1. Spirit Fanfics >
  2. Amor e odeio >
  3. Nossa primeira vez

História Amor e odeio - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura amores ❤

Capítulo 20 - Nossa primeira vez


Fanfic / Fanfiction Amor e odeio - Capítulo 20 - Nossa primeira vez

* Me desculpe non ter dito que te amo antes, eu quase te perdi para ter que descobrir isso! - Claude segurava a cintura dela e se perdia naqueles olhos castanhos.

* Tá tudo bem...Eu tô aqui! Cada um tem seu tempo e esse foi o seu.

* É por isso que me apaixonei por você, você é linda por dentro e por fora. - Claude segurou o rosto de rosa.


Os dois se beijaram apaixonadamente, dava pra sentir a conexão entre eles, tudo que passaram, todos os momentos juntos, saber que o sentimento um pelo outro era recíproco e intenso deixando tudo ainda mais amoroso. O toque das mãos dele despertava confiança, e tudo que ele fazia a queimava por dentro. Os beijos foram ficando mais intensos, se tornando um princípio de incêndio, o frances a movimentou em direção a cama, os dois se deitaram e Claude estava por cima dela, apoiando seu corpo nos cotovelos olhou ela nos olhos novamente.


* Seus olhos são lindos cheri...- Claude sorrir para ela.

* Ela sorrir - meu coração tá acelerado!

* Você também me deixa nervoso..- ele sorrir.

* Eu posso sentir seu coração? - Rosa.

* Ele é seu mon amour! - Claude.

Rosa sumiu o braço e desabotou alguns botões da camisa dele, passou a mão em seu peito, Claude colocou uma de suas mãos na alça do vestido de Rosa e antes de tira-la olhou para ela, ele não faria nada sem a aprovação dela.

* Non vou fazer nada que não queira...- Claude.

* Cheri...- ela sorrir - o desejo tanto...

* Ele sorrir - Non mais do que eu!

O fraces tirou as alcas do vestido preto dela, depois desceu as mãos para suas costas puxando o zíper. Ela fez questão de tirar a roupa dele, precisava ver aquele homem como veio ao mundo por partes, como um ritual, o corpo dele a hipnotizava. Ele a viu despi-lo, e quando chegou a vez dele não poderia se sentir mais nervoso, ela tinha o corpo de uma deusa, uma pele macia e curvas tão lindas que ele mal poderia tirar os olhos.

Claude faria qualquer coisa para agrada-lá, e por mais fértil que fosse sua imaginação naquele momento, queria que aquela primeira vez dos dois fosse especial, não que ele fosse tentar transformar isso em um conto de fadas açúcarado, não fazia o estilo de Rosa, mas queria que essa primeira de muitas fosse simplesmente inesquecível.

Os dois se encaixaram e balançaram, tudo que começou devagar e foi ganhando intensidade, o incêndio estava formado, Rosa assumiu o controle ficando por cima, e durante o resto da noite as coisas foram se alternando, eles se amaram muito, conhecendo e explorando cada parte dos seus corpos.

Quando ficaram muito cansados, decidiram ir dormi, já era bem tarde também e iam acordar cedo, na verdade isso não importava nada naquele momento, aquela noite com certeza foi a melhor de suas vidas.

No outro dia de manhã, Rosa abriu os olhos e não viu Claude, ela não deixou de notar o quando o quarto era bonito, estava em uma cobertura com uma vista fantástica da cidade, ela se levantou e andou até a varanda do quarto, o dia estava lindo, então sua atenção se voltou para a porta que abriu.


* Bonjur mon amour - claude sorriu com uma bandeja cheias de coisas para um café da amanhã.

* Bom dia...que bandeja linda! - Rosa sorrir e se aproxima da cama.

* Trouxe esse café da manhã para você tomar na cama hã! - Claude se senta na cama.

* Nossa! Ninguém nunca me trouxe café na café na cama!

* Se depender de mim isso vai ser rotina! - ele sorrir e acaricia seu rosto. - vamos tomar café?

* Você que fez tudo isso? - Rosa.

* Ele rir - Non eu non sei fazer tudo isso, eu pedi pra Dadi fazer.

* Mesmo assim, obrigada! - Rosa sorrir para ele.

Depois do café da manhã, eles se arrumaram e foram para a empresa, hoje estava previsto assinar os contratos definitivos, Claude estava um pouco nervoso com isso, mas queria acreditar que estava tudo bem, quando chegaram na construtora viram Frazão na sala ao entrarem.

