História Amor Fácil - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Festa, Hentai, Hyuna, Kim Taehyung, Lisa, Rap Monster, Romance, Suga
Visualizações 117
Palavras 3.830
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi ^__^

O que esse serzinho aqui, está fazendo no spirit a essa hora?

Foi meio que momentâneo. Eu estou a um bom tempo escrevendo essa fanfic, que será uma 3shot com o nosso querido Tae, de especial aos meus 100+ SEGUIDORES! OBRIGADA PANDICORNIOS!

É uma história diferente do que eu estou acostumada a escrever, e veio inspirada de uma música.

➡ Easy Love - R5.

➡ Talvez eu demora para atualizar ela.

➡ Contém DirtyTalk, 18+

Tenham uma boa leitura.

Capítulo 1 - "Loves"


Fanfic / Fanfiction Amor Fácil - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 1 - "Loves"

Tudo começou há um ano. Eu estava com os meus amigos na praça dos skates quando uma garota me atropelou. Essa era totalmente descompensada, louca para falar a verdade.

Nos conhecemos melhor e começamos a nos enrolar. Depois disso, eu a pedi em namoro, e hoje estamos juntos.

_________ é a garota mais linda que já vi. Diferente da maioria das coreanas, ela anda de skate e se joga na vida, literalmente. Minha namorada e eu cursamos faculdade. Ela faz enfermagem e eu música. Somos o oposto um do outro.

- No que tanto pensa? - _________ para na calçada e franzi o cenho.

- Em nada. - Rio. - Só que eu te amo.

- Eu também te amo. - Ela sorri e me beija docemente. - Vai ter uma festa na casa do Joonie sábado, vamos?

- Huh, não sei. - Seguro suas mãos e sorrio. - As provas da faculdade estão chegando.

- Eu sei. - Revira os olhos me fazendo rir. - Mas é só uma festinha amor. - Solto uma das suas mãos e voltamos a caminhar.

- Você vai de um jeito ou de outro. - Sussurro. - Só espero não tem quer te carregar igual a última vez.

- Já disse que eu bebi muito, eu errei. - Infla suas bochechas me arrancando um sorriso aberto. - Será que você não pode esquecer?

- Não. - Paramos novamente e eu bufo. - Você estava roçando naqueles homens! Estava bêbada e parecia uma-

- Não ouse me chamar de puta! - Ela aponta o dedo pra mim e puxa seus cabelos para atrás. - As pessoas erram, sabia?

- Mas ela aprendem com seu erro, diferente de você! - Seguro nos seus ombros. - Você se mostra uma pessoa para sua mãe, mas na verdade é outra.

- Para. - _________ me olha em reprovação.

- Você tem medo, medo dela não aceitar sua verdadeira personalidade. - Elevo minha voz. - Uma hora ela vai descobrir que você cursa enfermagem e não direito!

- Para Kim Taehyung! - Engulo seco e seguro na sua mão. - Me solta!

- Não, você não vai. - Colo nossos corpos e ela vira o rosto. - Desculpa, amar você não é fácil.

- Você não tem o direito de falar comigo assim. - Murmura com bico.

- Olha pra mim. - Seguro no seu queixo e viro seu rosto. Selo nossos lábios e sorrio. - Desculpa, eu não devia ter falado-

- Eu sou assim, Taehyung. - Sussura e fecha os olhos. - Eu gosto de curtir a vida e de estudar enfermagem. Amo esportes de meninos e minha mãe odeia tudo isso, eu não quero mágoa-lá. Mamãe é tudo que eu tenho.

- Eu sei. - Sorrio e beijo sua testa. - Prometo não falar mas disso, hm?

- Certo. - Sorri e abraça minha cintura. Envolvo meus braços nas suas costas e deposito um beijo na sua cabeça. - Tae?

- Sim amor. - Seguro sua mão e voltamos a andar pelas ruas de Busan.

- Podemos comprar pizza? - Indaga sorrindo, o sorriso que faz meu coração acender todo dia.

- Sim. - Balanço nossas mãos para frente e para trás. - De calabresa?

