História Amor e Paixão no Caribe - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 31
Palavras 4.887
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIe gente voltei, mas um cap pronto.
Esses são os outros personagens da historia.
Boa leitura.

Capítulo 3 - Dois


Fanfic / Fanfiction Amor e Paixão no Caribe - Capítulo 3 - Dois

Olhando para o enorme navio ancorado no porto de Miami, Tamara sentiu medo.
– Caralho! – Lívia exclamou tirando os óculos escuros.
– Modos Lívia! – Viviana reclamou a irmã caçula que deu de ombros.
– Tudo bem? – Mallu chegou perto da amiga sabendo que ela estava com medo.

            Tamara assentiu inspirando fundo. A viagem de avião até que tinha sido tranquila, apesar de ela sentir um medo aterrador desde que tinha colocado o pé pra fora de casa. Ainda tinha discutido com o pai antes de viajar só pra melhorar. 
– Qualquer coisa você me fala ta. – Mallu disse dando um beijo na amiga e foi para o taxi ajudar a pegar as malas. Foram necessários dois taxis para trazer as cinco garotas e toda a bagagem delas. Tamara colocou os óculos escuros e ajeitou a bolsa transversal ainda olhando para o enorme navio.

            As meninas conversavam com os motoristas e discutiam entre si, principalmente as irmãs Viviana e Lívia.
– Viviana você é insuportável!
– Lívia você se comporta, é sério.
– Me erra, sai do meu pé!
– Lívia! Lívia! – ela ainda gritou, mas a irmã deu as costas indo tirar selfies com o celular.
– Viviana calma. – Mallu chegou perto da amiga. – Deixa à menina, a gente veio pra se divertir.
– Foi uma péssima ideia ter trazido ela.

            Mallu deu de ombros e voltou pra perto de Tamara.

            Foi anunciado que o navio iria partir dentro de quinze minutos. Carregadores levaram as malas pra dentro da embarcação e as amigas subiram a bordo.

            Tamara sentiu um arrepio enquanto subia a escada e entrava no navio.
– Tudo bem amiga? – Mallu perguntou preocupada sentindo a amiga ficar gelada.

            Tammy assentiu dando um pequeno sorriso, mas agradecendo os óculos escuros que escondiam os olhos assustados. Em grupo, elas se dirigiram as suas cabines que eram uma ao lado da outra e com uma porta de ligação interna. Anna Laura e Lívia eram as mais animadas.
– Tudo bem? – Mallu perguntou vendo a amiga deitar na cama.
– Sim... Eu só preciso deitar um pouco.
– Ta, eu vou ver as meninas.

            Mallu foi até a cabine ao lado onde Anna Laura, Viviana e Lívia ficaram.  
– Como ela ta? – a loira perguntou ao ver a amiga entrar.
– Aparentemente bem, ta deitada, ela até que se controlou bem, nem deu pra perceber que tava assustada.
– Porque ela ficou assim? Desse jeito? – Lívia perguntou mexendo na mala.
– Homem. – Anna Laura respondeu também mexendo na mala dela.
– Nossa!
– É isso que eu falo pra você Lívia, tomar cuidado com quem se aproxima de você.  
– Ah Vivi da um tempo! Para de drama.

            Viviana rolou os olhos e decidiu deixar pra lá.
– Então o que vamos fazer? – Mallu questionou sentando na cama.
– Vocês eu não sei, mas eu vou circular por ai, o navio já vai zarpar e eu quero ver quem são os meus colegas passageiros, se é que vocês me entendem. – Anna Laura disse matreira piscando o olho e as outras riram.
– Eu vou com você! – Lívia exclamou animada e recebeu um olhar feio da irmã.

            Mallu também percebeu e mandou um olhar para a amiga. Viviana entendeu e foi atrás dela.
– Vivi deixa de paranóia. – Mallu disse fechando a porta. – Deixa a menina se divertir.
– Ela é imatura Mallu, vai arranjar problemas. – as duas falavam baixo.
– Amiga isso aqui é um navio, estamos em um cruzeiro, você não vai conseguir trancar a Lívia na cabine.

            Viviana inspirou fundo.
– Tenta manter a calma ta, deixa ela se divertir, Anna Laura é louca, mas não vai colocá-la em uma enrascada.          
– Ta, eu vou tentar.

