História Amor feito de contrato -Imagine do Jungkook BTS - Capítulo 15


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Personagens Originais
Tags Álcool, Amor, Bangtan Boys, Bts, Contrato, Drama, Família, Historia De Amor, Imagine, Imagine Do Jungkook, Insinuação De Sexo, Jimin, Jungkook, Longfanfic, Personagens Originais, Romance, Saga, Sexo, Shoujo, Shoujo Romântico, Você
Visualizações 766
Palavras 1.514
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Está é o visual da Clara ( essa é a Jisoo do balckpink)

Capítulo 15 - Capitulo 5: Até mais...


Fanfic / Fanfiction Amor feito de contrato -Imagine do Jungkook BTS - Capítulo 15 - Capitulo 5: Até mais...

Dia seguinte.

[Manhã, 08:00 da manhã]

*Senti alguém pular em cima de mim*

Acordei assustada e vi que era a Clara.

(Clara): Acorda minha esposa preferida !— Disse pulando na cama.

Me sentei e olhei para ela toda descabelada.

— Um carro de fórmula um passou por aqui? O que houve com você ?— Perguntei.

(Clara): Tomei Toddy, agora, vamos !— Disse me puxando.

— Para onde ? Eu... Nem acordei ainda, espera um pouco —Digo confusa enquanto a mesma me puxava.

Nós duas descemos as escadas correndo. Quando cheguei no cômodo, havia flores espalhadas pela sala inteira.

— Você assaltou a floricultura?— Digo confusa.

Ela riu.

(Clara): Eu acordei, é a sala estava assim! —Disse —Minha mãe disse que o entregador nos entregou isso a mando do coelhinho!

Comecei a murmurar.

—Não gosto da ideia de ter que dividir apelido com ele...—Murmuro.

A Clara me abraçou.

(Clara): Para de ser ciumenta, vocês dois moram no meu coração!

— Entre eu e ele você escolheria quem ?

A Clara me olhou confusa.

(Clara): Como ? Que pergunta idiota s/n!

— Não a espaço no coração de uma pessoa para amar ambos de forma igualitária, então, eu e ele estamos disputando espaço certo ?

(Clara): S/n, não começa com esse papo...—Eu a interrompi.

— Se ele te deu essa sala de flores, irei comprar uma floricultura inteira !—Digo indo em direção a porta porém a Clara me puxou.

(Clara): pare com isso, você não transa comigo para me dar flores !— disse e eu comecei a rir.

(O que está acontecendo comigo?)

— Então, vamos subir!

(Clara): S/n !

— Tudo bem, podemos chamar o Henrique!—digo.

(Clara):S/n! —Segurou meu rosto — O que houve com você ? Se acalma mulher !

Respirei fundo e soltei.

O meu corpo parecia está cheio de energia. Nunca tinha ficado assim antes.

—Será que foi feito do remédio ?

(Clara): Vamos ver...—Disse correndo para pegar o lap top lá em cima.

Eu me sentei na sala e comecei a suar frio. É por algum motivo, eu não estava passando mal pelo ao contrário, estava me sentido bem.

A Clara desceu com o lap top em mãos e o remédio.

Clara: S/n, você jura que não me mata ?

Olhei para ela irritada.

— O que você fez ?— digo me levantando.

Ela deixou o lap top sobre a mesa e o remédio.

Ele respirou fundo e soltou.

(Clara): eu acabei dando remédio de sexo para você...—Disse se afastando de mim.

— C-como é? Isso por acaso existe ?

(Clara): S/n, minha amiga, eu posso lhe ajudar, espere aqui!

Ela subiu as escadas correndo. Eu estava sentindo um calor um pouco que absurdo, então, comecei a tirar a camisa.

— Que calor do inferno....— Digo me abanando.

A Clara desceu as escadas com uma caixa.

(Clara): Olha, não se assuste com o tamanho. Você não vai sentir nenhuma dor, apenas prazer...—Disse abrindo a caixa.

Quando ela tirou o objeto da caixa, acabei me assustando e saindo de perto dela.

— Clara o que é isso ?— Perguntei assustada.

A Clara olhou para mim com um olhar malicioso.

(Clara): sempre quis colocar isso em você à noite, apenas para te trollar porém como é a necessidade, peço que você deixe no sofá de imediato!

Eu me afastei mais ainda dela, enquanto a mesma ria.

— O que é isso ? — Perguntei nervosa.

(Clara): Isso se chama vibrador...—Disse se aproximando de mim — Ele tem o formato de uma genital masculina...— Olhou para mim — Você terá que usar isso, agora !— Correu em minha direção porém desviei.

— Saí de perto de mim com essa coisa vermelha, eu não quero perder minha virgindade para um vibrador.

(Clara): não se preocupe, ninguém vai saber que você usou isso — Veio em minha direção e eu desviei novamente.

— Clara parou, eu estou começando a ficar com medo de você !— Digo indo em direção a escada

Clara: Você não queria transar comigo, pelo meu amor ? Então venha minha querida !— Disse correndo atrás de mim com aquele vibrador.

Eu corri tanto que ao chegar no segundo andar todas as portas estavam trancadas.

