1. Spirit Fanfics >
  2. Amor de bruxo >
  3. Dois dias-"Um tempo"

História Amor de bruxo - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


*Hot Alert*
Ele não pode ir embora antes de transar com seu bruxo né?
Olá pessoas. Bom dia, boa tarde ou boa noite e bem vindos a mais um capítulo pra vcs. Um hotzinho, de "leves" kkkkkkkkk. Espero que gostem, boa leitura :)

Capítulo 18 - Dois dias-"Um tempo"


-No dia seguinte, 2 dias para lua de sangue-

Acordo com a luz que entra em meu quarto. Me levanto, passo as mãos pelo o lençol da cama. Estou sem ele. Pego seu travisseiro e o abraço, ainda tinha seu cheiro, baunilha, como isso é tão bom? Faltam dois dias para lua e eu estava sem um dos meus principais ajudantes. Devo ir falar com ele? Não! Ele tem que vir, ele mentiu pra mim. Deito minha cabeça no travisseiro e aprecio a vista. Geralt, Geralt, Geralt...

Jaskier: Geralt...

Sinto meus olhos encherem de lágrimas. Volto a realidade quando escuto barulho na porta.

Jaskier: Pois não?!

Yennefer: Tens visita.

Jaskier: Entre, por favor.

Ela abre a porta, olho em sua direção, Dyana entra no quarto. Caralho, porque lembra-me tanto o Geralt? Talvez porque eles sejam irmãos, idiota. Ela vem em minha direção e senta na cama, Yennefer fecha a porta.

Dyana: Estás bem? Seus olhos estão inchados.

Ela tem até a mesma preocupação dele.

Jaskier: Eu...Não consegui dormir, nada demais...

Dyana: Eu sei que não foi isso. Vi como estavas a lacrimejar ontem. Geralt diz coisas que não quer, juro-te que ele não disse aquilo para magoar-te.

Jaskier: O que aconteceu entre vocês dois?

Dyana: Quando eramos pequenos, nosso pai tinha mania de brigar com nós por causa da magia. Um dia, eu me irritei com ele...E o matei. Geralt ficou furioso, então brigamos feio. Boa parte de suas cicatrizes são culpa minha. Então, resolvi sair de casa.

Jaskier: E a sua mãe?

Dyana: Morreu no parto, infelizmente.

Jaskier: Voltaram a se ver depois disso?

Dyana: Estudamos juntos, em Aretusa. Lá parace que as coisas só pioraram. Sempre competiamos quém era o melhor, era até idiota.

Solto um sorriso fraco.

Dyana: Brigamos por tantas coisas, tivemos tantas detenções, já fizemos tanta merda. Até ele ser chamado pelo o conselho dos bruxos, apartir daí, nunca mais o vi.

Jaskier: Mesmo brigando, eu percebo que vocês se amam.

Ela solta um sorriso fraco.

Dyana: Talvez. Nunca tivemos uma conversa civilizada, sempre acabava em briga.

Jaskier: Entendo, eu era assim com meu pai. O que veio fazer aqui?

Dyana: Vir ver como estavas. Fiquei preocupada contigo, já que agora és o meu cunhado.

Nós rimos. Aperto o travisseiro.

Dyana: O quanto gosta dele, Jaskier?

Jaskier: Muito...Eu sinto que ele...É o único que consegue fazer todos os meus problemas sumirem.

Dyana: Seis que agora não és mais humano, mas ele continua sendo o seu bruxo. Não importe que vire, um bruxo, um lobisomen, um vampiro, sereio, não importa. Ele vai ser sempre seu guardião.

Viro meu rosto em sua direção.

Jaskier: Também és uma bruxa guardiã?

Dyana: Não mais. Quando eu canditatei-me para vice-diretora de Aretusa eu larguei tudo.

Jaskier: Ainda bem que conseguistes.

Dyana: Imagina se eu não conseguisse? Eu ia ser o que? Alquimista? Eu sou péssima em alquimia.

Nós rimos. Ela é uma boa pessoa, gosto da presença dela, me lembra...

Jaskier: Posso fazer-te uma pergunta?

Dyana: Claro.

Jaskier: Achas que...Eu deveria falar com ele? Depois do que disse ontem...