            Viviana voltou pra cabine dela e Tammy sentou na cama.
– Ela ta tendo problemas com a irmã?

            Mallu olhou pra amiga.
– Achei que tava dormindo. – sentou ao lado dela. – Eu não diria que são problemas, Vivi é super protetora e não quer deixar a irmã viver por conta própria.

            Tamara ficou quieta, reconhecia um pouco de sua história nos problemas das duas irmãs. 

            O enorme navio La Reina Del Mar deixou o porto de Miami às dezenove horas em direção ao oceano Atlântico. Os passageiros passariam os próximos dois dias em alto mar, a primeira parada seria no porto de Philipsburg, na ilha de St. Maarten.
– Que tal este? – Anna Laura e Lívia se preparavam para a primeira festa no navio, a festa de boas vindas para os novos passageiros.

            A caçula aprovou com entusiasmo o vestido vermelho brilhante que a outra exibia em sua frente.
– Vai ficar gata! Eu não sei o que vestir Anna, nada parece apropriado.

            Jogando o vestido em cima da cama, Anna, que estava enrolada de toalha, foi até ela.
– Deixe-me ver. – a baixinha revirava a mala da garota.

            Viviana saiu do banheiro, sua cabeça girava e um mal estar tomava conta de seu corpo.
– Tudo bem mana? – Lívia perguntou amparando a irmã e ajudando-a chegar à cama.
– To bem sim, mas esse enjôo que não passa.       
– Você fica enjoada viajando de barco? – Anna perguntou olhando pra amiga. 
– Não, isso nunca me aconteceu, deve ter sido algo que comi no avião.

            Viviana estava se sentindo mal desde quando o navio começou a se mover mais cedo, agora eram quase dez da noite e ela continuava enjoada.
– Prontas? – Mallu surgiu na porta de comunicação entre as duas cabines, ela usava um macaquinho preto de alças que deixava suas pernas a mostra.
– Ta linda! – Anna elogiou batendo palmas.
– Obrigada, muito obrigada. Nossa Vivi você parece mal.
– Isso porque eu estou mal amiga, o enjôo não passou.
– Que estranho.
– Eu acabei de comentar com as meninas, deve ter sido algo que comi no avião. Vou ficar na cabine hoje, sem ânimo pra festa.
– Eu vou me arrumar. – Anna disse pegando uma calcinha e um vestido e indo pro banheiro.
– Se quiser eu fico com você. – Lívia sentou perto da irmã.
– Não precisa maninha, vá se divertir, você é a mais empolgada nessa viagem.
– Tem certeza?
– Tenho sim, se precisar eu chamo ajuda, vá se arrumar.

            Contente Lívia voltou a remexer na mala.
– E a Tammy? – Vivi perguntou olhando pra amiga que tinha sentado ao lado dela.
– Disse que não vai.      
– Ela nem saiu da cabine desde a hora que chegamos.
– Eu tentei argumentar.
– Não vai adiantar vocês falarem nada. – Lívia entrou na conversa. – Ela ta mal, de verdade, não adianta forçar, ela tem que fazer quando ela quiser.

            As duas amigas ficaram em silêncio sabendo que a caçula do grupo tinha razão.
– Eu não tenho nada pra vestir!
– Como não Lívia? Sua mala é a maior, só perde pra Anna Laura.

            Mallu riu da comparação.
– Mas eu não tenho nada descente!
– Vai começar o drama. – Viviana disse rolando os olhos.
– Irmã me empresta aquele vestido verde seu. – Lívia pediu fazendo uma carinha doce e com voz meiga.
– Sabia que você ia fazer isso, já de olho nas minhas roupas né? Pega vai, não vou sair hoje mesmo.
– Ai irmã obrigada! Muito obrigada! – Lívia foi até a irmã lhe dando um beijo.
– Nessa hora eu sirvo né malandra.   

            Mallu só ria enquanto a garota fuçava a mala da irmã.
– Achei! – gritou entusiasmada mostrando o vestido verde. – Vai ficar perfeito.

