1. Spirit Fanfics >
  2. Amor de Lótus >
  3. Uma Jaula e Meia

História Amor de Lótus - Capítulo 46


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem,desculpa demorar!!

Capítulo 46 - Uma Jaula e Meia


Fanfic / Fanfiction Amor de Lótus - Capítulo 46 - Uma Jaula e Meia

Irelia sabia que era ela... Havia visto e apreciado sua beleza.. mas quando se deu conta, não estava mais lá, desapareceu como num passe de mágica, como se não tivesse existido. E então se perguntou se não havia alucinado sobre a mulher a sua frente.

Um suspiro cansado saiu de seus lábios e ela sentou em meio as folhas secas e a terra molhada. Sua cabeça rodou ao ela fazer isso e quando olhou para baixo percebeu que havia sangue em sua calça.

— Pelo menos você não está mais aí... — Ela olhou em volta se certificando que não havia ninguém e começou a chorar

Como era doloroso... Ver a esposa falecida e perder um bebê no mesmo dia. E mesmo não querendo a criança era difícil, porque é como se já fizesse parte dela.

— Henry... Me leva pra casa por favor... — Pede ela ao cavalo que se aproxima e da apoio para que ela suba nele

O cavalo vai rápido mas com cuidado pra não machucar ela e quando finalmente chegam ao destino Akali para a conversa com o ancião e vai até Irelia.

— Leia? Você não ia pra Demacia?

— Eu perdi a vontade.

— O que houve? — Pergunta Akali curiosa

— Nada 

Ela desce do cavalo e entra no templo.

— O que é isso na sua perna?

— Barro Akali

— É vermelho — Ela diz preocupada indo atrás de Irelia que revira os olhos

— Meu deus! Akali eu estou menstruada! Desceu um pouco. Feliz? — Pergunta impaciente

— Mas você está grav...

— Akali... — Irelia interrompe parando no meio da escada —... Me deixa em paz só por algumas horas, por favor — Ela pede.

Akali suspira e se afasta. E Irelia continua seu caminho. Vai até o quarto e tranca a porta atrás de si. Já indo no banheiro se lavar.

Após entrar na banheira ela pegou sua buchinha e começou a esfregar seu corpo. Era uma sensação boa sentir que estava limpa. Seu ventre havia murchado e o sangue havia parado de sair. 

— Que ótimo...

      Algumas horas depois

Irelia dormia tão profundamente que não ouviu quando o vento bateu forte na janela forçando a mesma a se abrir. As cortinas eram ricocheteadas pelo vento. Mas após a janela ser aberta e o vento bater no quarto as feições de Irelia mudaram e passaram de uma paz, para algo como caos. Em questão de alguns minutos ela despertou assustada e como se não fosse p bastante viu a silhueta de uma mulher atrás de sua cortina que estava batendo o vento.

A mulher parecia está nua. A única coisa que chamou atenção foi os olhos verdes esmeraldas que olharam com tamanha determinação pra Irelia. A mesma se levantou e pronta para tocar na mulher a sua frente, em um piscar de olhos a mesma sumiu. 

— Não é possível... — Diz Irelia ao olhar em volta do quarto

TOC TOC

A porta bateu com força e Irelia se assustou, ao abrir a mesma se deparou com Darius 

— O que está fazendo aqui? —.Ela pergunta

— Vim ver você Irelia 

— Entra vai.

O mesmo entrou e se sentou na poltrona, Irelia trancou a porta novamente.

— Vai ter uma guerra em Shurima — Ele começa... — Preciso da minha guerreira

— Darius eu não estou com cabeça pra isso...

— Você disse que iria Irelia...

— Mas porque vocês iram atacar Shurima? — Pergunta 

— Você vai ou não? 

— Vou... Se... — Ele ergue uma de suas sobrancelhas esperando a proposta —... Você me der aquela armadura que fez pra mim

— Perfeito!

Ele se levanta e vai até ela da um abraço forte e sente novamente o cheiro doce de Irelia. Após isso ele vai embora com um sorriso nos lábios, vitorioso.

          Monte de Noxus

Bem longe do batalhão, em meio a um riacho e algumas árvores se encontrava uma casa. Era com janelas e portas de vidro. O lugar era aconchegante e emanava o cheiro de linhaça e morangos.