Dyana: Ele vem até ti. Ele vai perceber que também não consegues viver sem ti. Confie em mim, ele vai vir.

Jaskier: És tão bonita. Os dois são tão parecidos.

Dyana: Obrigada. Também és bonito. Agora entendo porque ele gosta tanto de ti.

Sinto minhas bochechas corarem.

Dyana: Tenho que ir, ficas bem okay? Quero que fiques forte para o seu treinamento.

Nós rimos. Ela abre a porta e vai embora. Solto um grande suspiro. Me levanto e vou até o espelho e...

Jaskier: Merda!

Pego um pano e limpo meu nariz que estava sangrando. Sintoma de hoje, sangramentos. Logo para de sangrar. Pego uma muda de roupa e me troco. Escuto barulhos na porta.

Jaskier: Sim?!

Geralt: Posso?

Sinto meus batimentos acelerarem, engulo um seco, me arrumo, me sento na cama e pego seu travisseiro e o abraço.

Jaskier: P-Pode...

Ele abre a porta, entra, a fecha e encosta nela.

Geralt: Esse é o meu travisseiro?

Jaskier: Sim...Ainda tem seu cheiro...

Geralt: Por acaso minha irmã esteve aqui?

Jaskier: Sim, ela veio ver-me. Ela ficou preocupada comigo depois de ontem.

Geralt: Ela não se preocupa com ninguém.

Ele cruza os braços.

Jaskier: Isso é mentira. Ela me contou o que aconteceu.

Geralt: Vais defender ela agora? Ela matou o único membro da família que tinhamos vivo.

Jaskier: Eu sei, isso é horrível. Mas vai dizer-me que nunca deu-te vontade? Ela provavelmente tentou explicar-se depois.

Geralt: Nenhuma vez. Ela não é do bem Jaskier.

Jaskier: E você deu a oportunidade dela se explicar? Pelo menos alguma vez deixou ela falar? Ou simplesmente jogou tudo na cara dela como nada fosse?

Ele escorrega pela porta e senta no chão. Solto um suspiro, levanto da cama, vou até ele e sento em sua frente.

Jaskier: Pelo o que conversamos, ela sente sua falta.

Ele leva as mãos ao rosto.

Jaskier: Não sentes falta dela? Das brincadeiras, piadas, indiretas. Não sentes fata de nada?

Geralt: Óbvio que eu sinto, ela é minha irmã.

Jaskier: Tente resolver as coisas com ela. Obviamente que ela vai aceitar suas desculpas.

Não tenho resposta. Me levanto e vou até minha mesa onde eu arrumo alguns livros. Olho-lhe de canto de olho, percebo que ele começa a ficar de joelhos. Viro o rosto em sua direção e observo a cena.

Geralt: Você disse que tinha que ficar de joelhos para pedir o seu perdão.

Solto um sorriso fraco.

Geralt: Desculpa-me, eu não queria dizer aquilo pra ti. Eu juro-te que não tive a intensão de magoar-te.

Vou em sua direção e me ajoelho em sua frente.

Geralt: Eu não contei dela, porque eu não queria lembrar o passado. Eu queria esquecer aquilo tudo e focar em você, porque você é a minha prioridade.

Jaskier: Geralt...

Geralt: Eu quero aproveitar esses últimos dias que eu tenho com você, sei que são poucos, são só dois...

Ele pega minhas mãos.

Geralt: Mas em dois dias se faz muita coisa. Por favor, perdoa-me. Eu já vou ficar sem você por cinco anos, pelo menos deixe eu passar esses anos com a consciência tranquila.

Ele se aproxima para beijar-me, mas eu afasto.

Jaskier: Eu ainda não perdoei-te, não jogue esse charme pra cima de mim.

Ele sobe suas mãos pelo meu abraço até chegar em minha nuca. Seguro seus pulso e beijo uma das suas mãos.

Jaskier: Geralt...Eu...Não consigo viver sem ti...Mas eu acho que precisamos de um tempo...

Geralt: Quanto você quiser, meu príncipe.

Ele tira as mãos do meu rosto e se levanta. Mas, antes dele sair seguro sua mão. Faço ele ficar de frente para mim e abraço sua cintura. Ele começa a fazer carinho em meus cabelos. Passeio minhas mãos pela sua cintura e desaboto sua calça.