            Anna saiu do banheiro e ela entrou correndo. Elas conversavam enquanto Anna terminava de arrumar o cabelo e fazer a maquiagem.
– Então a Tammy não vai? – perguntou olhando pras amigas pelo espelho?
– Não. – Mallu respondeu. – Ela tomou um calmante pra dormir, disse que a cabeça tava cheia e não conseguia relaxar a mente.   
– Você viu o remédio que ela tomou? – Viviana estava preocupada. – A tia Inês disse pra gente ficar de olho quanto aos remédios, que ela não podia tomar uma dose forte.
– Eu vi sim, fica tranquila e vi também quando ela ligou pra mãe dizendo que tava tudo bem, ela tava calma.
– Aí é onde mora o perigo. – Anna comentou passando blush nas bochechas. – Mar calmo significa tempestade à vista.
– A gente tem que ficar de olho nela. – todas concordaram com o que Viviana disse.

            Anna Laura e Lívia terminaram de se arrumar e junto com Mallu foram curtir a festa de boas vindas aos passageiros. Viviana ficou descansando e prometeu ficar de olho em Tamara que dormia na cabine ao lado.   

 

– Eu não sei onde tava com a cabeça quando concordei com isso. – Steve resmungou dando um gole na cerveja.
– Simples cara, você veio porque a Nat pediu. – Bucky disse rindo e olhando pras pernas de uma mulher que acabava de passar em frente a ele.
– Pior que foi isso mesmo. – Steve concordou olhando pra pista de dança onde Jeremy dançava com uma moça ruiva.
– Se anima Steve! Você ta em um navio cara, ta cheio de gatas! – Bucky riu mais uma vez e também foi pra pista de dança.
– Desanimado? – Tom perguntou parando ao lado do amigo. 
– Um pouco. – o loiro confessou rindo e aceitou o brinde do amigo encostando a garrafinha de cerveja na dele. – Ainda to me perguntando por que aceitei essa viagem.
– Porque é a despedida de solteiro do nosso amigo.
– Falando nisso, cadê ele?
– Disse que tava esperando a Natasha chegar a casa e ia falar com ela pelo webcam.

            Steve riu.
– Essa é boa! O noivo que é quem deveria ta comemorando, tá enfiado na cabine dele esperando pra falar com a noiva que ta a quilômetros de distância.
– Pra você ver! – Tom concordou rindo também.
– Boa noite. – uma morena de corpo escultural parou ao lado deles.
– Boa noite. – Tom disse olhando pra moça de cima a baixo e completamente interessado, mas ela matinha os olhos em Steve, que apenas fez um movimento com a cabeça.
– Quer dançar gato? – ela chamou Steve ignorando o outro homem.
– Eu não sei dançar moça.
– Ah eu te ensino, vem. – ela insistiu agarrando o braço dele. Tom riu divertido com o desconforto do amigo.       
– Não estou com vontade.

            A moça insistiu mais uma vez antes de finalmente desistir e se voltar pra Tom que também a dispensou, de jeito nenhum ele iria servir de remédio.
– Se anima Steve.
– Meio difícil. – os dois deram risada.

            Jeremy aproximou-se deles com um copo de uísque.  
– As duas velhas vão ficar aí sentadas?      
– Você pelo visto ta se divertindo muito né? – Steve provocou.
– To mesmo, eu vim pra isso.
– Da pra ver. – os dois riram e Jeremy não entendeu. Ainda rindo Tom apontou para o pescoço do amigo que passou a mão e viu os dedos sujos de batom vermelho.
– Ah filha da mãe! – os outros riram mais ainda. – Seus idiotas! Eu vou até o banheiro limpar isso.    
– Que tal uma rodada de Margaritas? – Bucky perguntou e as duas moças que estavam com ele gritaram animadas. – Margaritas pra todo mundo! – em seguida ele se aproximou de Steve sussurrando em seu ouvido. – A morena é sua irmão. – e se afastou piscando o olho.

            Steve até que achou a moça bonita, mas Bucky sabia que ele não estava interessado nesse tipo de coisa. 
– O que eu perdi? – Jeremy voltou do banheiro depois de ter lavado a marca de batom. Quando olhou pra pista de dança ficou parado com o olhar fixo.

