1. Spirit Fanfics >
  2. Amor Eterno. ( Cedric Diggory X Oc.) >
  3. Terceira Tarefa - O Labirinto

História Amor Eterno. ( Cedric Diggory X Oc.) - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiiiii

Capítulo 15 - Terceira Tarefa - O Labirinto


Fanfic / Fanfiction Amor Eterno. ( Cedric Diggory X Oc.) - Capítulo 15 - Terceira Tarefa - O Labirinto

Cedric On.

Estáva apenas esperando para em fim começar, minha mãe e Alex ficariam na arquibancada mas meu pai fazia questão de estar ao meu lado até que eu entrasse no labirinto e eu não tenho motivos para descordar do mesmo.

Taís: Me promete que vai voltar se um arranhão daquele labirinto. - Pede ainda me abraçando.

Ced: Prometo mãe. - Digo dando um beijo em sua bochecha.

Taís: Eu te amo meu filho. - Diz se afastando logo em seguida.

Ced: Também te amo mãe. - Digo e ela me da um beijo na testa.

Alex: Vai me prometer que vai voltar enteiro pra mim. - Diz assim que minha mãe vai para ficar junto a plateia.

Ced: Eu acabei de fazer a mesma promessa.- Digo puxando a mais nova pra mais perto pela cintura.

Alex: Me promete. - Repete séria colocando seus braços ao redor de meu percoço.

Ced: Eu prometo. - Diz sério. - Por que está tão aflita meu amor? - Pergunto confuso já que ela perecia mais preocupada do que estáva na primeira tarefa.

Alex: Estou com um péssimo pressentimento. - Diz apoindo sua a cabeça em meu peito. - Eu não posso te perder okay, você tem que voltar pra mim.- Diz chorando baixo e eu a abraço mais forte.

Ced: Eu prometo que não importa oque aconteça eu sempre vou voltar pra você. - Digo em seus ouvido e depois de alguns minitos a mesme para de chorar.

Alex: Eu te amo. - Diz me olhando séria.

Ced: Eu te amo. - Respondo e beijo a mais nova só sendo obrigado a para pela falte de ar.

Alex: Estarei na primeira fileira. - Diz se afastando e indo em diração ao lugar citado e eu fico do lado fora do local junto ao meus pai.

Amos: Está tudo bem meu filho? - Pergunta colocando sua mão em meu ombro.

Ced: Está sim pai. - Digo enfim escuto a voz de Dumbledor ao lado de Harry nos chamando para entrar na arena e assim que faço vejo todos muito animados, vejo os alunos de Beuxbatons dançando enquanto a banda de Hogwarts toca alguma música que não conhecia, ao olhar em volta vi os gêmeos Weasley, Tayler, Alex e minha mãe sentados juntos na primeira fileira.

Dum: Sonorus.- Diz e sua voz é apliada a um nível que me doeram os ouvidos fazendo todo se calarem.- Hoje cedo professor Moody colocou a Taça Tribruxo no interior do labirinto, só ele conhece o lugar exato, como o Sr. Diggory... - Assim que ele cita meu nome vejo todos os lufanos e Alex levantarem gritando e batendo palmas.

Ced: Pai. - Chamo rindo para mesmo que havia levantado meu braço com se eu já tivesse ganhado.

Dum: E o Sr.Potter...- E agora foi a vez do Grifinorios gritarem e baterem palmas.- Estão empatados em primeiro lugar eles serão os primeiros a entrar no labirinto seguidos pelo Sr.Krum...- Os Búlgaros levantam em alvoroço. - E a senhorita Delacuor...- As Francesas fazem o mesmo animadas.- O primeiro que consegui tocar na taça será o vencedor...- Dessa vez as palmas são gerais.- Dei ordens a equipe para patrulhar o perímetro, caso algum competidor queira abandonar a tarefa ele ou ela só precisará disparar faíscas com sua varinha.- Explica. - Competidores venham pra cá rápido. - Diz nos chamando para perto e assim fazemos. - No labirinto não haverá nenhum dragão ou criaturas aquáticas invés disso enfrentaram uma coisa ainda mais perigasa, sabem as pessoas mudam no labirinto, achem a taça se puderem mas estejam bem atentos porque podem acabar se perdendo no caminho.- Adverte sério se voltando para o alunos logo em seguida. - Campeões prepare-se.- Diz e todos batem palmas e eu volto até onde meu pai estáva.

Amos: Tome cuidado meu filho. - Diz o mais velho me abraçando e eu fasso o mesmo.

Ced: Eu prometo pai. - Digo assim que ele me solta.

Amos: Sabe que tenho muito orgulho do homem que se tornou não sabe. - Diz sorrindo.