Geralt: Pensei que iamos dar um tempo...

Jaskier: Deixe eu explorar seu corpo, antes que eu vá.

Geralt: Podemos...Fazer uma noite românica antes de ires...

Jaskier: Mas assim, é mais divertido.

Retiro sua calça devagar. Uso minha magia para subir sua blusa, ele afunda seus dedos em meus cabelos. Encosto meu rosto em seu corpo e lambo seu membro. Olho para ele que estava de olhos fechados com a cabeça jogada pra trás. Porque eu comecei a ficar extremamente excitado? Logo começo um boquete nele. Uso uma das minhas mãos para desabotoar minha blusa. Seus gemidos me fazem ficar tão exitado. Aumento a intensidade, uso minha magia para retirar minha blusa e a jogo na mesa. Olho para ele de novo e vejo que ele estava olhando pra mim, ele sorrir e eu retribuo lambemdo seu membro. Logo sinto um líquido quente em minha boca, isso indica que ele cehgou ao clímax. Ele puxa meu cabelo e jogo minha cabeça pra trás.

Geralt: Não tens limite...

Jaskier: Eu sei que gostas...

Geralt: Porque estás sem blusa...?

Jaskier: Eu fiquei excitado...

Geralt: Ficastes?

Mordo meu lábio e concordo. Ele se ajoelha em minha frente e me beija desesperado. Ele me deita no chão, coloco minhas mãos em sua nuca e a fundo meus dedos em seus cabelos. Logo ele desce seu rosto pelo meu corpo e vai até minha calça onde ele a tira rapidamente. Logo, ele sobe seu rosto até o meu e volta a me beijar. Entrelaço minhas pernas em sua cintura. Sinto ele penetrando intensamente, encosto minha testa em seu ombro. Ele prende minhas mãos em cima da minha cabeça. Meus gemidos saem com facilidade da minha garganta.

Jaskier: Geralt...

Ele aumenta a intensidade e me beija desesperado. Nos afastamos ofegantes, encosto nossas testas, ele beija a ponta do meu nariz o que me faz rir.

Geralt: Eu...Amo seu sorriso...

Ele desce seu rosto até meu ombro onde ele o beija. Chegamos ao nosso clímax. Contrário meu corpo, ele passa um dos braços pela minha cintura e me aperta contra seu corpo. Ele solta minhas mãos e encosta sua testa em meu ombro. Coloco minhas mãos em seu ombro.

Jaskier: Não era assim que eu imaginava...

Geralt: As vezes...As coisas não saiam....Como imaginavamos...

Jaskier: Mas...Pelo menos...Foi melhor fo que eu imaginava...

Ele sobe seu rosto em direção ao meu.

Geralt: Queres mesmo...Da um tempo...?

Jaskier: Não sei...Pra falar a verdade...Eu já superei o fato de teres escondido isso pra mim...

Nós rimos. Ele esfrega nossos narizes. Afundo meus dedos em seus cabelos.

Geralt: Não quero que vás...

Jaskier: Mas é o melhor pra mim, não achas?

Ele concorda.

Jaskier: Vou ficar bem, sua irmã vai cuidar de mim.

Ele sai de cima de mim, pega suas roupas e as vetes.

Jaskier: O que foi?

Geralt: Não sei se confio nela.

Jaskier: Sério Geralt? Eu sei que vocês não estão no melhor momento, mas ela é tua irmã. Vocês têm que conversar civilizadamente.

Ele se vira pra mim e me olha confuso.

Jaskier: Que foi?

Ele pega um pano, vem em minha direção e limpa meu nariz.

Jaskier: Obrigado. Acho que esse é um dos piores sintomas.

Geralt: Isso é sua magia, é completamente normal.

Jaskier: Porque estás chateado?

Geralt: Não estou. Só não quero que minha irmã apunhala-te pelas costas.

Jaskier: O que ela te fez para dizer isso?

Ele senta na minha frente.

Geralt: Na época de escola, tentamos entender-nos, ela fez questão de trabalharmos juntos, mas depois de uma semana, ela me traiu, ela me largou foi aí que eu conheci a Yennefer.

