História Amor em Hollywood (Um conto SasuSaku) - Capítulo 37


Escrita por: e LuSteUchiha

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Hashirama Senju, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Karin, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Fama, Naruhina, Naruto, Nejiten, Saiino, Sasusaku, Universo Alternativo
Visualizações 1.054
Palavras 6.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, gente!
LuSteUchiha aqui! Tudo bom?
Olha só, a gente sabe que esperar muito por um capitulo, Lua e eu somos leitoras também, mas a gente acabou de voltar pra faculdade e isso tem tomado muuuito tempo, por favor, sejam pacientes!
Boa leitura!

Capítulo 37 - O caminho de volta


Fanfic / Fanfiction Amor em Hollywood (Um conto SasuSaku) - Capítulo 37 - O caminho de volta

Sasuke sentia uma pontada na cabeça quando acordou, abriu os olhos e viu que estava em um corredor, não sabia aonde estava, mas viu que tinha uma porta enorme em sua frente, resolveu entrar lá. Quando abriu a grande porta se tocou de onde estava, mas o que ele estava fazendo na sala da presidência da Uchiha’s Corp? Caminhou até o meio da sala e viu a cadeira se virar, olhou sem entender e depois uma expressão de choque passou pelo seu rosto, não podia estar vendo certo, aquele era... não impossível, não podia ser!

 Ele estava olhando o homem a sua frente com expressões serias e com os braços cruzados, estava imaginando coisas só pode, como ele poderia estar ali na empresa de sua família vendo seu PAI em sua frente? Era ele mesmo, Fugaku Uchiha.

 - Você envelheceu bem, Sasuke, está um homem feito agora. – esboçou um mínimo sorriso no canto dos lábios, era estranho ver Fugaku sorrir.

 Sasuke ainda estava estático com tudo o que estava acontecendo, mas pôs-se a dizer.

 - Pa...pai? – Sasuke respirou fundo tentando manter o mínimo de sanidade – Eu não sei como vim para aqui, eu morri?

 - Não filho, você não morreu. – Fugaku soou calmo – Eu só quero conversar com você.

 - Mas como? – a cabeça de Sasuke doía – Eu ainda não entendo, eu só lembro que bati com o carro e depois de estar no completo escuro, agora estou aqui, eu tô muito confuso.

 - Acalme-se Sasuke, você está bem, ficará bem. – o mais velho tranquilizou o filho – Eu lhe trouxe aqui para falar tudo o que eu deveria ter falado em vida, meu filho.

 - Pai, eu não preci... – Sasuke começou, mas como era de costume Fugaku o calou com um gesto de mão.

 - Filho, só me escute por favor. – Fugaku se levantou da cadeira e se aproximou de Sasuke.

 - Eu quero te pedir perdão meu filho. – o pai de Sasuke soltou enquanto se aproximava e Sasuke não pôde segurar a expressão chocada em seu rosto – Todos esses anos eu negligenciei você, eu sei que fui um mal pai, deveria ter ficado ao seu lado te apoiado nos seus sonhos e te parabenizando nas conquistas... me perdoe. Eu sempre fui muito fechado e isso não ajudou muito, mas sua mãe era maravilhosa sempre me dando conselhos de como me aproximar de vocês. – um sorriso nostálgico tomou o rosto de Fugaku – Sinto tanta falta dela, muita falta meu filho.

 Não era algo comum para Sasuke ver os pais trocando carícias, ele sabia que Mikoto amava Fugaku, mas se lembrava de ter dúvidas quanto aos sentimentos do pai, bom, não tinha mais.

 - Eu poderia ficar aqui me justificando por tudo, mas eu só tenho uma coisa para te falar. – Fugaku levou a mão até o rosto do filho, Sasuke se assustou com o toque que não se lembrava de ter sentido – Eu te amo, Sasuke, eu te amo demais, você e Itachi foram os melhores feitos da minha vida, diga para seu irmão que eu o amo muito e que nunca me decepcionei com ele, pelo contrário, e você Sasuke é a quem eu mais devo, filho. – o patriarca Uchiha tinha dor nos olhos e Sasuke notou que lágrimas desciam pelo rosto – Eu estou tão feliz pelas coisas que conquistou e por como você cresceu, se tronou um grande homem, um homem melhor que eu. Sempre estive olhando por vocês daqui e vou continuar, mais uma vez me perdoe por tudo, eu te amo filho.

 Sasuke não disse nada, apenas abraçou seu pai e não conteve as lagrimas, chorava feito criança no colo do pai, não tinha mais o que falar, já tinha perdoado Fugaku há muito tempo, ali naquele momento era seu pai, seu herói, seu amigo.

 - Pai, eu já te perdoei há muito tempo. – Sasuke tentou secar as lágrimas, mas elas o venceram – Eu sinto sua falta o tempo todo mesmo não demonstrando, me desculpe também pai, não fui o melhor filho. – disse ele abraçando Fugaku mais uma vez.

