História Amor e confusão - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Asui Tsuyu, Bakugo Katsuki, Iida Tenya, Midoriya Izuku, Mineta Minoru, Personagens Originais, Shouta Aizawa, Todoroki Shouto, Uraraka Ochako, Yagi "All Might" Toshinori
Tags Bakuraka
Visualizações 176
Palavras 2.545
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo-Ai, Shounen, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Meus lindos leitores Peço mil desculpas pela demora !!! por favor não desistam de mim !! TuuuT
espero que gostem do capitulo <3

o lha que paizão maravilhoso que a nossa Ochako tem <3 mais um para salvar o nosso casal <3

Capítulo 11 - Meu genro


Fanfic / Fanfiction Amor e confusão - Capítulo 11 - Meu genro

Uraraka onn

Ochako ficou tão atormentada pelo acontecido que nem sequer escutou os chamados das amigas quando saia da Academia, queria um pouco de tempo, não que elas atrapalhassem, mas estava muito nervosa pelos os acontecimentos e por incrível que pareça um pouco feliz?

Uraraka estava em sua casa, refletindo sobre tudo o que havia acontecido nesta tarde. Ela ficou deitada em seu sofá na sala, enquanto abraçava fortemente uma almofada de enfeite do móvel. Ainda não estava acreditando no que tinha feito, realmente beijou Bakugou Katsuki? Nem sequer sabia mais o que pensar do loiro. E não poderia julga-lo, até porque ela aceitou de bom grado suas caricias e foi tão bom.... Nem sequer pensou no amigo esverdeado, o que também foi bom, não queria ficar usando Bakugou ou brincando com os sentimentos do loiro, realmente não faria isso.

Molhares de perguntas e duvidas passavam na cabeça da morena. Como o encararia depois disso? E se ele voltar a ignora-la? E se ele não gostou do beijo? Seu peito ficava disparado só de pensar no loiro. De um dia para o outro ele lhe parecia tão atraente. É realmente não sabia explicar o que estava acontecendo consigo mesma e ficar pensando dois das seguidos se descanso no Bakugou não era saudável, então, resolveu se distrair.

Olhou em volta da casa e percebe que a mesma estava um tanto Bagunçada de mais para quem mora sozinha. Chão duas semanas sem nem sequer ver um pano com produto, moveis empoeirados, cestos de roupas quase cheios até a boca. É realmente tinha que dar uma arrumada na casa, mas isso foi por causa da semana de prova escrita que teve nas semanas passada, então não teve muito tempo de cuidar do seu apartamento.  Bom, mas hoje não tinha desculpa de não cuidar da casa, e além disso, seria um ótimo meio de se distrair de Bakugou.

Uraraka rapidamente se levanta do cômodo, estranho de pensar, mas estava empolgada pela faxina na casa. Colocou uma playlist de uma de suas bandas favorita, Nano. Só para deixar sua tarde mais perfeita, até porque é ótima arrumar a casa com uma musiquinha de fundo.

Primeira foi separar suas roupas por cor para poderem jogar na máquina de lavar, em seguida a louça, nem sequer tinha limpado a da noite anterior, depois banheiro, quarto, corredor etc. quase duas horas de faxina e finalmente estava no ultimo cômodo, a sala. Ela passava o aspirador nos carpetes tranquilamente, enquanto cantarolava a letra da música que passava no aparelho. Assim feito o ultimo serviço, ela havia toda a casa arrumadinha, cheirosinha e brilhando. O clima do local parecia até mais leve.

Ela olha a hora e já era 18:45, e nada do telefonema de seu pai. Normalmente ele a liga as 18h em ponto, sem falta. Bom, ele deve estar ocupado com o trabalho, foi o que ela pensou.

Depois de mais de duas horas de serviço, foi tomar um banho.

Deixou a agua morna correr pelo seu corpo, relaxante seu corpo e mente. Uraraka se assusta com a cor que a agua formava. Estava um tanto marrom, mas logo lembrando da grande corrente de areia que dominou perante a luta de Midoirya e Bakugou. E ela diferente dos colegas não foi se lavar depois a aula, tinha ficado preocupada demais com os amigos e depois foi embora direto. E ainda foi limpar a casa, é não poderia se surpreender tanto com a agua suja, e estava tomando banho por isso.

