História Amor Diferente - Romance Lésbico (2 Temporada) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amordiferente, Marcela&denise, Ramancelesbico, Segundatemporada
Visualizações 213
Palavras 1.183
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Policial, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Gente como não se apaixonar por essas crianças filhos das nossas meninas. O que acharam delas? Da pequena Lúcia que é irmã de Luana e filha de criação de Marcela?. Comentem aí. Boa leitura!

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Amor Diferente - Romance Lésbico (2 Temporada) - Capítulo 4 - Capítulo 4

*******Denise*******

Cheguei em casa e ao abrir a porta dei de cara com minha mãe em minha frente com os braços cruzados abaixo dos seios. Vish vem bronca.

-Onde você estava Denise Evillyns? (perguntou ela séria).

-Fui buscar o Juan na delegacia, deixei ele em casa com o carro dele e vim para cá com meu Skate. (falei calmamente, não queria brigar com ela hoje).

-Atá! (Vi sua fisionomia se suavizar). -E como ele está? (perguntou ela preocupada, minha mãe sempre gostou de Juan, ele era o filho homem que ela não teve).

-Ele só ficou um pouco assustado com a polícial que conhecemos lá. Ele é um verdadeiro frouxo. (gargalhamos, as vezes temos nossos momentos mãe e filha, mas depois vi sua expressão ficar em uma mistura de medo, preocupação e tristeza, e eu sabia que só uma pessoa conseguia lhe deixar assim).

-Seu pai ligou. (falou minha mãe quase num sussurro de cabeça baixa). -Ele disse que queria falar com você. (vi lágrimas brotarem nos seus olhos).

-Ei não fica assim. (me aproximei lhe abraçando e vi ela se desmanchar nos meus braços, meus pais se separaram a 3 anos mas mesmo assim ela ainda tinha a dor da traição). -Ele não te merece, você tem que seguir sua vida, tem que conhecer novas pessoas, se me entende. (segurei seu rosto com as mãos).

-Obrigada filha. (me deu um beijo na testa).

-Agora vamos parar com isso que já tá estranho. (tentei aliviar aquela tensão e caímos na gargalhada).

-Vou fazer um bolo, vem me ajudar para ver se você presta para alguma coisa. (revirei os olhos sorrindo, essa é minha mãe). -Mas me diz que brilho nos olhos são esses, em? Conheceu alguma pessoa nova? (perguntou ela assim que entramos na coisa).

-Sim mãe, ela se chama Marcela e é polícial militar. A gente se conheceu no baile do morro onde aconteceu aquilo tudo que eu lhe falei, ela era uma das políciais que tava lá. (expliquei a ela enquanto a mesma pegava os ingredientes no armário e eu fiquei somente lhe observando sentada no balcão comendo uma maçã).

-Menina? (perguntou e eu acenti). -Você e essa mania de querer ser lésbica. (Ela revirou os olhos).

-Mãe a senhora sempre soub... (ela me interrompeu).

-Calma filha, eu tava brincando. (gargalhamos). -Mas você sabe o que seu pai pensa disso. (Ela disse enquanto começava a untar a forma).

-E ele também sabe do que eu acho do pensar dele, nunca liguei e não vai ser agora que vou ligar. (desci do balcão sentindo meu celular vibrar com uma nova mensagem, sorri ao abrir a mensagem e ver que era de Marcela). -Vou pro meu quarto mãe, já que eu lhe AJUDEI bastante. (gargalhamos com o fato de eu não ter ajudado ela em absolutamente nada, minha mãe só queria conversar um pouco mesmo).

Subi ao meu quarto liguei o som tocando Insônia - Hungria Hip Hop e fui responder a mensagem de Marcela.


              {Mensagem On}

-Oi linda Deni's! Como vai? (mandou ela).

-Estou bem e você como está Cela? (respondi).

-Bem, o que tá fazendo de bom? (perguntou ela).

-Não a nada melhor do que ficar no whatsapp com você. (não acredito que flertei com ela).

-Hum, elevou minha alto estima agora. kkkk. (sorri com sua mensagem).

-Mas você não precisa de ninguém para te elevar, você em si já é elevada. (PARA TUDO, eu tô flertando com ela, meus dedos não respondem mais meus comandos, digitam por si só).