 - Calma meu filho, você sempre foi bom para mim, os erros foram todos meus. – o mais velho segurou o rosto de Sasuke com as duas mãos – Agora estamos aqui, mas sinto lhe dizer que nosso tempo está acabando, sinto a força me deixar aos poucos e precisamos nos despedir. – Sasuke não queria que aquele momento acabasse – Diga para sua mãe que eu a amo muito, diga que quero que ela seja feliz e diga para seu irmão que ele é meu garoto, e que o amo muito também.

 - Eu vou dizer. – disse Sasuke dando um pequeno sorriso.

 - Eu fiquei muito feliz em lhe ver e sei que o homem que está se tornando tem muito a ver com a mulher a mulher que escolheu pra você, ótima escolha. – e pela primeira vez desde que podia se lembrar, Fugaku sorriu completamente – Cuide bem da Sakura, mulheres são os nossos alicerces, sem elas não somos nada.

 Fugaku se afastou do filho e começou a caminhar na direção da porta, mas parou como se tivesse esquecido algo, virou-se para Sasuke.

 - Ah, cuide bem da Sarada. – disse ele.

 Sasuke ficou ali olhando seu pai ir embora com o grande sorriso e se fez uma pergunta interna, quem é Sarada?

∞∞∞

 Havia uma semana desde a parada cardíaca de Sasuke e o mesmo permanecia estável, Mikoto estava ao lado do filho sempre que podia, por ela seria o tempo inteiro, mas Itachi e Madara se alternavam para convencê-la a descansar em sua própria cama.

 Madara era um grande amigo, desde a morte de Fugaku ele sempre se apresentava como alicerce seguro para Mikoto, mesmo quando voltava a Washington deixava de estar ao lado de Mikoto, ligava todos os dias querendo saber de tudo e desde que Sasuke sofrera o acidente ele não deixou Nova Iorque.

 Ele adentrou o quarto em silêncio e se aproximou da morena, olhou para Sasuke.

 - Vim busca-la para almoçarmos. – disse o maior.

 - Não sinto fome. – disse Mikoto.

 - Mikoto, precisa manter-se saudável se quer ajudar o Sasuke. – a voz grave de Madara soou doce – Por favor.

 - Especialmente hoje não quero sair do lado dele, algo tem incomodado meu coração. – Mikoto olhou o filho – Não vou deixar meu menino sozinho hoje.

 - Você é uma ótima mãe, Mikoto. – Madara sorriu – Dos três irmãos, Fugaku é o que soube escolher melhor.

 - Panko foi uma boa esposa pra você e uma ótima mãe para Shisui enquanto pôde. – o tom da menor era delicado.

 - Mas ela nunca foi você. – ele soltou e Mikoto sentiu o coração acelerar.

 - Madara, por favor. – o repreendeu – Por que relembrar uma história tão dolorosa que está esquecida há décadas?

 - Pode não ser comentada, mas pra mim não está esquecida. – disse Madara colocando as mãos para trás – Mas em respeito a Sasuke irei me comportar melhor. Anda me lembro do dia em que ele nasceu.

 - Itachi estava tão feliz. – Mikoto sentiu as lágrimas molharem seus olhos, segurou a mão de Sasuke – Sasuke passou um dia inteiro na UTI pelo parto difícil, eu fiquei com tanto medo de perdê-lo.

 - Mas não o perdeu naquele dia e nem o perderá agora. – assegurou Madara.

 - O sinto diferente, como hoje ele estivesse... melhor. – disse Mikoto olhando o rosto de Sasuke – Será que ele pode nos ouvir?

 - Não duvido disso. – disse Madara.

 De repente a máquina que monitorava os batimentos cardíacos de Sasuke sofreu uma alteração, aumentou mais que o normal e tornou-se alaranjado. Mikoto e Madara se assustaram e imediatamente o mais velho saiu correndo pra encontrar ajuda.

 Mikoto estava desesperada olhando o filho, quando sentiu uma pequena pressão em sua mão, olhou notando que o dedo indicador e o dedo médio de Sasuke faziam uma pequena pressão em volta de sua mão.

 Levantou o olhar vendo as pálpebras do filho moverem-se lentamente até abrirem-se apenas um pouco. O coração e Mikoto saltou dentro do peito e a emoção o tomou.

 - Sasuke! – ela chamou, o mais novo abriu mais os olhos e olhou para a mãe – Filho, consegue me ouvir? Sasuke!

 Sasuke revirou os olhos e começou a soltar ruídos desconexos que se transformaram em gemidos de agonia, a equipe médica adentrou o quarto e Madara afastou Mikoto a tirando do quarto

∞∞∞

 Quando Sakura soube que Mikoto tinha sido arrastada de dentro da sala temeu por Sasuke, os médicos disseram que outra parada cardíaca seria muito perigosa naquele momento. Subiu correndo até onde Mikoto estava, esteve todo aquele tempo na capela até que Hidan foi chama-la.

 Entrou na sala de espera correndo e viu Madara e Itachi tentando acalmar Mikoto, aproximou-se ajoelhando-se aos pés da Uchiha e segurando suas mãos.

 - Mikoto, o que houve? – quis saber – Sasuke teve outra parada?

 - Não. – ela sussurrou, de repente sorriu e ninguém entendeu nada – Ele acordou.

