1. Spirit Fanfics >
  2. Amor e odeio >
  3. A recepção

História Amor e odeio - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada pelos comentários ❤
Boa leitura!

Capítulo 8 - A recepção


Fanfic / Fanfiction Amor e odeio - Capítulo 8 - A recepção

Na manhã de sábado, Claude acordou cedo, tinha que ir em casa e depois buscar o casal Smith no aeroporto, ele trocou de roupa em outro quarto e tomou café com dona Amália, pois seu Giovanni ficou até mais tarde na cama depois de ontem, enquanto Rosa tinha acabado de acorda.

* Bom dia, nossa eu dormi demais! - Rosa não fazia ideia que horas eram, mas pela fama de Claude odiar acorda cedo lhe deu a impressão de ser tarde.

* Bonjur, na verdade eu acordei cedo! Tenho que buscar os americanos no aeroporto, Rosa, eu acho que eles vão querer ir lá em casa hoje, eu vou mandar meu motorista vim te buscar mais tarde. - Claude estava acabando seu café.

* Tudo bem, eu vou esperar então! - Rosa olha para ele.

* bem, eu vou indo... - Claude se despede de dona Amália, e é acompanhado por Rosa até a porta.

* Até mais tarde - Rosa dá um leve sorriso.

* Até... - Claude lhe dá um beijo na bochecha, ele estava se sentindo diferente, mas ele não sabia o que era.

Claude foi para sua casa trocar de roupa, e avisar sua governanta (Dadi) que ele estava vivo, pois ela já tinha lhe ligado umas cinquenta vezes, Dadi o conhecia há muitos anos. Depois foi buscou o casal Smith, que lhes fizeram várias perguntas, inclusive por que Rosa não estava com ele, e Claude para se livrar, disse que Rosa tinha passado a noite na casa de sua mãe por conta da festa do bairro, ele levou o casal para o mesmo hotel que Mrs Smith ficou a primeira vez.

...

O motorista de Claude veio buscá-la no final da tarde, Rosa se arrumou e foi para a casa de Claude. Chegando lá o fraces à recebeu, e Frazão também estava.

* Olá Rosa - Frazão lhe cumprimenta.

* Oi doutor Frazão. - ela sorrir.

* Os americanos ainda não chegaram? - Rosa.

* Non, ainda non, pensei que eles viriam..- Claude estava preocupado.

* Mas eles firmaram que viriam? - Rosa

* Non, non confirmaram, bom, vamos esperar non, senta Rosa!

Claude apresentou Rosa à Dadi e os quatro ficaram conversando, até que os americanos apareceram, todos se cumprimentam, e se sentam para conversar. Rosa e Claude se sentam juntos e tentam demostrar intimidade na frente do casal, afinal, eles precisavam acreditar que esse casamento era de verdade. Frazão lembrou o casal Smith que a recepção era amanhã de noite, e depois que eles foram embora Rosa teve que esperar um tempo até se levantar para ir também.

* Eu preciso ir, já tá tarde! - Rosa olha para Frazão e Claude.

* Eu posso te levar - Claude diz

* deixa que eu levo fraces, amanhã é o grande dia e é melhor você ir descansar! - Frazão ver Rosa e Claude se despedindo, o que lhe fez dá uma risada discreta dos dois.

...

No outro dia, Rosa foi de tarde para a casa de Roberta para se arrumar lá, ela não poderia esconder seu nervosismo, todas pessoas importantes estariam naquele lugar. Então chegou o momento, rosa apareceu nas escadas com Claude, usando um vestido vermelho longo de seda, com certeza era a mulher mais linda daquele lugar. Serafina que foi apresentada como madame geraldy cumprimentou quase todos os convidados, só faltava as amigas de Nara e ela própria, coisa que Rosa estava respirando fundo para fazer com tranquilidade. 


Na recepção Rosa falou até com alguns jornalistas e escritores, e deixou todos encantados, ela realmente adorava ler, e com o que Roberta lhe ensinou, soube conquistar todos. Até que, Ninica, Alzira e Herci resolveram falar com Rosa, na verdade estavam provocando ela, o pai de Nara ofereceu um bom dinheiro para as peruas conseguir fazer Rosa sair do sério, mas não conseguiram, Sérgio percebeu e logo usou o "pé de pato", fez o garçom derrubar champanhe no vestido delas, que logo saíram de perto de Rosa.

* O que aconteceu aqui? - Claude.

* Nada demais Claude, um garçom derrubou champanhe..- Roberta ria da situação.

Rosa estava sentada, e Sérgio sentou do seu lado por um instante, enquanto Claude estava atrás da cadeira que Roberta estava sentada, Alaba e Frazão estavam de pé do lado de Sérgio.

* Sérgio, sua gravata tá toda torta, vem cá, deixa eu arrumar! Você tá tão bonitinho de terno! - Rosa leva as mãos a gravata de Sérgio.

Todos percebem a cara de nervoso que Claude fez, extremamente incomodado com aquilo.

* Ouou vocês dois, dá pra vocês dois pararem?! Rosa, você é minha esposa! Non pega bem você...você sabe! - Claude estava tentando justificar seu incômodo.


* Aaah Claude, nada à ver! - Frazão rir do amigo.

Alguns minutos depois, Claude percebe Rosa conversando sozinha com a senhora Smith, o que lhe deixou muito curioso, afinal ele nem sabia ainda o por que e como eles eram tão íntimos assim. Então depois que Rosa saiu de perto da americana ele à levou até a cozinha.


