1. Spirit Fanfics >
  2. Amor de colégio. >
  3. Recuperação

História Amor de colégio. - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem. ❤️

Capítulo 12 - Recuperação


Fanfic / Fanfiction Amor de colégio. - Capítulo 12 - Recuperação

*Samuel*

Deitado naquela cama, Samuel podia ouvir tudo o que diziam, mas não conseguia abrir seus olhos. Não conseguia mexer seu corpo. Até que sentiu uma dor aguda em seu peito, sua respiração acelerou e ele, finalmente, conseguiu abrir seus olhos. Mas, no momento em que ele abriu seus olhos viu apenas médicos o levando para alguma sala:

Médico 1: Os batimentos dele estão caindo.-Disse pegando alguma coisa na bandeja ao lado.-

Médico 2: Vamos, pessoal. Não vamos perder ele!-Disse entrando na sala e colocando uma luva.-

Depois disso, Samuel sentiu alguém colocar algum tipo de máscara nele, e alguns segundos depois Samuel estava praticamente apagado.

Médico 1: Vai ficar tudo bem. Relaxa...-Disse, logo antes de Samuel apagar.-

*Carla*

Eram 04:26 da manhã, e Carla ainda estava lá, esperando Samuel sair daquela sala... Estava sozinha, pois Guzmán tinha ido embora algumas horas antes. Mas Carla queria que Samuel soubesse que ela estava ali quando ele saísse. De repente, alguém chega por trás de Carla e diz:

???: Você tá esperando o Samuel, né?!

Carla se vira e se depara com uma mulher, não sabe quem é, até então: Sim, eu tô.-Disse se levantando.-

???: Bom... Prazer, eu sou Pilar,  mãe de Samuel.-Disse estendendo a mão para Carla.-

Carla: Prazer, Pilar. Meu nome é Carla.-Disse, também, estendendo a mão para Pilar. Assim, dando um pequeno sorriso tímido.- 

Pilar: Você é namorada dele?-Disse soltando a mão de Carla simpaticamente.- 

Carla: Ãh... É... Não... N-Não sei muito bem o que eu sou dele.-Disse dando uma risada baixinha.- Então prefiro dizer que somos amigos. 

Pilar: Entendi.-Disse rindo junto com Carla, dando um ar amigável.- Você sabe como ele está? O hospital me ligou dizendo que tinham levado ele para a sala de cirurgia.

Carla: O motivo dele ter ido para a sala de cirurgia eu ainda não sei. Mas, quando estava no quarto, parecia estar tudo bem sim. Tanto que fiquei um bocado assustada quando os aparelhos apitaram.-Disse Carla, ficando assustada ao relembrar daquele momento.- 

Pilar: Ei, ele vai ficar bem. Ele sempre fica. E ele vai dar duro pra voltar, só por saber que tem uma menina linda como você esperando ele.-Disse Pilar, sorrindo para Carla.- 

E as duas ficaram ali, sentadas nos sofás de espera. 

DUAS HORAS DEPOIS

Pilar estava adormecida ao lado de Carla, enquanto Carla estava apreensiva enquanto revisava varias vezes o que podia ter feito para que isso não ocorresse, e, de repente:

Médico: Acompanhantes de Samuel García Domínguez?-Disse lendo um papel, que estava em sua mão.-

Carla acordou Pilar e as duas andaram até onde o médico as guiou. Parando na frente de uma janela de vidro, onde de lá, puderam ver Samuel deitado e com um respirador.

Carla: Pq ele tá usando um respirador?-Logo depois de terminar a frase, Carla se deu conta do quão idiota e insignificante foi sua pergunta.-

Médico: Ele está com dificuldade para respirar no momento, mas logo nós iremos tirar o respirador e ajudá-lo a voltar. No momento, ele ainda está inconsciente, mas daqui uma hora ou menos, ele acordará e vocês poderão ver ele, ok?-Disse o médico vendo mais algumas folhas que estavam em suas mãos.-

Carla e Pilar, em coro: Ok! 

Pilar: Mas, pq vocês precisaram fazer uma cirurgia?

Médico: Nós ainda não sabemos a causa, mas ele teve algum tipo de parada respiratória. E nós acabamos não fazendo a cirurgia, apenas demos mais alguns pontos em sua ferida que está localizada na cabeça, alguns pontos tinham arrebentado com a agitação que nós fizemos até a sala de cirurgia.-Disse o médico olhando para Pilar.- Bom... É isso. Se quiserem, podem esperar aqui, no momento em que ele acordar vocês podem entrar.-Disse apontando para algumas cadeiras na frente da grande janela de vidro. 