 - O que? – Itachi perguntou – Mãe, tem certeza?

 - Eu vi Itachi! – ela assegurou e olhou para Sakura que não acreditava no que estava ouvindo – Ele abriu os olhos e olhou pra mim, pra mim. Meu filho acordou.

 Sakura estava sem reação, não conseguia decidir o que sentir até que Ághata apareceu e todos a cercaram e começaram a falar ao mesmo tempo.

 - Se acalmem. – ela pediu e os quatro se calaram, a médica deu um meio sorriso – É uma boa notícia na verdade, Sasuke reagiu ao coma e começou a acordar.

 - Ah meu Deus. – Sakura soltou encantada.

 - Ele tá acordado agora? – Madara indagou.

 - Essa é a notícia não tão boa, tivemos que sedá-lo de novo. – ela informou.

 - Mas por que? Ele acordou! Isso bom! – disse Itachi sem entender.

 - Sasuke tem uma condição rara que o torna mais tolerante à morfina que a maioria das pessoas, teríamos que aumentar muito a dose e isso seria perigoso no estado dele. – a médica explicou – Assim que Sasuke acordou ele sentiu todas as dores do tempo que passou desacordado, é demais pra ele aguentar e por hora é melhor que continue desacordado.

 - Por quanto tempo? – perguntou Sakura.

 - Pelo menos até os órgãos internos estiverem recuperados, depois a dor vai diminuir e o risco de ruptura dos pontos será menor, então analgésicos mais fracos farão efeitos e poderemos acordá-lo. – respondeu.

 - Tem como saber se ele ficou com alguma sequela? – Mikoto quis saber.

 - Não senhora, apenas quando ele acordar vai ser examinado pelo doutor Shepherd. – ela falou e voltou a sorrir – Mas é uma noticia boa, podemos acordá-lo quando quisermos, ele está bem.

 Sakura soltou um suspiro de alívio.

...

Todos tinham se reunido do hospital pra saber das notícias e ficaram felizes em saber que Sasuke tinha dado um grande passo em sua recuperação.

 - Naruto vai ficar muito feliz quando souber. – disse Hinata sorridente.

 - Ele ainda não voltou? – Sakura perguntou.

 - Não, ele diz que tem corrido atrás de umas coisas. – disse a Hyuuga – Mas ele volta amanhã mesmo.

Hidan se aproximou e Sakura sorriu pra ele.

 - Não acha que tá na hora de ir pro hotel descansar? – perguntou o francês.

 - Não estou cansada. – disse e ele me olhou reprovativo.

 - Cerejinha, cerejinha, não pode pensar só em você. – disse Sasori indicando minha barriga – Lembre-se de que tem uma pequena cerejinha ai dentro.

 - Falando em cerejinha, quando vai contar pro Kakashi? – perguntou Ino e Sakura suspirou.

 - Ele tá em Los Angeles essa semana, quando ele voltar eu conto. – prometeu a rosada suspirando cansada – Acho que vocês tem razão, vou descansar.

 - Vamos pra casa também. – Ino disse.

 - Eu vou me despedir do Itachi. – disse Sasori.

 - Hm... – soltou Ino e Sasori a fuzilou com o olhar.

 - O que foi, vadia? – quis saber o ruivo.

 - Não acha que tá muito amiguinho do Ita-tesão não? – perguntou a loira e os outros da roda riram baixinho.

 - Caso você não lembre, eu tenho namorado, sabia? – Sasori revirou os olhos – Embora o Deidara não pareça lembrar disso.

 - Problemas? – Sakura se preocupou com o amigo, mas Sasori sorriu.

 - Nada comparado à sua vida. – desdenhou de si mesmo – Eu já volto.

∞∞∞

Sasori não era cego, ele sabia bem que Itachi era um tesão, mas ele estava em um relacionamento sério com Deidara embora o loiro não lhe respondesse há dias. Sabia que Itachi estaria no fumodromo, se ele não estava com Sasuke ou com a mãe estava lá, aquele lugar tinha sido palco das inúmeras conversas casuais dos dois.

 Quando chegou ele estava no celular, sinalizou que estava indo embora, mas o Uchiha gesticulou para que esperasse, finalizou sua ligação e sorriu.

 - Meu Deus, você sorri. – brincou se aproximando.

 - Meu irmão saiu do coma, tenho razões pra sorrir. – colocou o celular no bolso – E você, tá bem? Deidara te respondeu?

 Tinha se sentido à vontade para contar a Itachi sobre Deidara, costumava a se sentir melhor perto do Uchiha que se esforçava para escutá-lo e entendê-lo.

 - Você não existe. – Sasuke balançou a cabeça – Tem tanta na cabeça e ainda se preocupa com os meus problemas adolescentes.

 - Ao contrário do que muitos pensam, eu sou uma pessoa boa. – ele riu, estava bem humorado e isso alegrava Sasori.

 - Não, ele não respondeu. – o ruivo cruzou os braços – Eu realmente não sei o que tá acontecendo, mas preciso dar todo meu apoio pra Sakura agora.