* Bom dia senhor e senhora Geraldy - Frazão brinca.

* Claude sorrir e ver Rosa sorrindo também - Bonjur Frazon! Algumas notícias dos americanos?

* Ainda não! - Frazão.

O celular de rosa toca, era sua mãe, ela precisa contar para rosa, que conseguiu convencer o velho Giovanni a comprar uma casa do projeto, mas pra isso teve que dizer que o casamento dela era de verdade agora e que Rosa estava grávida, Rosa quase pulou da cadeira que estava sentada e depois desligou.

* Que cara é essa Rosa? - Claude pergunta vendo Rosa assustada.

* Minha mãe conseguiu convencer meu pai a comprar a casa do projeto, o que é ótimo, ele comprando os outros vizinhos vão comprar também, mas...

* Mas o quê ? - Claude.

* Mas pra isso ela disse que eu tô grávida! - Rosa.

* GRÁVIDA?! - Claude se levanta. - issi é uma mentira grande hã...

* Eu sei! Mas foi o único jeito que ela achou de convencer meu pai, fora que com ele vai voltar a falar comigo! - Rosa o olha.

* Cheri...- ele pega em suas mãos - vamos dá um jeito hã.

* Vamos sim! - ela sorrir.

* rhumrhum - Frazão finge uma tosse - o amor é lindo, e eu, eu fico aqui de vela! - Frazão.

* Vela por que Frazão? Você não gosta da Alaba? - Rosa olha para ele.

* Eu e Alaba estamos nos conhecendo...- Frazão sorrir.

* Sei...- Claude.

Não demorou muito para que Jannete anunciasse o casal Smith, eles entraram na sala da diretoria e se sentaram, estavam sérios e romperam o silêncio dizendo que não iam mais fazer negócios com Claude.

* Doutor Claude, eu no posso fazer negócios com o senhor, pois iniciou a construção das casas com matérias de baixa qualidade! - Elizabeth diz entregando documentos.

* Eu jamais faria issi! - Claude estava surpreso, não poderia imaginar que isso estava acontecendo.

* No podemos fazer projeto com matérias de baixa qualidade. - John Smith diz.

* Issi non pode ser...- claude lia o documento.

* Esse matérias não foram comprados, eu não enviei esse pedido, percebi isso e enviei o documento certo! Eu cuideibde cada item desse projeto. - Rosa.

* Mrs Smith...quem fez isso foi o doutor Egídio, ele fez essa troca de documentos! - Frazão.

* Você... - Claude a olha e pega em sua mão.

* Okay, mesmo assim doutor Claude assinou papel sem ler, isso é muito grave! - Elizabeth.

* Senhora Elizabeth, seria um prejuízo muito grande para o Claude se o projeto não receber o seu investimento, esse projeto é o sonho dele e acabou se tornando o meu também! Por favor reconsidere! - Rosa.

O rosto de Claude estava pálido, ele não poderia acreditar que ia perder o projeto. Os americanos ficaram em silêncio por alguns segundos e logo Elizabeth rompeu o silêncio.

* Okay, no vou fazer negócios com Norte White e nem com Doutor Claude...vou fazer negócios com Serafina Rosa!

* Rosa Não sabia o que pensar - comigo?

* Yes! Rosa você é inteligente, esperta, conhece o projeto e é muito cuidadosa, você vai assumir o cargo de diretora e ser dona dos dez milhões de dólares. - Elizabeth sorri.

Todos estavam surpresos com a decisão de Elizabeth, Claude se levantou da cadeira de diretor e deu espaço para rosa se sentar nela, ele afirma que essa foi a melhor decisão para todos e fica feliz por tudo ter dado certo, os contratos foram assinados e os americanos foram embora, Frazão foi acompanha-los até o elevador deixando Rosa e Claude sozinhos na sala.

* Nem acredito que acabou! - Rosa sorrir.

* Graças a você! Eu non tenho como agradecer! - Claude segura suas mãos.

* Tem sim! Mais tarde eu te cobro...- Rosa brinca, mas se ele quisesse ela não ia recusar.

* Claude rir - que ousadia non?! Mas pode deixar que eu vou agradecer mais tarde sim! - ele a olha malicioso.

* Eu te amo frances. - Rosa diz.

* Eu te amo italianinha. - Claude a beija.



Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...