1. Spirit Fanfics >
  2. Amor em 3 atos >
  3. Você matou Jason Fox?

História Amor em 3 atos - Capítulo 55


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiro quero pedir desculpas por mais um sumiço. Tive problemas de saúde além de um puta bloqueio de criatividade, então peço que tenha paciência por causa da baixa qualidade do capítulo.

Alguém ai curte Semi?

Boa Leitura e agradeço aqueles que ainda não desistiram da estória !!!!

Capítulo grande !!!

Ver NOTAS FINAIS !!!

Capítulo 55 - Você matou Jason Fox?


Fanfic / Fanfiction Amor em 3 atos - Capítulo 55 - Você matou Jason Fox?

Ainda boquiaberta pelo anuncio da prisão do suspeito da morte de Jason, Morgan continua com os olhos grudados na tela da televisão quando escuta mais uma vez o telefone tocar, fazendo com que levasse a mão ao aparelho antes que o barulho acordasse Skyler.

 

- Bailey. . .

 

Rapidamente a escritora reconhece a voz da pessoa do outro lado da linha. Há uma certa tensão no tom usado e quando seus olhos voltam para a televisão vê a pessoa sendo colocada dentro de um dos carros da polícia enquanto flashes disparam com os jornalistas gritando tentando chamar a atenção.

 

- Eu simplesmente não acredito. . .

 

Eve vai contando sobre tudo o que havia acontecido, desde que foi procurado pelos agentes da homicídio, dizendo que haviam provas que a morte de Jason não havia sido apenas um caso de overdose acidental.

 

- Houve uma devasse e todos que estão próximos de Jason estão sendo investigados e certamente irão atrás de você depois que souberem sobre a tensão que aconteceu entre você, Jason e o Senhor Maddox.

 

Morgan troca algumas últimas palavras com Eve que conta que com toda esta confusão policial grande parte das responsabilidades haviam sido repassado para ela. No fundo, a escritora se pergunta se não é o que Eve sempre havia desejado, o Senhor Maddox ser afastado do trabalho para que ela pudesse ficar em seu lugar.

 

-  Sei que pediu um tempo para resolver a sua situação pessoal, mas com tudo o que aconteceu o melhor é que volte para Los Angeles. Todos estão sendo monitorados durante este período crítico e antes que diga algo Bailey é uma ordem.

 

Alguma coisa realmente incomoda no tom de voz usado por aquela mulher que sempre teve próximo a ela, como sua agente, administrando os setores da sua vida, mas agora estava vendo uma nova face da personalidade da sua empresária.

 

- Eve realmente sabe o quanto estou passando por um. . .

 

- Quero você aqui rápido. Amanhã entrarei em contato com os patrocinadores e os editores, então quero a escritora com quem trabalho aqui. Sem desculpas.

 

Da mesma forma que a ligação se iniciou, ele chega ao fim e Morgan apenas fica olhando a televisão, pensando em tudo o que havia acontecido e apenas quando escuta o choro de Skyler é que Morgan caminha na direção do quarto. Ao entrar, vê a filha sentada na cama com um bico nos lábios e os olhos verdes cheio de lágrimas.

 

- Mama

 

Com cuidado, Morgan pega a filha no colo que leva a mão ao rosto bocejando, antes de colocar a cabeça no ombro da mãe. Agora que havia conseguido conversar com Lauren e talvez pensar em ter um recomeço, mais uma vez uma nuvem negra parecia ter cruzado o seu caminho, insistindo em afasta-las. Só de pensar em mais uma vez ter que ficar longe da morena de olhos verdes, Morgan sente um aperto em seu coração. Tinha que falar com Lauren antes de tomar qualquer decisão.

 

Lauren está deitada no sofá quando escuta o barulho da chegada de uma mensagem, fazendo com que a morena de olhos verdes se sentasse, estalando as costas, sentindo um incomodo. Apesar de ser um sofá grande não é um local muito adequado para dormir, mas havia chegado cansado demais da casa de Morgan e depois da conversa com Camila adormeceu ali mesmo.

