História Amor e Familia - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Soluço
Tags Astrid, Hicstrid, Soluço, Solustrid
Visualizações 206
Palavras 2.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, voltei com o segundo capítulo de hoje, do nada eu simplesmente resolvi que iria postar esse capítulo, então eu postei, é tudo que eu tenho pra dizer, beijos e boa leitura

Capítulo 3 - Capítulo 3, revelação


Fanfic / Fanfiction Amor e Familia - Capítulo 3 - Capítulo 3, revelação

Por Astrid on

Eu vi o Soluço saindo da arena e acenei pra ele, por alguns segundos o silêncio reinou no local, mas o Allan o quebrou

- Eu já vou indo, o papai disse que queria me ver no almoço, ele disse que eu tenho muito a aprender se quiser reprentar o nosso clã - ele disse com a voz triste

Eu ri, sabia que ele estava odiando tudo isso, eu sabia como era, o Soluço já tinha passado por essa fase também, a diferença é que ele não tinha mais o pai para o orientar, e pelo que me parece o perna-de-peixe pensou o mesmo que eu

- Olha, ninguém morreu fazendo isso até agora, e eu acho que você não vai ser o primeiro, pense apenas que existem pessoas que enfrentam tudo isso pelo caminho mais difícil, aprendendo na prática com os erros, então aproveite essa chance de aprender com o seu pai, porque amanhã pode ser tarde - ele disse se aproximando do meu irmão e pondo a mão em seu ombro

Nesse momento todos ficamos em silêncio em respeito a Stoiko, o imenso, ele era realmente um homem muito especial, eu abaixei minha cabeça e senti uma lágrima descendo pelo meu rosto, mas rapidamente a limpei em um movimento tão rápido que foi quase imperceptível

- Bom, você quase me animou, mas agora preciso ir mesmo - o Allan disse quebrando o clima tenso

Nós saímos de nossos pensamentos e voltamos a realidade, sorrimos novamente como sorriamos antes, e isso acabou com o clima pesado

- Bom, nós também já vamos, combinamos de almoçar com a mamãe para colocar a conversa em dia, depois vamos sair juntas, o que vocês acham de vir com a gente a tarde das garotas - a Kelly disse olhando pra mim e pra Header no final da frase

- Nós adoraríamos - dissemos em coro

- Ótimo, mas agora eu tô com fome, o que vocês acham de irmos para o grande salão fazer um rango - o Melequento disse atrapalhando o clima

Nós rimos, depois seguimos para o salão, chegando lá os vikings comemoravam e contavam histórias para seus parentes recém chegados, eram gritos, uivos, risadas, pancadas, tinha de tudo, eu e os cavaleiros nos sentamos em uma mesa separada, onde nós sempre ficávamos, alguns até já apelidaram a pobre da mesa, ninguém sentava ali, era o "Recanto dos cavaleiros de dragão", no fundo era engraçada a criatividade dos berkianos para essas coisas, nós seis comia-mos quando meus irmãos se aproximaram

- Podemos sentar com vocês? - o Varian perguntou

Eu assenti e eles se sentaram, a Vivian ao lado da Header, a Kelly do lado da Vivian e o Varian do meu lado direito, já que do esquerdo estava a Header

- Vocês duas não deveriam estar almoçando com a mamãe? - eu perguntei e elas me olharam

- Nós íamos almoçar com ela, mas ela cismou com uma história de que temos que fazer amigos e blá, blá, blá, aí mandou a gente sentar com você - a Vivian explicou

- Claro, porque faz todo o sentido iam garota de 24 anos, outra de 16, e um menino de 12 anos andarem com a gente - eu disse com um pouco de sarcasmo

- Pois saibam que nós somos mais chatos que a maioria dos adultos - a Header disse entrando na conversa

- Sim, a gente tem muito mais responsabilidades nessa ilha do que a maioria dos vikings mais velhos - o perna continuou

- Sim, essa ilha praticamente nem funcionária se a gente - o Melequento concordou

