1. Spirit Fanfics >
  2. Amor de uma Boneca >
  3. Loja estranha

História Amor de uma Boneca - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpe qualquer erro
Espero que aproveite.

Capítulo 1 - Loja estranha


Fanfic / Fanfiction Amor de uma Boneca - Capítulo 1 - Loja estranha

Assim que abri a porta um sino tocou anunciando a minha chegada, o cheiro de mofo logo invade enquanto meus olhos se acostumam com a pouca luminosidade,  dando uma olhada antes de entrar esse lugar parece ter uma grande variedade, com diferentes coisas espalhadas. Miniaturas de animais enfeitavam um único armário à direita, relógios estavam pendurados, caixas bem decoradas e várias outras coisas preenchiam as estreitas prateleiras.

Analiso o lugar por mais um tempo na espera de encontrar um atendente, mas de relance eu encontro figura bem do meu lado causando um leve ataque cardíaco,

-Que porra – Uma boneca de porcelana no tamanho real de uma garota estava sentada em um banco de madeira bem na entrada ˜Impressionante˜ meu susto passa um pouco quando eu fico de frente pra ela, seu rosto é muito realistas e delicado com olhos azuis escuros quase pretos fitando o chão, um vestido vermelho de época longo, cheio de babados e laços, com o cabelo preto e comprido esta preso com uma fita, me vejo refletido nos olhos sem vida  ˜Ela é linda, mas isso é um pouco estranho˜ bonecas sempre me causaram arrepios, a Sofia tem várias no quarto, ela gostaria de uma boneca assim mas deve ser muito cara e.. ~

 -Bem-vindo.

   Uma voz me assusta e eu quase esbarro na bonecam, endireitando a coluna me esforço pra encontrar de onde a voz veio, percebo um senhor sentado atrais do balcão, ele parece pálido e cansado com olheiras iguais as de um panda.

- ah oi, hm eu estava procurando um presente- Eu dou uma pausa esperando alguma reação mas ele continua parado e com os olhos fixos no balcão- bom, eu  vou dar uma olhada por ai.

Eu me afasto em direção aos fundos da loja, ˜O movimento deve ser bem fraco, só tem eu de cliente aqui˜ passando de prateleira em prateleira eu acho um globo de neve empoeirado com pequenas casinhas dentro, segurando ele com calma eu acho uma etiqueta com um valor bem camarada,

˜Ela vai amar esse˜

-Eu encontrei- falo alegre quando chego perto do senhor- Vocês aceitam cartão ? – Eu coloco o globo de neve no balcão  e puxo minha carteira do bolço de trais enquanto espero uma resposta, porem ele continua em silencio.

˜Que velhinho mais estranho˜

O senhor empurra discretamente uma plaquinha da qual eu não tinha notado, nela está escrito [ Seja Bem-vindo/ Escolha o que quer e coloque o dinheiro na cesta/Não aceitamos cartões/ Sem devoluções]

-Desculpe eu não vi ha ha- sem graça coloco o dinheiro num cesto ao lado da plaquinha, e pego o presente pra ir embora, mas antes eu dou uma ultima olhada para o senhor, sua boneca e sua loja estranha, fazendo um lembrete mental pra nunca mais voltar lá caso eu queria ter uma boa noite de sono. Antes da porta se fechar atrais de mim uma rouca voz fala,

-Volte sempre-

Isso me deixa paralisado por uns segundos mas logo continuo o meu caminho pra casa, tentando não pensar muito nisso.

Já está escuro quando estaciono na garagem, eu pego o globo de neve e o coloco na mochila antes de entrar, estou tão cansado que subo as escadas direto pro meu quarto, ligo a luz e tiro os sapatos e mudo de roupa.

O telefone começa a tocar,

Pego ele rapidamente,

-Alo ?! – ruídos estranhos e uma respiração profunda se formam do outro lado da linha..

-Eu sei que é você seu arrombado.

-HAHAHA- meu amigo Fred gargalha do outro lado da linha- Como descobriu ] kkkk-

-Seu nome aparece na chamada gênio.

-Eu tinha esquecido, mas e ai, achou um presente ?

-Eu vou te esganar amanhã, você me mandou pra aquela loja esquisita dizendo que era uma loja nova de brinquedos.

-Mas ela já foi nova haha no século passado.

-Nossa to morrendo de rir, mas eu encontrei um presente bom.

-Viu só, eu sempre ajudo.

-Tá tá, bora dormir que amanhã é a festa e você disse que também ia cedo pra ajudar.

-Ah é, eu disse- ele dá um longo suspiro- Até amanhã.

-Tchau.

  Eu coloco o meu telefone no gancho e sento na escrivaninha ao lado da minha cama, vasculho a segunda gaveta até achar um papel de presente colorido e uma fita vermelha, busco minha mochila e tiro o globo de neve, dando uma boa limpada ele fica brilhando ˜Não tinha visto que tinha uma garotinha˜ uma garota fofa sorria em uma das ruas entre as casinhas do globo. Depois de empacotar o presente eu me dou conta de que já são 23h  

-Meus olhos tão ardendo, que droga-

Meu corpo cai pesado na cama, com os olhos quase fechados eu me lembro daquela loja, ˜Será que aquela bonec.. não, é só mais um brinquedo.~ tento acalmar meus nervos mas o escuro não ajuda em nada,

~ Tenho que acordar cedo...˜

Em pouco tempo, tudo fica embaçado e escurece, quando de repente uma figura aparece na minha frente.