Assim que lê a mensagem, rapidamente Lauren se levanta, caminhando para o seu apartamento. Ela toma um rápido banho, faz suas higienes, coloca uma roupa mais confortável, antes de pegar o seu carro, dirigindo na direção do apartamento de Morgan.

 

- Pois não? – Um homem de cabelos grisalhos, usando um uniforme se levanta detrás da mesa, encarando a mulher a sua frente com curiosidade.

 

Lauren suspira, sentindo um nervosismo crescer dentro dela.

 

- Pode avisar a Morgan Bailey que Lauren Jauregui está aqui querendo falar com ela?

 

Antes de ligar no interfone, o porteiro encara mais uma vez a bela morena de olhos verdes a sua frente. Certamente uma das mulheres mais bonita que ele havia visto. Ao perceber o olhar do homem, Lauren dá um suspiro, enfiando a mão no bolso sacando de dentro seu aparelho celular.

 

- Morgan, estou aqui na sua portaria. Será que poderia liberar a minha entrada para poder conversar?

 

Bailey fala alguma coisa antes de desligar, minutos depois o interfone toca e o porteiro troca algumas palavras com a pessoa do outro lado da linha. Quando o homem desliga há uma expressão constrangida no rosto e então dá uma tossida antes de dizer para Lauren passar.

Assim que chega ao andar onde Morgan mora, Lauren sente o coração bater acelerado e quando a porta é aberta, Bailey tem os olhos repletos de lágrimas o que deixa a morena de olhos verdes preocupada.

 

- Aconteceu algo com Skyler?

 

A escritora nega com um gesto na cabeça, dando um passo para o lado como um convite para Lauren entrar e assim ela fez, olhando em volta.

 

- Nossa filha está dormindo. . .- Ao ouvir aquelas palavras, um sorriso se desenha em seus lábios. Desde que havia descoberto ter uma filha. Lauren sentiu sua vida modificar e no momento que seus olhos cruzaram com aquele par de olhos verdes, pela primeira vez depois de tanto tempo sente uma felicidade que não sente fazia bastante tempo – Mas realmente preciso conversar com você.

 

Ao ver a expressão triste e angustiada no rosto de Morgan, o sorriso que povoa os lábios de Lauren desaparece. Lauren senta ao lado da escritora encarando aquele par de olhos cheio de lágrimas e dor.

Em um gesto automático, Bailey leva a mão ao rosto, mas a morena de olhos verdes captura as mãos dela impedindo o gesto.

 

- O que está causando tanta angustia?

 

Morgan ergue a cabeça e no momento que seus olhos se encontraram, se conectam, fazendo com que um clima se formasse entre as duas de forma que apenas suas respirações poderiam ser escutadas.

 

- Recebi uma ligação da minha agente e vou ter que voltar para Los Angeles. – As palavras de Morgan foram falada quase em um sussurro, mas alta o suficiente para que Lauren escutasse. No mesmo momento, a morena de olhos verdes sente o rosto perder a cor, fazendo com que ela abrisse e fechasse a boca sem conseguisse falar nenhuma palavra sequer. – Eu deixei tudo de lado para poder vir para cá.

 

De repente, Lauren se levanta, seu rosto agora começa a ficar avermelhado e os olhos arregalados.

 

- Não pedi que viesse e que abandonasse a sua carreira. Sei o quanto é importante para você então. .

 

Antes que Lauren pudesse evitar Morgan se aproxima agarrando-a pelos braços.

 

- Cale a boca Jauregui. . .- Morgan grita, fazendo com que Lauren a encarasse com as sobrancelhas juntas e os lábios torcidos –  Eu sei que a magoei quando fui embora, mas nada é mais importante que salvar a vida da pessoa que amo.

