1. Spirit Fanfics >
  2. Amor e odeio >
  3. A Fest Itália

História Amor e odeio - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada por ler e comentar ❤
Boa leitura!

Capítulo 7 - A Fest Itália


Fanfic / Fanfiction Amor e odeio - Capítulo 7 - A Fest Itália

Claude parou o cara na frente do casarão.

* Eu tenho mesmo que ir? - Claude pergunta, mesmo sabendo a resposta.

* Você quer o contrato não quer? - Rosa olha ele nos olhos.

Claude desce do carro e dá a volta abrindo a porta para Rosa, ele sente ela pegar no braço dele enquanto sobem as escadas. Assim que entram na casa dão de cara com dona Amália e seu Giovanni na sala.

* Boa noite mãe, pai, eu trouxe o Claude aqui...para conhecer vocês. - Rosa estava com medo do que o velho Giovanni poderia dizer.

* Boa noite senhor e senhora Petronni! - Claude estava apavorado, a mãe da Rosa parecia muito gentil, mas o pai de Rosa lhe dava calafrios.

* Então doutore, Rosa nos contou o que fizeram, eu no gostei nem um pouco. - Giovanni olha para Claude.

* Seu Giovanni, eu...- antes que Claude pudesse falar mais, foi interrompido por Giovanni.

* Doutore, eu vou ser bem direto com o senhore, vocês no são casados de verdade e por mim essa casamento era cancelado! Mas como vocês eston namorando, eu vou lhe dá uma chance de fazer as coisas certas. - Giovanni foi bem objetivo.

* Papai.. - Serafina não sabia o que dizer.

* Aaah o ser vai vim para a festitalia no? - Giovanni pergunta antes de sair da sala.

* Festitalia? - Claude pergunta para Rosa.

* Eu te explico depois, só diz que sim. - Rosa sussurrou para Claude.

* Our, eu venho sim! - Claude força um sorriso.

Claude observa Giovanni ir para seu quarto, ele se despede de dona Amália que, como sempre, foi muito gentil. Rosa desce com Claude pelas escadas e o acompanha até o portão do casarão.

* Rosa, me desculpe por hoje, eu non deveria ter dito aquelas coisas na casa de Roberta. - Depois de Claude ver aonde Rosa morava e conhecer seus pais, ele percebeu que ela tinha e seguia uma coisa que ele não percebia a muito tempo: princípios.

* Apesar das suas atitudes de hoje, eu me divertir muito na casa de Roberta. - Rosa sorrir de lado e percebe algumas vizinhas ao fundo do casarão olhando eles.

* Rosa, o que é Festitalia? - Claude pergunta.

* É uma festa tradicional que o bairro faz todo ano, onde tem comidas, bebidas, danças típicas da Itália, meus pais são pioneiros da festa à muitos anos. - Rosa sorrir.

* E..Eu tenho que vim? - Claude pergunta.

* Sim, para todos os efeitos aqui, nos somos namorados e a festitalia uma tradição, vai ser daqui uns três dias. - Rosa fala baixo.

* Décor, bom...Eu vou indo. - Claude

* Espera, espera, me dá um beijo, tem gente olhando. - Rosa espera ele se aproxima.

Claude engole seco e se aproxima de Rosa, ele foi em direção a bochecha dela, mas ela se virou e chocou sua boca na dele, por um segundo tudo aquele dia turbulento foi esquecido, e quando seus lábios se separaram Rosa disse bem baixinho que tinha que ser na boca, deixando Claude totalmente desconcertado.

...

Os três dias se passaram, nesses dias Rosa frequentou a casa de Roberta novamente, ela e Alaba gostaram muito de Rosa, e Sérgio também estava por lá, Roberta e ele se aproximaram muito. As brigas de Rosa e Claude continuavam com todo o gás. Nara descobriu o casamento de Claude por causa de uns papéis que Ninica achou com Freitas e saiu contando para todos, então ela resolveu ficar ligando de forma anônima para os americanos, dizendo que o casamento de Claude e Rosa era por interesse. Estavam todos (Claude, Frazão,Rosa, Sérgio e Alaba) na casa de Roberta.

* Mrs Smith me ligou hoje e disse que chega amanhã. - Claude fala preocupado.

* Os preparativos para a recepção estão prontos, agora que o casal Smith confirmou que chega amanhã, vou só confirma com os convidados a recepção para daqui uns 2 dias. - Frazão.

* Nossa, só de lembra dessa recepção me dá um nervoso. - Rosa olha para todos na sala.

* Fiquei tranqüila que non vai ser nada demais, o importante é convencer o casal Smith. - Claude.

* Nossa Claude, é a primeira vez em dias que te escuto dizer algo que não seja reclamações! - Frazão dá uma risadinha.

* Rã rã rã muito engraçado...- Claude debocha.

* Doutor Claude eu preciso ir pra casa agora, tenho que me arrumar para a festa, o senhor já tá arrumado, mas eu não! - Rosa olha para Claude e depois olha para ela mesma.

* Ô Rosa, se arruma aqui, pode pegar um dos meus vestidos e para de chamar ele de doutor ele é seu marido! - Roberta.

* Que isso Roberta, eu não quero abusar da sua hospitalidade! - Rosa.

* Roberta sorrir - Que abusar oque?! Toma um banho, se arruma, fica a vontade Rosa, nós todos vamos sair do quarto e te esperar lá na varanda, tá bom. - Roberta se levanta e logo todos os outros se levantam e saem também.