 - Por causa do bebê. – disse Itachi e Sasori arregalou um poucos os olhos – É, eu sei sobre isso, minha mãe me contou ontem.

 - Desculpa não ter dito nada. – justificou-se – Não era um segredo meu.

 - Não se preocupe com isso. – ele enfiou as mãos nos bolsos da calça.

 - E como você tá lidando com isso? – Sasori quis saber – Sabe, em ser o tio Itachi.

 - Eu fiquei bem assustado no começo, mas parei pra pensar que meu irmão vai ficar mais. – os dois riram do comentário – Acho que vou ser um bom tio, posso ensinar uma maneira melhor de fazer equação de segundo grau.

 - Deus salve essa criança. – disse Sasori fazendo uma careta, Itachi riu – Eu também acho que você vai ser um bom tio, só não vai ser melhor que eu porque eu vou vestir essa criança de ouro.

 Sasori assistiu Itachi se entristecer e não entendeu a razão.

 - Hey, o que foi? – perguntou colocando a mão em seu ombro.

 - Sasuke tem problemas sérios, grande parte deles por minha causa. – ele soou culpado – Não quero que isso afete meu sobrinho.

 - Itachi, não pode se culpar pelos problemas mentais do Sasuke, muita coisa aconteceu, não é culpa sua. – garantiu Sasori descendo a mão pelo braço de Itachi e segurando sua mão – Ele precisa de ajuda e vai melhorar. Tá na hora de se perdoar.

 - Tem razão. – disse Itachi sorrindo.

 - Tenho que ir agora ou aquela vadia loira me deixa pra trás. – ele soltou a mão de Itachi.

 - Até amanhã. – disse o Uchiha. Sasori virou as costas e começou a andar, mas parou e se virou para Itachi.

 - Sabe, devia sorrir mais, fica mais bonito. – disse a ele.

 - Vou usar essa informação pra atualizar meu perfil no Hornet. – brincou.

 - Meu Deus, Itachi, Hornet? – Sasori riu – Você realmente é um viado velho.

 Ele foi embora ouvindo Itachi gargalhar.

(Hornet: aplicativo de relacionamento gay considerado passado pela comunidade)

∞∞∞

  Naruto passou a semana tentando falar com o administrador do hotel Careebean, mas infelizmente o responsável só teria tempo na sexta, então o Uzumaki passou os dias se informando sobre o que precisava fazer caso suas suspeitas se confirmassem.

 Finalmente adentrou o escritório onde o homem chamado Joseph o aguardava, o homem moreno se levantou com um sorriso cordial no rosto.

 - Senhor Uzumaki, é uma honra pra nós recebê-lo no hotel. – disse Joseph estendendo a mão para Naruto que a segurou – Mas confesso que fiquei confuso com o motivo dessa reunião.

 - Eu quero as gravações das fitas de segurança do dia vinte e sete de setembro, do bar e do quarto cento e vinte. – disse Naruto de uma vez e depois de um segundo de choque, Joseph sorriu.

 - Eu não posso lhe dar isso. – disse o administrador – É contra as regras.

 - Não está entendendo... – Naruto leu o crachá dele – Joseph. Eu tenho fortes razões para acreditar que um crime aconteceu no seu hotel, coopere e isso só vai ajudar você.

 - Eu não posso, senhor Uzumaki. – disse Joseph – Temos uma política de privacidade.

 - Eu te dou cinco milhões de dólares mais toda a publicidade que esse hotel pode querer. – disse Naruto sendo objetivo, o moreno arfou surpreso mordeu o lábio e finalmente sorriu.

 - Me acompanhe. – ele se levantou.

 Joseph levou Naruto até a sala de controle do hotel, conversou com o responsável e o mesmo buscou o que Naruto queria nas filmagens. O loiro se aproximou para ver Sasuke e Karin conversando no bar, de repente uma garota se aproximou e falou com Sasuke, depois de duas palavras o Uchiha se levantou parar tirar uma foto e depois voltou a se sentar.

 - Volta e passa essa parte de novo. – Naruto pediu e foi entendido. Ele viu o que tanto queria ver, Karin tirou algo do decote e seja o que for despejou no copo de uísque de Sasuke, aquilo já era o suficiente, mas Naruto queria mais. – Pode me mostrar a gravação do quarto agora?

 O técnico olhou para Joseph que assentiu, digitou mais um pouco e logo a imagem que Naruto queria apareceu na tela. Sasuke caiu na cama quase inconsciente e Karin ficou o olhando por um tempo, logo ela andou até a porta e a abriu, a assessora que não deixava Karin entrou no quarto.

 As cenas seguintes foram as duas despindo Sasuke e bagunçando o quarto, depois Karin se despiu e se deitou ao lado do Uchiha desacordado, Sutton mesmo tirou as fotos que tinham vazado na mídia.

 - Pode gravar duas cópias disso pra mim? – perguntou Naruto.

 ...

 Ao pisar em solo nova-iorquino a primeira coisa que Naruto fez foi ligar para Ino e Tenten encontrá-lo na portaria do prédio onde o apartamento de Karin ficava. Ele tinha sondado, sabia que Karin permanecia em Nova Iorque, a dissimulada da prima ainda conversava com alguns jornalista e dava informações extraoficiais sobre o estado de Sasuke.

