História Amor de Gamers - Amor Doce Armin. - Capítulo 21


Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Leigh, Lynn, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Visualizações 192
Palavras 1.961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 21 - A pior das "brincadeiras".


Fanfic / Fanfiction Amor de Gamers - Amor Doce Armin. - Capítulo 21 - A pior das "brincadeiras".

Já de manhã, eu desço do beliche e vejo que ainda caia o mundo lá fora, escovei meus dentes e ouvi alguém bater na porta, assim que abro vejo que era um dos instrutores do acampamento. 

Instrutor: Bom dia madame. Venho aqui lhe avisar que todas as turmas se encontrarão na área fechada do acampamento, a casa do proprietário do acampamento, daqui uns vinte minutos o ônibus irá passar aqui para busca-las.  Tenha um bom dia.- Eu agradeço e fecho a porta, olho pras camas as três dormem que nem pedra, pego duas panelas e bato uma na outra.

PAH!PAH!PAH!PAH!PAH!

A Ambre pula da cama e cai de cara no chão, já a Laila bate de cabeça bem na base da cama de cima, a Íris acorda normalmente. 

Ambre: Tá doida?!?!?- Tiro a minha blusa do pijama.

- Acelera que a gente tem que ficar pronta daqui uns vinte minutos.- Ela e a Laila ficam olhando pra mim, ou melhor, pros meus peitos. 

- Querem chegar mais perto, pra apreciar melhor?- Elas coram e logo se levantam, jogando seus cabelos novamente quase que na minha cara. 

(...)

- POHA AMBRE!!!!- Chuta! Adivinha o que aconteceu! Perdemos o bendito ônibus, por causa da princesa!!! Óbvio que eu tentei entrar no ônibus, mas não me permitiram adentrar, sem minhas companheiras de quarto. 

Ambre: Filha, eu não sou que nem tu! Que se arruma de qualquer jeito e acha que tá bom! Eu não tenho nada pra vestir!!! É o meu fim!!

- Eu posso me vestir mal, mas pelo menos não sou uma medrosa que se passa de fodona!- Cruzo os braços e ela vem até mim apontando o seu dedo bem na minha cara.

Ambre: Não se atreva a abrir essa sua boca grande!!- Bato na mão dela, fazendo ela abaixar a mão. 

- Então não me provoque e nunca mais coloque essas unhas postiças perto do meu rosto. - Falo rosando.- Te espero na porta, e te dou DOIS minutos pra escolher a porra da sua roupa  e sair da cabana!- Fecho a porta e  cruzo meus braços, olho pro meu relógio de pulos e quando estava pra dar dois minutos a Ambre sai da cabana com a Laila.

- Olha só! Elas ouvem, no final das contas.- Um carro veio nos buscar, chegamos num tipo de mansão, entro na casa e vejo meus amigos e mais as turmas todas sentadas  na sala, eles me olham, fico meio deprimida, por estar todos em silêncio e com cara de tédio.Me sento na almofada que estava no chão.

Prof: Ok pessoal! Por causa da chuva, a caminhada de hoje será cancelada! Chovera o dia inteiro, por isso que nós vamos ficar aqui juntos, podem fazer o que quieserem, exceto por algumas coisas! Não podem subir pro andar de cima e não podem quebrar nada. Eu falei com os inspetores do acampamento e eles disseram que amanhã não haverá chuva, por enquanto é só isso.- Eu me levanto e vou para o encontro dos meus amigos, e todos estavam com seus semblantes tristes e decepcionados. 

Rosa: Poxa! Essa chuva me deixou tão caída! Que nem vejo a necessidade da gente aqui.

Alexy: Realmente. Eu tava mó ansioso pra andar nessa mata maravilhosa!! E tirar várias fotos!- Olho pra Manu e ela estava com uma cara maliciosa. 

Manu: Que tal a gente subir pro andar de cima?

- Não sei não Manu...

Rosa: Ah qual é, Bia! Vai ser divertido!- Eu fico meio hesitante, mas acabo aceitando, subimos as escadas, que ranjiam e faziam vários estalos, um trovão caí perto do acampamento, me assustando fazendo eu cair pra trás, mas o Armin me segura.

Armin: Calma princesa. Tá com medo?- Eu rio, ele entrelaça seus dedos nos meus e sorri. Subimos e vimos um corredor cheio de portas. 

Manu: Vamos escolher um desses quartos!- Acabamos por escolher o maior, pego uns lençóis.

- Bora fazer uma tenda. 

Cast: Isso é coisa de criança.

Nath: Então pode começar a montar a sua.- O Castiel encara o Nathaniel. 

Cast: Qual é! Não se deve tirar a diversão de um bebêzão que nem você! Faça as honras e inaugure a sua.