Sem perceber já sente seu peito palpitar, e as lembranças da cena de mais cedo a domina novamente, mas não foi a lembrança do Beijo que tiveram, mas sim a de Katsuki a encarando quando acordou da cirurgia, ele realmente estava lindo, mesmo todo machucado. Nem no momento ela não deixou de acha-lo tão atraente, acabou até falando em voz alta.

Uraraka- eu chame ele de lindo! Na frente dele!! * falou em tanto surpresa * Pronto, agora que não sei cm que cara irei encara-lo depois dessa * tampava o rosto com as duas mãos do tamanho da vergonha*

Depois que se limpou por inteira permaneceu embaixo do chuveiro por mais cinco minutos, só para sentir mais um pouco a maravilhosa agua quente sobre seu corpo. Aquilo realmente era muito bom.

Ela sai do chuveiro, saindo pelos corredores nua mesmo, morava sozinha então não tinha perigo e sair exposta pela casa. Utilizava a toalha para secar seus fios achocolatados, enquanto ia em direção ao seu quarto, mas logo é impedida pelo som do telefone tocar.

E um pulo a morena enrola a toalha no corpo e vai correndo para a sala que foi aonde deixou o aparelho.

Quando foi ver quem era se sentiu aliviada. Era seu pai. Adorava falar com o mais velho, não importava o dia ou horário, sempre a fazia bem. Atendeu de imediato.

                                                                Linha de ligação

Ochako- Alo, pai! * falava quase em pulinhos*

Uraraka- Ola minha princesa, boa noite! Como você está? * falava no seu típico tom, não diferente da morena*

Ochako- estou bem pai, e você? Demorou para ligar hoje. * fazia um biquinho que o homem pode muito bem perceber*

Uraraka-  hahaha! Você deve estar fazendo aquele bico de patinho que eu adoro * risos* estava trabalhando ainda. Houve uns pequenos problemas na empresa, mas nada que você precise se preocupar minha linda.

A morena sempre o peto aperta, seu pai sempre passava por muitos problemas na empresa, o que afeta muito as financias da família, mas ele nunca deixou isso transparecer isso na frente da menina. Só que ela sempre percebeu, doía saber que o mais velho passava tanto problemas assim, queria muito pode-lo ajudar o pai o mais rápido possível.

O mais velho percebe o silêncio da filha, sabia que ela só estava se esforçando por causa dele e da esposa. Não gostava muito da ideia da pequena se esforçar tanto só para obter dinheiro por sua falta de dinheiro. Queria que ela tivesse uma vida tranquila, aonde ela pudesse se esforçar para si mesma, correr atrás de seus próprios sonhos, poder viver tranquilamente. Doía saber que seus fracassos afetavam tanto a morena a ponto de prende-la quase a impedindo de sonhar. O lhe confortava era saber que sua amada Ochaka era uma pessoa tão caridosa, tão meiga, tão boa a ponto de se preocupar mais com os outros do que a si mesma. Tinha certeza que mundo ganharia uma heroína e tanto futuramente.

Uraraka- bom, e como está seus estudos? Conseguiu resolver seu problema? * mudou de assunto*

Ochako- estou me esforçando o máximo pai! * sorria leve * E sobre o isso...* novamente sente seu rosto esquentar* Pai, quando você percebeu gostar da mamãe? * falava com um pouco de receio, era um assunto embaraçoso de mais para a morena*

Uraraka- uhm?? Minha princesa está gostando de alguém, é? * fala surpreso, mas um tanto animado*

Ochako – não, NÃO!! E...eee.e mais ou menos * a pequena heroína estava tão envergonhada, que mesmo sem ninguém no cômodo se encolhia com estivesse se escondendo de tamanha vergonha.

Enquanto isso o Uraraka mais velho só ria da sua filha do outro lado da linha.