-Vai fazer alguma coisa amanhã ao meio dia? Quem sabe a gente não pode almoçar juntas? (congelei na hora que li essa mensagem, ela queria me encontrar).

-Pode ser, me pega em frente a minha escola para a gente ir. (lhe mandei o endereço da minha escola).

-Ok linda, agora tenho que ir avaliar alguns papéis, a noite conversamos mais. Tchal! (escreveu).

-Tchal Cela! (respondi).

                {Mensagem Off}


A noite conversamos mais, Marcela era uma mulher bem legal apesar de ser mais velha, mas eu não importo com a idade. #IdadeNãoÉIdentidade

No dia seguinte acordei eufórica, pela primeira vez minha mãe não precisou espancar minha porta para tentar me acordar. Fui ao banheiro fazer minhas higienes e infelizmente tive que colocar meu uniforme escolar. Mas até que ele era bonitinho.

   

Na escola foi normal até a hora da saída e aquele mala do Lucca veio me perturbar de novo. Aff!!

-E aé gatinha? (Falou ele passando o braço pelo meu pescoço mas eu tratei logo em tirar).

-Gatinha é a tua mãe! (gritei já irritada). -Me deixa em paz seu mala. (completei tentando me afastar mas ele me segurou).

-Ei tá pensando que só por que agora tá de converser com aquela polícial, vai me tratar assim! (falou ele apertando mais ainda meu braço. Como ele sabe que eu ando falando com a Marcela?).

-Tá me perseguindo? (perguntei incrédula finalmente conseguindo tirar o meu braço). -Você é um doente, como tá fazendo isso? (perguntei confusa).

-Eu tenho meus contatos Deni's, agora que meu irmão morreu e eu terei que cuidar da favela vou até sair da escola mas você será a minha primeira dama. (arregalei os olhos horrorizada). -Já que você está tão perto daquela polícial, avisa ela que os dias delas estão contados pela morte do meu irmão. (vi a raiva queimar em seus olhos).

-CALA ESSA BOCA VOCÊ NÃO SABE DE NADA E EU NUNCA VOU SER NADA SUA, EU TENHO NOJO DE VOCÊ! (gritei enrraivada e vi uma lágrima descer de meus olhos).

-Atrapalho algo? (Marcela entrou de surpresa em minha frente). -O que você quer com ela? Perai... você é o irmão de Diego. (ela reconheceu o rosto dele e automaticamente ela tirou a sua arma da cintura mas o mesmo saiu correndo em direção a um carro onde arrancou com o mesmo fugindo).

-Não Cela, fica aqui comigo. (puxei o braço dela quando percebi que a mesma queria ir atrás dele). -Fica comigo, eu tô com medo. (pela primeira vez eu admiti a alguém que sentia medo, isso nunca aconteceu a ninguém nem mesmo a minha mãe).

-Nada vai acontecer, eu tou aqui. (me abraçou forte e eu pude sentir um grande aconchego e proteção em seu abraço, então ela saiu do abraço). -Então bora almoçar, que eu tô louca para comer uma bisteca assada com farofa. (falou tentando esparecer o clima).

-Olha o colesterol Cela. (brinquei e gargalhamos). -Vamos que eu também tô com fome e louca por uma farofa também. (sorrimos).

Pegamos a moto de Cela e nós dirigimos a churrascaria que a mesma havia me falado, durante o tráfego fui apegada a cintura de Cela, que percebi ser bem definida com sua barriga cheia de gominhos, ela deve malhar muito. Jesus me abana!

O almoço foi sensacional, a Marcela é muito divertida apesar de ela parar algumas vezes olhando para baixo séria como se tivesse se lembrando de algo ou alguém se culpando de algo. Marcela é muito mistériosa, mas eu vou descobrir cada segredo seu.

Terminamos o almoço e ela me levou para casa pois ela ainda teria que ir para a delegacia, hoje a mesma estava de plantão. Fiquei o dia todo sorrindo que nem uma idiota no meu quarto escutando Ed Sheeran, definitivamente eu tô estranha, não sou assim. Tudo por culpa de um "passarinho verde" ou melhor de uma "farda preta"


Notas Finais


Eita que esse Lucca é insuportável mesmo. Aff!! E aí o que acharam de como a Marcela protegeu a Denise? Comentem. Até o próximo capítulo sexta feira.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...