História Amor Entre Dois Mundos - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 2
Palavras 1.110
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Capítulo novu!!! Aproveitem! S2

Capítulo 3 - Não Sei o Que Sinto...


Exatamente como a sua Resignada falou, os dois se encontraram uma semana depois, mas de um jeito inusitado. Dentro do bosque, havia um pequeno lago onde Rully passava um tempo de folga da vigília. Neste dia que mencionei acima, tudo estava como sempre, até que um ruído veio de umas árvores atrás de Rully. Com o susto, ele se afastou e se escondeu mas, como sabia que Julien o encontraria ali, resolveu subir na árvore próxima.

A cena que ele viu foi surpreendente. Sim, era Julien, mas ela estava sem sua máscara por algum motivo. Rully nunca tinha visto um rosto tão lindo, mais lindo ainda com os olhos azuis celeste dela. Julien começou a mexer as mãos de forma estranha e de repente surge um movimento de redemoinho do lago. Daquele redemoinho, surgiu um pássaro de água que, lentamente e graciosamente, voou até as mãos de Julien, pousando e após um pequeno canto, se desfazendo. Rully ficou pensando como alguém que tinha uma habilidade tão delicada poderia cometer um crime com pena de morte. Ele resolve se aproximar.

Julien, é claro, sentiu seu movimento e pulou para trás para fugir mas não foi atacada. Na verdade, Rully jogou sua espada no chão e disse:

- Quero falar com você sem armas, apenas palavras. Ainda preciso saber qual crime você cometeu para não me arrepender se te condenar.

- Quem é você? Eu te conheço de algum lugar?

Mas como assim? Julien parecia confusa, perdida, "menos ela mesma". Com um pouco de esperança, Rully responde:

- Julien, sou o Rully, seu Resignado, lembra?

Ela pensou um pouco, observou-o de cima abaixo, mas não reconheceu seu "inimigo". Foi quando Rully se lembrou da carta deixada e tudo ficou mais claro. As habilidades estranhas de Julien a transportaram para o bosque, mas de tanto esforço, as memórias foram afetadas e ela não lembrava de nada. Nem de seu nome, seu crime, seu Resignado, nada além de suas habilidades.

Rully pensou que seria então mais fácil capturá-la. Simplesmente a algemou, enquanto Julien olhava para ele sem entender nada, com aqueles olhos azuis tão intrigantes. Rully a levou de volta para o salão da Corte e anunciou a captura de sua Resignada, de novo.

- Eis aqui ela, meu serviço está completo.

- Mas, porque ela está agindo deste modo? - perguntou a Rainha, curiosa, enquanto o Rei avaliava a criminosa.

Julien ficava observando tudo como uma criança, tudo era novo e estranho. Rully não pensava direito enquanto observava essa curiosidade dela.

- Ela perdeu sua fuga em função de sua última memória. Quer dizer, perdeu a memória em função da sua fuga, lembra daquela carta deixada no local?

- Espere, então ela não lembra de nada?

- Não, não lembra nem seu próprio nome.

- Mas então recupere as memórias de Julien- disse o Rei finalmente.

Como assim? Sua jornada não acabou ainda? Surpreso, Rully conversa com o Rei:

- Mas meu trabalho não era apenas capturá-la?

- Sim, quando estava em sã consciência. Mas agora ela está com amnésia e não podemos julgá-la assim.

- Achei que ela o irritava.

- E irrita, mas não posso julgá-la até que seja uma testemunha de seus atos.

- Entendido.........Vou ver o que posso fazer.

Aquela conversa deixou o Espadachim apreensivo, um criminoso não precisava estar em sã consciência, apenas presente. Foi este momento decisivo que fez Rully se rebelar. Ele procuraria a história de Julien junto com ela, não importava o que fosse preciso. Estava na hora de saber qual foi o seu crime.....

Como primeira ideia, Rully resolveu voltar à clareira onde capturou Julien por conta dos relatórios que foram escritos. Ao chegarem, ele passou todas as cartas para ela ler, na esperança que reconhecesse o seu passado. Julien foi lendo, lendo, lendo, até que ela diz:

- Você por acaso é este tal de Rully mencionado aqui? É que não entendi muito bem essa carta.

- Bom, nem precisa entender, apenas foque em nomes ou lugares- disse Rully, pegando rapidamente a carta de sua mão pois ela tinha muitas ofensas fortes à ele.

Ele começou a se sentir entediado, então resolveu ler as cartas também. A maioria eram relatórios monótonos, mas para sua surpresa, também haviam muitas informações boas dele. Até que uma carta o deixou curioso:

"Superior,

Faz 2 dias que estou no Mundo Imerso, como o chamam aqui, e parece que as lendas sobre nosso Mundo Superficial são parecidas com as nossas sobre eles. Nosso programa de exploração pode continuar, mas vai ser difícil convencer o povo daqui. Julien"

Como Julien poderia pertencer ao Mundo Superficial?! Aquele mundo era o Inferno na Terra! E como ela chegou no seu mundo? Rully achou melhor procurar o arquivo dela no Grande Arquivo.

O arquivo de Julien estava com o mesmo status que suas informações, ficava entre o Rei, a Rainha e seus ministros. Rully tentou em vão convencer o homem responsável por aquele lugar, mas ele não cedeu. Agora era decisivo, se Rully roubasse o arquivo de Julien não seria crime, estaria apenas cumprindo sua missão de recuperar as memórias dela... Nada que não fosse fácil de encobrir...

Na noite daquele mesmo dia, Rully e Julien estavam prontos para invadir o Grande Arquivo. Embora Julien não estivesse entendendo nada até agora, ela ainda não havia esquecido suas habilidades e uso de equipamentos, então quis ajudar. Os dois ficaram juntos esperando o dono do Arquivo sair em um pequeno esconderijo. Era tão pequeno que suas mãos se tocaram por um leve instante. Rully percebeu e olhou para Julien, que apenas lhe deu um sorriso de lado, um sorriso que o deixou meio hipnotizado... Rapidamente retirou sua mão e voltou a observar, envergonhado.

Em questão de segundos depois do homem sair do Arquivo, os "inimigos agora aliados" já estavam procurando pelo arquivo de Julien. Procuraram em cada prateleira, caixa ou estante, mas parecia que o arquivo havia sido levado embora. Até que Julien disse:

- Ei Rully, acho que é aquele lá em cima, vou pegar e você fica aqui!

- Espera!!!!- Advertiu Rully, após ver a quantidade de armadilhas e proteções em volta do arquivo que ela indicou.

Ele começou a ficar apreensivo, pois cada vez mais Julien chegava perto das armadilhas. Mas por uma surpresa, ela fez outros sinais de mão estranhos e num piscar de olhos já estava ao lado de Rully, segurando o arquivo e sem ter ativado uma mísera armadilha. Rully começou a ficar impressionado com as habilidades estranhas dela e a imaginar se os outros habitantes do Mundo Superficial também possuíam-nos. Aquela mulher o deixava realmente confuso... E ao mesmo tempo hipnotizado pelo seu jeito de ser...


Notas Finais


Hihih, gostei desse capítulo mais ativo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...