1. Spirit Fanfics >
  2. Amor e odeio >
  3. A ilha

História Amor e odeio - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada pelos comentários ❤
Boa leitura!

Capítulo 12 - A ilha


Fanfic / Fanfiction Amor e odeio - Capítulo 12 - A ilha

Chegou o dia, Rosa ia voltar a trabalhar e estaria na diretoria, isso era muito surreal, estava feliz claro! Mas era muito doido isso tudo, um dia secretária, no outro esposa do chefe. Rosa e Claude tomaram café da manhã e foram direto para a empresa. Ao chegar lá Rosa foi metralhada por Jannete com um monte de perguntas, já Claude teve que dá explicações à Egídio, que não aceitava o fato de Rosa agora trabalhar na diretoria. Amanhã foi muito boa num total, Rosa estava estudando cada detalhe do projeto e dava boas sugestões, deixando Claude bem orgulho, ele tinha muita sorte de ter ela ali. Tudo ia bem até Nara aparecer, e como sempre, entrando na sala sem ser anunciada.

* Olá Cheri - Nara entra de repente e fala com Claude que estava sentado na sua mesa enquanto Rosa lia alguns papéis na mesa de reunião com Frazão.

* Oi Nara, ninguém me avisou que você entraria. - Claude viu Nara se aproxima dele.

* Eu tava com saudades cheri - Nara passa a mão no rosto de Claude, que se afasta, ela logo se vira e ver Rosa olhando para eles. - O quê essa secretáriazinha tá fazendo nessa sala?

* Eu trabalho aqui agora! - Rosa se levanta e fica de frete para Nara, ela estava tentando provocar, mas Rosa ia se controlar, não queria dá esse gostinho pra ela.

* O quê? Você colocou essa curticeira pra fazer parte da diretoria? - Nara estava furiosa, como seu pai permitiu isso?

* Nara! - Claude ficou irritado.

* Tudo bem Claude, eu não ligo! Eu cresci em um cortiço, e não tenho vergonha nenhuma disso, sabe porque?

* Por que? - Nara rir.

* Rosa se aproxima de Nara - Por que lá eu tenho uma família, pessoas que me amam de verdade, eu aprendi a ser honesta, a ter caráter, agora...faz um favor pra mim e pra todo mundo aqui Nara, vai embora e deixa a gente trabalhar, por que se você não nada melhor pra fazer a gente tem!

* Nara mataria Rosa naquele momento se pudesse - Você vai se arrepender disso! - Nara saiu da sala.

* Você deixou ela furiosa! - Claude dá um leve sorriso.

* Frazão entra na sala da diretoria - o que aconteceu com a Nara? Eu vi ela ir pra sala do Egídio cuspindo fogo.

* Foi Rosa! - Claude diz.

* Eu não disse mais do quê a verdade, ela me provocou e eu respondi! - Rosa olha para Frazão.

* Eu acredito! Nara sabe como ser inconveniente. - Frazão.

O trabalho continuou, e no final do expediente Frazão recebeu uma ligação de Alaba, ela e Roberta estavam convidando ele, Claude e Rosa para um final de semana na casa de gravação do filme. O Hugo ia levá-los e depois buscaria, a casa ficava em uma especie de Ilha e o único jeito de chegar lá séria por lancha, eles iriam na manhã de sábado e voltariam no final da tarde de domingo.

Rosa e Claude chegaram no apartamento e ela foi ligar para sua mãe, ela queria a falar com seu pai, ouvir a voz dele e tentar conversa. A tentativa foi difícil e um pouco dolorosa, o velho Geovanni estava muito zangado, disse que não queria nem que Rosa e Claude fossem mais em sua casa, aquilo doeu muito, dona Amália pediu que Rosa ficasse calma, que tudo ia se resolver, então Rosa desligou o celular.

* Serafina anda até Claude - Meu pai não quer falar comigo! Ele tá muito zangado. - Rosa não conseguiu segurar a lágrima que caiu no seu rosto.

* Claude se aproxima limpando o rosto de rosa - Ei, non chore...- ele abraça ela e se senti tão culpado por Rosa passar por isso por sua causa.

* Eu vou para o quarto, quero ficar quietinha, amanhã de manhã a gente vai acordar cedo para ir pra Ilha. - Rosa sai dos braços de Claude e pega nas mãos dele antes de subir as escadas e ir deitar.

Era inevitável Claude se sentir culpado, a relação de Rosa com seu pai era invejável, ele sabia que deveria está sendo difícil para ela a rejeição do pai e para ele também, pois o sua filha estava indo contra o que ele ensinou. Os pensamentos de Claude ficaram agitados demais aquela noite, não deixavam ele dormir, então ele desceu para beber água e encontrou Rosa na cozinha.


* Olá, sou eu hem non vai se assustar! - Claude lembra de quando Rosa caiu por cima dele no sofá.

* Não, dessa vez não! - Rosa

* Non tá conseguindo dormir? - Claude

* Pelo visto nem você! - Rosa lhe oferece um copo de água.

* Eu non consigo pensar na ideia de você e seu pai estarem brigados por minha causa Rosa.

* Isso passa! - Rosa 

* Você acha? - Claude 

* Passa sim, eu não vou ficar brigada com ele a vida toda, e ele vai ter que entender, ele precisa respeita minhas escolhas. - Rosa estava de frete para Claude.

* Rosa...- ele pega nas mãos dela e fica muito perto - Eu admiro muito seu pai, sua mãe e mais ainda você! Eu...obrigada Rosa! Obrigada!

Claude estava completamente envolvido, o clima entre eles era enorme, estava tão perto um do outro que poderiam ouvir suas respirações, e quando seus narizes se tocaram, Claude sentiu uma necessidade muito grande de beija-lá, mas o medo de Rosa foi maior, ela não poderia deixar ele fazer isso, não por gratidão.