 Assim que as meninas chegaram Naruto subiu até o andar da prima e pediu para que as duas aguardassem no corredor. Tocou a campainha e mal esperou Karin atender, já foi entrando.

 - Posso ajudar? – ela se virou para o primo.

 - Eu disse que descobriria a verdade, Karin. – disse Naruto estendendo o celular para a prima, Karin pegou sem entender e empalideceu quando viu o vídeo passando no celular do primo.

 - Como conseguiu isso? – ela olhou para Naruto com certo desespero.

 - Como você pôde, Karin? – perguntou Naruto indignado – Como pode ser tão mau-caráter se fomos criados na mesma família? Você sabe que o que fez foi um crime, não sabe?

 - Toma conta da sua vida! – ela gritou.

 - Eu estou fazendo isso, cuidando de quem cuida de mim, do meu irmão. – o loiro se aproximou da prima – Eu já levei uma copia desse vídeo na polícia, eles me explicaram tudo e se quer saber a sua vida acabou.

 - Naruto, por favor, somos família! – disse ela com a voz embargada com um choro desesperado.

 - Um laço de sangue não nos torna família, Sasuke é minha família e você quase acabou com ele, por sua causa ele achou ter perdido a Sakura, por sua causa ele tá naquela cama! E eu não vou te perdoar por isso. – Naruto pegou o celular da mão da prima – Ninguém vai te contratar depois de te ver saindo algemada daqui, você vai perder tudo. Isso se sair da cadeia.

 - Eu não vou ser presa, eu vou estar bem longe daqui quando a polícia chegar. – ela parecia atordoada.

 - É por isso que pensei numa maneira de te deixar ocupada. Meninas? – Naruto chamou. Tenten e Ino adentraram o apartamento e pararam lado a lado – Você merece a surra que vai levar Karin, você merece se foder de todos os lados porque você é uma invejosa, uma bandida que eu tenho vergonha de ter o mesmo sangue. Sakura devia fazer isso, mas ela não pode, ela não pode porque tá esperando um filho do Sasuke, sabe por que Karin? Porque eles se amam tanto que o amor deu frutos, você nunca vai ter isso porque é vazia, mesquinha e vai morrer sozinha.

 - Se elas encostarem as mãos em mim vão presas. – Karin recuou para o lado contrário das duas.

 - Acha que só você sabe agir mal, Karin? – o loiro sorriu – Eu subornei a segurança, as câmeras estão desligadas, ninguém vai falar nada e eu duvido que sua palavra valha alguma coisa. Vejo você nas páginas policiais. – virou-se para as meninas – A polícia vai chegar em vinte minutos, divirtam-se, mas estejam longe daqui quando chegarem.

 Naruto passou por Tenten e Ino, fechou a porta satisfeito em saber que as duas fariam Karin pagar.

 O Uzumaki dirigiu até o hospital e encontrou Sakura, Hinata, Sasori, Sai e Neji na sala de espera, todos ficaram surpresos ao ver o loiro. Naruto caminhou até a namorada e o beijou com afeto.

 - Amor, por que não avisou que vinha? – Hinata perguntou – Cadê a Ino e a Tenten?

 - Eu vou explicar tudo, anjo, mas antes tem algo que a Sakura precisa ver. – disse Naruto e a rosada estranhou.

∞∞∞

 Sakura não estava confortável com aquilo, ainda mais porque Naruto parecia tenso enquanto mexia em seu Ipad procurando por algo, tinha mandado chamar Mikoto e Itachi e logo todos rodeavam a rosada e a matriarca da família Uchiha. O Uzumaki pousou o aparelho na mão de Sakura com um vídeo pronto para ser solto, ao que parecia era uma gravação.

 - Eu consegui as gravações de segurança do Careebean. – contou Naruto – Precisa ver isso.

 Sakura sabia que seria algo sério, por isso respirou fundo e deu play no vídeo. Era um bar que parecia bem movimentado, ela conseguiu reconhecer Sasuke bebendo sozinho e reconheceu a roupa que usava, era o vídeo daquele maldito dia.

 Sasuke permaneceu sozinho por um tempo até que Karin encostou ao seu lado, o vídeo não tinha áudio e nem precisava ter, Sakura não precisava saber o que Sasuke estava dizendo para saber que estava incomodado com a presença da ruiva Uzumaki. Conversaram por alguns minutos e nesse tempo Sakura pôde notar que o moreno bebia muito, de repente uma menina mais jovem se aproximou, parecia eufórica e balançava o celular provavelmente pedindo uma foto, Sasuke aceitou e se levantou para tirar uma foto com a garota.

 Foi quando em um movimento rápido Karin tirou algo do decote e derramou na bebida de Sasuke sem que ele visse. Sakura prendeu a respiração e precisou voltar para ver de novo, todos pareciam pasmos.

 - Ela drogou o Uchiha. – Neji soou pasmo.

 - Tem mais. – Naruto se inclinou trocando de vídeo. A boca de Sakura estava extremamente seca, seu coração socava o peito com força e suas mãos suavam, mas ela continuou firme e colocou o segundo vídeo.