            Os amigos estranharam e olharam pra onde ele encarava e viram três moças dançando.
– Eu vi primeiro a de vestido vermelho. – Jeremy disse pedindo outra dose de uísque e indo pra lá.

            Bucky tinha ficado interessado pelo jeito de dançar da morena que usava um macaquinho preto, ela passava uma impressão forte e independente. Uma de suas acompanhantes, claramente irritada pelo interesse dele em outra, tentava chamar sua atenção.
– Porque a gente não vai pra algum lugar querido hein? – ela praticamente virava o rosto de Bucky pra ela.  
– Claro. – Bucky sorriu apesar de sua atenção ainda estar na morena.

            Steve notou que as três moças realmente eram muito bonitas, mas nenhuma chamava sua atenção.

            Tom notou que a loirinha de cabelos curtos, que usava um provocante vestido verde, era mais nova que as outras, a menina parecia ter quinze anos.  

 

            Alheias ao grupo de amigos, Anna Laura, Mallu e Lívia dançavam como nunca. Estavam felizes por estarem em um cruzeiro e queriam aproveitar ao máximo.
– Vamos brindar! – Anna Laura gritou empolgada erguendo a garrafa de cerveja.

            Music on
– Eu amo essa música! – Lívia gritou empolgada.

            Anna Laura fechou os olhos e se deixou levar pelo ritmo dançante e contagiante, em sua imaginação estava em um lugar muito distante. Foi dançando e deu alguns passos pra trás, esbarrou em alguém e se virou pronta pra pedir desculpa, mas não conteve um suspiro de surpresa ao ver em quem ela tinha esbarrado.
– Me desculpe! – falou um pouco alto por conta da música.
– Tudo bem! – o homem disse sorrindo e ela sorriu também.

            Que olhos eram aqueles?! Anna pensou. Não conseguia decifrar se eram verdes ou azuis.          

            Devagar ela voltou a se mover ao som da música e o homem se moveu junto com ela.

            As amigas riam enquanto olhavam os dois dançarem.
– Acho que a Anna se deu bem! – Lívia comentou já um pouco alterada.
– Pois é e você já bebeu demais não acha não?!  
– Minha irmã te mandou ficar de olho em mim é?!

            Mallu riu balançando a cabeça e continuou dançando.  

            Dançando juntos, Anna e Jeremy faziam sucesso na pista de dança.

            Music off

            Ele a chamou pra ir até o bar quando a música acabou. Olhando pra Mallu ela piscou o olho e sinalizou com a cabeça, a morena assentiu de olho em Lívia.      
– Vai de que? – ele perguntou divertido.
– Uma Skoll Beats. – Anna respondeu não querendo misturar bebidas, a noite estava apenas começando.
– Não quer algo mais forte?
– Não, só a cerveja mesmo.

            Ele se virou para chamar o barman e Anna ficou observando, ele era muito bonito e usava roupas caras. Devia ser muito bem de vida.
– Sua cerveja. – o rapaz estendeu a garrafinha verde pra ela depois de abrir. – Eu sou o Jeremy.
– Anna. – ela deu um gole na bebida enquanto seus olhares se mantinha conectados.
– Você é muito bonita sabia Anna?

            A moça sorriu de leve. A verdade é que ela tinha lhe chamado a atenção desde que colocara os olhos nela.
– Obrigada, você também é muito bonito.

            Os dois sorriram.
– Então veio se divertir? – Jeremy perguntou se aproximando mais dela, Anna não recuou.
– Sim, é a minha primeira experiência em um cruzeiro.
– Olha que interessante. – Jeremy riu adorando saber aquela informação. – Veio sozinha ou acompanhada?
– Acompanhada com um grupo de amigas.

            Jeremy se aproximou mais ainda a olhando intensamente.
– Está gostando da primeira experiência?

            Anna não desviou o olhar olhando pra boca dele.

– Gostando demais. – respondeu firme aproximando a boca da dele e beijando seus lábios.

            Jeremy adorou aquela iniciativa e aprofundou o beijo abraçando a cintura dela. Anna sorriu entre o beijo e enlaçou o pescoço dele.

            Da pista de dança, Mallu observava à amiga se dando bem.   

