajudar - Ele apontou para ela que já estava fora da sala.

JP assentiu antes de tocar em seu peito onde podia sentir as batidas frenéticas de seu coração.

"Aquela garota é louca!" - Era o que ele pensava.

•••

- Vai sair hoje? - Perguntou Rosa ao ver JP se arrumar enquanto estava deitada na cama.

- Vou naquele bar que eu comentei com você, o Ian dessa vez vai poder ir - Respondeu ele enquanto arrumava a gola de sua jaqueta.

- Não fique bêbado e cuidado com os paparazzi - Avisou Rosa se levantando da cama fazendo o lençou cair de seu corpo mostrando que estava sem roupa.

- Ô Rosa, desse jeito eu não vou conseguir ir - Falou JP ao vê-la nua antes de puxa-la pelo cintura.

- Você já resistiu melhor a mim - Falou convencida antes de beija-lo - Mas não se preocupe, vou estar aqui quando voltar - Ela passava a mão por sua jaqueta a alinhando, não a deixando amarrotar.

Ele sorriu ladino antes de dar um último beijo em seu lábios e sair do quarto a caminho do bar.

•••

- Olha eu achava que vocês estavam exagerando ao falar daqui mas dou total razão, aqui é lindo - Elogiou Ian enquanto olhava para o local, surpreso e encantado.

- Fico feliz em saber que tem clientes que apreciam o lugar - Falou a garçonete chamando a atenção dos garotos - Gastariam de alguma bebida?

- Pra mim o de sempre Lili - Respondeu Tomas levantando a mão.

- O seu pai quer que você pare de tomar tanto licor! Nada de coquetel pra você - Brigou ela o fazendo revirar os olhos - Alguém mais vai querer alguma coisa?

Os garotos se olharam e deram de ombros, não queriam nada no momento.

- Apenas uma cerveja pra mim - Pediu JP.

No instante em que a garçonete desviou o olhar de seu caderno para pedir a identidade do garoto ao ver quem era conteve o grito, assustando os garotos na mesa.

- Você é o JP! - Exclamou ela, dando pequeno pulos.

- Sou eu mesmo - Disse convencido.

- Aí meu Deus! Eu adoro suas músicas! - Falava animada.

- Fico feliz com isso - Respondeu sorridente.

Ela tirou o celular do bolso quase o deixando cair de tão nervoso.

- Podemos...? - Ela apontou para o celular de depois para si e JP.

- Claro - Respondeu ele, tendo o prazer em tirar foto com uma fã.

- Você devia tocar aqui qualquer dia, aqui ficaria lotado - Sugeriu enquanto guardava o celular em seu bolso - Pensa nisso Tomas - Ela olhou para ele que se limitou a abanar a mão e em seguida desviou o olhar para JP e sorriu para ele - Já trago seu pedido - Disse antes de sair.

- Por que você tem que pensar nisso Tomas? - Perguntou JP não entendendo a relação dos dois.

- Meu pai é dono do bar - Respondeu deixando JP surpreso - Sorte de vocês dois não terem pedido uma bebida alcoólica - Falou Tomas se referindo a Ian e Ícaro - Meu pai tem a lista da maioria dos adolescentes da escola, ele odeia a ideia de dar bebida para jovens, eu acho lindo mas estou ficando sem meus coquetéis - Choramingou fazendo os outros rirem.

- Estou ansioso para o show! O Ícaro fez bastante propaganda - Falou Ian animado - O JP também mas eu não soube definir se ele gostou ou não - Disse se referindo aos comentários longos que JP fazia.

- Gostou? Ele adorou! Ficou babando pela baixis... - JP lhe deu uma cotovelada - Aí! - Exclamou Tomas enquanto massageava o braço olhando com as sombrancelhas franzidas pra JP que fingia olhar para outro lugar - Qual o teu problema J...

- Já vai começar! - Exclamou Ícaro interrompendo Tomas que ainda massageava o braço.