Assim que abri a porta um sino tocou anunciando a minha chegada, o cheiro de mofo logo invade enquanto meus olhos se acostumam com a pouca luminosidade,  dando uma olhada antes de entrar esse lugar parece ter uma grande variedade, com diferentes coisas espalhadas. Miniaturas de animais enfeitavam um único armário à direita, relógios estavam pendurados, caixas bem decoradas e várias outras coisas preenchiam as estreitas prateleiras.

Analiso o lugar por mais um tempo na espera de encontrar um atendente, mas de relance eu encontro figura bem do meu lado causando um leve ataque cardíaco,

-Que porra – Uma boneca de porcelana no tamanho real de uma garota estava sentada em um banco de madeira bem na entrada ˜Impressionante˜ meu susto passa um pouco quando eu fico de frente pra ela, seu rosto é muito realistas e delicado com olhos azuis escuros quase pretos fitando o chão, um vestido vermelho de época longo, cheio de babados e laços, com o cabelo preto e comprido esta preso com uma fita, me vejo refletido nos olhos sem vida  ˜Ela é linda, mas isso é um pouco estranho˜ bonecas sempre me causaram arrepios, a Sofia tem várias no quarto, ela gostaria de uma boneca assim mas deve ser muito cara e.. ~

 -Bem-vindo.

   Uma voz me assusta e eu quase esbarro na bonecam, endireitando a coluna me esforço pra encontrar de onde a voz veio, percebo um senhor sentado atrais do balcão, ele parece pálido e cansado com olheiras iguais as de um panda.

- ah oi, hm eu estava procurando um presente- Eu dou uma pausa esperando alguma reação mas ele continua parado e com os olhos fixos no balcão- bom, eu  vou dar uma olhada por ai.

Eu me afasto em direção aos fundos da loja, ˜O movimento deve ser bem fraco, só tem eu de cliente aqui˜ passando de prateleira em prateleira eu acho um globo de neve empoeirado com pequenas casinhas dentro, segurando ele com calma eu acho uma etiqueta com um valor bem camarada,

˜Ela vai amar esse˜

-Eu encontrei- falo alegre quando chego perto do senhor- Vocês aceitam cartão ? – Eu coloco o globo de neve no balcão  e puxo minha carteira do bolço de trais enquanto espero uma resposta, porem ele continua em silencio.

˜Que velhinho mais estranho˜

O senhor empurra discretamente uma plaquinha da qual eu não tinha notado, nela está escrito [ Seja Bem-vindo/ Escolha o que quer e coloque o dinheiro na cesta/Não aceitamos cartões/ Sem devoluções]

-Desculpe eu não vi ha ha- sem graça coloco o dinheiro num cesto ao lado da plaquinha, e pego o presente pra ir embora, mas antes eu dou uma ultima olhada para o senhor, sua boneca e sua loja estranha, fazendo um lembrete mental pra nunca mais voltar lá caso eu queria ter uma boa noite de sono. Antes da porta se fechar atrais de mim uma rouca voz fala,

-Volte sempre-

Isso me deixa paralisado por uns segundos mas logo continuo o meu caminho pra casa, tentando não pensar muito nisso.

Já está escuro quando estaciono na garagem, eu pego o globo de neve e o coloco na mochila antes de entrar, estou tão cansado que subo as escadas direto pro meu quarto, ligo a luz e tiro os sapatos e mudo de roupa.

O telefone começa a tocar. Pego ele rapidamente,

-Alo ?! – ruídos estranhos e uma respiração profunda se formam do outro lado da linha..

-Eu sei que é você seu arrombado.

-HAHAHA- meu amigo Fred gargalha do outro lado da linha- Como descobriu ? kkkk

-Seu nome aparece na chamada gênio.

-Eu tinha esquecido, mas e ai, achou um presente ?

-Eu vou te esganar amanhã, você me mandou pra aquela loja esquisita dizendo que era uma loja nova de brinquedos

-Mas ela já foi nova haha no século passado.

-Nossa to morrendo de rir, mas eu encontrei um presente bom.

-Viu só, eu sempre ajudo.

-Tá tá, bora dormir que amanhã é a festa e você disse que também ia cedo pra ajudar.

-Ah é, eu disse- ele dá um longo suspiro- Até amanhã.

-Tchau.

  Eu coloco o meu telefone no gancho e sento na escrivaninha ao lado da minha cama, vasculho a segunda gaveta até achar um papel de presente colorido e uma fita vermelha, busco minha mochila e tiro o globo de neve, dando uma boa limpada ele fica brilhando ˜Não tinha visto que tinha uma garotinha˜ uma garota fofa sorria em uma das ruas entre as casinhas do globo. Depois de empacotar o presente eu me dou conta de que já são 23h  

-Meus olhos tão ardendo, que droga-

Meu corpo cai pesado na cama, com os olhos quase fechados eu me lembro daquela loja, ˜Será que aquela bonec.. não, é só mais um brinquedo.~ tento acalmar meus nervos mas o escuro não ajuda em nada,

~ Tenho que acordar cedo...˜

Em pouco tempo, tudo fica embaçado e escurece, quando de repente uma figura aparece na minha frente.

-Você é meu empresário- um anão de terno se vira pra mim – vamos logo – ele começa a andar apressado e eu o sigo vestindo uma roupa de girafa.

-Você é meu empresário- um anão de terno se vira pra mim – vamos logo – ele começa a andar apressado e eu o sigo vestindo uma roupa de girafa.


Notas Finais


Bons sonhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...