1. Spirit Fanfics >
  2. Amor de colégio. >
  3. Confusão

História Amor de colégio. - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Sei que não estava postando aqui, tenho meus motivos mas prefiro não comentar sobre eles. Vou continuar pouco ativa, mas, quando postar, vou tentar dar o meu melhor. Desculpa se deixei á desejar com alguns dos episódios, sou iniciante nisso e preciso da compreensão de vocês.
🙏🏼

Capítulo 8 - Confusão


Fanfic / Fanfiction Amor de colégio. - Capítulo 8 - Confusão

*Samuel*

Olhei pra Carla com uma expressão confusa e sem saber como Polo havia entrado ali. 

Carla, dirigindo-se rapidamente em minha direção. Chegou à mim e tentava me puxar para a área da piscina novamente:

Polo: Carla, o que tá acontecendo aqui?-Polo disse com uma expressão séria.-

Carla: Polo... E-Eu...-Carla não conseguia completar a frase.-

Samuel: O que tem de errado, Polo? Só podemos "nos divertir" quando você estiver por perto?-Disse apontando o dedo para Polo.-

Polo: Eu sou o namorado dela, Samuel. Será que você não entende isso? Ou você é burro demais pra entender? 

Samuel: Acho que o dinheiro acabou afetando seu cérebro de merda, qual seu problema? Você é tão problemático ao ponto de permitir que sua namorada transe com outros caras, e você ainda adora assistir! Olha pra sua namorada -Disse acenando em direção á Carla.- Olha o que você tem, ela é sua! Não deveria compartilhar isso com ninguém. 

Carla: Samuel... Calma.-Disse pondo a mão sobre o ombro de Samuel, na intencao de acalma-lo.-

Polo: Eu posso até ser problemático, mas ninguém obrigou você á fazer nada na festa.

-Samuel levanta a voz: Não estamos falando de mim, Polo!

Dando um grito agudo, Carla diz: Chega, meninos! -Disse olhando assustada para os dois.- Vocês estão parecendo duas crianças! Polo, precisamos conversar. Samuel, amanhã nos falamos.-Disse puxando Polo para a sala de estar e dando um beijo em Samuel.-

Naquela noite, Samuel não pediu nenhum Uber ou Cabify pra voltar à sua casa, ele apenas foi caminhando e pensando. Pq ele se sentia tão atraído por Carla? Será que Polo realmente estava certo sobre aquela noite? Quem aceitou fazer tudo aquilo, foi Samuel. Em momento algum ele negou-se. Samuel precisava de respostas, mas não sabia onde encontrá-las. Ele estava confuso e com medo de se apegar à alguém novamente. Da última vez em que isso ocorreu, Marina acabou morta. Mesmo à Carla sendo totalmente diferente, Samuel tinha medo. 

Quase chegando em casa, Samuel se depara com Ander:

Samuel: Ander?- Diz olhando para o menino de capuz na porta de sua casa.-

Ander: Oi! Queria saber se você não quer sair pra beber alguma coisa. Guzmán tá ocupado demais pensando na Nádia.-Disse rindo e revirando os olhos.-

Saímos dali e fomos para um bar, bebemos algumas coisas, conversamos e demos boas risadas:

Samuel: Você não é igual às outras pessoas do colégio.-Disse Samuel dando um gole em sua cerveja.-

Ander: Como assim? Existe algum tipo de padrão no colégio?-Ander ri-

Samuel: Você não percebe?-Disse Samuel surpreso.- Quase todos de lá são metidos ou olham torto para a gente. Tenho 90% de certeza que olham assim pq nós somos pobres, e não por sermos novatos.-Samuel diz isso e vira-se para Ander.- Mas você parece ser diferente, cara. É bom saber que todo mundo não é um pé-no-saco.

Ander: Ah, é coisa de rico. O dinheiro acaba subindo para a mente ou algo do tipo. E sabe pq eu não sou assim? -Disse Ander inclinando a garrafa de cerveja na direção de Samuel.-

Samuel: Pq você tem vergonha na cara?-Samuel e Ander riem.-

Ander: Também -Ander concorda.- Mas também pq eu não sou rico. Eu só tô no colégio pq minha mãe é a diretora e pq eu sou amigo do Guzmán desde a infância.

Samuel: Entendi. 

Os dois ficaram alguns minutos em silêncio, até que Ander quebra o gelo:

Ander: Mas e você, cara? De onde você tava vindo?-Ander olha para Samuel.-

Samuel: Da casa de um amigo. Não aguentava mais ficar dentro de casa.

Depois de varias cervejas, varias risadas e varias historias, os dois decidem ir para casa.

ALGUMAS HORAS ANTES

*Carla*

Carla: Polo, precisamos conversar. Senta aqui. -Disse sentando-se no sofá.-

Polo: O que aconteceu? 

Carla: Isso é difícil de dizer. Mas não tá bom pra mim. Não tá bom pra você também. E você tá se tornando possessivo. Nós não éramos assim, lembra? Eu queria poder dizer que te amo mais que nunca, mas infelizmente esse sentimento sumiu, eu não te vejo mais como um namorado e sim como um conhecido.Você deixou de ocupar um lugar importante na minha vida e eu te peço perdão por isso. De verdade. Mas eu sinto que não estamos na mesma sintonia...

Polo interrompe a fala de Carla: Amor, onde você tá querendo chegar?

Carla: Eu quero terminar Polo. Não dá. Eu não consigo mais fingir que ainda te amo. 

Polo: Como assim? Isso é brincadeira, não é? 

Carla: Não. Me escuta pelo menos uma vez, cacete! 

Polo: Tudo isso é pq você tá apaixonada por aquele merdinha, né? 

Carla grita com Polo: E se eu estiver, em Polo? E se eu realmente estiver apaixonada por ele? Eu já te disse milhares de vezes que quem não dá valor para o que tem, acaba perdendo. E, felizmente, eu abri meus olhos e vi que você não me merece! Você faz eu me sentir uma farsa, eu sinto que o nosso relacionamento era uma farsa, Polo! Me entende pelo menos uma vez, me escuta só dessa vez. Eu cansei, e eu não quero perder mais tempo ficando com uma pessoa da qual eu não gosto e nem amo. Isso dói pra mim, pq eu já gostei muito de você. Mas...-Carla baixa o tom de voz.- Acabou, Polo. Aceita. Não fomos feitos um para o outro como nós sempre achamos. -Carla diz e sobe as escadas de sua casa correndo, trancando-se em seu quarto.- 

Polo fica desnorteado, seu chão cai e ele fica perdido. 

*Polo*

*Mensagem on*

Polo: Eu vou pegar você, seu filho da puta!

Samuel: O quê?





Notas Finais


Espero que gostem. 🙂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...