 

            Pelo resto da noite, Jeremy e Anna não se desgrudaram mais. Dançaram, conversaram e deram alguns amassos, mas não foram além. Mallu conseguiu convencer Lívia a ir para o quarto de madrugada, a garota já estava bêbada e dormiu com a roupa que estava. Viviana não gostou nada e prometeu que teria uma conversa séria com a irmã quando ela acordasse.       

            Mallu também foi dormir e Anna Laura apareceu algumas horas depois e tentou fazer o mínimo de silêncio possível para não acordar as amigas.

 

            No outro dia, Tamara abriu os olhos e se espreguiçou na cama. O sol estava brilhando na fora e ela foi até a janela olhar. Até onde a vista alcançava só se via a imensidão azul do mar. Voltou para o quarto e viu Mallu se mexendo na cama.
– A noite foi boa? – perguntou sentando na cama de novo.
– Bom dia. – Mallu disse sorrindo. – Foi divertida, dançamos, bebemos.

            Tammy desviou o olhar triste, era terrível ter vontade de fazer as coisas, mas o medo de tentar ser maior.
– Eu não deveria ter vindo nessa viagem, foi um erro.
– Tammy... – Mallu chamou, mas a porta do banheiro batida com força interrompeu o que ela ia falar.

            Frustrada por não conseguir ajudar a amiga, ela levantou da cama e foi pra porta de ligação entre as duas cabines, iria ver como Viviana estava.

            Abrindo a porta devagar ela entrou na cabine.
– Bom dia. – disse sorrindo ao ver Viviana sentada na cama penteando os longos cabelos loiros.      
– Bom dia, como a Tammy ta?
– Na mesma, e você melhorou?
– Um pouco.
– Que bom, e essa duas ai?  

            As duas olharam pra Anna Laura e Lívia ainda adormecidas. 
– Como você pode ver ferradas no sono. A Lívia vai me ouvir quando acordar.

            Como que sentindo que falavam sobre ela, Anna Laura abriu os olhos.
– Bom dia meninas. – disse sorrindo e se espreguiçando.

            Mallu e Vivi se entreolharam. Dificilmente a amiga acordava de bom humor, e aquela alegria matinal só tinha um motivo: homem. 
– Pelo visto a noite foi boa hein. – a loira comentou fazendo um rabo de cavalo no cabelo.
– Se bem lembro, ela tava com um gato ontem que nossa! – Mallu comentou rindo e Anna também riu. Viviana também riu entendendo.
– Jaz fez um novo amigo Aninha? 
– Só pode!  

            As três riram com vontade e Lívia se mexeu na cama gemendo. Tinha acordado e sua cabeça pesava uma tonelada.
– Ai! – sentou na cama com dificuldade. Sua cabeça parecia que ia explodir tudo lhe incomodava, a claridade, o barulho.
– Bom dia Lívia. – Viviana disse séria encarando a irmã e esta gemeu.
– Fala mais baixo! – pediu voltando a deitar.
– Eu fui. – Anna Laura levantou indo pro banheiro.
– Eu também. – Mallu voltou pra sua cabine.
– Primeira noite no navio Lívia! E você já volta bêbada!
– Sermão agora não Viviana. 
– Sermão agora sim. Você não tem um pingo de juízo!

            Lívia levantou revoltada e encarou a irmã.
– Ta legal, eu dei mancada misturei um monte de bebida, mas e daí? É normal.
– Normal Lívia? Se embebedar é normal? Misturar bebida é normal? Cresce Lívia!
– Viviana chega! Eu sou maior de idade e a vida é minha!
– Você é minha irmã, minha responsabilidade!
– Eu não sou um pacote que você carrega pra onde quer!
– Gente chega! – Anna Laura saiu do banheiro e ficou entre as duas. – Falem baixo, daqui a pouco um dos funcionários do cruzeiro vem perguntar o motivo da gritaria.         

            As duas irmãs se encaravam hostis.  
– Foi uma péssima ideia trazer você. – Viviana soltou sem pensar e logo depois se arrependeu ao ver a mágoa no olhar da irmã caçula. 
– Eu sei disso. – Lívia disse com raiva. – Mas agora eu estou aqui irmãzinha e você querendo ou não, eu vou aproveitar e muito a minha viagem. – e foi pro banheiro batendo a porta.
– Droga! – Vivi sentou na cama escondendo o rosto nas mãos.
– Você pegou pesado.
– Eu sei Anna, mas é que eu me preocupo com ela.
– Viviana a sua irmã não é mais uma criança, daqui a pouco ela vai pra faculdade, vai sair de casa. Para de querer controlar a vida dela.

