História Amor Gay - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gay, Yaoi
Visualizações 17
Palavras 1.305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oii gente!!! Turu bem? Eu to bem!
Então gente essa fanfic foi uma ideia que surgiu apartir do capítulo que eu havia postado em uma outra história hehe, daí decidi fazer uma fanfic somente para está história.
O início talvez pareça meio estranho mas conforme o decorrer da história vai melhorar ta bom?
Recomendo que vocês leiam minha outra história yaoi pra entenderem melhor está. (Link nas notas finais)

Então, bora? Boa leitura!

Capítulo 1 - Amor Posso Te Comer?


              MIKEL ON


Era uma e pouca da tarde e nós, eu e o meu bebê, Jaay, haviamos ido para o super mercado para fazer algumas compras. Andávamos pelos corredores do mercado procurando pelos itens da nossa lista de compras, e claro, com preços acessíveis. Eu estava no corredor das frutas e legumes quando senti um apertão na bunda seguido por um abraço apertado e um beijo no pescoço.


- Jaay! Estamos no super mercado, um lugar público! Cuida!


- Cuidar o que?


- Olha eu não sei se você sabe mas existe homofobia. E com tantas pessoas que estão aqui hoje eu garando que pelo menos uma vai se sentir incomodada se ver isso.


- Isso o que?


- Você me agarrando desse jeito!


- Ah desculpa...


- Tudo bem. Agora me deixa colocar isso no carrinho.


- Ta.


Ele se afastou e eu coloquei um saco plástico com maçãs dentro, no carrinho.


- Amor eu vou ali para o corredor dos produtos de limpeza e higiene e você vai ali no açougue e pega as carnes ta bom? - empurrei o carrinho em direção ao corredor enquanto olhava pra ele.


- Ta bom. Mas o que eu pego mesmo?


- Você vai no açougue e espera comprar o que? Papel higiênico? - eu ri dele que revirou os olhos e saiu em direção ao açougue.


Continuei andando e empurrando o carrinho, de repente alguma coisa caiu no chão, juntei para entregar para o dono quando olhei...


Meus olhos se encontraram com aqueles belos olhos cor de mel que faziam uma combinação perfeita com aqueles cabelos negros cor de carvão. Sua pele alva em contraste com a boca avermelhada, assim como a blusa tingida por um vermelho vivo. Calça jeans surrada e tênis branco. Como dizem as meninas, era um ótimo look, mas não tão lindo quanto o rapaz.


Eu estava literalmente perdido naquele olhar quando fui interrompido pelo lindo rapaz que sacudiu as mãos em frente aos meus olhos.


- Hey! - ele disse balançando as mãos e rindo.


- Ah... desculpe - me desculpei e entreguei o que havia caído pra ele.


- Obrigado - ele agradeceu e sorriu mostrando aqueles lindos dentes brancos alinhados e aquelas covinhas fofas.


- De nada e mais uma vez d-desculpe - gaguejei um pouco ao falar.


- Capaz, tudo bem...você não fez nad... - antes dele terminar ele foi interrompido pela voz do Jaay.


- Amor! Olha o preço dess... - ele parou ao ver nós dois parados olhando pra ele - Oh desculpe você estava falando.


- Não, não, capaz eu já estou de saída. - o rapaz terminou e em seguida ouvimos uma voz - Amor vem, vamos logo! - era uma jovem loira, alta, com olhos claros e um vestido amarelo, ela veio em nossa direção, deu um sorrisinho bobo e começou a puxa-lo por um braço.


- Tchau - o rapaz falou sorrindo e seguindo a moça.


- É... tchau... - sorri e fiquei o seguindo com o olhar até vê-lo sumir em meio as pessoas.


Quando "acordei" do "transe" me virei e dei de cara com o Jaay me encarando.


- Quem era?


- Quem era o quê?


- O cara. Quem era ele?


- Ah... ele... eu... não sei...


- Como não?


- Sei lá. Nós nos esbarramos e... sei lá... eii vamos! Temos que terminar as compras. - disse saindo e empurrando o carrinho mas percebi que ele permaneceu no mesmo lugar.