Ced: Vai me fazer chorar. - Brinco e eu ri baixo. - Eu te amo pai. - Digo o abraçando novamente.

Amos: Tambem te amo filho. - Diz saindo abraço-Boa sorte meu filho.- Diz se despindo.

Ced: Até mais tarde pai.- Digo e vejo ele ir em direção as arquibancadas se sentado ao lado de minha mãe.

Dum: Quando eu disser 3, 1... - Assim que começa a contagem o som do canhão é ouvido e assim eu e Harry entramos no labirinto lada a lado.

Assim que entramos a passagem se fecha e o silêncio reina entre mim e Harry até que depois de uns dois ou três metros a frente vemos uma bifurcação e eu decido seguir para direita ao contrário do mais novo que diz um " Até mais" baixo antes de sumir da minha vista sem me dar chance para responder, sigo pela direita e entro pela esquerda logo em seguida mas ao ir novamente pela direita me deparo com um Explosivims de mais ou menos três metros de altura, ele parecia muito um escorpião gigantesco com a pele que pederia ser igualada a uma armadura cinza brilhosa, assim que ele sente minha presença o mesmo vem em minha direção e eu escapo por um tris de ser atingido por seu ferrão explosivo. - Impedimenta. - Digo mas o feitiço ao se chocar com o animal ricocheteia quase me atingindo então tenho uma brilhante idéia, corro em direção ao Explosivins e derrapo ficando de baixo dele tendo a certeza de minha teoria de que naquela área não havia escudo algum. - Impedimenta!- Lanço o feitiço poucos segundos depois da explosão causada pelo animal e corro ao ver ele a alguns metros de distância de mim por causa do feitiço, vou pela direita me encontrando com Harry que me olhava confuso.

Ced:Os Explosivims de Hagrid, estão enormes, escapei por muito pouco. - Digo recuperando o folego e percebo que minha manga estáva levemente pegando fogo e eu logo trato de apaga-lo.

Harry: Você foi a única coisa que escontrei aqui dentro. - Diz parecendo perdido.

Ced: invejo sua sorte mas tome cuidado Harry. - Aviso segindo novamente pela direita, paro ao ver uma bifurcação novamente, fico em duvida de qual direção pegar então me lembro de um ótimo feitiço para essas ocasiões, o feitiço dos quatro pontos que servia como uma bússola para bruxos e me manda seguir em direção ao noroeste e assim e faço, vou seguindo por vários caminhos, uns me levaram para direção mas outros para um beco sem saida então resolvo valtar e fazer novamente o feitiço que me manda ir pela direita e ao fazer isso vejo uma densa nevoa de com pérolada e assim que piso na mesma sinto como se de cabeça pra baixo oque dificulta para andar poir me sinto tonto mas assim que tento dar um passo me sinto caindo não chão, me levanto rapidamente mas ao começas a andar sinto como se o ar tivesse saido de meus pulmões e começo a correr o mais rápido que podia, perco um pouco a noção do tempo de quanto tempo eu aguentei correr mas assim que caiu no chão tento me arrastar mais rápido possível para consegui ar, quando finalmente sinto o oxigênio me preencher fico deito no chão por alguns segundor até que escuto um grito, alto e agudo que logo reconheci se de Fluer e fico angustiado pois não havia faíscas vermelhas no ar, oque será que aconteceu? É claro que a garota poderia ter escapado do que teria atacado a mesma poderia estar incapaz de fazer as faíscas. Sem perder mais tempo sigo pela trilha a minha frente sem encontrar mais Explosivims ou nevoeiros pérolados quando vejo as faíscas vermelhas no céu, ótimo, um competidor a menos mas quem será? Fluer, Krum ou Harry? Antes que eu termine meu raciocínio escuto um barulho atrás de mim e quando olhos vejo Krum apontando sua varinha pra mim e eu escapo por um tris de ser atingido mas o mesmo não desiste de tentar me atingir.

Ced: Que é que está fazendo? - Grito mais o mesmo me ignora tentando me atingir com um feitiço novamente.- Que diabos você pensa que está fazendo? - Grito na tentativa de fazê-lo ouvir mas foi quando percebi que ele estáva enfeitiçado pois seus olhos estávam tão nublados que quase pareciam brancos.

Krum: Cruciu! - Diz aproveitando minha distração e eu caiu no chão em meio a uma dor absurda que nunca senti na vida, era como se meus osso queimasse em lava e minha cabeça parecia que explodiria a qualquer segundo e eu queria que tudo acabasse logo mas depois de não sei quanto tempo, quando estáva começando perder os sentidos, tudo acaba e assim que consigo abrir meus olhos vejo Harry parado de costas para um Krum apagado e olhando para mim.