 

Lauren apenas nega com um gesto na cabeça ainda impactada pelas palavras de Morgan. Claro que naquele momento com o transplante de medula, a descoberta da existência de uma filha e a aproximação de Camila tudo está muito confuso.

 

- Você tem que entender Morgan. Com tudo o que aconteceu, eu realmente preciso reorganizar tudo, mas por favor não afasta a minha filha de mim.

 

Existe um tom amedrontador na voz de Lauren e toda a raiva que sente naquele momento desaparece no peito de Morgan. Nunca seria capaz de fazer uma coisa destas mesmo que Lauren não sentisse mais nada por ela.

 

- Não estou cobrando nada de você Laur e também não vou afastar Skyler de você. Ela é a sua filha e tem todo o direito de vê-la crescer, mas realmente preciso resolver isto.

 

Depois de trocar algumas palavras, Lauren olha para Skyler ainda adormecida no berço e se despede de Morgan com aquela conhecida sensação de aperto no peito.

 

- Obrigada por ter me dado o presente mais lindo do mundo. . . – Lauren fala sentindo os seus olhos se encherem de lágrimas e Morgan estica a mão, secando as lágrimas que continua a escorrer.

 

Lauren se despede e vai embora entrando no táxi sentindo uma mistura de choque e ao mesmo tempo uma grande tristeza. A verdade é que desde que descobriu tudo sobre a sua filha e o transplante, um grande medo passou a se instalar dentro dela, grande o suficiente para deixar a morena de olhos verdes nervosa acusando a escritora de querer afasta-la de sua filha, o que Morgan nunca havia falado.

Depois de se despedirem, Lauren foi embora e com um suspiro, a escritora caminha até o quarto, olhando para a filha adormecida no berço.

 

Uma semana mais tarde, Bailey desembarca no aeroporto de Los Angeles.  Um homem alto, negro, que mais se parece um guarda costas observa as movimentações, como se temesse que de repente algum paparazzo invadisse o local como se fosse um bando de zumbis buscando um clique perfeito para transformar o registro em alguma notícia bombástica.

Há claramente uma expressão de desconforto no rosto do homem, já que aquele faz um dia tipicamente quente do verão californiano. Gotas de suor brotam pela sua testa escorrendo pelo seu rosto desaparecendo pela gola do terno.

 

- Jackson?

 

O homem ergue as sobrancelhas encarando Bailey com aquele par de olhos escuros e então concorda.

A escritora pode perceber que o desconforto do homem que continua a olhar em volta em volta.

 

- Vamos Senhorita Bailey. A Senhorita Grey ordenou que a levasse para um local para que não seja incomodada pelos paparazzi.

 

O homem pega a bagagem, antes de encarar Skyler que está adormecida. Bailey havia deixado parte da sua bagagem em Nova York, para que assim tivesse mais uma razão para voltar e logo foi conduzida por um longo corredor até uma garagem subterrânea onde um carro está estacionado.

Com todo o cuidado, ela coloca a filha dentro do bebe conforto fazendo a menina resmungar sem acordar e só então se coloca no seu lugar, colocando o cinto de segurança, vendo então o homem dar a partida no carro. O caminho pelas ruas de Los Angeles foi feito em mais completo silêncio, embora a mente de Morgan fervilha de perguntas, mas naquele momento, ela só consegue pensar na morena de olhos verdes que enfrentava bravamente a recuperação do transplante.

 

- Senhorita Bailey?

 

Ao ouvir seu nome ser chamado, Morgan ergue os olhos e percebe que havia ficado imersa em seus pensamentos durante todo o trajeto. Estavam mais uma vez em um lugar que parece um estacionamento particular, fazendo com que a mulher encarasse o homem pelo reflexo do retrovisor.

 

- Estamos no Four Seasons Los Angeles e a Senhorita Grey já falou com a gerente. Está tudo preparado para recebe-la e daqui algumas horas ela entrará em contato com você.