Sona acordou em uma cama. Era confortável, e ao olhar ao redor viu que não era sua casa. Seus olhos correram pela decoração. Era tudo de madeira, e havia uma lareira em seu quarto. Parecia ótimo o lugar, se não fosse por descobrir que suas mãos estavam amarradas. Ela tentou se soltar e mesmo fazendo força não conseguia de nenhum jeito. 

Já estava escurecendo e ela ficava forçando cada vez mais as cordas. Seus pulsos já estavam vermelhos.

— Sona! Pare com isso! 

Sona se assustou com o grito e ao olhar quem havia se aproximado pra impedir viu os olhos de Draven e um sorriso da parte dele.

— Não seja ma comigo Sona... — Ele pede

— Você tem que me Soltar... Jarvan vai me matar Draven!

— Não... Não vai porque você não irá se casar com ele.

Draven se sentou no sofá ao lado da cama e olhou Sona deitada.

— "Se não me soltar, ele vai me achar e te achar também!"

 Eu sou invencível Sona — Ele diz

"Draven eu tô com dor nos meus pulsos"

 Você diz isso a mim... Mas porque não disse a ele o quanto ele te machucou fazendo enforcamento? — Perguntou ainda sentado na poltrona

— "Eu estava com medo"...

Você mentiu pra mim Sona... — Ele diz 

"Eu não minto"

Então prove... Me fale porque ele te chamou de vadia... Me conte porque estava com medo dele... Conte a mim o que houve e eu te solto — Ele pede a Sona.

Ela o olha com tristeza, seus olhos azuis brilham em meio as lágrimas que comecam a cair.

"Eu só disse que não o amava"

Sona... — Draven coloca as mãos no rosto se escondendo

"Me solte por favor... Eu não quero ser presa por dois homens ao mesmo tempo" 

Eu não quero fazer isso Sona. — Ele diz

"Entao..."

 Você me ama? — ele pergunta

" Você não é nada pra mim Draven" — Ela diz na cabeça dele com dor nas palavras.

— Ótimo.

Ele se levanta da poltrona e pega seu canivete giratório, girando o mesmo em seu dedo indicador.

"Draven?..."

Modéstia a parte... Eu mereço mais do que uma muda — Ele diz a soltando

Os olhos dela marejaram novamente. Ao se sentar na cama viu Draven se afastar já indo pra porta. Ela vestiu seus sapatos e se levantou. Já indo até a porta sair, Draven a parou segurando a mesma pela cintura.

— Você não pode tá falando sério Sona... E tudo o que tivemos?

"Não significou nada" — ela diz 

— Jura? — ele pergunta

Juro...

Ele a solta e quando ela abre a porta ele a pega pelos dois lados da cintura e a puxa até a cama a fazendo cair na mesma. Ele sobe encima dela e a prende.

O coração de Sona acelera com  a movimentação. Ela não poderia negar que gostava daquilo e amava ter ele por perto, mas Jarvan não podia saber, ele não poderia sonhar. O certo era se separar dele, mas como...

— Eu nunca me atrai tanto por uma mulher quanto estou atraído por voce... — Ele diz e sem esperar resposta aproximou os lábios do dela.

Foi um beijo lento e delicado. O melhor beijo que Sona já havia experimentado. Não era como o beijo de Jarvan rápido e invasivo. Era algo especial. Mas mesmo assim se atreveu a parar o beijo.

"Não posso..." — Ela diz olhando pra baixo

— Sona você sabe que quer... — Ele diz aproximando novamente os lábios do dela

Dessa vez ela se entregou. Fechou os olhos e o beijou. O beijo não parou até que faltasse ar a um dos dois. Ela sorriu entre o beijo, feliz por está sentindo tal coisa e por não está com Jarvan naquele momento.

Draven parou o beijo e subiu a barra do vestido dela tocando em suas coxas, mas a mão dela impediu que ele subisse mais.

"Isso não"

Porque não?

 "Eu só quero isso depois do meu casamento..."

Mas você não casaria com um noxiano não é?...

"Draven... Eu iria até o fim do mundo por você... Mas preciso casar com ele"

Não precisa se casar com ele..

E antes que Sona pudesse responder foi interrompida

Ela não precisa mas irá se casar comigo Draven!