Os holofotes do palco foram ligadas, deixando que a cor rosa choque prevalecesse e diferente da última vez Sofia estava no centro enquanto Alexa estava em seu antigo lugar.

Julie bateus suas baquetas três vezes dando o sinal para começar. As primeiras notas tocadas foram do baixo de Sofia que logo foram acompanhados pela batida de Julie.

Você acha que me conhece

Mas você não me conhece

Você acha que é meu dono

Mas você não pode me controlar


Começou Sofia a cantar de maneira lenta e sedutora aumentando sua voz com o decorrer das batidas.

Joana tocava seu violino com nenhuma expressão aparente, parecia que sua cabeça estava em outro lugar. Já Alexa parecia querer mostrar o lado mais animado de si para esconder a mágoa e a tristeza que sentia naquele dia.

Você olha para mim e há apenas uma coisa que você vê

Então me escute

Me escute

Sofia tirou o microfone da extensão e virou seu baixo o deixando em suas costas, suas expressões calmas haviam mudado para determinadas, mostrando que quando cantava era pra valer.

Você me empurra

Eu empurro de volta

Mais forte, mais forte

Você grita comigo

Eu grito com você

Mais alto, A-A-A-A-Alto

Ela apontava para o público enquanto se inclinava sobre ele, mostrando toda sua indignação e raiva, sua presença era impecável, sempre era a considerada mais quieta da banda mas quando cantava todos paravam para olhar, ela não apenas cantava a música ela era a música.

JP assistia tudo aquilo sabendo que era pra ele, sabia a raiva que ela sentia por ele, não ligava se estava sendo metido o suficiente para achar que aquela música era para si até porque não era algo romântico e sim o contrário.

Eu sou perigosa, então estou avisando

Porque você não tem medo de mim

E eu não posso te convencer

Você não me conhece

Ian esteve paralisado dês do início da apresentação, não pela música mas sim por uma das garotas do palco em especial a guitarrista.

Ele tinha certeza que conhecia aqueles cachos.

- Tomas, quem é a guitarrista? - Perguntou Ian sem desviar o olhar.

- Há é a Alexa, ela é demais não é?

- Alexa...- Falou Ian para si mesmo não respondendo a pergunta de Tomas.

"Você ficou ainda mais bonita"- pensou ele fazendo um sorriso triste surgir em seus lábios.

E quanto mais você fica, o gelo está derretendo

E a dor se sente bem, se sente bem (heyy)

A voz de Sofia havia ficado mais calma, ela conseguia adequar sua mudança de tom a de suas expressões de uma maneira incrível, talvez fosse impressionante pelo fato dela ser tão jovem.

As notas foram diminuindo deixando apenas o som da bateria e do violino.

Eu sou perigosa, então estou avisando

Mas você não tem medo de mim

E eu não posso te convencer

Eu acho que você me conhece

Sofia cantou por fim com um olhar intenso e com a respiração desregulada, ela sentiu algo diferente ao cantar a última parte, algo que ela não sentia a muito tempo.

Essa música não era de sua autoria, era uma das composições de Julie qual ela havia desistido e Sofia havia terminado, só não esperava se identificar tanto.

JP podia negar mas o olhar que ela teve ao terminar de cantar foi como se ela pudesse ver através de si e isso o assustou.

- Agora, vamos ouvir a nova música autoral da nossa querida guitarrista, Alexa! - Exclamou Sofia sorridente fazendo várias pessoas alí aplaudirem enquanto ela trocava de lugar com sua amiga.

- Espero que dessa vez não tenha lágrimas - Falou Tomas antes de dar um gole na bebida de JP que havia chegado e ele nem ao menos havia percebido, estava ocupado demais prestando atenção no palco.

- Por que teria? - Perguntou JP.

- Ela toca todo ano pro cara que a deixou, todo ano no mesmo dia, é algo meio triste - Explicou.