 Estavam no quarto e assim que Sasuke caiu na cama apagou completamente, Karin parecia bem e ficou olhando o Uchiha adormecido até que subiu da filmagem e quando voltou estava com outra mulher, a assessora dela. As duas conversaram por alguns instantes e começaram a despir Sasuke de suas roupas, bagunçaram o quarto criando o cenário pós sexo perfeito, depois Karin livrou-se do vestido e da lingerie deitando-se na cama com Sasuke e se deixando fotografar pela assessora.

 - Ela armou tudo. – Mikoto estava indignada.

 Sakura entregou o Ipad para Hinata e se levantou, sabia que devia manter a calma, mas a ansiedade era ainda mais presente naquele momento. Sabia que tinha muitos problemas com Sasuke, mas a traição a tinha ferido tão profundamente que ela tinha quebrado e agora... não era mais real.

 Sakura começou a ofegar e todos se viraram para ela, Mikoto e Itachi que sabiam sobre a gravidez se adiantaram em alerta.

 - Cerejinha, respira. – pediu Sasori e Sakura não conseguiu responder. Tudo começou a gira, ela se sentia tonta e não tinha onde apoiar-se, as coisas se chocavam em sua cabeça, ela quis gritar, mas não sentia a língua dentro da boca, até que os joelhos falharam.

 - Sakura! – escutou a voz de Hinata antes de desabar.

 Mas Sakura não tocou o chão, sentiu-se amparada e pelo cheiro amadeirado era Itachi quem a segurava. Perdeu os sentidos.

...

 Sakura tinha desmaiado apenas duas vezes e não gostava da sensação, acordou com a cabeça pesada, mas sabia que logo estaria melhor. Moveu-se minimamente e logo Ino, Hinata, Tenten e Sasori a cercaram, pareciam preocupados.

 - Sakura, você tá bem? – Hinata perguntou.

 - Sim. – disse se sentando, Sasori apertou o botão para a cama subir e ela se encostar, Sakura levou a mão até a barriga – Ele tá bem?

 - Sim, a obstetra acabou de sair daqui, tá tudo bem com a cerejinha ai. – disse Tenten com um meio sorriso. Sakura notou uma marca avermelhada no rosto da Mitsashi e Um arranhão bem feio no colo de Ino.

 - Me diz que vocês não espancaram ninguém. – disse ela e Ino sorriu.

 - Eu não deixaria você colocar essa cerejinha em risco, meu amor, e aquela vadia precisava de uns bons tapas. – disse Ino segurando a mão da amiga – E desde a Hanabi eu queria bater em alguém de verdade.

 - Meu Deus. – a Haruno riu, mas logo se entristeceu.

 - Você tá bem? Digo, de verdade. – Sasori perguntou.

 - Ele não fez. – murmurou a Haruno – Ele não me traiu.

 - Isso é bom, não é? – Tenten quis saber.

 - Ainda temos outros problemas. – falou Sakura.

 Um vulto apareceu na porta, era Itachi que entrava.

 - Como vocês estão? – perguntou o Uchiha.

 - Estamos. – Sakura sabia que Mikoto tinha contado ao filho sobre o bebê.

 - Que bom, porque acho que vai querer ver isso. – Itachi pegou o controle remoto da tv de plasma do quarto onde Sakura estava, ligou-a no noticiário onde a manchete em vermelho anunciava a prisão de Karin.

 Karin saia algemada de dentro do prédio onde ela ficava em Nova Iorque, o rosto estava machucado o que indicava o bom trabalho de Ino e Tenten, ela tentava cobrir o rosto dos jornalistas, mas era óbvio que era ela.

 “- A atriz mais bem paga de Hollywood, Karin Uzumaki, acaba de ser presa em Nova Iorque por dopar Sasuke Uchiha e simular uma cena intima. – disse a repórter – Há dois meses a internet parou com fotos de uma suporta noite quente entre Sasuke e Karin, na época o ator estava em um relacionamento sério com a modelo Sakura Haruno e isso ocasionou na separação dos dois e a partida da modelo pra Paris. Há um pouco mais de uma semana Sasuk sofreu um grave acidente de carro e continua internado em estado grave no Hospital de Nova Iorque.”

 - Vagabunda, tá pagando pelo que fez. – rosnou Sasori.

 - Eu sinto muito, mas acho que ela não ficará presa. – disse Itachi e todos o olharam.

 - O que ela fez foi um crime, Uchiha. – disse Ino cruzando os braços.

 - Eu tive coisas de direito na faculdade e pelo que eu sei ela é ré primária e tem estabilidade, provavelmente ela vai ficar presa por algumas semanas e vai responder em liberdade. – disse o mais velho.

 - Eu cresci em Hollywood, eu sei como as coisas acontecem. – Sakura olhou o monitor – Ela tá acabada, nunca mais vai conseguir um contrato para um filme ou uma serie ainda que pequena, ela perdeu aquela imagem de menina perfeita que a indústria pede, essa vadia não atua mais. E pra mim, toda essa humilhação, uma carreira perdida, dias na cadeia e a surra que ela levou são o suficiente.