Ao Sona pular da cama de susto viu Jarvan escorado na porta olhando pra ela e a fuzilando. 

— Como nos achou seu cretino??! — Perguntou Draven

— Cala a boca e eu o polpo da prisão.

Draven avançou em Jarvan mas foi detido pelos capangas do mesmo, que começaram a prensa-lo na parede e não deixando mais ele se movimentar direito.

Jarvan olhou a cena satisfeito e só foi interrompido por uma voz doce vinda de sua mente — " Pare por favor Jarvan". Sona pediu e ele a olhou com com superioridade

— Agora, eu vou ver o que faço com você Querida... — Ele diz se aproximando 

Jarvan a pegou pelo pulso com força e a levantou, mas a mesma relutava. 

— Se não for comigo por bem, eu te faço ir por mal Sona — Jarvan diz impaciente

Ela não liga para o aviso e continua relutante. E Jarvan já cansado solta o braço da mesma fazendo ela tombar pra trás e bater a cabeça. Ao Draven ver isso o mesmo se solta e coloca os dois machados pra ir e voltar. Jarvan leva dano e acaba caindo.

Draven vai até Sona pronto pra ajudar e fugir dali mas Jarvan é mais rápido e puxa a mesma já colocando sua adaga no pescoço dela.

— Parado! — Ele diz a Draven que gira os machados

— Não machuque ela... Eu a trouxe pra cá — Draven diz vendo algumas lágrimas saindo dos olhos de sona

— E ela cedeu... Como uma vadia! Mas eu vou dar um jeito nela... — A raiva fez com que ele apertasse mais a adaga contra o pescoço de Sona

— Não a chame de Vadia na minha frente seu grande filho da puta 

— Ela é minha! E eu a chamo do que eu bem entender! — Jarvan diz com autoridade

— Ela não é propriedade sua! Ela é livre

— É minha mulher! Você não tem poder nenhum sobre isso Noxiano

"Parem!"

A voz de Sona foi ouvida e os dois ficaram quietos, exceto Jarvan que deu um sorriso vitorioso.

— Adeus Draven! 

Ele leva Sona dali em silêncio. Chegando no palácio ele a guia para o quarto. Nem tudo parecia ser verdade. Sona sabia que ele tava bravo. Mas isso era o de menos. 

— Hoje você vai dormir comigo, ja é noite.

Ela ficou quieta, estava cansada de discutir com ele. 

"Eu vou tomar banho"

Ela olhou ao redor do banheiro e ligou a torneira da banheira. Sentou ali e esperou.

A água quentinha, o sabonete escorregava pelas suas pernas e a porta do banheiro foi batida por Jarvan. Ela não respondeu. Apenas terminou o banho pra depois ir para a cama.

Vestiu sua camisola azul bebê e logo o seu hobby. Ao sair do banheiro Jarvan a olha com desaprovação

— Eu não quero você de Hobby

"Terá escolha quando casar comigo"

Ela continua andando até a cama e ao se deitar começa a chorar de novo. Jarvan percebe mas não liga e vai para seu banho.

Aquilo era de longe o que ela imaginava. Estragou todo seu casamento e toda União. Não deveria ter se apaixonado por Draven. 

— Sona? — ela olha pra trás vendo ele de pé — Nosso casamento é amanha 

"Eu não quero falar sobre isso Jarvan"

 Você vai ser minha esposa e quero que se comporte como tal...

"Eu não amo você, e acho que nunca vou amar Jarvan"

Ele vai até ela e deita ao lado da mesma acariciando seus cabelos longos que quase encostavam no chão. A mesma puxou eles.

— Me ame, se não Draven....

"Eu não quero mais ouvir — Ela diz se virando pra ele — Eu só quero acabar logo com isso... 

               Amanhecer

Irelia acorda e já se arruma para ir a Noxus. Pega seu cavalo e vai até as profundezas de lá. 

— Ótimo! A General chegou!

Darius a olha feliz e a guia para que a mesma vista sua armadura. A guerra era grande, Shurima era vasta, mas se fosse para guerrear seria do melhor jeito.


              






Notas Finais


Próx cap semana que vem galerinha ... Boa tarde!! E espero que tenham gostado!! Pode deixar seu comentário que eu vou ficar bem felizinha 😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...