Alexy: Stop!!! Chega, né?! Os dois melhores amigos pode parar de estragar essa merda de excursão?!?- Eles se encaram mais uma vez e logo se afastam um do outro.

- Ninguém vai me ajudar a montar a cabana?- O Armin pega alguns lençóis e logo o resto também pega, assim que terminamos entramos e ficamos sentados em uma roda.

Conversávamos e a noite cada vez ficava presente a chuva ainda estava caíndo as gotas deslizavam pelas janelas e o vento assobiava, dando um ar um tanto assustador. 

Manu: Gente! Eu tive uma ideia.- Ela se levanta e pega um copo e alguns papéis, ela os coloca no centro. - Vamos fazer o jogo do copo. - Eu fico calada, sinto um choque percorrer por todo meu corpo, eu tinha lembranças sobre esse jogo que não estou contente de relembrar. 

Dez anos atrás 

Eu e meus irmãos estávamos em casa sozinhos, quatro crianças uma de quatorze, outra de quinze, doze e eu de sete, sozinhas em casa!

Cauã: Que saco! Tá um tédio ficar parado olhando pro teto! Vamos fazer uma coisa legal.- O Miguel se levanta. 

Miguel: Vamos jogar o jogo do copo! Meus amigos me disseram que era uma brincadeira aonde conversávamos com pessoas mortas!

Gabi: Será que eu poderei falar com a minha gatinha Lulu?!?- Ele se senta e coloca o copo e os papéis em cima do carpete. 

Miguel: Só saberemos tentando.- Eu abraço o braço do Cauã, que segura a minha mão. 

Cauã: Relaxa pirralha! Eu sou o mais velho aqui! Não deixarei ninguém te machucar, eu olho pra ele e murrmuro "promete?!" Ele sorri e bagunça meus cabelos. Nos sentamos na roda e começamos a jogar. O Miguel pega uma folha e escreve o alfabeto inteiro, números de 0 a 9 e as palavras "sim" e "nao", depois de feito ele corta o papel isolando cada letra, número e palavra, eu prestava bastante atenção em seus movimentos, ele espalha os papéis formando um círculo.

Miguel: Coloquem seus dedos no centro do copo.- O obedecemos.- Rezemos agora sete Ave-Marias e sete Pai-nosso.- Feita a reza o Miguel decide comandar a equipe e fazer as perguntas.

Miguel: Tem alguém presente aqui conosco?- Um silêncio paira no ar, eu estava tremendo, como meus irmãos são mais velhos eles estavam parados e tensos  (autora: Só eles conseguem ficar assim! Porque amigo! Pqp! Nunca que eu vou jogar um jogo desses. Assim que acabarem de ler, peço que leiam as notas finais! Bjs aproveitem!).

Gabi: Peça pra ele nos dar um sinal...

Miguel: Se tem alguém aqui presente conosco, nos dê um sinal!- Novamente o silêncio, só era possível escutar as nossas respirações pesadas.

Miguel: Se tiver algum espírito aqui conos- Antes do Miguel terminar de falar a porta da cozinha se abre devagar, nós olhamos pra porta e não vimos nada, além da escuridão, meu coração se acelera, eu ia tirar o dedo mas o Cauã segura meu pulso.

- E-eu N-não...snif snif.quero..mais jogar!!- Lágrimas caíam no meu rosto sem parar e eu falava entre soluços.

Gabi: A Bia tá certa! Vamos parar por aqui.

Miguel: Vamos pedir permissão pra sair. Quem quer que seja que está presente aqui, podemos ir embora?- De repente o copo começa a deslizar até o "Não", o medo estava estampado na cara de nós quatro. 

Cauã: M-miguel para com isso cara!

Miguel: Não fui eu! Porque não podemos deixar o jogo?- A voz do Miguel estava trêmula e fraca, olho pra Gabi e seus olhos estão cheios de água, não tenho nem tempo de pensar, quando de repente o copo é arremessado na parede, fico em choque e nem me mexo, o Cauã vem até mim e me pega no colo.

Cauã: G-guarda essas coisas que eu vou dormir lá em cima com a Bia.- Eles concordam, começo a chorar no ombro do Cauã, minhas lágrimas quentes molhavam a manga de sua blusa. 

Atualmente

Na manhã seguinte nós nem tocamos no assunto, foi como se aquilo nem tivesse acontecido, nunca mais tocamos nesse assunto e agora o jogo está prestes a se repitir na minha frente, abraço o braço do Armin, era como se eu tivesse novamente sete anos, como se aquela cena se repetisse. 

Armin: Calma Bia, não deixarei ninguém machuca-la.- Por breves segundos eu vi o rosto do Cauã e a minha casa, começo a tremer.

Alexy: Jesus amado, me proteja!!

