1. Spirit Fanfics >
  2. Amor e Ódio >
  3. Nono Capítulo

História Amor e Ódio - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Nono Capítulo


-MA MA! - Miguel gritava enquanto chorava, Camila tinha feito Gregory ficar vigiando o menino, que estava no chão rolando em um paninho fofo enquanto ela ia se arrumar. A mansão estava abrindo as prontas para Michel e o resto de sua família, que incluía Lauren, Gregory "inventou" um jantar para pedir Camila em casamento, a latina não sabia de nada ainda e nem ninguém, apenas ele e seus pais. O pequenino se mexia nos braços de Gregory, tentando sair, ele já estava arrumado, com uma bermuda jeans e uma blusinha vermelha, bem fofo, mas chorão por não estar nos braços da mãe.

- Parece que Alex tinha razão, Camila está criando esse menino de uma forma errada. - Gregory resmungou raivoso, estava irritado com o som de choro do bebê.

- Isso ou ele te odeia e eu aposto na segunda opção. - Lauren disse, entrando na casa com um sorriso convencido. A mulher pegou Miguel nos braços. - Esse mosntro feio está fazendo o que com você, meu bebê? - Lauren afinou a voz para falar com a criança, Gregory olhava aquilo e revirava os olhos. Luis aos poucos se calava e fez um biquinho de choro que Lauren achou adorável. - Oh amor, eu já peguei, não precisa chorar, você não tem culpa de odiar o Gregory. - O rapaz cruzou os braços e Miguel parou de chorar e fez um movimento com os lábios e um som proposital como se estivesse soltando um beijo para Lauren, a mulher gargalhou.

- Ele aprendeu isso recentemente. - Lauren sentiu seu coração acelerar ao escutar a voz de Camila e Miguel virou a cabeça em direção a voz de forma rápida, sorrindo alegre ao ver sua mãe.

- Está querendo me conquistar, rapaz? Saiba que temos vinte dois anos de diferença, mas isso não é nada para o amor. - O menino riu da forma que Lauren falou, mas não do que ela disse, pois não entendeu nada.

- Não para o amor, mas talvez um delegado não concorde com isso. - As duas riram e Camila se aproximou deles. Gregory franziu o cenho ao se sentir excluído, era como se ele não existisse, como se Camila, Lauren e Miguel estivessem sozinhos no mundo.

- Viu como ela é ciumenta? Não se preocupe, mamãe, meu amor por seu bebê é puro. - Camila sorriu e beijou o pescoço de Miguel, o fazendo gargalhar.

Gregory observava aquilo um pouco surpreso, Lauren era sempre fria, calculista, grossa e amarga, nunca tinha visto aquele lado da sua prima e é que se conhecem desde que nasceram.

- Não sabia que Lauren gostava tanto assim de crianças. - Gregory comentou, mas ninguém respondeu, estavam ocupadas com o bebê. - É, parece que bebês ganham todas as mulheres. - Revirou os olhos e saiu para avisar a governanta que o jantar se inciaria.

- Veio para um jantar ou para um velório? - Camila questionou a Lauren. A mulher vestia uma calça preta e rasgada nos joelhos e uma blusa preta de uma banda, com uma maquiagem leve.

- No final da noite eu decido. - A mulher deu de ombros, mas se perdeu quando olhou nos olhos castanhos de Camila, as duas se encarecem por três segundos, mas foi o suficiente para deixar as coisas estranhas, Camila sentiu como se Lauren quisesse roubar sua alma.

- Vamos meninas e Lauren, pelo amor, que roupa é essa? Parece que vai para um daqueles shows daquelas bandas de maconheiros. - Clara disse, fazendo Lauren revirar os olhos e Camila gargalhar. - Essa menina tem dois tipos de estilos completamente opostos, isso me dá medo. - Clara comentou brincalhona com Camila, que riu negando com a cabeça, ela gostava desse outro estilo de Lauren.

O jantar iniciou e no meio dele, Gregory levantou, batendo com uma colher na taça para que todos prestassem atenção em si.