* Posso saber o que você estava falando com a americana sozinha? - Claude estava estressado.

* Eu...eu contei a verdade para ela! - Rosa que estava de frente para Claude dá alguns passos passando ele, mas é surpreendida com Claude segurando seu cotovelo.

O casal Smith apareceu bem na hora com Nara e Egídio, pela cara do Claude, aquela não era uma cena nada agradável, pois parecia uma discussão, na verdade era, mas os Smith não deveriam pensar isso, então Rosa virou o braço e agarrou Claude pela nuca.

* Meu amor, mais que ímpeto...huuum.. - Rosa beijou Claude e depois se separou o suficiente para sussurrar - me beija, os americanos estão olhando!

Claude fez o que Rosa falou, e não poderia dá qualquer beijo, eles deveriam pensar que são um casa apaixonada, mas por mais que Claude nega-se a si mesmo, o beijo foi simplesmente perfeito! A boca de Rosa se encaixava de um jeito intenso. Rosa se separou dele sorrindo e fingindo surpresa, os americanos se desculparam por interromper e Nara furiosa saiu dali com seu pai.

* Por que fez isso hã? - Claude perguntou.

* Para não gora o seu negócio! - rosa.

* Meu negócio já tá gorado, você contou a verdade! - Claude

* Eu contei parte da verdade! - rosa

* Enton o que você falou? - Claude finge um carinho no cabelo de rosa.

* Eu disse oque não dava para fingir, que eu tive aulas de etiqueta e bons modos com a Roberta e a Alaba, que eu estava fazendo isso para você não passar nenhuma vergonha! Que eu estava apaixonada por você!

* E ela? - Claude estava mais calmo e percebendo a besteira que fez.

* Ela acreditou né! Agora me deixa voltar pra lá..- Rosa estava visivelmente chateada.

* Ei..me desculpa! - Claude segura ela.

* No momento suas desculpas estão ofendendo mais que à ofensa! Vamos voltar pra lá! - Rosa.

A recepção estava acabando, Claude e Rosa se despediram de todos os convidados, só faltava o casal Smith. Depois de cumprimenta-los Elizabeth soltou a bomba que ninguém esperava, ela decidiu ficar por mais aproximadamente dois meses no Brasil, a americana estava muito desconfiada do casamento dos dois, recebeu várias ligações, emails dizendo que estavam mentindo.

O fraces e a Italianinha fingiram bem está felizes com a notícia, quando por dentro estavam quase pirando. Depois que tudo acabou Claude fez questão de levar Rosa em casa, enquanto isso Sérgio saiu com Roberta e Alaba, e Frazão estava no carro esperando o amigo.

* Obrigada por me trazer até aqui perto das escadas, mas eu preciso ir! - Rosa.

* Rosa...me desculpe! Eu agir muito mal, tava nervoso, não fui nada gentil com você, eu não percebi que você fez aquilo só para me ajudar. - Claude estava arrependido de como tinha agido.

* Quando você me pegou daquele jeito eu fiquei furiosa, sorte sua que os americanos chegaram! - ela deixa escapar um sorriso - mas o resto, o resto eu não liguei não!

* Sorte minha mesmo! Enton eu tô perdoado..Tô sim! Hã! - ele também sorrir - me desculpe mais uma vez!

* Rosa faz um sinal positivo com a cabeça - bem , eu...preciso ir!

* Our, vai descansar! - ele sorrir.

* Boa noite então - Rosa lhe estende a mão.

* Claude pega sua mão e beija divagar, depois se aproxima e beija sua bochecha - Boa noite Serafina!

Rosa sentiu um arrepiou tanto grande, aproximedade de Claude causava esse efeito, nele não era diferente, ela deixava ele nervoso, desconcertado, e ela não saia de seu pensamento, tanto que sonhou com Rosa.

No outro dia, Claude contou o sonho pra o amigo.

* Frazon, eu sonhei com Rosa, sonhei que a gente se beijava. - Claude.

* Frazão rir - tá na cara Claude! Você tá gostando da Rosa!

* Tá louco Frazon? Isso é algo que nunca vai acontecer! Nunca!

* Claude, você ta apaixonado! - Frazão.

* Claro que non! - Claude.

...

Dois dias depois da recepção se passaram, e Rosa foi buscada pelo motorista de Claude para ir na casa dele. Chegando lá ela só encontrou Claude no seu apartamento.

* Aconteceu alguma coisa? - Rosa

* Non, non eu pedi que fosse te buscar...por que...bem, eu fui almoçar em um restaurante hoje e pensei em você..- Claude estava desconcertado.

* Pensou em mim? - Rosa estava surpresa, como assim ele tava pensando nela?

* Sim...eu comprei isso! - Claude tira de traz dele uma caixa de bombons. - como hoje é dia dos namorados, eu comprei esse bombons pra você.

* Eu..eu não comprei nada pra você por que..- Rosa foi interrompida por Claude.

* Tá tudo bem! - Claude sorrir e acontece uma troca intensa de olhares.

Claude viu Rosa se sentar, abrir a caixa e dividir um bombom com ele, aquela aproximedade com Rosa era muito surreal, a mulher mais lhe tira do sério, era a mesma que o deixa hipnotizado, e isso para claude era assustador, suas barreiras pareciam ruir com ela por perto, como se ela fosse literalmente seu ponto fraco. Aquele clima entre Rosa e Claude foi interrompido pelo som da campainha.




Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...