- Sim. - Suspira e morde o lábio assim que paramos em frente a sua casa. - Mamãe já deve estar em casa.

- Boa sorte. - Seguro seu rosto com minhas mãos te dou um beijo cálido. - Vou pra casa tomar um banho e depois volto com a pizza.

- Tudo bem. - _________ me beija e aprofunda nosso ósculo. Desço minhas mãos até sua cintura e a aperto. - Tae... - Arfa e eu sorrio.

- Nos vemos depois. - Deposito um selinho nos seus lábios.

- Tchau Taehyungie. - Beija minha bochecha.

_________ On

Adentro em casa e recebo o olhar da minha mãe, que estava a ler um livro sentada na poltrona branca. Respiro fundo e me aproximo pronta para receber sua bronca.

- Já disse para você não usar essas roupas. - Deixa o livro de lado e estreita os olhos.

- Mas eu gosto. - Murmuro. Eu estou apenas de calça jeans preta rasgada no joelho e um moletom simples com um vans branco.

- Não, você não gosta. - Mamãe se levanta e anda em volta de mim. - Você faz isso para me provocar e chamar minha atenção.

- Não... - Sussurro.

- Disse alguma coisa? - A mais velha franze o cenho e cruza os braços.

- Nada mamãe. - Abaixo a cabeça. - Vou tomar um banho, Taehyungie virá aqui depois.

- Certo. - Sorri e volta a se sentar. - Taehyung é um ótimo garoto. Como vai a faculdade?

- Bem. - Respondo rápido e beijo sua bochecha. - Te amo.

- Também te amo _________. - Sorri e beija minha testa.

Subo e tranco a porta. Respiro fundo e tiro toda minha roupa a pondo dentro do cesto. Ligo o chuveiro no quente e entro no mesmo. Odeio tem que fingir ser a princesinha que a minha mãe sonha. Mamãe me teve aos seus quinze anos, e meu pai a abandonou quando soube.

Mamãe é advogada e por isso quer que eu curse direito. Mas diferente dela, eu não quero uma vida chata, onde eu tenho que andar de roupa social e ser "certinha".

Me seco e passo hidratante por todo o meu corpo. Visto minha lingerie preta e coloco um vestido simples branco. Amarro meu cabelo num rabo de cavalo e me sento na cama, pegando meus livros de enfermagem de baixo da cama numa caixa. Abro o primeiro deles e começo a estudar. Não demora muito para meu celular tocar com uma mensagem da Hyuna, minha melhor amiga.

Eu: 

Oi Hyu. - Sorrio ao digitar o apelido que tanta odeia.

Gata Borralheira: 

Você sabe que eu odeio esse apelido! - Rio e reviro os olhos.

Eu: 

Eu sei. O que quer?

Gata Borralheira: 

Nossa, não posso te mandar uma mensagem?

Eu: 

Claro que pode. Só que eu estava estudando.

Gata Borralheira: 

Sei. Vocês vão na festa do Joonie?

Eu: 

Não sei. - Mordo o lábio. - Tae ainda está puto comigo.

Gata Borralheira:

E ele tem razão. - Suspiro. - Já sabe a desculpa que vai dar pra sua mãe?

Eu: Já. - Rio. - Vou dizer que o Tae vai me ajudar estudar.

Gata Borralheira:

 _________ você é a melhor!

Eu: 

Eu sei. - Me gabo. Minha melhor amiga deve estar rindo agora. - Preciso voltar a estudar. Beijos!

Gata Borralheira: 

Beijos.

Bloqueio meu celular e volto a atenção para os livros. Tento ao máximo focar nas palavras, mas a minha cabeça está em outro lugar. Batidas na porta me fazem esconder os livros embaixo do travesseiro.

- Amor? - Taehyungie sorri e eu respiro fundo aliviada.

- Ah, oi. - Sorrio fraco. - Você me assustou.

- Desculpa. - Se senta ao me lado e me beija. - A pizza está lá embaixo.

- Taehyungie... - Choramingo. - Eu não aguento mais tem quer fingir...