- Camila. - O rapaz disse, virando o corpo para encarar sua amada. - Nesse tempo em que estivemos juntos, foram incríveis, senti que você seria minha desde o primeiro dia em que te vi, sou completamente apaixonado por você desde o primeiro beijo e... Estar morando com você, na mesma casa, tem sido uma mistura de sentimentos maravilhosos, é como renascer a cada dia. E é por isso, com cem porcento de certeza e completa convicção que eu, Gregory Amell, peço sua mão em casamento, peço que seja minha para sempre, de corpo e alma. Você aceita? - Lauren escutou tudo sem saber o que estava mais confuso, a vontade de vomitar com aquela declaração ou o desejo que Gregory sumisse, estava achando aquilo tudo uma palhaçada e se soubesse que esse era o intuito de jantar, não teria vindo e aquilo era o mais confuso, porque de repente ficou tão incômodo ver aquele tipo de cena entre os dois? Antes ela só tinha vontade de rir, mas agora... Agora ela sentia ódio de Gregory e o achava ridículo. Aquilo a confundia de uma forma angustiante.

- Eu... Aceito! - Camila disse sorrindo e Lauren lhe lançou um olhar mortal, se perguntando porque ela estava tão feliz, ela realmente amava ele? Claro que amava, Gregory era tudo de bom na visão de qualquer um, ela respirou fundo, sentindo raiva de si mesma por estar tão confusa e sentindo coisas tão... Inéditas e inimagináveis que ela ao menos se permitia chegar a alguma conclusão.

Depois de algum tempo e conversas iditias, Lauren levantou, pedindo licença, não suporta mais aquela gente. A morena foi até o banheiro e se apoiou na pia, soltando um suspiro, sua mente estava nublada de uma confusão triste, trabalhando para achar uma conclusão, mas sempre que chegava perto disso, Lauren interrompia os pensamentos.

Um corpo que ela conhecia muito bem se chocou com o dela por trás e mãos abraçaram seu quadril, Lauren deu uma cotovelada leve, fazendo Gregory se afastar.

- O que é? - Perguntou e cruzou em braços.

- Como o quê? Não é óbvio? - Ele colou novamente seus corpos e começou e distribuir beijos em seu pescoço.

- Pensei que ia ser fiel. - Comentou, querendo afastá-lo.

- Eu já não suporto! Eu tentei. Tentei. Mas Camila não facilita, ela não libera, quer esperar e eu não consigo, agora estou pensando só com à cabeça de baixo, provavelmente vou me arrepender depois quando o sangue voltar a circular no cérebro. - Lauren revirou os olhos e o empurrou para longe.

- Pois vá se arrepender na cama de outra, eu já não sinto nada por você. - Lauren disse, deixando Gregory chocado, em todos esses anos, Lauren nunca o recursou. - Sugiro que deite de cabeça para baixo hoje para ver se o sangue volta a circular na cabeça certa, porque... Nunca pensei em admitir isso, mas Camila não merece o que você faz, se fosse-- - Ela parou imediatamente de falar quando percebeu a burrada que ia dizer. "Se fosse eu", como assim estava se colocando no lugar dele? Lauren se perguntava, chocada. Ela balançou a cabeça em negativo e saiu do banheiro.

Lauren andava atordoada pelos corredores, até que parou quando viu uma porta entreaberta. Ela sabia que aquele era o quarto de Camila e Miguel, decidiu entrar para ver o bebê, Camila comentou que iria colocá-lo para dormir em algum momento. Ela entrou cuidadosamente e fechou a porta, quase parou de respirar ao ver Camila de lado na cama, dormindo. O maior desejo de Lauren nesse momento era ter sua câmera em mãos e poder eternizar aquela cena perfeita que ficaria cravada em sua memória para sempre. Lauren se aproximou da cama vagarosamente, olhando de relance para o berço e percebendo que Miguel estava com os olhos abertos, ocupado com o mordedor.

- Parece que você quem colocou sua mãe para dormir. - Lauren sussurrou, sorrindo e voltando a ficar séria ao olhar Camila em um sono profundo na cama, a latina suspirou profundamente e Lauren amou o som. Como é possível alguém gostar de ouvir um som de uma respiração? Lauren se perguntou.

