História Amor Fati (Jungkook) - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais
Tags Bts, Drama, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Romance, Suga, Taehyung
Visualizações 25
Palavras 2.551
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeongshaeyo pessoas maravilhosas. Mais um capítulo, espero que gostem.

Capítulo 27 - Vou ficar do seu lado


Fanfic / Fanfiction Amor Fati (Jungkook) - Capítulo 27 - Vou ficar do seu lado

Não me deixe, não me deixe para trás o seu coração que se desviou, por favor, redirecione-o de volta para mim, eu quero você desesperadamente, isso é tudo pelo qual arrisquei minha vida. Em direção às luzes dispersantes, me leve até lá, por favor, até o fim do mundo. Eu não posso deixar você ir (Trechos da música Even If I Die, It’s You - V e Jin)

(Música de Cena Run - BTS)

Bong-Soom ON

Vejo meu corpo ali deitado sobre aquela cama, imóvel, sem nenhum sinal de vida, olho para os lados, não vejo nada somente escuridão e uma luz sobre o meu corpo, eu morri, é isso? Penso entrando em desespero ao ver o quarto como mágica começar a pegar fogo, era tão real, eu pude sentir em minha pele o ardor da chama, tento me acordar, mas minha mão passa direto pelo meu corpo ali aparentemente desfalecido, ei acorde, acorde por favor, tá pegando fogo, grito desesperadamente, já em prantos, saio do quarto na esperança de achar alguém, parecia um hospital, então comecei a correr por aquele corredor enorme, que parecia não ter fim, até que vejo uma luz, vou até ela, estava no último andar, lá em cima, dava pra ver toda a cidade, ouço barulhos de sirenes de ambulância e carros de bombeiros, olho para baixo, me dando a visão de dois carros envolvidos em um acidente, após tirarem um corpo de dentro do carro, o mesmo explode, se aquela mulher não tivesse saído de lá a tempo, ela não teria nenhuma chance de sobreviver, olho para mim, estava com roupa de hospital, me inclino para ver se eu podia enxergar algo a mais, mas sinto um solavanco me puxando para trás, olho mas não consigo ver quem era, estava zonza e muito perto da beirada, me desiquilibro, ainda sentindo sua mão tocar na minha, na esperança inválida de me segurar, caindo do último andar no prédio do hospital, quando estava quase chegando no chão, ouço sua voz, acorde, ei, Bong-Soom acorde, acordo com a respiração ofegante, olho para o lado, Jungkook o que você tá fazendo aqui? e acordo mais uma vez só que agora no avião, voltando para Boston, Young Bin do meu lado ainda dormindo, passo a mão nos olhos me perguntando o que quiz dizer aquele sonho, parecia tão real, eu preciso de você Jungkook, sinto que só você pode trazer o conforto que eu tanto preciso, penso com o coração angustiado

Quebra de tempo

Bong-Soom - Até que em fim chegamos em casa, só quero tomar banho e dormir, digo me recordando do sonho que tive a um pouco atrás

Young Bin - Vou para casa, amanhã volto para te ver pequena, diz deixando um beijo em minha testa

Bong-Soom - Fica aqui essa noite comigo, eu não quero ficar sozinha, quando ele se sentisse pronto para me contar eu iria pedi-lo para ficar aqui definitivamente para que eu possa cuidar dele... Além do mais eu posso fazer café da manhã pra gente, por favor fica aqui Bin, digo colocando a minha mão em volta do seu pescoço

Young Bin - Tudo bem pequena, mas amanhã eu vou embora, preciso fazer algumas coisas no meu apartamento e resolver outras pendências, ele diz eu acento com a cabeça, tomamos banho, trocamos de roupa, enquanto ele tomava banho, eu pude preparar uma mesa de café da manhã, tudo o que eu pudesse fazer para fazê-lo sentir-se melhor eu não mediria esforços, ele sai do banho, vindo até a cozinha... Nossa desse jeito eu acho que vou marcar logo o nosso casamento, diz envolvendo suas mãos em minha cintura, me abraçando por trás