Eu ri, talvez tivesse um pouco de verdade nisso tudo

- E onde está o Allan? - só agora me toquei que ele não está conosco

- O papai tá tentando ensinar ele a assinar os papéis - a Vivian disse apontando para o nosso irmão

- Nossa, não é tão difícil assim - eu disse colocando as mãos na cintura

- Na verdade é mais complicado do que parece - uma voz ecoou por trás de mim

Eu me virei e vi o Soluço, ele estava apoiado na parede com os braços cruzados

- Agora você resolveu assustar a gente foi? - eu disse ficando sarcástica

- Não, eu aprendi do pior jeito possível a nunca assustar um Hofferson, e aqui tem quatro - ele disse como se fosse obvio

Eu ri da expressão dele, depois ele foi pegar um pouco de comida e se sentou ao lado do Varian, ele mostrava um sorriso, mas no fundo sabia que estava abatido, não parecia ter dormido direito e seu cabelo está meio queimado

- Soluço, aconteceu alguma coisa? - eu perguntei olhando séria

- Até que demorou pra você me pegar dessa vez - ele disse com um pouco de ironia

Eu fiquei brava de vez, cruzei os braços e lhe dei um olhar mortal

- Ta bom, eu diria apenas que vou sonhar com ovelhas pegando fogo o resto da semana, e talvez semana que vem - ele disse com as mãos levantadas em sinal de rendição

Eu o encarei sério mas depois cai na gargalhada, os outros cavaleiros também, mas meus irmãos tentaram de segurar

- Vocês não estariam rindo se tivessem que pegar as ovelhas do "Sven não tão silencioso" enquanto elas pegam fogo depois de provocar um pesadelo monstruoso - ele disse cruzando os braços

Aquilo só nos fez rir ainda mais, mas infelizmente o clima descontraído foi interrompido pelo Bocão, ele chegou silenciosamente e jogou alguns papéis em cima da mesa do lado do Soluço, o estrondo vindo do choque entre os dois chamou nossa atenção, nós paramos de rir e olhamos para o Bocão

- Finalmente achei você moleque, chegaram novas cartas dos aliados de Berk, e eles querem uma resposta rápido, além disso tem lã de ovelha queimada no seu cabelo - o Bocão disse com o tom de voz de sempre e tirando lã do cabelo do Soluço na última parte

- Quantas vezes eu preciso pedir pra você parar de me tratar como se tivesse cinco anos Bocão? - o Soluço perguntou meio triste

- Você pode pedir o quanto quizer, eu nunca vou parar - o mais velho disse fazendo o ruivo bater a cabeça na mesa

Nós rimos, o Soluço retomou a pose e começou a mexer nas cartas, nós ainda tentávamos parar de rir

- Tem dos Exilados, dos Berserkers, dos Defensores da Asa, das Moças com Asas, do Lava Loucos e até de Rondo - ele disse se surpreendendo com a última carta

Nós atiçamos o olhar curiosos, o Soluço ia ler mas a nossa atenção foi atraída para outro lugar quando minha mãe nos chamou

- Meninas, venham, não podemos perder tempo - ela disse de pé perto da porta

- Desculpa garotos, mas precisamos ir - a Kelly disse se levantando

Assim que ela o fez eu, a Vivian e a Header também nos levantamos, elas forma em direção a porta, mas eu fiquei perto da mesa

- Astrid, você vem? - a Vivian perguntou

- Claro, já vou - eu respondi

Então eu fui até o Soluço e percebi sua expressão preoucupada, ele me viu

- Calma, vai ficar tudo bem - eu disse pondo a mão em seu ombro

Ele ia dizer algo, mas eu o beijei, foi rápido mas cheio de sentimento, depois que nos separamos eu o olhei de perto ainda com nossas testas juntas

- Obrigada - ele sussurrou

- Sempre - foi o que eu respondi e depois sai correndo

Eu estava vermelha quando fui em direção a saída, assim que sai encontrei elas me esperando na escada