Carla: Ok... Muito obrigada.-Disse acenando para o médico.- 

Depois que o médico foi embora, Pilar virou-se para Carla, com uma expressão confusa estampada em seu rosto:

Pilar: Todo mundo tá sempre machucando o Samu. Ele é um menino do bem, nunca fez mau á ninguém. E tenho certeza de que não faria nunca. Ele é meu filho e eu sei do que eu tô falando.-Disse com seus olhos cheios de lágrimas.- Essa vez foi a mais grave, ele poderia ter morrido. E eu não sei o que seria de mim sem o meu pequeno.-Disse virando o olhar para a grande janela, onde avistava Samu.-

Carla: Eu sei que o Samuel é uma boa pessoa. Eu sinto isso nele. Aliás, tudo que uma pessoa pode ter de bom, o Samuel tem. E isso vem de família, então eu tenho que te parabenizar por ter criado ele tão bem. Ele vale ouro.-Disse Carla, com brilho nos olhos olhando para Samu, através da grande janela.-

Pilar: Você não quer ir para casa? Tá ficando tarde e você tem aula logo mais. Eu aviso para ele que você esteve aqui e peço para ele te enviar uma mensagem.

Carla pensou se não queria ficar ali com Pilar, pois ela, como mãe, precisava de alguém. Mas Carla estava exausta e precisava mesmo de sua cama. Então decidiu ir para casa:

Carla: Eu até queria ficar, Pilar... Mas eu tô muito cansada, de verdade.-Disse se levantando e dando um beijo no rosto de Pilar.- Obrigada.

Pilar: Pelo quê? -Disse Pilar, confusa.- 

Carla: Por ter feito com que o Samuel nascesse. Ele é muito importante pra mim. Obrigada. -Disse indo embora.-

Carla estava na frente do hospital, tentando chamar um Cabify mas não conseguia nenhum, até que viu um carro conhecido parar em sua frente.

Guzmán: Você tá indo embora?-Disse baixando o vidro do carro.- 

Carla: Sim. Mas, sem sucesso.-Disse dando uma risada irônica.-

Guzmán: Entra aí que eu te levo. 

Carla, sem pensar duas vezes, entrou dentro do carro e colocou o cinto:

Carla: O que você tá fazendo por aqui?-Disse olhando para Guzmán, enquanto o mesmo dirigia.-

Guzmán: Eu tava voltando para ver o Samuel.-Disse sem tirar os olhos da pista.- Você ficou o tempo todo no hospital? 

Carla: Sim. Inclusive, não aguentava mais aquele cheiro de hospital. Ficou grudado em mim.-Disse, fazendo com que os dois rissem, tirando um pouco do estresse.-

Carla se aconchegou no banco do carro, fazendo seu corpo relaxar e soltou um suspiro:

Guzmán: Você gosta mesmo do Samuel, não é?-Disse olhando de relance para Carla.- O modo como você olha para ele... É extremamente diferente do modo que você olhava para o Polo. 

Carla: O Samuel é diferente...-Disse olhando para seus pés.-

Guzmán: O Samuel é diferente ou o sentimento que você tem por ele é diferente?-Disse levantando uma sobrancelha e dando um sorriso.- 

Carla: Um pouco das duas coisas.-Disse sorrindo junto com Guzmán.-

Os dois conversaram sobre mais algumas coisas aleatorias, até que, finalmente chegaram na casa de Carla. 

Carla: Muito obrigada, Guzmán. Te devo uma.-Disse tirando o cinto e saindo do carro.-

Guzmán: Te mando notícias!-Disse acelerando o carro e acenando para Carla.-

Carla, por sua vez, chegou em casa e entrou diretamente em seu quarto. Tomando um susto logo de cara: 

???: Onde você tava?-Disse virado de costas para Carla, na beira da sua cama.- 

Carla: O que você quer na minha casa? Eu vou chamar a polícia!-Disse Carla sem ter visto quem era, pois a pessoa estava com um capuz.-

De repente, a pessoa virou-se para Carla:

Polo: Você não ouviu a minha pergunta? Onde você estava?-Disse, gritando com Carla e se aproximando dela, colocando ela contra a parede.- 

*SAMUEL*

Acordei, meio mole. Procurando por algum rosto conhecido por perto. Até que olhei para uma janela, e do outro lado estava minha mãe. Praticamente deitada em uma das cadeiras que estavam ali, dormindo. 



Notas Finais


Espero que gostem. Prometo escrever mais episódios e postá-los com mais frequência. ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...