Bong-Soom - Isso não seria uma má ideia, digo sorrindo, virando o rosto para selar nossos lábios, vejo seu olhar brilhar ao olhar pra mim e um sorriso de orelha a orelha em seu rosto

Young Bin - Eu amo você, diz me virando, colando nossos corpos

Bong-Soom - Eu não tenho dúvidas, digo o abraçando, afagando minha cabeça em seu peito, nos sentamos e tomamos café da manhã juntos, a partir de hoje eu decidi viver cada dia ao seu lado como se fosse o último

Quebra de tempo

Quarta-feira 21:12 da noite

Já tá tarde, penso olhando a hora pelo celular, Young Bin ainda não chegou, já tentei ligar mas só dá desligado, será que aconteceu algo? Penso ficando preocupada, ele ainda não havia me falado, apesar de já estarmos morando a um mês juntos, tento ligar mais uma vez e nada, já chega, digo, colocando um casaco e pegando as chaves do carro, saio andando pela cidade a sua procura, já estava ficando tarde, e eu já estava desistindo, ele já deve ter voltado para casa, penso, estaciono o carro, indo até o metrô, chego até a ponte "Zakim Bridge - ponte de Boston", e vou caminhando tentando pensar em algum lugar onde ele poderia estar, ando por uns dez minutos, avisto alguém, recostado sobre a ponte, olhando para baixo, para chegar ao fim da mesma eu teria que passar por ela, pela hora haviam poucas pessoas por ali, me aproximo me surpreendendo com quem era, me posiciono do seu lado, ele estava com o pensamento tão longe que nem percebeu a minha presença

Bong-Soom - Eu te procurei por todo lugar, digo o despertando de seus pensamentos

Young Bin - Como você me encontrou? Diz olhando pra mim, se dando conta da minha presença e logo em seguida voltando a olhar para o rio a baixo da ponte

Bong-Soom - Depois de te procurar por todos os lugares possíveis, eu desisti, então vim até aqui e sem querer te encontrei, tá muito frio, você não acha melhor irmos para casa? Digo me aproximando, colocando meu braço em volta do seu e encostando minha cabeça em seu braço

Young Bin - Eu estava andando, pensando em uma forma de te dizer o que eu vou te dizer agora, vira-se para mim, olhando em meus olhos, eu não quero mais continuar com isso, não é você, sou eu, vou voltar pra minha casa, eu sinto que eu vou te fazer sofrer e eu não quero isso, é melhor terminamos Bong-Soom, você merece alguém que seja seu por inteiro e vá realmente passar a vida toda do seu lado, diz dando as costas para ir embora

Bong-Soom - Young Bin, grito e de imediato ele para ainda de costas para mim... Você estar tão preocupado em dá desculpas, sendo que eu já sei o motivo de você querer se afastar, digo com a voz serena

Young Bin - Como assim sabe? Diz se virando, passando a mão na parte de trás da cabeça, eu me aproximo dele

Bong-Soom - Quando nós estávamos na fazenda do seu pai, eu ouvi sua conversa sem querer com ele, eu esperei que você me contasse, mas ao invés disso você chega até mim dizendo que quer terminar sem nenhuma justificativa, como você ver já faz um mês que eu sei e nada mudou, eu te convenci a ir morar na minha casa para mim cuidar de você, eu estiver sempre do seu e vou sempre estar e não adianta você querer me afastar que não vai conseguir, eu percebo ele olhar para mim com o olhar de surpresa

Young Bin - Você não entendi Bong-Soom, eu fui ao médico hoje e ele disse que eu não tô mais reagindo aos medicamentos e quimioterapia e que é questão de tempo, meses ou até mesmo dias para que eu morra, eu vou morrer e eu não quero que você esteja perto de mim para presenciar este momento, não tem mais volta, isso é o fim, diz virando o rosto, tentando esconder suas lágrimas de mim, eu coloco minha mão em seu rosto, fazendo com que seus olhos voltassem para mim