 

Antes que pudesse responder, a porta do passageiro é aberta por um homem alto que está em companhia de uma jovem ruiva de cabelos curtos, usando o uniforme com o símbolo do Hotel.

Cansada, Morgan e Skyler é conduzida a uma suíte bastante confortável que foi adaptado para receber a pequena menina.  Estava tão cansada que depois de dar um banho quente na filha e voltar a faze – la dormir, Morgan toma um banho demorado se jogado na cama, adormecendo minutos depois.

 

A policial Gomez usa uma calça jeans mais claro, camisa clara e por cima uma jaqueta com o símbolo da polícia, seus cabelos escuros estão presos em um rabo de cavalo, além de usar um óculo com estilo avião dando à ela um ar mais sério. Ela dirige a viatura que leva o suspeito da morte do Diretor de cinema Jason Fox, quando escuta uma voz masculina vindo do rádio.

 

-  Gomez existe uma multidão de paparazzi esperando pela entrada principal. Parece que a notícia da prisão do Senhor Maddox se espalhou como rastilho de pólvora e todos estão bastantes excitados com a expectativa de tirar uma foto do poderoso. . .

 

Antes que a voz do outro lado da linha completasse a frase foi interrompido quando Selena simplesmente desliga o aparelho, voltando a atenção para o transito enquanto sua mente fervilha.

Rapidamente ela olha a imagem do homem no banco de trás que parece concentrado em seus próprios pensamentos, até perceber que está sendo observado, fazendo com que seus olhos se encontrassem pelo espelho por alguns instantes antes que a policial desviasse.

 

A Delegada Lovato está na sua sala, sentada atrás de uma mesa com um computador, com uma pilha de relatórios que a cada dia vai acumulando apesar de todas as noites de plantão, abdicando dos momentos de descanso. No departamento de polícia todos a respeitam e seu nome sempre foi ligada a eficiência, causando medo nos criminosos e admiração dos cidadãos locais.

Com um suspiro, Demi passa os olhos por alguns documentos no momento que seu celular toca, fazendo com que ela pegasse o pequeno aparelho vendo o nome da policial piscar na tela.

 

- Lovato. . .

 

A voz do outro lado da linha é Ally Brooke, escrivã daquele departamento. Quando Demi se tornara delegada após a aposentadoria do velho Harrison Ford alguns anos antes, a escrivã Brooke já trabalhava com o delegado Ford.

 

- A policial Gomez já está chegando com o suspeito da morte daquele diretor de cinema Jason Fox. . .

 

Agradecendo, Demi organiza rapidamente as pastas e respira fundo tentando controlar as batidas do coração acelerados, quando minutos depois há uma batida na porta. Logo, a policial Gomez aparece encarando a delegada silenciosamente por detrás do óculo escuro.

 

- Demi – Selena fala em um tom ansioso, mas então dá uma tossida, ficando com as bochechas coradas. Demétria apenas faz um sinal com a cabeça para que a policial pudesse entrar sem olhar diretamente para a bela mulher a sua frente.

 

A verdade é que desde que a policial Selena Gomez havia sido transferida para aquele departamento, Demétria havia começado a perceber alguns atributos femininos daquela jovem e determinada mulher. Naquela manhã no corredor principal da delegacia quando seus olhos se conectaram pela primeira vez com a novata, Demétria sentiu uma espécie de tremor que se espalhou por todo o seu corpo, algo que nunca havia sentido antes, ou não havia se permitido sentir, afinal no passado havia sido magoada o suficiente para não querer mais ser vítima dos sentimentos que a enfraquecia.

Mas incrivelmente, a policial apenas sorriu, acenando com um gesto na cabeça, antes de se afastar e olhos automaticamente foram para o bumbum da policial apertado no jeans justo. Logo que percebeu o rumo de seus pensamentos simplesmente balançou a cabeça, votando aos seus pensamentos.