Jaskier: Peguntou para ela porque ela fes isso?

Geralt: Não, eu fiquei com tanta raiva que...Eu nem pensei nela...

Jaskier: Deverias falar com ela e perguntar o lado dela das histórias.

Geralt: O que seria de mim sem ti?

Me aproximo de seu rosto e roubo-lhe um beijo.

Jaskier: Não querendo estragar o clima...

Geralt: Vais querer mesmo um tempo?

Eu concordo.

Geralt: Tudo bem, vou respeitar isso. Mas se quiseres uma distração, eu estou disposto.

Jaskier: Não fele um negócio desses pra mim...

Iamos nos beijar, mas escutamos barulhos na porta.

Ciri: Olá Jaskier, estás bem?

Eu e Geralt nos olhamos desesperados.

Jaskier: Sim, sim. Estou bem. O que foi?

Me levanto e pego minhas roupas.

Ciri: Nada, só fim perguntar se queria companhia, já que estás sem o Geralt. Por acaso ele já veio falar contigo?

Enquanto me arrumava desesperado, Geralt estava sentado no chão rindo da cena.

Jaskier: Érrrrrr...Ainda não, mas se ver ele, pode dizer-lhe que...Eu quero falar com ele.

Ciri: Claro. Bem, se quiseres companhia pode chamar-me.

Jaskier: Claro querida, obrigado pela preocupação.

Ela sai da porta. Solto um grande suspiro de alívio.

Geralt: Mal sabia ela que acabamos de transar.

Jaskier: Geralt!!!!

Geralt: Que foi? Eu só disse a verdade.

Nós rimos. Ele se levanta, vem em minha direção e segura meu queixo.

Geralt: Se quiseres uma distração, não hesite em chamar-me.

Jaskier: Claro, eu não consigo ficar muito tempo sem ti. Sem seu corpo...

Antes que eu podesse falar qualquer coisa ele me beija. O empuro sorrindo.

Jaskier: Sei que eu falei tudo isso de ti, mas estamos dando um tempo.

Geralt: "Um tempo."

Ele faz as aspas com os dedos, o que me faz rir.

Geralt: Darei-te o tempo que quiser, mas sei que não vais durar muito.

Ele abre a porta e vai embora. Sinto minhas bochechas corarem. Será que devemos dar mesmo um tempo? Já percebemos que não conseguimos. Começo a arrumar uns livros. A cena de hoje passeia pela minha cabeça, não deixando eu pensar em mais nada. Passo minhas mãos em meus ombros até meu pescoço, fecho meus olhos e solto um grande suspiro. Eu não consigo...Viver sem ele...Geralt, Geralt, Geralt...Sinto uma corrente elétrica pecorer meu corpo, dos meus pés até minha cabeça. Sinto como se ele estivesse ali comigo, uso minha magia para desabotar minha calca enquanto eu tirava minha blusa. Seus gemidos ocoam em minha cabeça, seu corpo sobre o meu, parece que ainda posso senti-lo...

Jaskier: Geralt...

Eu realmente não consigo viver sem ele. Abro meus olhos, vou em direção a cama, sento e me jogo pra trás. Minha mão passeia pelo meu corpo, eu ainda tinha ematomas. Adentro minha mão em minha calça, mordo alguns dos meus dedos, da outra mão. Isso é...Tão estranho. Eu nunca fiz isso em mim mesmo, ele sempre fez em mim...Será que devo? Fecho meus olhos e começo a me masturbar. Começo a senti seus lábios em meu pescoço, suas mãos passearem pelo meu corpo, suas mordidas, seus lábios, seu corpo...Tão quente e tão bonito. Aquele olhos marcantes, seu cheiro que tanto amo...Agarro o seu travisseiro e solto uns gemidos abafados.

Jaskier: Geralt...

Chego ao meu clímax. Solto um longo suspiro acompanhado por um gemido. Abro meus olhos, solto o travisseiro e encaro o teto. Lambo minha mão e fecho minha calça. Eu preciso dele, foda-se o tempo, eu quero ele todo pra mim. Nossa! Parece que hoje é o terceiro dia. Estou mais excitado do que naquele dia. Me levanto, visto minha blusa e saio a procura do Geralt. Encontro Triss pelo o caminho.