Mais ou menos uma hora depois rosa aparece na varanda, ela estava linda em um vestido longo verde, com um caimento de um ombro só, o vestido tinha uma fenda na frente, o que no andar de Rosa dava para ver uma de suas lindas pernas, o cabelo meio solto com uma franja muito charmosa. Era quase impossível não olhar aquela mulher andando.


* Rosa, você tá linda demais! - Alaba e outros na varanda estavam de boca meio aberta.

* Obrigada Alaba - Rosa sorrir.

* Nossa rosa, você tá linda! Essa festa que vocês vão é o quê? - Roberta.

* É uma festa para comemorar e relembrar as tradições italianas, por isso escolhi o vesrido verde. - Rosa diz orgulhosa.

* Vamos enton? - Claude sorrir de lado, ele estava abismado como Rosa conseguirá ficar cada vez mais bonita.

* Vamos sim..aah Sérgio você vai? - ela olha para ele.

* Só no final da festa! Divirtam-se! Aproveitem os vinhos! - Sérgio sorrir e ver Rosa se distanciar com Claude.

* Vinhos é? - Frazão sorrir malicioso.

* O que não falta em uma boa festa italiana são vinhos. - Sérgio.

...

A festa acontecia no casarão, a decoração estava linda, tudo nas cores da Itália (verde,branco e vermelho), às luzes penduradas, as várias barracas de comidas e bebidas, no pátio maior estavam os músicos e muita gente dançando. Claude percebeu que tudo era muito simples, mas muito bonito, a alegria das pessoas era radiante, ele e Serafina entraram no pátio de mais dadas, indo direto para os pais de Rosa estavam.

* Olá, boa noite - Claude cumprimenta os pais de Rosa e alguns vizinhos que estavam por perto.

* Buona notte doutore, a festa é simples, mas é de coração. - Amália sorrir.

* Eu tô percebendo, está tudo mundo bonito. - Claude devolveu o sorriso para dona Amália.

* Aqui doutore, toma um copo de vinho. - Giovanni estende uma taça cheia de vinho.

* Ah merci. - Claude começou a beber sua taça quando percebeu Rosa calada - algum problema?

* Não, eu tô com fome, vamos procurar algo para comer?! - Rosa pega no braço de Claude que terminava sua taça.

Serafina e Claude andaram por várias barracas de comidas e bebidas, Claude já estava na sua quarta taça de vinho, enquanto Rosa parou na segunda. Eles estavam admirando um grupo de pessoas, dançando uma música tradicional da Itália, quando sua mãe chegou perto.


* Filha, vou levar seu pai para dormi, ele já bebeu todos os vinhos possíveis - ela sorrir - E o senhor doutore, vai dormi aqui em casa! Vou deixar a cama arrumada!

* Que issi? Non precisa, eu pego um táxi. - Claude sabia que já tinha bebido demais para dirigir.

* No, já é muito tarde doutore, e tem uma cama sobrando no quarto de Rosa - a cama que era de Terezinha.

Dona Amália leva seu Giovanni para dormir, enquanto isso Rosa dá um pouco de água para Claude.

* Você não se importa de dormir aqui? Por que se você não quiser...- Rosa foi interrompida.

* Eu durmo sim! Non tem problema! Você... quer dançar? - ele sorrir.

* Você deve está bêbado mesmo! - ela sorrir para ele.

* Nem tanto, sei exatamente o que esto fazendo hã! - Claude estava se sentindo bem, feliz e cuidado.

Os dois dançaram e trocaram tantos sorrisos e olhares que mal poderiam contar, aquilo parecia mais uma fantasia, mas não era, era real, mas Claude percebeu que o olhar de Rosa ficou triste de repente.

* Qual o problema? - Claude.

* Quando eu penso que essa é última vez que essa festa vai ser feita aqui, meu coração até aperta! Eu cresci aqui, e agora isso tudo vai ser destruído...- Rosa olha para o lado.

* Non tem outro jeito non do dono daqui mudar de ideia?

* Ele pediu um milhão! - Rosa.

* Por que non pediu esse dinheiro Rosa? Eu poderia ter te dado esse dinheiro pelo casamento - por um milagre Claude não espirrou.

* Como eu ia explicar para essa pessoas como conseguir o dinheiro para comprar o casarão? Isso vai contra tudo que meus pais acreditam, tudo que eles me ensinaram. - rosa olha nos olhos de claude.

Serafina leva Claude para sua casa, lhe dá roupas limpas e vai para a cozinha preparar algo para ele comer. Alguns minutos depois ela volta ao quarto e encontra Claude em sua cama.

* Claude ver Rosa com segurando um prato com sopa - Acho que bebi demais!

* Rosa sorrir e se aproxima dele, sentando ao seu lado na cama - tá tudo bem, todo mundo bebe bastante na festitalia, é uma tradição!

* Você quase non bebeu vinho. - Claude afirma.

* Eu percebi que você tava gostando do vinho e parei pra..cuidar de você se...precisa-se. - Rosa desviou o olhar e mudou de assunto - Essa sopa é pra você, pode tomar é deixa aí na minha mesinha!

* Essa cama é sua? Quer que eu saia? - Claude começa a comer.

* Não, não precisa! - Rosa olha nos olhos dele e se deita na casa que era de Terezinha.

* Buona notte Serafina! - Claude sorrir.

* Buona notte Claude! - ela sorrir de volta.



Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...