 - Vamos tratar de cuidar da nossa cerejinha. – disse Sasori beijando a testa de Sakura e acariciando a barriga de Sakura.

 - Sakura! – era a voz de Kakashi que fez Sasori afastar o toque. Kakashi adentrou o quarto transtornado de preocupação, viu que todos estavam reunidos e piorou, se aproximou da irmã – Você tá bem? Eu cheguei e me disseram que desmaiou! O que aconteceu?

 Sakura trocou um olhar com os amigos que entenderam e a deixaram sozinha com o irmão, Sakura puxou a mão de Kakashi para que ele sentasse na cama também.

 - Precisamos conversar. – disse Sakura em tom ameno.

 - Sakura, você tá doente? Eu disse que ficar aqui o tempo todo não ia te fazer bem. – ele repreendeu.

 - É mais sério que isso, Kakashi. – ela revelou, umedeceu os lábios – Me desculpa, mas... quebrei a promessa que fizemos há seis anos... Estou grávida.

 Kakashi ficou sem reação, Sakura não sabia dizer se o irmão estava feliz, triste, com raiva ou surpreso, seu rosto era uma máscara atônita que não se moveu por mais tempo que o necessário.

 - G-Grávida? – perguntou engolindo seco em seguida.

 - Antes que pergunte, é do Sasuke. – suspirou – Eu não tive nada com o Hidan na França, eu já fui pra lá grávida e descobri há um mês e meio.

 - Por que não me contou? – agora ele parecia chateado.

 - Porque tive medo da sua reação. – segredou encolhendo-se – E também porque estava digerindo isso, você provavelmente é a pessoa que mais me entender, sabe o quanto estou apavorada com a ideia de ter um filho e agora é real, ele está dentro de mim e o pai dele...

 As lágrimas embargaram a voz de Sakura, Kakashi suspirou inclinando-se para abraça-la, beijou-lhe os cabelos insistindo em um afago carinhoso.

 - Meu Deus... Um bebê. – Kakashi parecia surpreso – Minha irmãzinha tá gravida. Isso é insano.

 - Estou com medo. – Sakura murmurou.

 - Vai ficar tudo bem, ainda que tudo desande, seremos você e eu contra o mundo pra proteger esse Haruno. – ele prometeu – Não vou mentir, isso também me assusta, mas somos os adultos aqui não é? Vamos cuidar desse bebê.

 Sakura relaxou nos braços do irmão, se os amigos e Kakashi estavam ao seu lado ela não sentia mais medo, agora só faltava um desafio. Sasuke.

...

 Mikoto tinha aprovado a cirurgia plástica na cicatriz da laparotomia de Sasuke, ela levou em consideração a profissão do filho e seria melhor que a enorme cicatriz fosse suavizada. Uma semana já tinha se passado, Karin continuava presa enquanto esperava julgamento e os advogados dos Uchiha não deixavam barato.

 Finalmente iriam acordar Sasuke, ele estava em como há quase um mês contando o tempo normal e o que foi induzido, a cicatrização interna estava praticamente toda concluída, a dor dele seria menor e os analgésicos mais fracos iriam fazer efeito. Estavam todos reunidos na sala de espera já que os médicos examinavam Sasuke.

 Hidan abraçou Sakura que retribuiu o abraço.

 - Como você está, mon petiti rose? (minha pequena rosada) – perguntou com voz doce.

 - Estou mais leve. – contou afastando-se dele.

 - Fico feliz por isso. – ele sorriu.

 - O que tá acontecendo entre vocês? – Itachi perguntou e Sasori lhe deu uma cotovelada, Sakura notava certa intimidade entre os dois.

 - Somos amigos. – Hidan respondeu por mim – Pode esconder os dentes.

 - Se meus dentes estivesse ‘de fora’ não sobraria nada da sua carne francesa. – a classe de Itachi não o abandonou nem em uma ameaça.

 - Sakura não é uma propriedade do seu irmão. – rebateu Hidan.

 - Ela é uma pessoa, não é propriedade de ninguém, mas nós dois sabemos quem ela ama. – Itachi enfiou as mãos nos bolsos – Mantenha a dignidade.

 - Já chega. – Sakura pediu – Itachi, Hidan, isso é um hospital.

 - Mas arrasou. – sussurrou Sasori e Sakura precisou se segurar pra não rir.

Doutora Ághata se aproximou e todos se levantaram.

 - Tiramos os medicamentos que o mantinham dormindo, mas deixamos o tubo porque ele ainda não respira bem sozinho. – disse a médica – Não podemos dizer o horário certo que ele vai acordar, mas pelo jeito que ele reagiu será hoje, apenas dois de vocês podem estar no quarto.

 Todos olharam para Sakura que sorriu.

 - É justo que Mikoto e Itachi estejam com ele. – disse Sakura e Mikoto sorriu agradecida.

 - Peço que tenham paciência, não sabemos quais serão as sequelas. – Ághata juntou as mãos – As tenten à acreditar que quando uma pessoa acorda de um coma ela sai andando e falando, mas não é bem assim, ele não vai falar no início também pelo fato do tubo, mas está prejudicado.