Rosa: Gente...vamos tentar jogar isso sério, por favor. 

Manu: Creio que todos saibam as regras básicas! Não rir do espírito, não duvidar e não retirar o dedo do copo. Serei a comandante.- Vejo o Kentin, Castiel e Armin se levantando da roda, seguro a mão do Armin, olhando pra ele confusa. 

Armin: Preciso ir ao banheiro, já volto. - Ele me dá um beijo no topo da minha cabeça e sai. Começamos o jogo, todos nós estávamos sérios e tensos. 

Manu: Se tiver alguma entidade aqui conosco, por favor se manifeste agora, através do copo!- Esperamos e nada.

Manu: Qual é o seu nome?- Sem resposta.- Você quer nos contar algo?- De repente o copo começa a se mexer, todos se assustam, eu aperto a bainha da minha blusa.

                   "J-O-S-H"

Manu: Seja bem vindo Josh. Você poderia me dizer como você veio parar aqui?- Eu estava tremendo, olho para porta, querendo que o Armin a abra e venha me abraçar, mas nada dele, olho pro copo. 

                  "A-V-I-A-O"

Manu: Você sofreu um acidente de avião, por acaso você sabe me dizer para onde você estava indo?- Passaram-se minutos e nada da resposta, eu grito ao ouvir alguém bater brutalmente na porta.- Não tirem o dedo do copo!!!

Ken: Socorro!! Abram a porta!!! SOCORRO!!!- Não tivemos nem tempo de nós levantar porque as batidas param, um silêncio aterrorizador paira no ar, de repente o celular da Rosa toca, ela pega, ela mal consegue clicar porque suas mãos não paravam de tremer, ela coloca no viva-voz. 

Ligação 

Armin: ROSALYA!! Nos...Ele...Abram...a porta!!- Não conseguimos entender muito bem por causa da falta de sinal.

- Armin!!! Espera que eu vou abrir a porta!!!- Tiro o dedo do copo e abro a porta, mas as vezes eu queria ter a oportunidade de voltar no tempo  e nunca sequer ter pensado em abrir aquela porta. Um "que" escapa da minha boca, aquela cena fez o meu sangue ferver. O Castiel  e Kentin estavam se acabando em risadas, menos o Armin, que estava com um semblante de arrependimento, nas mãos de Castiel estava seu celular. 

Pov's Armin

No começo eu não queria nem um pouco participar da trama do Castiel, mas eu achei que seria bom descontrair um pouco esse clima chato e entediante, assim que eu saio do quarto o Castiel sorri maliciosamente. 

Cast: Já sabem o que fazer.- Ele pega o seu celular e eu pego o meu.

Ken: Vocês acham que eles vão ficar bravos?!

Cast: Uma brincadeira não mata ninguém. Agora vamos nos preparar.- Os dez minutos que o Castiel tinha falado, já tinham se esgotado o Kentin corre pra porta e começa a bater, o Castiel começa a gravar, me preparo pra ligar pra Rosa.

- -ROSALYA!! Nos ajude! Ele está aqui!.Abram a porta!!- Por eu ja saber da falta de sinal daqui, praticamente a ligação sairia uma bosta. 

Bia:Armin!!! Espera que eu vou abrir a porta!!!- Sinto um aperto no coração ao me lembrar da expressão de medo e de necessidade de proteção e de um abraço que a Bia possuia em seu rosto. A porta se abre e o Castiel e o Kentin  começam a rir, vejo todos com seus rostos confusos, mas o que mais me chamou atenção foi o rosto da Bia, aquela expressão fez o meu coração se despedaçar em vários pedaços, nunca mais eu quero ver ou pensar que ela fez essa expressão novamente, a única coisa que passou pela a minha cabeça foi:

Me desculpe 


Notas Finais


OK OK!!!
1°: Não matem o Armin- Senpai! Ele fez errado, mas logo logo se desculpara com uma coisinha um tanto...deliciosa ( aquela carinha.)

2°: Em hipótese alguma jogue esse jogo! sério! NUNCA jogue esse jogo! Por mais que curioso ou retardado você seja! Esse jogo não é brincadeira e pode dar muita merda! Sério gente! Deixem os espíritos quietos no canto deles, falem com gente viva, não morta!
Eu escrevi detalhadamente o processo do jogo pra vocês conseguirem entender melhor a situação, mas peço de joelhos! Não façam isso e nada comparado!

3°: Se você estiver lendo essa terceira regra, você prometeu que nunca irá brincar com uma coisa dessas! Se você não cumprir, deverá comer mil agulhas!!

4°: Castiel foi o total líder dessa porra!!

5°: Amo vocês!! 💋❤💋❤💋❤💋❤💋❤💋❤💋❤💋❤💋❤💋❤💋❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...