Jaskier: Triss, vistes o Geralt?

Triss: Sim, ele está na sala das águas.

Jaskier: Obrigado.

Antes de eu ir ela segura meu pulso.

Triss: Está tudo bem? Vocês já fizeram as pazes?

Jaskier: Estou prestes a fazer.

Triss: Vai com tudo garoto.

Vou em direção a sala das águas. Lá encontro ele sentado de costas para a porta. Fecho a porta devagar. Tiro minhas roupas, entro e sento ao seu lado, ele estava de olhos fechados, logo subo em seu colo. Ele abre os olhos e me encara.

Geralt: Pensei que estavamos dando um tempo.

Jaskier: "Um tempo."

Faço as aspas com os dedos. Nós rimos. Coloco minhas mãos em sua nuca e o beijo. Uma de suas mãos vai até meu membro e começa a mastuba-lo, abafo meus gemidos no beijo. Nos afastamos ofegantes, olho para baixo e percebo que ele também estava se masturbando. Como aquilo me excitava. Fecho meus olhos, mordo meu lábio e jogo minha cabeça pra trás. Ele se imclina e lambe um dos meus mamilos. Apoio minha cabeça na dele e abafo meus gemidos em seus cabelos. Ele aumenta a intensidade e beija meu peitoral. Chegamos ao nosso clímax, aperto sua cabeça contra meu peito, solto um longo suspiro acompanhado por um gemido e abro meus olhos.

Jaskier: Eu não...Posso viver sem....Ti...És minha fraqueza...

Geralt: E tu és a minha...

Beijo-lhe desesperado. Me ajeito em seu colo e começo a cavalgar em seu membro. Ele sobe uma das suas mãos até meus cabelos e afunda seus dedos neles, com a outra ele segura minha cintura com força e acompanha meus movimentos. Nos afastamos, inclino-me até seu ombro e encosto minha testa em seu ombro. Logo, ele começa a beijar meu pescoço e desce até meu ombro onde ele o morde levemente. Sinto sua mão passear da cintura para meu membro, ele começa a masturba-lo de acordo com meus movimentos. Abafo meus gemidos em seu pescoço e o envolvo em meus braços. Chegamos ao nosso clímax. Me entrego ao seu corpo.

Geralt: Temos que...Começar a dar mais tempo...

Nós rimos. Levanto meu rosto em sua direção e encosto nossas testas.

Geralt: Eu...Vou falar com...Minha irmã...Vamos resolver isso...

Jaskier: Fico feliz...Com sua escolha...Até porque, eu quero ter uma cunhada...

Nós rimos. Retiro uma mecha de seu rosto e começo a ver suas memórias.

Jaskier: Vocês eram tão unidos...Eram tão felizes...

Geralt: A culpa é toda minha, eu sei...

Jaskier: Não só sua. Também é dela, por nunca tentar explicar-se ou tentar de novo.

Geralt: Por acaso, sentistes algum sintoma hoje?

Jaskier: Mais ou menos, hoje de manhã meu nariz também sangrou e depois daquela vez.

Geralt: Mais tranquilos do que os outros dias.

Jaskier: Sim, eu não entendo isso.

Geralt: Ainda estamos dando um tempo?

Jaskier: Foda-se o tempo, quero aproveitar esses dias contigo. Não temos tempo para pensar em tempo.

Beijo-lhe. Ele me envolve em seus braços e me aperta contra seu corpo. Ficamos ali a tarde inteira. Não darei mais detalhes, até porque, vocês já sabem onde isso termina...Na cama.


Notas Finais


Eita caralho! Vai com tudo Jaskier!
Então pessoas foi isso, precisava de um hot sim, eu já sabia que eles não iam conseguir ficar longe um do outro. Foi "tranquilo", mas relaxem que eles foram a noite toda kkkkkkkkkk. Talvez eu faça um twitter, ai podemos socializar melhor e atualizar vcs sempre, mas ainda estou pensando kkkk. Falta pouco para o nosso Jaskier virar um bruxo por completo. Até eu estou anciosa. Espero que tenham gostado. Até a próxima ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...