- _________... - Ele me puxa e me abraça. - Não seria melhor você contar a verdade pra sua mãe?

- Ela nunca aceitaria. - Murmuro e abraço sua cintura.

- Você nunca vai saber se não contar. - Meu namorado sorri e sela nossos lábios.

- Vamos pra festa no sábado. - Sorrio e guardo os livros na caixa. - E você vai falar pra minha mãe que vamos estudar.

- Você me mete em cada uma. - Ele levanta e eu guardo a caixa embaixo da cama. - Certo, advogada _________.

- Não me chame assim! - Reviro os olhos.

- Tudo bem, marrenta! - Ela ri e me abraça por trás.

Tae segura na minha mão e descemos para a cozinha. Mamãe já havia posto pratos e copos na mesa.

- Hm, está com um cheiro bom. - Mordo o lábio e me sento.

- Sim. - Mamãe sorri e senta junto ao Tae. - Então Taehyung, como vai a faculdade?

- Ah, tudo certo. - Meu amor sorri e me serve um pedaço da pizza. - Tenho uma audição na SM.

- Boa sorte. - A mais velha sorri. - Dissem que é muito difícil passar.

- Mamãe! - A repreendo. - O Tae vai conseguir, sei disso.

- Está tudo bem amor. - Tae sorri quadrado. - A sua mãe tem razão, terei que estudar mais.

Comemos em silêncio. De vez em quando mamãe puxava assunto sobre a faculdade, mas o Tae sempre dava um jeito de desviar. Esse meu namorado é um anjo mesmo.

[...] 

- Hm... - Sussurro sonolenta. Abro os olhos vendo que o filme ainda não havia acabado.

- Você é a dorminhoca mais linda. - Taehyung ri e beija minha cabeça.

- Você adora puxar meu saco. - Rio e sento o encarando.

- Eu só estou falando a verdade. - Sela nossos lábios num selinho gostoso.

- Já sabe como vai na festa? - Indago me levantando. Abro o meu guarda roupas e retiro um vestido curto e sexy, preto, onde realça minhas curvas.

- Você não vai com isso! - O meu namorado levanta e tira o vestido da minha mão. - Está muito curto!

- Larga de ser chato! - Tomo o vestido da sua mão. Tae bufa e cruza os braços.

- Aqueles homens vão ficar te secando de novo! - Taehyungie suspira e eu o abraço.

- Você sabe que eu sou sua. - Beijo sua bochecha. - Eu te amo, meu alienígena.

- Certo, eu também te amo. - O maior sorri e me beija calmamente. O empurro até ele sentar na cama. Sento no seu colo e o beijo intensamente. - Não faz isso _________...

- Isso o que? - O provoco e rebolo contra seu membro, já com volume. - Eu estou tão quente, Taehyungie. - Sussuro a última palavra rente ao seu ouvido.

- Você é tão má! - Dá um tapa na minha bunda e ofega baixo. - Agora terá que me chupar!

- Não temos tempo! - Levanto e rio da sua cara de decepção. - Depois amor. - Lhe dou um selinho e arrumo minha bolsa com algumas roupas. - Vamos.

- Hm, vamos. - Segura na minha cintura e beija meu pescoço.

- Você está muito safado, Kim Taehyung! - Giro meus calcanhares e lhe dou um selinho.

- Você me deixa assim. - Sorri quadrado. Nem parece que está excitado.

- Vamos logo, antes que a minha mãe apareça aqui e vê a gente roçando um no outro. - Rio ao ver o maior se afastar rápido e pegar minha bolsa. - Melhor assim.

Seguro sua mão e descemos para a sala. Mamãe deve estar no escritório estudando algum caso.

- Mamãe, estou indo. - Lhe dou um beijo na bochecha. - Fique bem.

- Você também, qualquer coisa me ligue. - Manda um beijo no ar sem tirar a atenção dos papéis.

Saímos e adentramos o carro do Tae. Ligo o som na música Me Like Uh, do Jay Park. Automaticamente começamos a cantar, juntos numa só voz. Não vejo a hora de chegar na festa. Bebidas, música boa, dança, tudo de bom. É disso que eu gosto, liberdade.