Ian sentia como se alguém houvesse lhe dado um soco e preferia que tivesse pois preferia isso ao ouvir as palavras de Tomas sobre a guitarrista.

Você segurou minha mão, você me mostrou como

Você me prometeu que estaria por perto

Uhum, certo

Alexa começou a cantar sendo acompanhada pelo restante das meninas. Enquanto elas eram iluminadas pela cor rosa Lex tinha uma cor diferenciado, o roxo, as garotas sabiam que esse era o momento dela.

Era bem melhor do que ela se afogar em vários tipos de bebidas, de diversos sucos a sabores variados de licor.

Eu peguei suas palavras, e acreditei

Em tudo, que você disse pra mim

É, aham, certo

Alexa cantava com pesar enquanto seus olhos seguiam uma linha reta não tendo um lugar específico para olhar.

Ela queria acreditar que o que tiveram foi bobo e que havia sido coisa de criança e tentou se convencer disso mas não tinha lógica para ela, seus sentimentos eram contra essa ideia.

Havia dado seu coração mas ele havua esquecido de lhe devolver.

Se alguém dissesse que daqui a três anos

Você estaria muito longe

Eu levantaria e socaria todos eles

Porque eles estariam todos errados

Sua voz ficou mais rouca ao cantar, como se estivesse prestes a chorar mas ela não faria isso, ele não merecia que ela chorasse ainda mais por ele.

Ian sentia todos os sentimentos que ela queria transmitir e não demorou a sentir sua garganta fechar, apertava fortemente suas mãos como se isso fosse conter a vontade de correr até ela.

Eu sei melhor que eles, porque você disse "para sempre"

E sempre, quem diria?

Alexa elevou a sobrancelha ao cantar a última parte, para ela, ele havia sido seu conto fadas , um sonho em que ela não precisava dormir mas quando ele se foi percebeu que ele não era um conto de fadas e que sonhos são feitos para quando se está dormindo.

Lembra quando nós éramos tão bobos

E tão convencidos e simplesmente tão legais

Oh, não, não, não

Eu queria poder te tocar de novo

Eu queria poder ainda te chamar de amigo

Eu daria qualquer coisa

- Ian? Você tá bem? - Perguntou Tomas vendo o quanto ele apertava suas próprias mãos, elas já estavam vermelhas.

- Tô, tô bem - Respondeu simplesmente sem tirar os olhos da guitarrista.

Tomas ia questionar Ícaro se havia alguma problema com Ian mas ele estava ocupado demais suspirando pela baterista.

Quando alguém disse, "Aproveite suas bençãos agora

Antes que elas estejam muito longe"

Eu acho que eu só não sabia como

Eu estava totalmente errada

Ela fechou os olhos ao cantar batendo forte seu pé no chão inclinando sua cabeça para o lado enquanto tocava com mais força sua guitarra.

Sofia, Julie e Jô estavam preocupadas com sua amiga, ela estava dando tudo de sí e jogava todos os sentimentos para fora, sabiam que ela era forte mas até os mais fortes tem suas recaídas.

Te manterei trancado em minha mente

Até nós nos encontrarmos de novo

Até nós

Até nós nos encontrarmos de novo

Eu não vou esquecer você, meu amigo

O que aconteceu?

Cantou ela por fim finalmente abrindo seus olhos e tentou sorrir ao ouvir os aplausos e assobiospor mais, mas dava para ver que seu sorriso não era verdadeiro.

- Vamos falar com elas - Falou Ian assustando os garotos na mesa.

- Oi?! - Exclamou JP.

- Opa! Já é - Falou Tom animado - Levo vocês até elas.

- Hã, olha a hora! - Exclamou Ícaro nervoso olhando a tela de seu celular - Acho que já está tarde e...- Os meninos não deixaram Ícaro terminar de falar e Ian foi o puxando pela manga do casaco quadriculado já seguindo Tomas e JP que ia contrariado.