* Eu...vou dormir, boa noite! - Rosa sai da cozinha e sobe as escadas em direção ao quarto, em seus pensamentos um lado dizia que ela era burra, que perdeu a chance de beijar o homem que ela ama, mas o outro sabia que não tinha ideia ainda do que Claude sentia, e se fosse só gratidão aquele beijo deveria acontecer.

O francês passou a noite pensando em Rosa, em como ele queria beija-lá, aqueles pensamentos o assustava, sentir o que estava sentindo era algo que Claude não conhecia, esses sentimentos por Rosa era algo totalmente novo.

...

No outro dia de manhã, antes de sair de casa Claude ligou para casal Smith avisando que não estaria em casa no sábado e no domingo, e Rosa fez o mesmo para sua mãe. Foram para a casa de Roberta e lá encontraram Frazão, Sérgio, Alaba e Hugo que iria acompanha-los até a ilha. Não demorou muito e eles saíram, todos descobriram que Claude tinha medo de barco, suas mãos estavam suadas e ele estava inquieto, em algum momento ele até apertou a mão de Rosa quando a lancha deu uma balançada, mas não demorou para chegarem na ilha e ir direto para a casa se acomodar.

* Roberta a casa é linda! - Rosa estava encantada com a casa.

* Sim, Hugo tem ótimo gosto, o filme vai ficar com uma imagem linda. - Roberta.

* Gente, a casa é linda, mas só tem 3 quarto com com banheiro dentro! Como vai ser? - Alaba.

* Eu posso dormi com você! - Frazão fala olhando para Alaba.

* Engraçadinho você! Ou a gente pode fazer igual da última vez, eu e Rosa, Claude e Frazão, Roberta e Sérgio.

* Eu apoio! - Sérgio sorrir para Roberta.

* É...pode ser! - Claude falou em um tom decepcionado, não que ele esperasse ficar no mesmo quarto que Rosa, mas se alguém falasse ele possivelmente não ia contestar.

* Tá bem, então fica assim! - Rosa.

Depois de decidirem isso, eles foram para seus quartos, queriam colocar um biquíni e aproveitar aquele lindo sol. Roberta e Sérgio foram os primeiros a chegar na Praia, depois veio Claude, Frazão e Alaba.

* Cadê a Rosa? - Claude pergunta já sentado numa cadeira.

* Tá vindo...olha ela lá - Alaba direcionado seu olhar pra Rosa.

* Uau - disse bem baixinho, Rosa estava com um biquíni azul que se encaixava perfeitamente ao corpo dela, e que corpo, a Italianinha tinha o corpo de uma deusa.

* Rosa se aproxima - Nossa, eu não tô acostumada a usar biquíni!

* Deveria Rosa, você tem um corpo lindo! - Roberta.

* Nisso a gente tem que concordar! - Frazão diz e recebe um olhar mortal de Claude que joga uma revista no amigo.

O dia na Praia foi ótimo, eles jogaram vôlei, banharam, Rosa fez um almoço incrível com a ajuda da Alaba, e quando foi de tarde todos entraram, o mar começou a ficar agitado. Depois que todos estavam secos, Roberta e Sérgio foram voluntários para fazer o jantar, enquanto isso os demais jogavam cartas. O clima começou a esfriar e Rosa assim que chegou percebeu que não tinha trazido nenhuma jaqueta ou moletom, então Claude perceu Rosa meio encolhida.

* Tá com frio Rosa? - Claude tira sua jaqueta.

* Um pouco, eu esqueci minha jaqueta. - ela sorrir meio tímida e vê ele sentar ao seu lado.

* Fica com a minha! - ele coloca sua jaqueta grande nela.

* Mas e você? - Rosa olha ele.

* Eu vou ficar bem hã! - Claude sorrir.

* Você vai ficar com frio! Por que a gente não divide? A jaqueta é grande! - Rosa se levanta um pouco para encaixar metade da naquela no ombro de Claude, fazendo ela ficar a centímetros dele.

* Merci - Claude ficou um pouco nervoso com a situação, primeiro Rosa tão perto dele, e agora ele estava abraçado com ela, ele queria que ela ficasse quentinha, mas não poderia negar que abraçar ela era muito bom.

Alaba e Frazão ficaram só observando a cena, os dois estão nitidamente gostando de ficar daquele jeito, mesmo que tivessem usando a desculpa de que estavam se esquentando.

Depois do jantar, Sérgio e Roberta foram pra o quarto e era óbvio que estava rolando um clima entre eles, Roberta tinha medo, pois Sérgio era bem mais novo, mas isso de idade não importava para Sérgio. Já Frazão chamou Alaba para caminhar na Praia, deixando Claude e Rosa sozinhos na varanda de frete para o mar.

* Esse lugar é tão lindo! - Rosa olha para o mar.

* Eu moraria aqui por um bom tempo. - Claude olhava para rosa.

* Esse lugar é perfeito para um casal! - Rosa olha para a praia.

* É...é sim! - Claude fixou seu olhos em Rosa e viu ela lhe olhar também.

* obrigada por isso! - Rosa.

* Por isso o que? - Claude

* Por estava vivendo esse momento! Está aqui de frete pra esse mar, nessa noite estrelada e esse luar, que bom que tô vivendo esse momento, vivendo com você! - Rosa tira o olhar de Claude, mas senti ele pegar em sua mão e entrelaça seus dedos nos dele.

* Cada dia que passa eu gosto mais de você Rosa! - Claude a olha.

* Eu também Claude! Eu sinto o mesmo! - Rosa olha para ele depois encosta sua cabeça no ombro dele.



Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...