- Sua mãe está bem? - Indago olhando a rua.

- Sim, está melhor. - Tae suspira. - Droga de câncer! - Pragueja e seus olhos se enchem de lágrimas.

- Shiuu, eu estou com você. - Levo minha mão até o seu cabelo e ali faço carinho. - Ela vai se curar.

- Eu tenho medo... - Meu namorado aperta o volante ao pararmos no sinal. - Ela está tão frágil...

- Huh, que tal passarmos a tarde com ela? - Tento reanimá-lo.

- Pode ser. - Sorri fraco e me dá um selinho. - Ela adora você.

- Eu também gosto dela. - Sorrio e encaro o chão do carro.

- O que foi? - Pergunta assim que estacionamos em frente a sua casa.

- Eu minto para minha mãe para não vê-la sofrer... E você... - Suspiro. - Você está perdendo a sua... É injusto...

- Acho que... Achamos algo em comum. - Rio fraco e observo sua mãe acenando pela janela. - Ela não vai te largar...

- Está com ciúmes da sua mãe? - Franzo o cenho e aproximo nossos rostos.

- Sim. - Beija-me com intensidade. - Uma rapidinha?

- Você está muito excitado amor. - Passo minha mão por seu volume coberto pelo fino tecido da sua calça moletom. - Vou cuidar disso pra você.

Fico de joelhos no banco e desço sua calça junto a sua box para baixo. Seu pau salta e a minha boca saliva. Seguro seu membro com minha mão esquerda e aperto seu falo que está coberto pelo gozo com o polegar. Seu gemido rouco me causa arrepios.

- Hm... Me chupa... - Pede manhoso.

Sorrio e passo a minha língua pela sua glande. Engulo seu pau até onde dá e masturbo o restante dele com a minha destra. Sinto meu corpo ficar quente apenas com ele pulsando na minha boca. Sua mão envolve meu cabelo e aumenta o ritmo das chupadas.

- Amor... Mais rápido! - Geme rouco e eu sorrio aumentando o ritmo.

Vejo que vai chegar no seu ápice e abro a boca, saboreando seu sabor único. O olho e observo seu rosto suado e sua respiração dilatada. Passo a língua pelos meus dedos não deixando nenhuma gota do seu pré-gozo.

- Você é tão doce. - O beijo envolvendo minhas mãos envolta do seu pescoço. - Me deve uma! - Dou um soco no seu braço. Taehyung resmunga e se veste, em seguida destrava o carro.

Adentramos a casa dele e sou recebida por um abraço da sua mãe.

- Quanto tempo. - Ela sorri, mesmo estando fraca. É nítida sua fraqueza.

- Digo o mesmo. - Sorrio e beijo sua bochecha. - Como se sente?

- Vou melhorar querida. - Franze o cenho ao ver Taehyung suado. - Vocês dois, transando no carro?

- Mamãe! - Tae ri e abraça a mais velha por trás. - A Senhora anda muito atrevidinha.

- O que tem demais nisso? - A Senhora Kim bufa. - Vocês estão certos, façam muito sexo. É a melhor coisa na vida, só usem camisinha. - Rio ao ver meu namorado vermelho, literalmente.

- Você tem razão. - Concordo e Tae arregala os olhos. - Sexo é a melhor coisa que existe.

- Viu? Não é só eu que acho isso. - Sua mãe senta no sofá. - Como vai sua mãe.

- Bem. - Sorrio fraco.

- Você já tomou seus remédios? - Taehyung pergunta para a mais velha.

- Já. Você não precisa me vigiar filho. - Bufa e infla suas bochechas. Nunca vi uma mãe tão adolescente.

- Eu estou preocupado, só isso. - Beija a bochecha dela. - Quero te ver bem, curada.

- Filho, você sabe que as minhas chances são míni-

- Mãe... - Tae choraminga e a abraça. Vou junto a ele e a abraço do outro lado. - Você não vai morrer, eu não vou deixar.

Eu queria dizer algo, alguma coisa para comprovar aquilo que meu amor disse. Mas não, sabemos que sua mãe está morrendo e que mais cedo ou mais tarde ela irá partir.