Se possível Lauren desejou que o mundo parasse, desejou que pudesse ficar olhando aquela cena por horas e horas seguidas, era a coisa mais linda que tinha visto em sua miserável vida. Lauren mordeu o lábio inferior, sentindo uma confusão arrebatadora invadir sua mente. O que era aquilo que sentia? Perguntava a si mesma. Ali, naquele quarto, olhando todo o corpo de Camila e se fixando em seu rosto adormecido, era como se tudo fizesse sentido. Como se todas as perguntas do mundo tivessem sido respondidas para ela. Como se nada mais importasse, nada mais tinha valor.

Era assustadoramente bom. Lauren saiu daquele quarto e foi para casa decidindo esquecer aquilo, mas ao mesmo tempo não conseguindo deixar de se fazer uma pergunta. Uma pergunta que ela não sabia se queria resposta, não sabia se conseguiria lidar com a resposta e por enquanto ela preferiu ficar com a ignorância quanto ao que estava acontecendo dentro de si.

...

Passou-se um mês desde que Camila e Luis viram Lauren. Camila se pegou sentindo uma pitada de saudade da morena de olhos verdes, as vezes ela conversava sobre isso com Luis e o menininha a olhava como se estivesse entendendo tudo. Luis tinha feito seis meses e seus dentinhos estavam nascendo, o que era um problema, Miguel queria morder tudo, até a própria Camila.

Era frustrante não ter ninguém para compartilhar aquilo, Gregory não se mostrava interessado, então Camila não falava muito sobre o filho, já Lauren havia sumido do mapa. Camila não tinha estágio hoje e por consequência estava sozinha e entediada na grande mansão. Ela estava circulando pela mesma com Luis um pouco estressado nos braços, ele se sentia irritado pela coceira nos dentes. Camila logo notou algo que não tinha ali antes, um quadro enorme com uma foto das duas famílias que na verdade eram uma só, a primeira a ser reconhecida pela latina foi Lauren, ela sorria de forma falsa para o retrato, o que fez Camila rir um pouco.

- Lo! - Camila olhou assustada para Luis. Que apontava para o quadro na parede. Já era de se esperar, pois toda as vezes que os dois estavam sozinhos Camila disparava a falar de Lauren, as vezes um pouco com raiva do seu sumiso, as vezes sentindo falta e parece que Luis estava realmente prestando atenção.

- Eu fiquei realmente assustada agora, amor, e se você fizer de novo vou ser obrigada a te levar para ver a Lauren. - Camila disse e Luis prestou atenção novamente no último nome que sua mãe tinha dito.

- Lo! - Camila riu.

- Certo, vamos lá. - A latina ligou para Gregory, perguntando onde Lauren estava, recebendo a informação de que Lauren já tinha ido para casa. Camila pegou um táxi até lá.

Lauren abriu a porta e ficou chocada com quem estava a sua espera, ela ficou sem jeito e seu coração disparou assim que seus olhos se conectaram com os castanhos de Camila.

- Alguém queria te ver e até aprendeu chamar por você. Agradeça a esse milagre e não suma mais. - Camila disparou a falar e entrou na casa, Lauren franziu o cenho com um sorriso no rosto. Olhou para Miguel que pulava feliz nos braços da mãe enquanto tinha sua atenção direcionada para Lauren, que o pegou no colo.

- Boa tarde também. - Elas riram e Lauren abraçou Miguel, depositando um beijo em seu rosto.

- Vamos, filho, diga a ela, não me faça passar por mentirosa. - Camila disse, mas o menino continuou calado. - Que grande filho de uma égua. - Lauren arregalou os olhos. - Nem vem, eu estou me xingando.

- Sério? Pensei que estivesse xingando a égua. - Camila deu um tapa no braço de Lauren e as duas riram.

As duas ficaram conversando por longos minutos sobre o desenvolvimento de Luis e Lauren percebeu que Camila adorava falar sobre isso e também percebeu que ela adorava escutar sobre isso.

- A a a. - O bebê cantarolou. Camila e Lauren estavam sentadas no sofá da casa de olhos verdes. - Hum, hum, hum. - Fez novamente.

Camila ia dizer que iriam embora, pois aquilo significava que Luis queria dormir, mas calou-se quando viu Lauren deitando a cabeça de Luis em seu ombro e o ninando para que ele dormisse.






























Notas Finais


Eita q L gamou mesmo, será q Camila corresponde?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...