            Vivi ouvia em silêncio, pois sabia que a amiga tinha razão.

            Lívia tomou um banho e se sentiu bem melhor. Saiu do banheiro e se arrumou em silêncio pra ir tomar café, não deixaria a briga com a irmã atrapalhar sua viagem. Anna também se arrumou com capricho, não ia negar que estava louca pra reencontrar Jeremy. 
– Vai tomar café? – Mallu perguntou também se arrumando na cabine ao lado, elas tinham ouvido a discussão das irmãs, mas não comentaram nada.
– Não to com fome. – Tammy respondeu sem tirar os olhos do livro. 
– Você não pode passar a viagem inteira aqui dentro Tamara. Tá um dia lindo lá fora, ta cheio de gente nova pra você conhecer.

            Desistindo Mallu foi para a outra cabine e junto com as amigas foi tomar café.

            As quatro se dirigiram ao salão de refeições entre brincadeiras e risos. Anna Laura olhava ao redor tentando encontrar o dono dos olhos azuis esverdeados.
– Ta procurando alguém Anna? – Vivi perguntou e as outras riram.   
– Ela ta procurando o gatão de ontem! – Mallu provocou e elas riram mais ainda.
– Vai se fuder Mallu! – Anna disse rindo também.

            Uma mulher que passava perto delas ouviu a conversa e fechou a cara ao ouvir o que Anna Laura falou.
– Vixi! – Lívia comentou rindo. – Ela não gostou!
– To nem ai! – Anna disse mandando beijinho no ombro e elas riram mais ainda.

            Encontraram a mesa reservada a elas e sentaram pra tomar café depois de se servir no bufê. Juntamente com elas, mais três passageiros se sentaram, um casal de meia idade e sua filha adolescente.            

            O salão estava lotado e Anna Laura achou impossível encontrar Jeremy ali, devia ter pegado o número dele.

 

            Do outro lado do salão, os cinco amigos tomavam café em companhia de dois casais idosos. E se divertiam muito. Depois de algum tempo, os dois casais saíram e ficaram apenas eles.  
– E ai Jeremy, cadê aquela gata de ontem? – Bucky perguntou depois de tomar um gole de café.
– Não sei, eu não a vi hoje. Por quê? Tá interessado?     

Eles deram risada.

– Longe de mim. To interessado na amiga dela.
– Então Bruce, falou com a Natasha ontem? – Steve perguntou olhando para o amigo e ignorando os comentários dos outros.
– Falei sim. – Bruce respondeu passando a mão no rosto. – Ela me perguntou por que eu não tava me divertindo junto com vocês. 
– Te garanto que você não perdeu nada. – Steve comentou rindo.
– Oh Jeremy aquela ali não é a mulher com quem você tava ontem? – Tom perguntou e eles se viraram para olhar.

            Anna Laura, as outras duas que estavam com ela ontem e mais uma loira iam saindo do salão.
– É ela mesma. – Jeremy respondeu levantando e tomando o restante do café.
– Oh me apresenta aquela morena lá. – Bucky levantou também enquanto os outros riam.  

 

– E agora faremos o que? – Lívia perguntou animada não querendo voltar pra cabine, o dia estava maravilhoso, a viagem estava só começando e ela queria aproveitar ao máximo.
– Eu vou circular por ai, conhecer o navio, ver pessoas. – Anna Laura respondeu ajeitando os óculos escuros no rosto.
– Eu vou com você! – Lívia gritou empolgada.

            Viviana não gostou, mas preferiu ficar quieta pra não piorar a situação com a irmã.
– Eu vou voltar pro quarto, ainda não me sinto muito bem.
– Vivi você tem que ver o que são esses enjôos. – Mallu estava preocupada, não se lembrava de ouvido falar em algum momento de sua vida que sua amiga tenha ficado doente.      
– Eu só preciso descansar. – a loira sorriu sem mostrar os dentes. – To trabalhando demais.
– Isso é verdade. – Anna concordou. – E você Mallu? Vem com a gente?
– Eu vou ver como a Tammy está e encontro vocês depois.
– Eu fico com a Tammy e qualquer coisa aviso vocês. – Viviana se ofereceu.    
– Tem certeza? 
– Tenho sim Mallu, vai lá, divirtam-se.   