Harry: Cedric você está bem? - Pergunta me ajudando a levantar.

Ced: Agora sim. - Digo ainda retomando o fôlego. - Obrigado pela ajuda Harry. - Digo e ele apenas sorri fraco.

Harry: O que fez ele fazer isso? Ele parecia sem uma boa pessoa. - Pergunta olha para Krum confuso.

Ced: Ele estáva sob o efeito da Maldição Imperio, não sabia oque estáva fazendo. - Digo e ele me olha surpreso.

Harry: Ele deve ter chego a Fluer por trás. - Diz olhando novamente para o Búlgaro.

Ced: É melhor irmos Harry. - Digo e ele concorda com cabeça indo pelo caminho oposto ao meu.

Sigo pelo mesmo caminho de antes sem interrupções mas com a forte sensação que estava sendo seguido a todo momento então começo a andar mais rápido sendo surprendido ao ver a Taça Tribruxo a duas trilhas a frente e fico mais surpreso ainda ao ver oque bloqueava a passagem, uma grande esfinge, ela tinha um corpo de uma grande leão, grandes patas com garras enormes e um rabo aralanjado que terminava em grande tufo loiro.

Esfinge: Você está muito próximo do seu objetivo, o caminho mais rápido é passando por mim. - Diz calmamente.- Mas para isso você precisará decifrar o meuenigma, se acertar de primeira, deixo-o passar, se errar, eu o ataco, permaneça em silêncio, eeu o deixarei partir, ileso.- Continua polidamente.

Ced: Diga-me o enigma. - Digo firme e ela sorri de lado.

Está presente em nossas vidas desde o primeiro momento mas nem em todos.

Comete erros e acertos a cada momento.

Para uns a salvação para outros a mais pura maldição.

Me sintia confuso com oque poderia ser, poderia sem qualquer coisa, fico minutos em silêncio enquanto ela apenas olhava em minha direção com um sorriso presunçoso em seu rosto.

Ced: Poderia repitir por favor. - Peço depois de um tempo e assim a mesma faz, toda esperança de que quando ouvisse novamente o enigma eu teria alguma ideia do que poderia ser bai por água abaixo assim que ela termina de fala, fico andando de um lado para o outro sem saber oque responder quando por algum motivo o quarteto de prata vem a minha cabeça e me lembro de "Para uns a salvação para outros a mais pura maldição." e finalmente tudo faz sentido em minha cabeça.- Os pais. - Digo confiante e a Esfinge apenas concorda com a cabeça e sorrindo de lado ela se afasta do caminho o deixando livra para que eu corra em direção a taça que eu podia ver brilhando ao fundo.

Harry: Cedric! - Berrou Harry atrando minha atenção. - À sua esquerda!- Berra novamente e quando olho na diração indicado vejo um vulto gigantesco vindo com rápidez par cima de mim e me atiro para além do vulto e evito de colidir com elemas em minha pressa eu tropeço, sinto minha varinha voar de minha mão ao mesmo tempo que uma enorme aranha entrava na trilha e começava a avançar para cima de mim com rapidez.

Harry: Estupefaça! – Berrou o feitiço atingiu o gigantesco corpo da aranha, negro epeludo, mas produziu tanto efeito quanto se o garoto tivesse atirado uma simples pedra nela, aaranha deu um estremeção, virou-se e correu para Harry.- Estupefaça! Impedimenta! Estupefaça! - Ouvi o mais novo gritar rapidamente a aranha ou era demasiado grande ou tão mágica que os feitiços só conseguiam irritá-la, vi de relance Harry olhando horrorizado para os oito olhos negros e brilhantes e as pinças afiadas como navalhas, antes que a aranha estivesse sobre ele. O inseto ergueu-o no ar com as patas dianteiras; debatendo-se como louco, Harry tentou chutá-lo; sua perna fez contato com as pinças e no momento seguinte ouvi enquanto procurava minha varinha o grito de dor do mais novo.

Ced: Estupefaça!- Grito assim que acha minha varinha mas o feitiço produziu tanto efeito quanto o de Harry, vi quando o garoto ergueu a varinha quando a aranha tornou a abrir aspinças e gritou “Expelliarmus!” Funcionou, o Feitiço para Desarmar fez a aranha largá-lo, o que significou que Harry caiu três metros e tanto sobre uma perna já machucada, que se dobrou sob seu corpo.- Estupefaça! - Grito na mesma hora em que Harry gritava o mesmo, os dois feitiços combinados fizeram o que um sozinho não conseguira, a aranha tombou delado, achatando uma sebe próxima e espalhando na trilha um emaranhado de pernas peludas.- Harry! - Grito ao não conseguir ver se o animal havia caido em cima dele. – Você está bem? Ela caiu em cima de você? - Pergunto preocupado.

