1. Spirit Fanfics >
  2. Amor e odeio >
  3. A resposta

História Amor e odeio - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada por ler e comentar ❤
Continuem comentando, é legal saber se estão gostando.

Capítulo 3 - A resposta


Fanfic / Fanfiction Amor e odeio - Capítulo 3 - A resposta

* Ei...você tá bem? - Claude estava preocupado, nunca viu alguém desmaiar por causa de uma pergunta (mas não era qualquer pergunta).

* Eu...tô bem...Eu acho - Rosa estava confusa, levou a mão na lateral do rosto ainda tentando entender o que aconteceu, mas logo a proposta de Claude ecoou em sua cabeça.

Frazão estende um copo de água para Rosa, ela estava pálida. Enquanto se recuperava viu Frazão se sentar em uma cadeira perto dela e Claude lhe olhando fixamente, o que deixava ela nervosa, o frances era incrívelmente mais lindo de perto, estava sentado ao lado dela no sofá.

* Você queri ir para o hospital? - Claude pergunta.

* Não! Não, tô bem! Eu tô delirando ou você me pediu em casamento doutor Claude? - a expressão de confusão no rosto de rosa retornou.

* Claude engoli seco e logo respira fundo antes de explicar - Sim, eu lhe pedi em casamento.

* Rosa se levanta do Sofá de forma brusca e caminha pela sala - Eu...você...você enlouqueceu? Me desculpem, mas isso é absurdo!! - Rosa gesticula a mão trêmula.

* Eu também acho, mas a gente pode negociar dona Rosa, se esse é o problema hã... - Claude começou a ficar nervoso quando viu aquela mulher se enfurecer.

* Me desculpe doutor Claude, mas eu não sou as mulheres que o senhor tá acostumado a... olha, eu não quero seu dinheiro! - Rosa estava muito zangada, furiosa, como assim ele a pede em casamento e lhe oferece dinheiro?

* Que issi! Que issi! Assim a senhora me ofende dona Rosa! - Claude começa ficar vermelho, com raiva.

* Ofendida estou eu! Eu acho melhor eu ir embora! - Rosa precisava sair dali.

* Calma dona rosa! como a senhora deve ter ouvido pelo escritório, o Claude está numa luta tentando o visto de permanência, e se não conseguir até a vinda dos americanos para o contrato, não vai conseguir realizar o projeto. O advogado que estava cuidando disso agora trabalha para a Norte White, a forma mais rápida do Claude conseguir o visto é se casando com uma brasileira. - Frazão olhou para Claude.

* É isso mesmo....você acha que eu sou o que hã? - Claude a essa altura já estava falando alto e rosa também.

* Dá pra vocês dois se acalmarem! Dona Rosa! Olha, é um acordo comercial, você fica casada com ele só até os americanos assinarem o contrato, vai ser rápido! - Frazão fica no meio dos dois.

* Doutor Frazão, eu não sei oque lhe dizer. - Rosa abaixa um pouco a guarda.

* Dona Rosa, vai pra casa, descansa, e pensa bem no assunto! Tudo bem? - Frazão diz olhando para ela e vendo Claude sentar na sua mesa.

* Eu vou indo...com licença doutor Frazão! - Rosa se vira para Claude e não diz nada, somente sai da sala.


No Hall, Rosa arruma sua bolsa para ir embora, Jannete pergunta o por que da amiga está indo embora, mas rosa dá poucas respostas e sai.


Na diretoria:


* Você viu Frazon?! Essa mulher é maluca! Ela não vai aceitar! - Claude diz impaciente.

* Calma fraces! Amanhã eu converso mais com ela. - Frazão é interrompido por um telefonema de Roberta Vermon.

Roberta era amiga de Claude e Frazão a muitos anos, estava no Brasil com sua amiga Alaba para gravar um filme, ela se preparava para gerenciar um teste para o papel principal, ela e seu diretor precisavam escolher quem seria o par romântico de Roberta. Aproveitou a oportunidade para convidar Claude e Frazão para um jantar na sua casa e colocar o papo em dia.

...

Rosa desceu do ônibus e andava para chegar em casa, estava entrando no casarão do bexiga quando escutou alguém lhe chamar, era Sérgio, seu melhor amigo.

* Oi Sérgio - Rosa tentou disfarça o semblante de cansaço.