            Viviana se despediu e voltou para a área das cabines.
– Vamos até as lojinhas, deve ter produtos incríveis. – Anna disse empolgada.
– Anna Laura! – alguém chamou seu nome e ela se voltou para olhar, ficou surpresa em encontrar os olhos azuis esverdeados.
– Jeremy! – falou o nome dele com mais empolgação do que queria demonstrar.   

            Ele ficou surpreso, mas não disse nada.
– Tudo bem? – disse chegando até elas, com Bucky ao seu lado. – Esse é meu amigo Bucky, Bucky essa é a Anna.
– Tudo bem sim. – Anna respondeu sorrindo. – Tudo bem Bucky?

            Ele respondeu sem desviar os olhos de Mallu que também o encarava. Anna percebeu e olhou de um pro outro tentando conter o riso.  
– Meninas esses são Jeremy e o amigo dele, que eu acabei de conhecer, Bucky. Essas são minhas amigas, Mallu e Lívia.

            Feitas as apresentações eles começaram a se entrosar.   
– Então é seu primeiro cruzeiro? – Bucky perguntou divertido olhando para a Mallu.
– Sim. – ela respondeu também rindo.
– Está gostando?
– Sim, muito. – Mallu desviou o olhar, pois não queria passar outra impressão a ele.

            Lívia se sentia meio perdida. Era obvio que os dois rapazes se sentiam interessados apenas em Anna Laura e Mallu, eles deveriam compará-la a uma criança. 

            Aborrecida, ela decidiu ir passear sozinha pelo navio. Ia saindo quando bateu de frente com alguém bem mais alto que ela. Levantou o olhar para se desculpar e encontrou um belo par de olhos azuis. 

            Tom sorriu para a menina a sua frente e percebeu ela ficar sem reação.

            Os outros perceberam o esbarrão.
– Quer atropelar a menina Tom? – Jeremy perguntou rindo e os outros riram também.

            Lívia não gostou de ser chamada de menina e saiu sem falar nada. Mallu também saiu sem falar nada indo atrás da garota.
– Eu falei alguma coisa errada? – Jeremy não entendeu a reação da loirinha.
– Não foi você. – Anna Laura respondeu rindo. – Ela brigou com a irmã hoje de manhã.
– Irmã? – Bucky ficou confuso.       
– Sim, a irmã mais velha dela, nossa amiga.
– Essa eu não conheço. – Jeremy comentou. – Vocês vieram em quantas?
– Cinco. A irmã mais velha dela tava tomando café com a gente.
– Ah então é aquela loira que... – Bucky percebeu que tinha falado demais ao ver Jeremy olhando pra ele.

            Anna olhou para os três e riu.
– Estavam observando a gente?
– Quem sabe. – Jeremy respondeu olhando pra ela.      

            Mallu encontrou Lívia encostada na amurada, olhando para o oceano.
– Tudo bem? – perguntou parando ao lado dela.
– Eu odeio ser tratada como criança Mallu.
– É chato mesmo.
– É horrível. – Lívia estava realmente chateada. – Minha irmã faz isso o tempo todo e agora vem esse cara me chamar de menina, eu não gostei.  
– Ele não fez por mal, foi apenas modo de falar. Não fica triste por causa disso.

            Lívia olhou pra ela e sorriu de leve.
– Talvez você tenha razão, mas é que to com raiva ainda por causa da Viviana.
– Sua irmã também não quis te magoar, ela se preocupa com você e é normal.
– Mas você ouviu o que ela me disse não ouviu?
– Ouvi sim, mas dê um tempo pra ela esfriar a cabeça e você também precisa se acalmar. Vamos voltar e conhecer melhor os novos amigos da Anna.

            As duas riram e voltaram abraçadas. Lívia gostava das amigas da irmã, apesar de não ter muito contato com elas.  