Bong-Soom - Desde quando eu te conheço você sempre esteve do meu lado, nunca me deixou fosse qualquer situação e eu iria fazer isso, sabendo que você precisa de mim, só por medo do quão difícil seja o que vamos enfrentar? Amar não é só querer compartilhar dos momentos bons mas principalmente ser o suporte nos dias mais sombrios, nós vamos enfrentar isso juntos e para mim isso só vai ter um fim quando finalmente eu ver que é o fim mesmo, mas eu quero que você lute, que não desista, é melhor morre lutando, mesmo sabendo que perdeu a luta do que morrer como um covarde sem ao menos tentar, haja o que houver eu ainda continuarei aqui, o médico poderia ter dito que você só teria até amanhã e mesmo assim eu ficaria até o último segundo do seu lado, não tente me afastar, nesse momento difícil, de dor eu serei seu porto seguro, eu o abraço como todo o meu amor e força, me sentindo bem por poder estar ao seu lado... Por trás das nuvens o céu é sempre azul

Young Bin - Navegando no mar, na escuridão, sem saber por onde ir, você é o farol que me ilumina, abrindo meus olhos, me fazendo enxergar a direção certa a seguir, obrigado, ficamos ali sem dizer uma palavra, apenas abraçados, depois de um tempo voltamos para casa

Quebra de tempo

O mesmo pesadelo, aquilo já estava se tornando rotina, acordo suada, estava tudo muito quente, estou com febre? penso, olho para o lado, Young Bin estava tremendo, chego a ouvir gemidos de dor, coloco a mão em sua testa, muito quente, então percebo que não era eu e sim ele, levanto-me, pego o termômetro, quarenta graus de febre, não penso nem duas vezes, na sua condição em que estava uma febre tão alta poderia ser fatal, ligo para ambulância, que não demora muito, alguns minutos e chegamos ao hospital, vejo ele sendo levado para dentro e sou impedida de entrar, eu sabia que a provação havia começado, cerca de uma hora e meia depois, vejo o médico se aproximar

Bong-Soom - Como ele estar doutor?

Médico - O quadro dele estar se agravando, mas conseguimos baixar a febre, ele não estar respondendo bem aos medicamentos, o mínimo que podemos fazer são os remédios para alívio das dores e bastante repouso, vamos continuar analisando o seu quadro e por enquanto continuar com a quimioterapia, amanhã de manhã ele receberá alta

Bong-Soom - Obrigado doutor, digo e o vejo saindo, eu tinha que ser forte, desabar nesse momento não ajudaria em nada, eu tenho que ter esperança e acreditar que isso apenas seja um pesadelo, vou até seu quarto e fico ali o observando, todos aqueles aparelhos em sua volta, quando menos espero adormeço, encostada com a cabeça na cama, segurada em sua mão

Bong-Soom OF

Young Bin ON

Acordo, percebendo que estava no hospital e a vejo ali deitada, segurada em minha mão, parecia tão cansada, como alguém dormiria bem nessa situação? Eu me culpo por ela estar passando por isso, talvez fosse melhor que eu morresse logo, mas eu prometi que iria lutar, faço qualquer coisa para não vê-la sofrer, pequena, acorde, já amanheceu, acorde pequena, a vejo abrindo os olhos sorrindo para mim

Bong-Soom - O que foi? Você estar bem? Pergunta preocupada, antes que eu respondesse vejo o médico entrar pela porta da sala

Médico - Como se sente hoje Young Bin?