•••

- Mana, ainda tô preocupado com a Lex - Falou Julie enquanto olhava para Alexa que falava animadamente com um garoto no balcão de bebidas.

- Esse é o jeito dela mascarar a tristeza, vocês sabem que esse foi o jeito que ela encontrou de lidar com isso - Disse Sofia antes de beber seu suco de abacaxi, qual adorava.

- Falando em mascarar a tristeza...- Jô chamou atenção das garotas enquanto mexia na boca de sua garrafa - Sobre a conversa que o Gabriel teve comigo foi pra falar que...

- Hello girl's! - Exclamou Tomas ao chegar interrompendo Joana - Esses são os meus colegas, Ícaro - Ele apontou para Ícaro que acenou sem graça fazendo Julie sorrir o achando fofo - Ian - Ele se limitou a sorrir - E esse provavelmente vocês já conhecem, o JP - JP mostrou seu melhor sorriso fazendo Jô rir pelas narinas.

- Entendi o que você quis dizer com "sorriso convencido" - Susurrou Joana para Sofia que limitou a bufar, não queria ter que atura-lo em seu bar favorito também.

- A Sofia vocês já conhecem - Disse Tomas e ela se limitou a crispar os lábios em um sorriso sem graça - Aquela é a Joana e a Julie.

- Eai - Falou Jô sorridente.

- Tudo bem? - Falou Julie, educada.

- Vamos, sentem! - Falou Tomas querendo acabar com aquele clima de apresentações.

Sofia se controlou para não revirar os olhos ao perceber que JP iria sentar ao seu lado.

- Onde está a guitarrista? - Perguntou Ian ainda em pé olhando para os lados.

- Ela tá ali - Falou Julie antes de apoiar sua mão na mesa - ALEXA, CHEGA AQUI! - Chamou ela.

Alexa foi até lá junto com o cara com quem estava conversando, abraçada com ele.

- Eai, o que foi? - Perguntou ela.

- Esses são os amigos do Tomas, o Ícaro - Ele acenou - O JP - Ele sorriu para ela - E o Ian - Apresentou Julie por fim fazendo Alexa olhar para o último garoto e arregalar os olhos ao vê-lo.

- Oi Alexa, quanto tempo - Falou ele triste.

Ela se soltou assustada de seu paquera com quem estava abraçada.

Parecia que nenhuma palavra saia de sua boca e por impulso saiu rápido de lá e Ian foi atrás.

JP se levantou com o intuito de ir atrás de seu amigo mas Sofia o parou, segurando seu pulso o fazendo olha-la.

- Eles tem que conversar - Falou séria e mesmo que JP quisesse ir contra ela, entendia e não demorou a se sentar.

- É ele, não é? - Perguntou Jô cruzando os braços.

- Eu não sabia - Falou Tomas sincero - Ela nunca havia nos falado o nome dele.

- É... E quem diria que ele voltaria - Comentou Sofia antes de beber um gole de sua bebida.

•••

- Alexa, espera! - Exclamou Ian ao vê-la sair pela porta dos fundos indo atrás dela - POR FAVOR ALEXA! - E com esse grito ele a fez parar - Me escuta.

- Te escutar?! - Ela se virou o fazendo ver as lágrimas que escorriam de seu rosto - Você acha que tem o direito de me pedir isso? Bom, olha só! Você não tem! - Exclamou, tentando controlar sua voz não a deixando ficar trêmula - Você me deixou! Não me ligou ou tentou me contatar, sabe quantas vezes eu tentei ligar pra você?! Você sabe?! - Perguntou o fazendo abaixar a cabeça - Mais de cem vezes! Por que você fez isso comigo? Por que só não terminou comigo? Por que? - Perguntou deixando que o choro tomasse conta de sua voz.

- Eu não queria...

- Não queria? Então por que fez?! - Exclamou ela, deixando todo a frustração de anos, sair.