- Certo. - A mais velha seca suas lágrimas. - Vamos parar com a choradeira, eu ainda estou aqui.

- Sim. - Abraço Tae e aliso suas costas. Sinto seus músculos relaxarem assim como os meus.

- Vamos subir, qualquer coisa me chame. - Taehyung beija a cabeça da mãe. - Te amo, Senhora Kim.

- Também te amo, filho chato! - Ambos riem.

Subimos para o seu quarto e nos jogamos na cama. Ouço seu choro baixinho e o abraço, levando sua cabeça até o meu ventre e afagando seus cabelos.

Taehyung pode parecer forte, mas na verdade é frágil, muito frágil.

- Amor. - Seco suas lágrimas e beijo sua cabeça. - Não chore...

- Ela vai morrer... - Tae chora mais ainda. Sinto meus olhos marejarem. - Deus vai me tirar tudo que eu tenho!

- Tenha fé. - Respiro fundo. - Você tem a mim e sempre terá. Não importa o que aconteça.

- Eu te amo tanto _________. - Levanta seu rosto e me dá um selinho salgado por conta das lágrimas.

- Eu também Tae. - Seco suas lágrimas novamente. - Não iremos na festa se você quiser...

- Você faria isso? - Assento e o maior sorri.

- Tudo por você. - Brinco com seus dedos. - Que tal a levarmos no Starbucks? Ela sempre fala de lá.

- É uma boa ideia. - Meu menino sorri e levanta. - Vou tomar um banho.

- Sim. - Sorrio e o vejo adentrar o banheiro. - Puff! Babau festa! - Bato minha mão na testa.

Um sorriso grande modela meus lábios ao ouvir ele cantando no chuveiro. Desço para a sala e encontro sua mãe pálida no sofá.

- Senhora Kim! - Seguro na sua mão. - Você está bem?

- Ah, sim. - Sorri fraco. A ajudo a sentar no sofá direito. Me sento e a observo.

- Você não está bem, não é? - Seu silêncio responde.

- Preciso que me prometa algo _________. - Assento ainda segurando sua mão. - Prometa que irá cuidar do meu menino... E que me dará muitos netinhos...

- Eu prometo. - Sorrio emocionada. - Tae vai sentir sua falta...

- Por isso ele precisa de você. - A mais velha suspira. - Filha, eu sei que a sua relação com sua mãe não é da melhor... Sei que você mente para ela...

- Tae te contou... - Pendo a cabeça para trás e volto com ela. - Você me entende, não é?

- Sim. - Me faz encará-la e olhar nos seus olhos. - Mas, conte a ela a verdade. Por mais que seja difícil. Ela merece saber da sua boca.

- Mamãe nunca vai aceitar. - Sussurro.

- Talvez, você quem deva aceitar. - Franzo o cenho não entendendo nada. - Pense nisso.

- Huh, sobre o que estão conversando? - Taehyungie desce de cabelos molhados por acabar se sair do banho.

- Nada. - Sorrio. - Coisas de mulheres.

- Se arrume dona Kim, nós iremos sair. - O olho sorrindo, seu sorriso cresce assim como o meu.

- O que estão aprontando? - Ela estreita os olhos.

- Só vai. - Tae sorri e sela nossos lábios.

[...]

- Ela se divertiu. - Taehyung me abraça por trás e beija meu ombro nú. Já que eu estou apenas de lingerie. - Obrigada, Jagya.

- Meu, sorriso quadrado! - Giro meus calcanhares e o beijo tirando sua blusa.

- Só seu. - Sorri me deitando na cama. - Eu quero fazer amor com você, eu posso?

- Sim. - Mordo o lábio e me livro do sutiã.

Tae se senta e me puxa para o seu colo. Cola nossos lábios em um beijo afoito e quente. Suas mãos vão para os meios seios, apertando-os. Gemo e puxo seus fios lisos.

- Taehyungie... - Ofego.

Nossas roupas voam para algum canto do quarto e logo estamos nús. Consigo sentir sua respiração na minha vagina.

