1. Spirit Fanfics >
  2. Amor em escalas >
  3. Capítulo 37

História Amor em escalas - Capítulo 37


Escrita por: cevansmendes

Notas do Autor


esse capítulo ficou meio chatinho. mas aguardem que o melhor estar por vir!

Capítulo 37 - Capítulo 37


Fanfic / Fanfiction Amor em escalas - Capítulo 37 - Capítulo 37

p.o.v Sarah

— simples assim... — falei para Laura e Pedro, toda minha conversa com Chris na noite anterior e a proposta dele em eu ir morar com ele.

— ele quer te levar como acompanhante? eu já tava era fazendo minhas malas, prontissima pra ir morar com ele, já que ele te propôs isso, e de quebra iria nesse coquetel agarrada nele, mostrando que ele é meu homem. deixa de ser boba Sarah. não vejo nada demais nisso, em ele te pagar umas passagens. ele é rico... pode te proporcionar momentos bons que só — Pedro falou e acabei indo dormir pensativa

[...]

Acordei cedo, na maior preguiça do mundo. Fui na academia, passei na padaria na volta, preparei o café da manhã e limpei a casa, tudo isso enquanto minha mãe dormia. Energia não sei da onde saiu, mas fiz tudo isso.

— casa limpa... café pronto — minha mãe comentou, entrando na cozinha enquanto eu cortava uma banana

— bom dia mãe — falei sorrindo, era óbvio que ela tinha sacado que eu queria algo

— bom dia... e aí, vai falar o motivo do milagre? — ela perguntou sentando na mesa, pegando uma xícara e enchendo de café

— nem é milagre. sempre limpo a casa — falei me defendendo

— não tão cedo né Sarah... — minha mãe disse me olhando

— mas saiba que hoje foi — respondi, me virando para a bancada e salpicando um pouco de canela em cima da banana. arranhei a garganta, quebrando o silêncio que tinha se estabelecido na cozinha

mãe... daqui uns dias é aniversário da Emily —falei olhando por cima do ombro, vendo minha mãe mordendo o pão

— hum — ela respondeu, dando um gole no café

— o Chris disse que se eu quiser ir ele paga minha passagem. eu não queria... deixei bem claro que não queria que ele gastasse um real comigo. mas ele disse que é um presente de aniversário meu, adiantado — falei rápido e minha mãe ficou em silêncio. o que me deixou aflita.

— mas você não vai né? — ela perguntou me encarando

— por quê não iria? — perguntei

— olha. não interessa que o Chris é rico, famoso seja lá o que... não quero você aceitando nada caro dele — ela disse calma

— eu sei... mas ele insistiu muito. eu disse que ia conversar com você e o papai — falei

— por mim você não iria. mas você já é adulta demais pra decidir o que quer fazer... mas Sarah, não é porque você tá namorando uma pessoa rica que significa que você também é, porque você não é — minha mãe disse. até parece que eu não sabia disso

— eu sei disso. mas aceitar essa vez não vai ser nada demais. além de que não queria ir com a consciência pesada de que vocês não quiseram que eu fosse — falei olhando minha mãe, que estava concentrada em passar manteiga no pão

— você sabe o que penso sobre isso — minha mãe disse por fim

— ok então — falei

— sobre seu relacionamento com o Chris arranhou a garganta — da relação íntima de vocês, quero mesmo conversar com você — ela disse e eu revirei os olhos

— é sério que quer conversar sobre isso? a senhora sabe que eu não sou mais uma adolescente — falei me virando pra bancada

— não interessa. primeiro, queria que você se  consultasse de novo, você não toma um anticoncepcional desde que terminou com o Caio. sua tia disse que tem uma ginecologista lá no centro, ela é muito boa e o preço é barato. ela levou a Carol lá... vou marcar um horário pra você — ela disse e eu me virei boquiaberta

— você tem que deixar que eu mesma vou marcar e vou na ginecologista — falei e ela virou me encarando

— eu vou marcar e você vai sim... eu hein

— tá bom, não estou afim de brigar com a senhora — falei calma

— que bom! isso me faz ficar menos preocupada, por que sabe bem que não queremos um bebê por agora... você trate de se cuidar viu... não me aparece grávida não — ela disse séria

— mãe pelo amor de Deus... eu nem vejo o Chris todos os dias — falei

— só estou te avisando. vou marcar essa consulta logo porque fico mais aliviada — ela disse e eu concordei

Lavei a bagunça do café e fui para o quarto. Tomei um banho, vesti uma roupa básica de ficar em casa mesmo e fui até a cozinha, minha mãe preparava uma vitamina para a minha irmã que tinha chegado da natação.