- Astrid, está tudo bem? - foi o que a Vivian perguntou

- Melhor impossível - foi o que eu respondi sorrindo

A minha mãe e a Header me olharam com um sorriso diferente, elas sabiam o que avia acontecido, elas sabiam de tudo, eu ri, e depois elas também

- Vamos pra nossa casa, hoje nenhum homem entra lá - a minha mãe disse e nós a seguimos

Por Astrid off

Por Soluço on

Eu fiquei olhando para a porta por onde a Astrid saiu, depois que me recuperei peguei os papéis e me levantei como se nada ouvesse acontecido, os outros me olharam impressionados com a naturalidade em que as coisas seguiam depois de momentos como aquele, o Varian era o mais confuso

- Bom, eu tenho mais trabalho, até mais tarde pessoal - eu disse e eles continuaram me olhando

Eu me levantei e fui em direção a saída, nas algo chamou minha atenção, era o Axel e o Allan sentados em uma mesa próxima a porta, eu cheguei por trás em silêncio e pude perceber que o Axel tentava de todo jeito ensinar para o garoto sobre a responsabilidade que ele teria que assumir, então o Axel se levantou com a mão na cabeça e ouvi ele dizendo algo como "esse aí não tem jeito mesmo", eu me aproximei do ombro do Allan e começo a ver o que ele fazia

- Você sabe que não é aí que assina, não sabe? - eu disse e ele se assustou

- A quanto tempo você está aí - foi tudo que ele conseguiu dizer

- Não faz muito tempo - eu disse e dei de ombros

Depois puxei uma cadeira e me sentei, coloquei os papéis que carregava sobre a mesa e pedi a caneta, ele me deu e eu puxei um papel

- Olha, você tem que assinar em cima, o local branco é do selo do clã - eu disse apontando para o papel

- Mas porque eu deveria escutar um garoto de 22 anos que acha que sabe resolver isso - ele disse cruzou os braços

Naquele momento eu ia responder algo, mas o Extrume invadiu o salão e começou a gritar igual um doido

- Chefe, o Baldão prendeu a cabeça em outro balde de novo

- Eu acho que essa é minha deixa - eu disse largando a caneta e se levantando

Me dirigi até a porta e sai com o Extrume, o Allan ficou olhando sem ter o que dizer, pode-se falar que ele não está preparado para uma batalha qualquer, já que o segredo para vencer qualquer um está resumido a séculos em um simples ditado "nunca subestime os seus adversários", ou mesmo, os aliados

Por Soluço off

Por Astrid on

Nós estávamos no meu quarto, minha mãe e a Vivian estavam sentadas na cama, a mamãe fazia tranças nos cabelos negros da minha irmã, a Kelly estava sentada no chão a frente da Vivian, a mesma fazia um coque nos cabelos da irmã, a Header estava a frente da Kelly, também mechendo em seus cabelos para que fossem presos em uma bela maria chiquinha, já eu estava a frente da Header, também no chão, ela penteava meus cabelos como se fossem seda, por serem extremamente lisos era difícil segurar qualquer coisa, assim minha trança sempre ficava desleixada no fim do dia, ela colocava flores que eu lhe entregava de pouco a pouco, aviamos colhido as mesmas no campo mais cedo, graças a uma lei víking muito antiga as mulheres não podem cortar os cabelos, por isso temos madeixas enormes que na maioria das vezes ultrapassam a cintura, então entrou uma carta do terror pela janela, era do Soluço, o dragão pousou no meu braço, e eu tirei o papel o libertando, na hora eu nem pensei e li em voz alta, o que foi um erro

- "Querida Astrid, eu recebi uma carta de Rondo, mais precisamente da princesa de Rondo, ela disse que está em um navio vindo em direção a Berk, e que pretende passar cerca de um mês em nossa ilha, o pai dela diz que é para fortalecer a aliança entre ambas, ela também se lembrou de você, disse que está anciosa para reve-la e que tem uma grande novidade que você vai adorar, espero que possa estar no porto amanhã para sua chegada, Ass: Soluço"