Depois disto, haviam se cruzados milhares de vezes entre os corredores e as salas de interrogatórios. Embora ninguém tivera coragem de comentar, todos podiam ver uma espécie de tensão que paira entre as duas mulheres, que ora agiam como amigas e ora simplesmente Demétria a ignorava.

 

- Levei o Senhor Maddox para a sala de interrogatório 3. A escrivã Brooke já a espera. . .

 

Demétria apenas concorda com um gesto na cabeça, fazendo com que Selena caminhasse até a porta não querendo que a delegasse pudesse ver a expressão magoada em seu rosto e no momento que sua mão toou na maçaneta, ouve seu nome ser chamado, fazendo com que se virasse.

 

- Será que podemos conversar mais tarde?

 

Ao ouvir aquelas palavras Selena sente uma estranha sensação. Na verdade, desde que foi transferida para aquela delegacia e seus olhos se encontraram pela primeira vez, a policial esperava ouvir aquelas palavras, mas a única vez que estivera perto de escuta-la foi em uma noite em que nenhuma duas conseguiam falar sobre o assunto.

 

- Delegada Lovato. . .

 

Demétria apenas nega com um gesto na cabeça e a policial Gomez apenas sai da sala sem dizer nada. Pouco tempo depois a delegada entra em uma das salas de interrogatório, onde atrás de uma mesa está sentada Ally Brooke junto com o seu computador e mais afastado perto da janela está um homem embora vestido casualmente, uma aura de poder emana dele, que tem no seu rosto uma expressão fria no rosto.

 

- Senhor Maddox?

 

Ao ouvir a voz feminina, o Senhor Maddox ainda continua com uma expressão pensativa no rosto, mas então seus olhos voltam se na direção da jovem a sua frente. Suas sobrancelhas se unem e aqueles par de olhos que mais parece uma noite escura a encaram como se a estudasse friamente.

Demi já havia escutado falar da fama que aquele homem tem dentro do mundo dos negócios.

 

- Você tem um nome?

 

A voz do homem é profunda e os olhos escuros intimidadores, mas a Detetive Lovato não se deixou ser influenciada pelo poder daquele olhar.

 

- Sou a Delegada Lovato e estou aqui para acompanhar o interrogatório. – Há uma grande seriedade no tom da sua voz – Minha delegacia é responsável pela investigação do homicídio da vítima Jason Fox.

 

Senhor Maddox apenas continua sério com os dedos entrelaçados, encarando Demi como se apenas existisse os dois ali, embora Ally observa a cena com uma expressão curiosa, enquanto Selena luta contra a vontade de socar aquele homem arrogante.

 

-  Tenho certeza que sabe que sou um homem de negócios, então cada minuto que passo aqui estou deixando de ganhar um lucro que certamente dá para pagar toda a força policial do estado da Califórnia. Então se não se importa vamos acabar logo com isto, porque tenho uma agenda a cumprir.

 

Normalmente Demi não se deixava transtornar pelas atitudes dos suspeitos de algum crime, mas de verdade aquele homem a sua frente realmente estava conseguindo irrita-la profundamente e quando percebe a expressão no rosto da delegada mudar, Ally teve que a máscara de frieza que Demi sempre carrega consigo desmorone.

 

- Perfeitamente Senhor Maddox. Já que é assim, serei direta, sem fazer uso de gentilezas. – Uma pesada pausa se fez presente – Você matou Jason Fox?

 

Naquele momento, Ally fez um barulho com a boca, Selena que havia entrada silenciosamente na sala sem que Demétria percebesse, continua parada encarando as duas figuras a sua frente sem saber o que fazer.

 

- Eu quero meu advogado. . .

 

 

 

 

 


Notas Finais


Comentem, opinem, faça uma escritora feliz !!!

O que acharam do aparecimento da Selena e da Demi na estória?

Será que o Senhor Maddox matou ou mandou matar Jason Fox?

O que acharam da conversa entre Morgan e Camila?

Fiquem a vontade para comentarem !!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...