* Oi fina! Que cara é essa? Pode ir falando... - Sérgio conhecia Serafina o suficiente para saber quando ela tentava disfarçar.

* Ela respira fundo - Eu não consigo esconder nada de você né? - ela sorrir - vou guarda minha bolsa e avisar meus pais que cheguei, e a gente pode conversa na sua casa?

* Claro Fina! Tô te esperando lá - Sérgio pisca para rosa e vai até sua casa.

Rosa faz exatamente o que disse para Sérgio e o encontra em sua casa. Ela contou tudo que aconteceu no seu dia, foi difícil permanecer forte, mas ela sabia que não precisava dessa postura com Sérgio, ele era seu melhor amigo, quase um irmão.

* Nossa fina! Que dia bem?! - Sérgio estava surpreso com tudo que tinha ouvido, mas precisava contar para serafina o que tinha acontecido no casarão enquanto ela não estava. - Rosa eu tenho uma notícia não muito boa também..

* Aí meu pai... O que foi? - rosa se escora na cadeira que estava sentada.

* Hoje o proprietário do casarão apareceu aqui, ele quer demolir o lugar para construir um edifício.

* Eu não acredito...meu Deus...por isso que quando cheguei a mamãe e papai estavam tão calados e pareciam tristes, nossa!

* Ele quer 1 milhão pela casa. - Sérgio

* Ninguém tem esse dinheiro! Vamos para na rua! Todos vão para a rua!

* Fina, eu acho que eu tenho a resposta, é loucura, mas pode ser a solução.

* Então fala!!

* Primeiro, acho que deve se encontrar de novo com os pais de Júlio, lembro que eles gostaram muito de você e foi difícil pra eles saber o que o filho fez. Segundo, acho que deve aceitar o pedido de casamento do Claude, pelo que me contou ele tá bem desesperado, e acho que ele seria capaz de pagar 1 milhão, o que você pode usar para comprar a casa.

* Rosa pensou por alguns segundos antes de responder - Mesmo que eu concorde com essa maluquice, como eu vou explicar para as pessoas como comprei o casarão?

* ou...você pode confiar no projeto do seu chefe, as casas não são para pessoas de baixa renda, gente humilde? Então! Você pode se casar com ele e ajudá-lo a realizar o projeto, que pode ser a saida para todos aqui.

* Eu preciso pensar Sérgio, é muita loucura isso!

* Tenho uma notícia boa, lembra daquele produtor que me viu no teatro? Então, ele me convidou para fazer um teste amanhã, se eu conseguir posso fazer o filme dele com uma artista muito famosa, ele só não me disse quem é.

* Nossa, que bom...vai dar tudo certo amigo.


Rosa abraçou o amigo e depois foi para casa, conversou com seus pais que estavam muito tristes com a notícia. Rosa sempre quis se casar, forma uma família com a pessoa que ama, mas depois do que Júlio fez é como se uma barreira enorme tivesse crescido dentro dela, a dor que sentiu ao ser largada perto de casar e depois a morte dele, foi demais.

...

* Enton Roberta é isso, vou ter que me casar para ter meu visto... Que absurdo! E pior, com dona Rosa. - Claude estava impaciente.

* Dona Rosa é uma excelente pessoa Claude, você que pegou implicância com a menina, agora é esperar uma resposta dela. - Frazão se senta no sofá de frete para Roberta.

* Nossa Claude! Que situação meu amigo! Mas tenta ficar calmo, se ela aceitar você vai ter seu visto e aí tá tudo certo. - Roberta senta de frente para Frazão ao lado de Alaba.

* Roberta, você precisa ir dormir, amanhã você vai fazer o teste com o Hugo para escolher o ator principal, lembra? - Alaba.

* Aaah sim, Hugo me disse que já tem até um favorito já, que ele é ótimo, o viu em uma peça de teatro.

* Enton a gente já vai Robertinha, beijin - Claude se despede de Roberta e Alaba, e ver Frazão fazer o mesmo.

...

* Bom dia Rosa - diz Jannete sorridente.

* Bom dia amiga - Rosa força um sorriso.

* Como você está amiga? - Jannete estava preocupada.

Rosa contou sobre o casarão, disse o quanto aquilo lhe tirou o sono. Pouco tempo depois Rosa ver Frazão e Claude chegarem, Frazão se aproximou e pedi para que ela fosse a sala da diretoria. Se levantou e o acompanhou.