Me encostei na parede e a Clara veio em minha direção.

(Clara): Olha, eu não vou lhe machucar...—Disse rindo e vindo em minha direção.

— Para... Estou com medo de você !— Digo fechando os olhos e a mesma se aproximou de mim.

Sentir ela perto de mim e eu comecei a rezar uns trezentos aves Marias.

Clara: Bu!— Me bateu na cabeça com aquele vibrador na cabeça.

Olhei para ela confusa.

Clara começou a rir descontrolada.

— o que houve ?

(Clara): Você achou mesmo que eu iria deixar você usar isso?— Disse jogando o vibrador para o quarto do seus pais — Isso foi o único jeito que vi para fazer você para de falar daquele assunto.

— Mas...

(Clara): você tem alergia a aqueles tipos de flores, lembra? — Deu um peteleco na minha testa — Eu quero que você fique aqui, para mim abrir ventilação na sala para pôr as flores em outro lugar!—Falou.

Eu respirei fundo e soltei. Ainda bem que ela estava brincando, por um momento pensei que fosse verdade.

Ela se virou para mim e sorriu.

(Clara): Da próxima vez que me derrubar da cama, lembre-se do vibrador, eu não tenho medo de usá-lo em você —Começou a rir e desceu as escadas.

— Cada dia que passa, essa menina fica mais estranha !

(...)

17:00 da tarde.

Acabei indo embora da casa da Clara um pouco mais cedo. Ela disse que iria conversar com seu namorado hoje para que ele se explicasse, eu poderia ter ido porém quando soube que um outro amigo dela iria, logo recusei. Não quero me envolver com outra pessoa, ainda está do nesse contrato.

Quando cheguei em casa, as luzes estavam apagadas.

— Por que será que toda vez que venho para casa, as luzes estão apagadas ?— Digo acendendo as luzes.

Andando em direção a sala, acabo tendo uma surpresa ao ver o que está sobre a mesa.

Era um buquê de rosas brancas.

Me aproximei do buquê, dentro dele havia um cartão.

—Será que ele deixou isso para namorada dele ?

Abrir o cartão por curiosidade.

" Apesar de ter deixado você uma semana sem nenhum contato, espero que aceite essas flores como pedido de desculpas..."

Olhei para o buquê.

— São tão bonitas...— Digo sorriso e tocando em uma delas.

Uma das rosas acabou me cortando com seus espinhos.

—Ai...—Digo me afastando.

"Não é atoa que meu pai sempre diz que a rosa é a flor mais falsa que existe no reino das flores..."

(Jungkook): Não sabia que você tinha chegado cedo!— Disse se aproximando de mim e eu me virei para ele.

— E que a minha amiga iria sair... Resolvi vir para casa mais cedo...— Respondi escondendo a mão atrás das costas.

(Jungkook): eu vi você se cortando com as rosas, me de sua mão aqui!—Disse e eu respondi.

Ele segurou meu dedo machucado e o colocou em sua boca.

Meu rosto ficou vermelho na hora.

— Você não deveria fazer isso... Você pode acabar se contaminando com meu sangue...— Ele terminou de estancar o sangue e de seu bolso tirou um Lenço.

Eu fiquei observando ele.

(Jungkook): Eu sei que você não tem nenhuma doença, o Baekhyun me ligou avisando que seu exame de sangue deu negativo para doenças DST... —Disse — então, não preciso me preocupar !— Disse dando um laço com o o pano.

Eu olhei para ele com o rosto vermelho.

O Jungkook estava muito bonito, cheiroso e carinhoso. Não sei o que está acontecendo comigo porém acho que estou começando a gosta desse jeito dele.

— Obrigada !— Digo desviando o olhar.

Ele passou por mim e pegou o buquê.

(Jungkook): Aliás...—Disse tirando uma das rosas e a cheirando — Essa é para você !— Disse esticando a rosa branca em minha direção.

— M-mas...—Digo pegando a rosa sem acreditar.

Isso é um sonho ? Morri é fui para o céu?

(Jungkook): Considere essa rosa como um pedido de desculpas por ter deixando você sozinha ontem. Eu sinto muito, você tinha acabado de chegar do hospital!

— Obrigada — Digo sorrindo e o mesmo me dar um beijo na bochecha.

Jungkook: Até mais tarde, se estiver acordada, irei trazer para você pizza de chocolate!— Disse dando um sorriso.

— Chocolate?

Jungkook: Meu deus, você não existe mesmo !— Disse bagunçando meu cabelo e indo em direção a porta.

— até mais !— Digo e próprio se despede.

Me sentei no sofá, após ver o Jungkook saindo da casa. Olhei para rosa e fiquei com um sorriso bobo no rosto.

Enfermeira: Deveria ter beijado ele...— Disse passando por mim com um sorriso.

— Eu ... Eu não sou assim...— Digo envergonhada.

Enfermeira: Falta de uma mãe nesse momento, e muito triste certo ?

— Sim...— Digo voltando olhar para rosa.

Enfermeira: Vou buscar um vaso para por ela, tudo bem?

— Claro...—Respondi sem olhar para enfermeira.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...