História Amor de Brasa - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor De Brasa, Amor Que Queima
Visualizações 7
Palavras 345
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - Um olhar sorrateiro


Fanfic / Fanfiction Amor de Brasa - Capítulo 7 - Um olhar sorrateiro

- Você demorou para chegar, como sempre longe, ela foi operada, já liberou a visita. Antônio nem mesmo parou para refletir a raiva exposta de Carlos, seguiu a diante pelo corredor, fui atrás. Fomos guiados até onde ela estava, fiquei do lado de fora observando através de uma pequena janela na porta, ele a olhava com uma ternura eminente, um sentimento exposto que me deu uma instantânea lição.

Não saberia explicar a maneira como ele a olhava, quem seria eu se pudesse causar isso nele, talvez seja pelos momentos que passaram, mas aquilo, aquela preocupação, não era daqui, digo, de um homem livre, é de um homem sentido, levado. E eu sei, estava bem preocupado.

Me afastei por alguns minutos, depois de algum tempo ele saiu e veio em minha direção- Se você quiser já pode ir.

- Você ficará?

- Mais um pouco. Sei que também não devia ficar. Mas algo mudou exatamente naquele instante, um homem aparentando uns trinta e poucos, alto, negro, se aproximou seriamente nos comprimentando. 

Logo ao entrar a dá um longo beijo, olhei para Antônio a olha -los ali, imóvel, congelado naquele instante a vê aquela cena. Suas expressões são explícitas, ora uma faceta de injuriado, ora tocado de uma não compreensão ao que está a ver, e ao seu final, um sorrateiro ar triste como de quem perdesse algo. A olha-lo em ve-los virei me a ir embora, não notou, estava focado demais perdido ao que questionava naquele momento, como queria poder ler sua mente.

Me despedi de seus filhos e segui a diante para um ponto próximo, só quero ir para casa.

No caminho através da janela vendo as casas passarem rápido meus pensamentos cruzavam as cenas e me questionava os sentimentos dele passados a sua ex esposa. Não me imaginaria nessa situação depois daqueles olhares minuciosos e irreais.

Tão sorrateiro que nem mesmo eu captava o que queria dizer, ou sentir. Eu sei que o divórcio saiu depois de um tempo, conseguiu a sua tão sonhada liberdade, estava a passos de suas conquistas esquecidas, mas não compreendo aqueles olhares, mas que olhares.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...