1. Spirit Fanfics >
  2. Amor E outras drogas (Sasunaru) (Narusasu) >
  3. Pedido de namoro

História Amor E outras drogas (Sasunaru) (Narusasu) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Contém cenas de sexo! 🔞

Capítulo 9 - Pedido de namoro


Fanfic / Fanfiction Amor E outras drogas (Sasunaru) (Narusasu) - Capítulo 9 - Pedido de namoro

Deidara

Acordei com a claridade que estava vindo da varanda do quarto de Itachi, sentei rápido na cama olhando pelo quarto mas ele não estava aqui, ufa.

- Ai meu deus do céu – eu me levantei da cama em um pulo.

Calma, eu estava na festa, bebendo com Gaara e...Como eu vim parar no quarto do Itachi? Ai meu deus, será que ele matou Gaara? Mas..

- Oi. – me virei em um pulo para trás vendo Itachi na porta do quarto.

- Como eu vim parar aqui?

- Eu trouxe você.

- Você.. matou Gaara?

- Não. Tenho motivo?

- Ah - suspirei.

- Naruto e Sasuke depois de terem fodido no banheiro apa..

- Eles transaram no banheiro da boate? – interrompir ele.

- Sim, como eu estava dizendo, quando eles terminaram a foda deles, Naruto me pediu para te trazer pra casa.

- E você cuidou de mim?

- Eu sempre cuido de você, mas ainda não decidir se isso é bom ou não.

- Puff.

- Você vomitou todo meu carro e o meu banheiro – ele apontou – Além de que me deu um trabalho fodido porque não queria tomar banho ou tomar remédio pra ressaca.

- Foi mal.

- Vou tomar um banho – ele disse tirando a camisa e indo até o banheiro.

- Quer companhia?

Ele se virou, olhou pra mim e sorriu. Safado.

♧♧

Itachi

- Caralho! – Deidara gemeu alto, debruçando sobre o chão do banheiro enquanto eu me movia com força, o fodendo por trás. Ele espalmou a parede, segurando na borda da banheira e jogando a cabeça para trás. Arfei, apertando as mãos nos seus quadris e sentindo a agua do chuveiro ainda caindo em minhas costas. Ele jogou os quadris para trás e eu gemi rouco, jogando a cabeça para trás e sentindo ele se contraindo ao redor do meu pau com força.

- Você é tão...porra, tão gostoso! – falei, ouvindo-o gemer. Apertei com as duas mãos as suas nádegas e as separei, para ver sua entrada acomodando o meu pau e se alargando. Arfei, lambendo os lábios.

Ele olhou pra mim por cima dos ombros e eu segurei no seu braço, o puxando para se ajoelhar. As suas costas arquearam e ele segurou nos cabelos da minha nuca. Deslizei os lábios pelo seu ombro, lhe dando chupões e ele gemeu. A minha outra mão foi para frente de seu corpo, segurando na sua ereção e masturbando.

- Porra! Porra! – ele arfou, gozando e eu arfei também quando ouvi ele choramingar.

- Você fica tão vulgar assim loirinho – sussurrei na sua orelha e ele sorriu.

- É? Então você deveria me foder mais – Deidara disse, olhando para mim pelo canto dos olhos. Sorri safado, tirando meu membro de sua entrada.

- Se vire – falei baixo, o vendo virar de frente para mim. Agarrei suas coxas e ele abraçou o meu pescoço – Vou te foder tanto que você nem vai se levantar depois – murmurei sobre seus lábios.

- É? – ele me questionou e lambeu o meu lábio inferior – Eu quero. – rosnei, voltando a o penetrar e ouvindo quando ele gemeu surpreso. Segurei na sua cintura o forçando pra baixo enquanto jogava os quadris para cima, apertei as suas nádegas e arfei, perdendo o controle das estocadas. Deidara gravou as unhas no meu ombro. – Itachi! Ah! Meu Deus!

- Não era oque você queria? – falei em um rosnado – Está se contraindo tanto. Quero te foder todo – deslizei uma mãos pelas suas costas, forçando meu dedo do meio junto ao meu pau e ele gritou, apertando os braços no meu pescoço. Olhei para o seu rosto, vendo o revirar os olhos e sussurrar um “fode” mudo.

Sorri. Vulgar, ele era vulgar e pornográfico. Mordi o lábio inferior e vi quando a sua testa encostou no meu ombro. Deidara passou a rebolar no meu colo, estava cm tanto tesão que seu corpo estava quente e tremulo. As pernas dele prenderam na minha cintura e uma das suas mãos agarrou os cabelos molhados da sua nuca. Ele levantou o rosto, me beijando e arfou sobre os meus lábios. Coloquei a língua dentro da sua boca, chupando a sua e ouvindo quando ele gemeu abafado sobre o beijo.

Engoli em seco, segurando na suas nádegas e ele pulou no meu colo. Eu gemi rouco, engolindo em seco e sentindo o meu abdômen se contrair.

- Itachi – ele gemeu, jogando a cabeça para trás.

Ele dava gritinhos altos, as pernas prendendo nos meus quadris com mais força e eu me movi novamente. As costas dele bateram na parede e eu segurei na sua nuca, o protegendo para que não batesse na parede. Ele impulsionou os quadris para frente e a sua ereção se esfregava nos nossos abdomens. Soltei seu lábio e ele olhou nos meus olhos, as pupilas estavam dilatadas de tesão. Ele apertou os meus cabelos e arranhou as minhas costas, seus lábios tocando os meus.

- Goze. Goza enquanto me fode – ele sussurrou.

Arfei gemendo e encostei a testa no seu ombro, gozando. Ele gemeu em agrado, apertando as coxas em minha cintura e gozou nos nossos abdomes. Suspirei, fechando os olhos e sentindo-o se contrair sobre o meu pau sensível. Deidara me abraçou apertado e eu fiz o mesmo enquanto ficávamos parados. Puxei o ar com força.

Deidara

- Loirinho?

- Hum..

- Fica comigo?

- Eu já estou com você – sorri.

- Eu te quero só pra mim – ele disse baixo e eu me afastei para olhar para ele, mas ele ainda estava dentro de mim.

- Isso é sério?

- Sim.

- Pensei que não quisesse se amarrar – levantei a sobrancelha.

- Eu quero se for com você, eu sou completamente louco por você. Sabe disso. – ele se afastou e saiu de dentro de mim.

- wow.

- Loirinho – ele me chamou depois de um tempo nos dois em silêncio – Tem um lugar no seu coração, onde ninguém esteve? Me leve até lá e me deixe ficar?

Ele olhou pra mim com seus olhos negros e meu coração acelerou de uma forma inexplicável, fazia tempo que eu não me sentia tão sentimental assim, parecia que eu ia explodir. Fodido, estou completamente fodido.

- Não tem uma parte de mim que você não já esteja Itachi, meu corpo, meu coração, tudo.

- Isso é um “sim”?

- Sim – sorri.

- Então, agora eu posso dizer que o loirinho é meu? – ele ficou por cima de mim e sorriu.

- Se você me trair eu te mato – apontei o dedo pra ele.

- Sei que sim – ele riu e beijou minha testa.

É, somos mais uma das criaturas atordoadas pelo amor.


Notas Finais


💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...