Na sala:

* Bom dia doutor Claude - Rosa diz num tom sério.

* Bom dia dona Rosa - Ele responde com o mesmo tom, mas não podia deixar de respirar fundo, estava esperando que ela aceitasse o pedido.

* Fiquei...ficamos preocupados com a senhora ontem dona Rosa, nunca vi uma mulher desmaiar por conta de um pedido! - disse Claude com seu sotaque carregado.

* Não desmaiei por causa do pedido doutor, já fui pedida em casamento antes. - Ela continua seria.

* Então dona Rosa a senhora pensou na proposta? - Frazão pergunta.

* Sim, eu pensei, pensei muito! - Rosa se vira e ver Claude.

* Enton, o que a senhora decidiu? - ele estava tentando se manter calmo.

Antes que ela pudesse responder, Jannete entrou na sala como um furacão.

* Desculpe doutor, mas Mrs Smith ligou e pediu que o senhor atendesse ele na vídeo chamada.

* Aaaah mon dier...- Claude vai até sua mesa e pega o laptop, colocando na mesa de reunião para que ele e Frazão pudessem ver e ouvir.

* Mrs Smith?... - o mesmo sobrenome dos pais de Júlio, não...não pode ser.

* Olá Mrs Smith - Frazão cumprimenta sorridente, enquanto o amigo faz o mesmo forçando um sorriso.

* Ola doutor Claude, Frazão, tenho uma notícia para você Claude, estou chegando em Brazil amanhã.

Claude e Frazão se olham, e Rosa fica muito intrigada com o sobrenome e a voz do americano.

* Quero conhecer os funcionários, a empresa e depois Elizabeth vem para o Brazil. - diz o Mrs Smith.

* ELIZABETH? - Rosa fica de boca meio aberta e nota para Claude e Frazão olhando para ela.

* Sorry, mas quem falou o nome de Elizabeth? - Smith pergunta.

Rosa se aproxima da mesa onde estava o laptop, Claude e Frazão estavam sentados um ao lado do outro e tiveram que abrir espaço quando rosa ficou de frente para a tela.

* John? John Smith? - Rosa não poderia acreditar.

* Rosa? ora, ora...que maravilha vela de novo!

Claude e Frazão ficaram sem reação, de onde uma simples secretária conhecia um dos americanos que investirá 10 milhões de dólares.

* É muito bom ver o senhor também, como está a senhora Smith? - rosa ainda não escondia a surpresa.

* Estar bem, ora Rosa, nosso encontro em Brazil ainda está confirmado?

* Está sim, se o senhor me dê licença eu preciso ir ao banheiro?! Até breve Mrs Smith.  - Rosa ficou tão nervosa que precisava sair dali, então saiu da sala de Claude sem nem olhar para ele ou Frazão.

* Doutor Claude, eu só liguei para avisar que chegarei amanhã e pergunta se o senhor ou Frazão podem me buscar no aeroporto?

* Eu posso buscá-lo Mrs Smith - Frazão diz.

* Eu preciso desligar, tenho uma última reunião antes de viajar, bye bye. - desliga a vídeo chamada.

* Frazon vai chamar dona Rosa agora! Eu quero saber de onde ela conhece os americanos. - Claude estava andando de uma lado para o outro.

* Frances se acalma! Por que se ela é amiga dos americanos como pareceu, a gente não pode tratar ela de qualquer jeito. - Frazão sai da sala e vai atrás de Rosa.

Não demorou muito para Rosa aparecer com Frazão, e Claude estava andando de um lado para outro, com aquela cara de poucos amigos.

* Enton dona Rosa, a senhora pode no dizer de onde conhece o casal Smith? - Ele diz cruzando os braços.

* Eu...Eu...sou a ex noiva do filho deles. - Rosa não estava nem um pouco confortável com aquela situação.

* ex noiva? Que história é essa? - Claude não estava entendendo muita coisa, mas viu que Rosa estava incomodada com o assunto.

* Eu realmente prefiro não falar sobre isso, é muito pessoal! Eu conheci eles algumas vezes por conta de uma situação, enfim, eu era noiva do filho deles, é isso! - Rosa não queria falar sobre isso, não dava pra falar.

* Tudo bem dona Rosa, mas enquanto a proposta...O que a senhora decidiu? - pergunta Frazão.

* Eu...Eu aceito!




Notas Finais


Para ou continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...