            Anna Laura mandou uma mensagem a Mallu avisando que estava na piscina com os meninos.
– Então vocês são amigas há muito tempo? – Bucky perguntou interessado.
– Quase a vida inteira, eu não tenho lembrança de algum momento da minha vida em que elas não estejam presentes. – Anna respondeu bebendo um gole do suco de morango.
– Voltamos! – Mallu chegou dando risada e sentou no espaço vazio ao lado de Bucky. Ele gostou muito disso.
– Querem alguma coisa? – Tom perguntou erguendo os óculos escuros. Estava gostando de conversar com Anna Laura, apesar de achá-la um pouco vulgar, talvez às amigas sejam diferentes.  
– Eu quero um suco de laranja, e você Lívia?
– Não quero nada, obrigada.  

            A garota sentou na outra espreguiçadeira certa de que seria ignorada pelo grupo.
– Então você veio com sua irmã? – Tom perguntou virando para ela e ela o olhou surpresa por ele lhe dar atenção.
– Sim, eu vim com ela.
– Você parecia chateada, aborrecida.
– Briga de irmãs. – Lívia comentou sorrindo.
– Eu sou o Tom.
– Lívia. – a garota respondeu ainda sorrindo aceitando apertando a mão dele.

            Tom também sorriu, mas não comentou que já sabia quase tudo sobre o relacionamento dela com a irmã mais velha, já que Anna Laura “falava” demais. O que ele não entendia é o que estava fazendo conversando com uma garota que aparentava não ter saído nem do colegial ainda.

 

            Depois do café da manhã, Steve voltou para a sua cabine e fez algumas ligações para o escritório de arquitetura em que trabalhava. Viu que estava tudo bem e sua secretária o aconselhou a aproveitar a viagem.

            Sorrindo consigo mesmo, percebeu que não fazia muito esforço para se divertir e decidiu mudar isso. Trocou de roupa colocando uma bermuda e um chinelo de dedos e foi se distrair. Passou na cabine de Bruce e conseguiu arrastá-lo para tomar um pouco de sol.  

            Foram pra piscina e viram os amigos em uma conversa animada com as três moças que viram saindo do salão.
– Bom dia. – Steve disse chegando até eles e todos se voltaram pra olhar.
– Olha quem saiu do confinamento! – Jeremy disse divertido. – Bem vindos meus amigos solitários.

            As meninas riram achando graça.
– Oi pra você também Jeremy.
– Não vai apresentar seus amigos? – Anna Laura perguntou mirando Steve e achando-o extremamente bonito.
– É claro. Esses são Steve e nosso amigo Bruce, o noivo. Essas são Anna, Mallu e Lívia.

            As três amigas bateram palmas empolgadas.
– Então você é a causa da viagem? – Mallu perguntou rindo e Bruce ficou sem graça, não gostava de ser o centro das atenções.    
– Esse é o cara que nos arrastou até aqui! – Bucky provocou.
– Ah não, não fui eu não... – Bruce gaguejava com vergonha.
– Parem! Estão deixando ele com vergonha. – Mallu pediu rindo com os olhos marejados de tanto rir.
– Ah tem problema não, ele gosta né não Bruce! – Bucky continuava zoando o amigo.
– Sua noiva deve confiar muito em você pra deixá-lo viajar com um grupo de amigos as vésperas do casamento. – Lívia comentou rindo.
– Na verdade foi ela que sugeriu. – Bruce respondeu e as amigas ficaram surpresas, elas nãos sabiam daquele detalhe.
– Sério? – Anna tinha ficado realmente surpresa.
– Sim. – Steve respondeu rindo. – Ela praticamente nos implorou pra arrastar o Bruce!  

            Eles riram mais ainda.
– A Nat confia no Bruce, na gente não!
– Fale por você Jeremy! – Steve cortou rindo.
– Ah é esqueci, você é o certinho do grupo né Steve? – Jeremy provocou rindo.

            As três amigas estavam se divertindo muito na companhia deles.


Notas Finais


Tema https://www.youtube.com/watch?v=oA9T0GIFhSs
Primeiro contato entre eles 😍
Jeremy e Anna querem aproveitar o máximo a viagem kkkkk
Gente já já tem mais.
Beijinhos 💖💖💖💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...