Harry: Não! – gritou em resposta e ao olhar ao redor percebo que estáva a poucos metros de distância da Taça Tribruxo mas não podeia deixar Harry agora que estáva machucado. -Pega a Taça, então – Diz com sua arfante enquanto se apoiava na sebe que havia ali. - Pega logo, apanha. Você chegou ao centro.- Contínua mas não me mexo e continuou parado olhando para Harry e em seguida me viro para olhar a Taça, eu desejava isso muito, ser o campeão e trazer a glória para Hufflepuff mas ao olhar novemente para Harry vendo o mesmo tentando se manter eu percebi que não era justo.

Ced: Você pega.- Digo após um suspiro audível- Você é que deveria vencer, você salvou minha vida duas vezes neste labirinto.- Digo ele me olha parecendo estár com raiva.

Harry: Não é assim que a coisa deve funcionar.- Diz sério confirmando sua expressão raivossa pela dor.- Quem chegar à Taça primeiro ganha os pontos e foi você, estou lhe dizendo, não vou vencernenhuma corrida com essa perna assim.- Continua e eu vou até o mesmo me afastando da taça.

Ced: Não. - Digo balançando a cabeça em negação.

Harry: Pare de ser nobre. - Retrucou irritado.- Pega logo a Taça para a gente poder irembora daqui.- Insiste e eu observo Harry se aprumar, segurando-se com força na sebe.

Ced: Você me falou dos dragões. - Digo sério.-  Eu teria perdido a primeira tarefa se vocênão tivesse me prevenido sobre o que me esperava.- Contínuo e ele me olha como se quisesse me matar mas eu estáva fazendo oque é justo.

Harry: Tive ajuda nisso – Resmunga o mais novo e eu o vejo tentando enxugar a perna ensanguentada com as vestes.- Você me ajudou com o ovo, estamos quites.- Diz olhando par mim novamente.

Ced: Eu tive ajuda com o ovo para começar – Digo ao me lembrar de Alex.

Harry: Continuamos quites.- Repete experimentando a perna, desajeitado; ela tremeuviolentamente quando o garoto se apoiou nela e percebo que ele tinha torcido o tornozelo quando a aranha o largara.

Ced: Você devia ter ganhado mais pontos na segunda tarefa – Teimo começando a me irritar com o mais novo e lembro de Alex reclamando do quão cabeça dura um Gryffindor pode ser e tinha que concordar mas uma coisa que aprendi nos últimos anos foi ser insistente.- Você ficoupara trás para salvar todos os reféns, eu é que deveria ter feito isso.- Digo lembrendo de que todos ele eram meus amigos, até a irmã de Fleur que era muito carinhosa comigo.

Harry: Eu fui o único campeão suficientemente burro para levar aquela música a sério! – Dissecom amargura.- Pega a Taça!- Insiste novamente.

Ced: Não.- Repito e pulo por cima do emaranhado de pernas da aranha para me juntar a Harry, que me encarou percebendo que eu falava sério. Que também estava dando as costas a uma glória que a Casa da Hufflepuff não experimentava havia séculos.- Anda.- Digo rapaz e cruzo os braços sentindo que essa atitude estáva me custando casa centímetro de ambição e determinação que havia em meu corpo mas estáva decidido. Harry olhou pra mim e para Taça logo em seguida.

Harry: Os dois.- Disse de supetão.

Ced: Quê? - Pergunto confuso.

Harry: Levamos a Taça ao mesmo tempo, ainda sera uma vitória de Hogwarts e nós empatamos.- Diz sério me encarando e eu descruzou os braços o olhando surpreso.

Ced: Você... você tem certeza?- Questiono duvidoso.

Harry: Tenho. Tenho... nós nos ajudamos, não foi? Nós dois chegamos aqui. Vamos levá-la,juntos.- Diz confiante e por um instante eu não consigo acreditar no que estava ouvindo mas entãoao ver que ele estáva realmente falando sério eu o olho sorrindo.

Ced: Negócio fechado, venha até aqui.- Agarro o braço de Harry pela axila e ajudou-o a mancar até o pedestal onde estava aTaça, quando a alcançamos sinto meu coração disparar em ansiedade, nos dois estendemos a mão para cada uma das asas.

Harry: Quando eu disser três, certo? – Disse parecendo tão ansioso quanto eu.- Um... dois... três...- Assim que nós apertamos as asas, instantaneamente, sinto sentiu um solavanco conhecido. Meus pés deixaram o chão e eu não conseguiu soltar a mão da Taça Tribruxo; ela me puxava para diante, num vendaval colorido, Harry ao seu lado.


Notas Finais


Desculpe qualque erro.
Bye Bye.💚💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...