- Você me deve uma! - Rosno segurando seus fios com uma certa força.

- Calma. - Ri e passa seu polegar pelo meu clitóris. - Vou te chupar bem gostoso, amor. E você vai gemer meu nome bem sexy.

- Anda logo! - Peço manhosa.

O castanho sorri safado e passa sua língua pela minha entrada, a afundado no meu interior e me fazendo gemer baixo. Sua língua faz um trabalho maravilhoso indo e vindo, chupando e mordendo. Meu rosto está suado de tão quente que estou com os seus toques. O maior introduz um e depois dois e três dedos.

- Mais rápido! - Rebolo contra a sua face e ele ri. - Porra!

Fecho os olhos o sentido aumentar as estocadas enquanto me chupa ao mesmo tempo. Mordo o lábio para evitar um gemido alto quando meu orgasmo chega.

- Tão linda e doce. - Chupa seus dedos. - Agora eu vou te foder.

Tae se posiciona entre minha pernas e alcança camisinha dentro de uma gaveta da sua escrivaninha. Roubo a embalagem da sua mão e abro, revestindo seu pau.

- Bem forte, bem fundo, bem gostoso... - Posiciono seu pau na minha entrada escorregadia.

- Como quiser.

Seus lábios se chocam contra o meu. Sua língua se enrosca com a minha sugando meu lábio inferior. Levo minhas mãos para as suas costas e as arranho, sentindo minha intimidade o apertar.

- Gostosa! - Distribui chupões pelo meu corpo enquanto me fode rápido.

Ele aumenta suas investidas chegando bem fundo. Arqueio minhas costas e gemo diversas vezes o seu nome.

Tae se vira e eu fico por cima dele. Me ajeito no seu colo, pondo uma perna de cada lado e jogando meu cabelo para trás. Seguro seu pau e o encaixo na minha boceta. Desço e subo devagar sentindo como pode ser tão grande. Suas mãos abrem minhas extremidades e dá vários tapas na mesma.

- Rebola! - Obedeço. - Quica! - Faço como ele pediu. - Caralho!

Reviro os olhos e pendo a cabeça para trás com tamanho prazer. O castanho geme rouco me ajudando com os movimentos. Logo eu estou embaixo de novo, tendo ele me fodendo sem dó.

Caímos um do lado do outro. Tae levanta e vai até o banheiro, voltando e deitando ao meu lado novamente, me puxando e colando nossos corpos.

Ficamos em silêncio, apenas ouvindo nossas respirações aguçadas.

- Iremos na festa. - Diz que quase inaudível enquanto afaga meus cabelos. - Sei que está empolgada com ela.

- Tae..-

- Está tudo bem. - Suspiro e levanto a cabeça.

Seu cabelo está molhado por conta do suor e seus olhos fechados. Seus lábios estão entreabertos o deixando ainda mais sexy.

- Eu tive uma outra ideia. - Lhe dou um selinho.

- Qual? - Abre seus olhos encarando meus lábios.

- Nós vamos estudar esse final de semana. - Volto a repousar minha cabeça no seu peito. - Depois das provas, minha mãe vai viajar à trabalho.

- Vai aprontar, não é? - Ele ri baixinho e beija minha cabeça.

- Bom... Eu estava pensando em dar uma festa. - Sorrio.

Taehyung se senta, me obrigando a fazer o mesmo.

- _________... - Tae segura meu rosto com as suas mãos. - E se a sua mãe souber?

- Ela não vai. - Reviro os olhos. - Só se você contar!

- Quando pretende fazer a festa?

- Sábado. - Mordo a boca. - O ruim é que vamos tem que arrumar a casa depois. Você topa?

- Tudo bem, Jagya.

Essa será a melhor festa, melhor do que a da falsa da Lisa.


Notas Finais


Favoritem se gostar, sim? ^.^

Sorry pela parte do Hentai, foi a minha primeira vez escrevendo.

Não se esqueçam de comentar *__*

Até o próximo ;)

Sigam-me: @BabyPandicornio >___<

🐼🌈💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...