Uraraka- Bom Ochako, eu me apaixonei pela sua mão assim que meus olhos a encontraram. * ele falava com tamanha tranquilidade, era como se ele estivesse revivendo o momento e eflorescendo tudo o carinho, era gostoso de ouvir e isso alegrava a jovem, sempre que pensava em se casar pensava em ter um casamento assim como o dos pais. * -- o que é engraçado, porque ela estava com o cabelo todo bagunçado! * risos* mas não deixava de estar linda. * novamente aquele carinho saia em suas palavras, sem dúvidas aquela paixão não tinha acabado entre o casal*

Ochako ria, estava adorando ter essa conversa com o pai, realmente tinha muito amor em cada palavra pronunciada pelo mais velho. Sem dúvidas desejava ter um relacionamento igual ao dos pais quando crescesse.

Ochako- cabelos bagunçados? Mas porque pai? * ria empolgada com a resposta*

Uraraka- bom era porquê...* falava risonho ao lembrar da cena* eu e sua mãe estudávamos na mesma universidade de heróis quando éramos mais novos, e estávamos e uma aula pratica. * logo voltava a rir* e o nosso professor, Tornado, estava nos dando a aula. Eu estava conseguindo ir para cima dele, mas não tinha visto que mais alguém estava próximo também. E eu estiquei minha mão para tocar o professor e acabei tocando nos cabelos dela junto e logico que estava usando minha individualidade da gravidade, então o resto você já pode imaginar !!

Ambos não resistiram e dar altas gargalhadas, um por lembrar da cena e a morena só imaginando mesmo. Realmente era algo engraçado de pensar, e ainda mais saber que isso realmente aconteceu.

Uraraka- você não tem ideia do que passei depois de ter feito isso com sua mãe * continuava a rir* ela esticou minha cabeça a cinco metros de distância do meu corpo!! Foi muita maldade * ambos voltavam a rir * -- mas e então, quem é o sortudo que tem o coração da minha princesinha? * empolgado*

A morena par de rir no mesmo instante, não sabia i que responder ao pai, estava entrando neste assunto para ver se conseguia uma resposta para suas perguntas.

Ochako- não sei ao certo pai * sussurrava *

O Mais velho pode perceber a tenção que a filha carregava. E de cara pode perceber que isso era o motivo de sua tristeza na noite anterior.

Uraraka- Ochako, eu não sou o melhor conselheiro nestes assuntos, mas por você eu posso tentar * passava confiança *

Ochako- bom pai, pode ser uma história um tanto longa * dá uma risadinha forçada *

Uraraka- pode dizer, estou a todo ouvidos! * determinado*

Ochako – bom, lá vai. * ela suspira * eu meio que achava que gostava de um amigo meu, eu sempre o admirei muito, ele é esforçado, fofo, companheiro e sem dúvidas se tornara um herói e tanto quando se formar! Mas esse meu amigo se assumiu meio que ser, gay. Então, no mesmo dia o maior rival dele se declarou para mim. E esses dois se odeiam, mais ainda o rival do meu amigo, mas acho que ele odeia todo mundo! Só que ele começou a me tratar bem, e ele é bem nervosinho, sabe? E não sei porque pai, mas não paro de pensar nele e fico muito nervosa com a presença dele, nem o meu amigo eu ficava assim. Ai eu não se se gosto de um ou do outro. * suspira*

Silencio na outra linha......

Ochako- p..pai, você anda está ai?

Sons de soluços

Ochako- pai! * desespero *

Uraraka- Meu bebê tomou um fora! * chora em desespero *

No início a morena fica sem reação. Sabia que o mais velho não era bom em dar conselhos como sua mãe, mas chorar, e jogar na sua cara que tomou um fora logo no primeiro amor foi de mais. O Uraraka não era só ruim em aconselhar, ele era péssimo. A raiva e a vontade de desligar o telefone foi muito grande. Seu pai realmente era um bobo.

Ochako – aaaa! Pai não precisa ficar jogando na minha cara!!! Já é constrangimento de mais para mim!! * a menina briga de birra, a vontade de chorar e a vergonha lhe subiram em turbilhões até acertar o sino *

Uraraka- aaaah desculpa minha princesa !!!!! É que eu não resisti. Meu bebê pela primeira vez teve seu coraçãozinho partido.