- Eu fui obrigado Alexa! Meus pais me obrigaram, eles não aprovavam nosso relacionamento e me mandaram para outro país, sempre me policiando para que eu não tivesse nenhum contato com você.

- E por que não me procurou quando voltou? Por que teve que voltar e me fazer reviver tudo isso? Eu estava pronta pra dizer adeus pra você!

- Eu... Eu...- Ian respirou fundo tentando não desabar também - Eu achava que já teria esquecido de mim ou que estivesse em outro relacionamento.

- Claro! Então resolveu aparecer do nada não é?! Eu não sei o que dizer, eu, eu...

- Eu te amo Alexa, eu ainda te amo, nunca deixei de te amar - Falou ele sincero, interrompendo Alexa a deixando surpresa.

- Eu... Eu não sei - Ian foi chegando cada vez mais perto dela ao ponto de segurar sua mão.

- Eu não vou te forçar a nada Alexa, eu só... Queria que soubesse - Falou sincero.

Ela soltou a mão dele lentamente e deu um passo para trás.

- Eu preciso pensar - Disse ela antes de sair andando para fora do beco, deixando Ian alí.

•••

- Então, essa é a história de vocês - Falou Ícaro pensativo.

- Foi algo bem randômico esse encontro de vocês, algo bem surpreendente eu diria - Falou JP antes de jogar uma pedrinha no lago que havia no condomínio de Ícaro.

Ícaro e Ian resolveram ignorar o fato de JP ter usado a palavra "randômico" em uma frase.

- Mas, por que os seus pais não queriam que vocês dois ficassem juntos? - Perguntou Ícaro.

- Meus pais são testemunhas de Jeová e eles são muito ligados a religião e crêem na ideia de que eu só poderia me casar ou me relacionar com alguém da mesma religião - Respondeu antes de suspirar.

- E como ela não era...

- Eles resolveram fazer de tudo para me afastar dela - Completou Ian o raciocínio de Ícaro - Mas eu nunca fui muito ligado às regras, não acho que Jeová ou qualquer outro ser divino gostaria de separar duas pessoas que se amam - Ele apertava mais forte a grama qual estava sentada junto com Ícaro.

- Profundo - Falou Ícaro - Você está quieto JP, isso não é muito do seu fértil - Disse sincero chamando a atenção dele.

- Eu só estou pensando como a Alexa deve estar se sentindo, você deve ter balançado o mundo dela como quando foi embora.

- Obrigada JP, sua sinceridade é comovente - Falou Ian irônico - Acho que ela nunca mais vai olhar na minha cara.

- Olha... Se ela não te disse um "não" de cara, acho que há grandes probabilidades dela ainda querer conversar com você - Falou JP antes de jogar novamente uma pedra no lago.

Ian riu pelas narinas e Ícaro tocou em seu ombro com um pequeno sorriso, JP não era tão ruim afinal.

•••

- Alguma notícia da Alexa? - Perguntou Sofia.

- Não, ela disse que precisa de um tempo sozinha, nada mais - Falou Jô.

- Quem esperaria que ele aparecesse logo naquela noite? Era quando ela deixaria ele finalmente de lado! - Exclamou Julie enquanto estava deitada no tapete de Jô.

- De qualquer forma, vamos esperar que ela fique melhor logo - Disse Sofia ainda preocupada.

- E acho que já está na hora de contar para vocês o que eu e o Gabriel conversamos - Falou Joana fazendo Julie se levantar rapidamente - Queria contar pra vocês três mas não quero que Alexa fique com mais coisas na cabeça.

Jô respirou fundo e Sofia segurou sua mão e Julie segurou a outra, elas estavam ali com ela, tudo ficaria bem.

- O Gabriel vai viajar pra Austrália, para uma especialização do seu curso.

- Isso é bom, não é? Achei que vocês tivessem terminado! - Exclamou Julie.

- Ele ficar lá por dois anos - Disse por fim, fazendo as garotas entenderem o motivo de sua tristeza.


Notas Finais


Comentem ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...