Young Bin - Bem doutor, graças a esse anjo aqui do meu lado

Médico - Analisei melhor os seus exames e vi que você reagiu bem aos medicamentos dados ontem a noite, por tanto, você estar de alta hoje, mas lembre-se, continue com os medicamentos, a quimioterapia e bastante repouso, nada é impossível para quem luta, diz abrindo um sorriso,

Bong-Soom - A respeito disso pode deixar comigo doutor que se depender de mim ele vai viver por mais cem anos, sorrio com sua positividade e força, ela realmente era minha motivação, minha meta de vida era lutar para sobreviver, para não ver ela e nem meu Appa sofrerem com minha perda, após alguns exames recebo alta do médico, arrumo minhas coisas e saímos em direção de casa

Young Bin OF

Jungkook ON

Eu estava andando por um corredor vazio, vejo uma luz, era uma porta, eu adentro, o que me leva até o último andar do que parecia ser um hospital, vejo uma paciente, debruçada sobre a grade, pensei que ela estivesse tentando se matar, eu a puxo para trás, ela olha para mim, Bong-Soom, grito mas a voz não sai, vejo a desiquilibrar e cair, tento segura-la mas sua mão escorrega da minha, me debruço sobre a grade, mas não há vejo lá em baixo, me sinto tonto e me pego caindo de cima do prédio, estava num lago me afogando, abro os olhos e a vejo dentro do carro, incocociente, tento tirar o sinto de segurança para a levar a superfície mas antes que eu consiga sinto alguém me puxar, acordo ofegante, suado, sinto meu corpo gelado, como se estivesse molhado, um pesadelo tão real, ela precisa de mim, penso, eu preciso ajudá-la e sinto que ela esteja sofrendo e me dói por não poder fazer nada, por ela ter me afastado de vez.

Jungkook OF

Bong-Soom ON

Um mês depois, as coisa estavam um pouco complicadas, mas eu me mantia firme, os médicos não nos davam esperança mas eu me me mantia firme, até que eu me deparei com algo que não esperava, eu procurei forças mas não encontrei, ele estava indo e não tinham mais nada do que eu pudesse fazer.

Madrugada de quarta pra quinta 2:45 da manhã, eu acordo com um barulho vindo do banheiro, olho para o lado e ele não estava mais ali deitado, dou um pulo da cama e me dirijo ao banheiro, chegando lá me deparo com uma das piores cenas que presenciar em minha vida, havia sangue pra todo lado, ele já havia enchido algumas toalhas e seu nariz não parava de sangrar, tentei me manter firme e não entrar em desespero, não sei de onde tirei forças, mas peguei uma toalha, levantando sua cabeça na tentativa de estancar o sangue, liguei para ambulância que logo chegou, subi com ele, ele olhava para mim e aquele olhar doía,

Bong-Soom - Eu sei que você estar lutando e eu estou aqui, não vai acontecer nada eu prometo, digo segurada em sua mão, tentando segurar o choro, chegamos no hospital e ele foi direto para sala, eu fiquei por longas duas horas, com o coração na mão, esperando notícias, vendo todo tipo de gente com todo tipo de problema passar por mim e aquilo estava me deixando cada vez mais angustiada, vejo o médico vir em minha direção com uma expressão que eu até já imagino o que seria... Doutor como ele estar? Digo me segurando de todas as formas

Médico - A única coisa que eu posso te dizer é que você e a família se preparem pro pior, nós não sabemos por mais quanto tempo ele irá suportar, mas sabemos que não é muito, eu sinto muito mas ele deixou de reagir a todo tipo de tratamento e a leucemia chegou num estado em que não podemos fazer mais nada, apenas esperar, tudo o que poderíamos ter feito, fizemos, eu lamento mesmo, ele diz me deixando ali sozinha, eu vejo tudo passando em câmera lenta por mim, eu procurei forças mas não encontrei, então desabei, chegando a me afogar em minhas lágrimas e não havia nada que ninguém pudesse fazer para evitar ou amenizar aquele sofrimento que doía mais que uma bala dilacerando meu peito.

Bong-Soom OF

To Be Continued


Notas Finais


Obrigado por lerem, espero que tenham gostado, um popo no kokoro e até a próxima ❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...