Eu demorei um pouco para raciocinar, fiz uma expressão confusa, mas quando raciocínio o que acabei de ler rapidamente pus as mãos na boca, eu avia me esquecido completamente que namorava o Soluço, e por isso tinha que estar presente em todos os eventos oficiais para representar Berk, elas pararam o que estavam fazendo para observar minha reação, a Header e minha mãe riram, elas se levantaram e começaram a comemorar, elas rodavam e pulavam enquanto cantavam

- Finalmente, finalmente, finalmente

- Não entendi, finalmente o que? - a Kelly perguntou

- Finalmente ele vai apresentar a Astrid como sua namorada para outra ilha - a Header respondeu rapidamente

- Quem? O que? Quando? Onde? - foi a reação da Vivian

- O Soluço, ele finalmente chamou a Astrid para ir em um evento oficial como sua acompanhante, geralmente ela sempre vai como líder dos cavaleiros de dragão ou algo do tipo - a Header respondeu e eu bati a mão na testa

- Pera aí, a única coisa que eu raciocínei é que ela tem namorado - foi a Kelly

A Vivian assentiu, eu estava com tanta vergonha que não conseguia fazer ou falar nada, mas de repente eu senti um estalo e me dei conta do que acontecia

- Gente, minha vida pessoal não interessa a vocês - eu levantei e meio que gritei

- Claro que interessa, eu sou sua mãe e elas são suas irmãs - a mamãe disse

Eu me sentei e bati a mão na testa, avia me esquecido desse detalhe, mas por sorte ouvimos batidas na porta, todas pararam e olharam na direção da escada, nós nos levantamos e descemos devagar

- Quem vai abrir? - a Header perguntou

- Eu vou - a Vivian disse em um reflexo rápido

Ela pegou um machado (sim, o machado era a marca registrada das Hofferson) e foi em direção a porta, assim que a abriu em posição de ataque nós vimos O SOLUÇO ele tinha um sorriso simpático que dizia "não me mate, por favor" eu ri

- É só você - a Vivian disse diminuindo a agressividade na voz

- Bem, eu ouvi uma gritaria da minha casa e vim ver se estava tudo bem - ele disse coçando a nuca

Naquele momento eu vi que ele ficou envergonhado por ter chegado assim sem ter acontecido nada, ele se virou e estava indo embora, mas eu simplesmente sai correndo empurrando a Header e a Kelly e indo em direção a porta, eu segurei o braço dele antes que sumisse do campo de visão

- Astrid, está tudo bem? - ele perguntou se virando

Eu o beijei com todo o sentimento possível, ele retribui e sorriu, depois que não separamos eu olhei nos seus olhos verdes e sorri também

- Agora está - foi tudo que eu disse ainda sorrindo

Nós nos beijamos novamente, mas dessa vez alguém nos interrompeu, como eu queria matar o dono daquela voz

- Se vocês não perceberam nós ainda estamos aqui - a Header disse com tédio na voz

Eu me separei e olhei pra trás, ele também olhou para as garotas, a Vivian estava com um olhar derretido apoiada no corrimão, e a Kelly super feliz, a Header riu e minha mãe sorria de um modo terno, nós dois rimos, depois eu voltei a olhar para ele, que sorria

- Até amanhã senhorita Hofferson - ele disse em um cochicho

- Até amanhã senhor Strondus - eu respondi

- Você sabe que eu odeio quando me cahma assim - ele disse rindo

- E é por isso que eu insisto - respondi me separando do abraço e colocando as mãos na cintura

Ele riu, depois acenou para as garotas e saiu, eu fechei a porta e deslizei por ela, ainda envergonhada pelo que acabara de acontecer, elas estavam babando (literalmente), e eu ri, mas sabia sobre interrogatório que teria depois daquilo, e com certeza duraria a noite toda

Continua?...


Notas Finais


Gente, espero que tenham gostado, se não gostaram de algo pode me dizer sem medo, deixem sempre suas opiniões sinceras

Beijos, abraços e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...