A semana foi se arrastando. Parecia não passar, minha mãe ainda não tinha tocado no assunto da viagem. Naquela mesma semana fui na ginecologista, como não ia fazia tempo acabei tirando algumas dúvidas e ela me passou um anticoncepcional.

Chris ainda tocava no assunto da asp e eu sinceramente não queria ir, mas ele parecia estar levando aquilo a sério mesmo, disse até que comentou com um estilista, que precisaria de uma roupa formal feminina, mas que isso resolveria comigo lá. Ele já estava 100% convicto de que eu iria, e sinceramente já tava pensando caso eu não fosse e ele ficasse magoado.

já fechei o caixa tá — falei entrando na cozinha da pizzaria

— seu pai está arrumando as mesas? — ela perguntou e eu concordei

— conversei com ele ontem. falei que você queria muito ir no aniversário da Emily e que o Chris se ofereceu pra pagar as passagens — ela disse e eu olhei imediatamente pra ela

— ele falou o que? — perguntei já sentindo meus batimentos cardíacos a mil

— não gostou. mas sabe que você e a Emily são muito amigas, que você sente falta dela — ela disse

— e aí? — perguntei aflita

— a gente conversa disso depois... agora me ajuda a guardar essas caixas ali no alto — ela disse e eu ri

— mãe por favor né. sou dois centímetros mais alta que a senhora, isso aqui só papai consegue guardar — falei e ela revirou os olhos indo chamar ele

Meu ânimo para chegar em casa era tanto, que arrumei tudo junto com o Pedro, em um piscar de olhos. Até tentei arrancar algo deles no carro, mas ninguém disse nada, então eu teria que esperar.

— boa noite mãe. boa noite pai — Alice disse dando um beijo no rosto de cada um e em seguida no meu

— boa noite. te amo — murmurei

— te amo também — ela respondeu

Me sentei no sofá e fiquei olhando para a parede esperando ansiosa por aqueles dois virem falar comigo.

vamos logo ao ponto meu pai disse, aparecendo na sala eu e sua mãe decidimos deixamos você ir para Boston, com as passagens do Chris — meu pai disse

— se vai ficar na casa do Chris se cuida por favor Sarah — minha mãe falou e eu revirei os olhos

— ai por favor né, não seja tão dramática. eu me cuido muito bem — levantei indo abraçar os dois

— vocês são os melhores pais do mundo —respondi abraçando forte eles

— só não me apronte... — meu pai disse severo

— nunca. eu amo vocês — respondi sorrindo

Fui para o quarto às pressas, caçando meu celular em todo o quarto, procurando ele até encontrar. Tinha umas chamadas perdidas do Chris e algumas mensagens, mas nem li, já fui logo ligando pra ele. Chamou, chamou e finalmente ele atendeu.

— amor? oi... — ele disse com voz de sono

— te acordei? ai desculpa — falei empolgada

— sim. te liguei mas não atendeu... imaginei que tivesse chegado muito cansada — ele disse e eu ri

— EU VOU PRA BOSTON — gritei e ele riu

— minha incrível namorada vem pra Boston? — ele perguntou se fazendo de bobo

— ela mesma... olha, eu só aceitei porque você insistiu muito, muito mesmo... eu não ia se você não tivesse insistido tanto — falei e ele riu

— deixa de ser boba. vai ser ótimo ter você em Boston... e em outros lugares do mundo, quem sabe — ele disse e eu ri

— ei amor... falei com meus pais que eu iria ficar na sua casa, até o dia do aniversário da Emily —falei mordendo o canto da boca

— uau... ganhei esse brinde? — ele perguntou e eu ri

— deixa de ser bobo — falei e ele riu

será um prazer te receber na minha casa — ele disse e eu sorri

que bom. mas a questão das passagens...
falei e ele me cortou

— resolvo isso e te aviso — ele disse

— ok — respondi sorrindo

— e Washington? — ele perguntou e eu mordi o lábio

— eles foram bons demais me deixando ir pra Boston, poupei eles de mais isso, não quis apelar — respondi rindo fraco

— na volta você daria uma paradinha para voltar pro Brasil, não custava nada sua paradinha demorar umas horinhas a mais — ele disse e eu ri

— você quer mesmo que eu vá nisso né. calma, uma coisa de cada vez. primeiro Boston — falei e ele suspirou

— claro que quero. você é minha namorada. mas tudo bem.... primeiro Boston... conversamos isso pessoalmente. amanhã vejo suas passagens, ok? — ele disse e concordei

Conversamos mais um pouco sobre o dia dele e então desligamos, ele estava tão animado quanto eu e isso me deixava ainda mais entusiasmada, não via a hora de poder viajar e encontrar ele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...