A menina da gravidade fica emburrada do outro lado da linha, deveria ter discuti sobre isso com sua mãe ou amigas.

Uraraka- mas tem o rival do seu amigo, né? Bom do jeito que você fala ele parece ser um ogro! Não gostar de ninguém, né? Mas ele dá uma exceção para você. Ele realmente deve gostar muito de você então. * logo volta a postura * e do jeito como você me fala do seu amigo. Não é apenas uma admiração que você sente por ele, filha?

Ochako- apenas admiração? * reflete confusa *

Uraraka- sim, até porque você disse não se sentir nervosa na presença dele, só com o rival dele, não é? Talvez não seja só agora que você esteja realmente apaixonada?

Ochako reflete tudo o que se passa entre ela e Midoriya, não achava que era apenas uma admiração, doeu mesmo saber que nunca poderia ter algo com o esverdeado, mas não sabia se explicar em palavras como se sentia com o Bakugou, era algo realmente surreal e ao mesmo tempo perturbador, mas isso porque nunca sabia do humor do loro, nunca sabia quando teria aquele carinho tão doce que era oferecido apenas para ela, não compreendia o quanto ficava nervosa e atentada com cada olhar que ele lhe lançava. Katsuki realmente era um baú de surpresas.

Ochako- não pai, eu realmente gostei do meu amigo! * fala com certeza*

Foi possível escutar um suspiro do outro lado da linha

Uraraka- eu sei filha, mas talvez tenha sido apenas uma admiração muito grande que você tivesse por ele. O te acabou achando gostar dele, entendeu?

Novamente ela reflete sobre o passado com o amigo. Possa ser possível isso que seu pai tenha dito. Sempre que se senta em duvidas em uma aula pratica, sempre se perguntava o que Deku faria ou como ele reagiria, sempre ficou sobre a sua sombra porque sabia que o esverdeado era forte e esperto suficiente para conseguir algo, sempre foi determinado, e se sentia horrível ver seus colegas o desafiando e ela fica em baixo de suas asas como proteção. Realmente poderia ser isso que seu pai disse. Então isso significa que o que sente por Bakugo é amor?

Uraraka- refletiu? * sorria com o silencio da filha*

Ochako- sim….

O pai sente o clima pesar um pouco, estava um silencio de matar entre ambo. Logo resolve quebra essa barreira.

 Uraraka- então.... Quem é o meu novo genro? Teria uma foto para me mostrar? * empolgado*

OK, essa ela realmente não esperava. Foi logo para um “genro”!  Nem tinha certeza ainda se era amor o que sentia pelo o loiro, tudo literalmente aconteceu ontem! E seu pai foi logo puxando para uma intimidade assim?

Logo outro pensamento lhe veio à mente. Ela e Bakugou lutaram no torneio ao vivo para todos. Ai se seu pai descobrisse que é ele!

Ochako – bo...b...bom pai eu já vou desligar, depois eu te mando uma foto dele, ta[T1]  ? Tchau, boa noite, te amo! * e desliga antes que seu pai responder*

Ter um assunto assim logo com seu pai realmente era vergonhoso, ainda mais com ele se divertindo tanto! Ela estava tão nervosa com tudo isso e seu pai já juntando os casais. Mas mesmo com as brincadeiras, ele realmente conseguiu a ajudá-la.

Agora refletia seu passado com o loiro explosivo. As caricias, os gestos, cada palavra que não importava se estivesse com o tom rude sempre eram ditas com muito carinho, fazer o que? É o jeito dele. Além dos toques, mas em foco do seu beijo.

Não sabia explicar em palavras, aquela conversa com seu pai realmente a fez perceber que seu primeiro amor não foi ninguém mais que Bakugou Katsuki.

 

Uraraka Off

 


Notas Finais


bom, por enquanto é isso!! agora é a vez da nossa linda morena da gravidade se declarar *----* <3

deixem nos comentários suas opiniões


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...