 - Só quero ver os olhos do meu filho de novo. – disse Mikoto esperançosa.

 Sakura também queria, ela precisava.

∞∞∞

 Desde a despedida de Fugaku a escuridão cercou Sasuke e ele continuou lá até ver um princípio de luz. Havia tanta dor que ele gemeu mesmo sabendo que não sairia nada, por isso quando se ouviu surpreendeu-se. Seu corpo, seu real corpo estava respondendo aos seus comandos, finalmente.

 Quis tanto abrir os olhos, quis tanto ver o que o cercava, mas ele não via e nem ouvia nada, ele apenas sentia e o melhor momento em toda aquela eternidade foi quando sentiu aquele toque quente e emocionado, não sabia de quem, provavelmente de Mikoto, mas sentiu-se tão bem que a morte aproximou-se dele.

 A luz incomodou tanto seus olhos que precisou piscar dezenas de vezes até conseguir mantê-los abertos, demorou para conseguir focar a visão e quando focou viu o lindo rosto de Mikoto, ela falava, mas Sasuke não podia escudar, apenas olhava para a mãe e decidiu que quando pudesse repetiria milhões de vezes que a amava.

 Deslizou os olhos para o lado e viu Itachi, iria se aproximar do irmão custe o que custar, não podia perder aquilo e quase perdeu, sentia os olhos lacrimejarem de emoção e resolveu tentar falar, não podia. Tinha algo incomodando na garganta, doía e era incômodo, mas parecia ajudar Sasuke.

 - Sasuke? – ele ouviu a mãe chamá-lo, mas o som era distante – Querido, pode me ouvir?

 Ele colocou toda a força na mão esquerda para apertar a da mãe, provavelmente aquele era o único lugar do corpo que sentia. Viu Mikoto sorriu emocionada e olhar para Itachi, Sasuke devia isso ao irmão então empenhou-se para apertar a mão dele também.

 - Estávamos preocupado, seu pirralho. – disse Itachi segurando o choro – Bem-vindo de volta.

 Tudo o que Sasuke queria era poder falar com eles, dizer que não precisavam mais chorar.

 - Aperte minha mão para sim, querido. – Mikoto falou pausadamente – Entendeu?

 Sasuke apertou a mão da mãe que já derramava lágrimas grossas.

 - Está com muita dor? – Itachi perguntou.

 Ele estava, mas não apertou a mão de nenhum dos dois, não queria que o colocasse pra dormir mais uma vez, não queria fechar os olhos nunca mais.

 - Ah meu filho, eu te amo tanto. – disse Mikoto afagando seu rosto – Está tudo bem agora.

 - Mãe. – Itachi chamou Mikoto – Vou busca-la, é o que ele precisa.

 - Vá. – disse a mais velha.

 Sasuke assistiu o irmão se afastar e quis chama-lo de volta, não queria ficar longe da família naquele momento, mas não podia fazer nada e Itachi deixou o quarto, isso fez Sasuke apertar ainda mais a mão de Mikoto com medo que ela o deixasse sozinho no escuro outra vez.

 - Você não perde por esperar, meu querido. – ela foi doce.

 A porta se abriu e Sasuke pensou estar fantasiando, pois foi Sakura quem passou por ela e nunca esteve tão linda. Os olhos de Sasuke se arregalaram para ver melhor, Sakura pareceu demorar uma eternidade para chegar até ele, usava roupas simples, mas Sasuke a achava a coisa mais linda que seus olhos já viram.

 Ele precisava gritar o nome dela, balbuciava sem conseguir por conta daquele maldito tubo, machucava, mas ele queria muito dizer algo para ela. Sakura o odiava e estava lá, era a melhor pessoa do mundo, ele não a mereceria nem que vivesse mil anos.

 - Não tente falar, querido. – aconselhou Mikoto, preocupada. Mas Sasuke continuava tentando, ele não podia perder aquela mulher de novo, mas Sakura o acalmou com um toque, segurou-lhe a mão com delicadeza e tudo fez sentido, o toque que Sasuke sentiu quando estava em coma era dela, muito mais emocionado, mas era dela ele sabia.

 Sakura o olhou nos olhos, os lindos olhos esmeraldinos estavam repletos de lagrimas de alívio, era incrível o modo como Sakura tinha poder sobre ele.

 - Eu sei. – ela disse como se lesse seus pensamentos – Tudo o que quer me dizer, eu sei e pode esperar. Não vou a lugar nenhum.

 Sasuke fez a única coisa que podia e apertou sua mão, mas aquele aperto não significava um simples “sim”, era um silencioso e sentido “eu te amo”.


Notas Finais


Se você é do tipo de pessoa que nao acredita nessa experiências "sobrenaturais", tudo bem, muitas pessoas já relataram terem passado por algo parecido, mas a ciência nunca comprovou, então se você é uma pessoa cética leve isso como delirios de uma mente em coma. Ok? Lembre-se da licença poética

Finalmente o Sasuke voltou!
no proximo cap teremos a tão esperada conversa entre eles!

COMENTEM!
Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...