- Que foi?


- Ah...na-da - Jaay falou p-a-u-s-a-d-a-m-e-n-t-e.


- Ta bom. Então vem! - disse e continuei andando.


Ele hesitou em andar mas veio em passos pesados e demorados.


20 minutos depois...


Estávamos na fila do caixa quando Jaay me agarrou por trás.


- Amor - ele me chamou.


- Hum?


- Amor, posso te comer? - ele sussurrou bem próximo ao meu ouvido fazendo com que eu sentisse seu hálito quente.


- O quê?


- Comer amor, fuder sabe? Fazer sexo. - ele falou alto suficiente para que todos que estavam ali ouvissem.


- JAAY!


- Que foi?


- Não se faz de desentendido! Para com isso!


- Mas eu não fiz nada...


- Ah... não capaz! Sério, para!


- Eu só perguntei... - ele resmungou.


- Mas poderia ter esperado para perguntar, aqui é um lugar público! E, como todo mundo sabe, nem todo mundo aceita casais gays.


- Ah mas esse povo que vá se fuder! - quando ele terminou de falar o segurança veio em nossa direção.


- Eii vocês! É proibido casais de qualquer sexo ficarem de agarramento no mercado!


- Desculpa seu guarda - me desculpei, ele me olhou sério e saiu indo em direção a um casal hetero que estava se beijando em um canto do mercado.


Encarei o Jaay por alguns instantes e passei as coisas no caixa.


Ao sairmos do mercado eu peguei duas sacolas e ele pegou duas e saímos.


Andávamos em silêncio pela calçada da rua quando ele se pronunciou.


- Hein? Posso?


- Pode o quê? - eu estava mais à frente, então olhei pra ele por cima do ombro e ergui a sobrancelha.


- Comer você. - ele sorriu minimamente.


- Jaay... - eu ia dar uma bronca nele quando fui interrompido por aquela voz de bebê e aquela carinha de cachorrinho abandonado.


- Pu favoi! - ele largou as sacolas e se ajoelhou no chão com as mãos juntas implorando.


- Aff... na rua não neh?! - revirei os olhos.


Ele olhou pra mim e olhou para um canto onde havia um banheiro público.


- Ah não! Nem pense nisso!


- Ah amoizinhu pufavoizinho? Eu ti amu tantu... - ele implorou novamente. Eu não queria, mas não consegui negar. - Ah ta bom! Mas essa você me deve!


Ele pulou e me abraçou me dando um beijo na bochecha - Te amo! - ele disse ainda me abraçando.


- Também te amo. - o abracei de volta e logo que nos afastamos ele pegou as sacolas e andamos em direção ao banheiro.


Assim que entramos perguntei:


- Onde vamos deixar as sacolas?


- Em algum canto ele disse entrando no banheiro do fundo e largando as sacolas num canto. Assim que largou apontou para que eu fizesse o mesmo. Quando me virei ele havia fechado a porta e estava parado me olhando com uma cara erótica.


           NARRATIVA


Jaay andou até o Miki com um olhar malicioso e avançou beijando-o enquanto o despia. Tendo terminado de despi-lo Jaay afastou-se e começou a despir-se a si mesmo.


Logo estando os dois completamente nus, Jaay, sem hesitar, empurrou Mikel contra a parede e começou a fude-lo sem mais demoras.


- Aah... vai mais rápido amor...mais rápido - Miki disse entre gemidos. Jaay não respondeu só aumentou a velocidade dos movimentos.


Miki gemia cada vez mais alto enquanto Jaay socava nele com força.


Ouvia-se gemidos e grunhidos acompanhados de sons úmidos.


Jaay beijava as costas do moreno enquanto socava nele que continuamente gemia sem parar.


Depois de muitas enfiadas e muito gozo Jaay retirou o membro de dentro do cu do moreno que respirava ofegante por conta da excitação. Virou-o de frente para ele bruscamente e beijou seus lábios delicadamente sentindo sua respiração ofegar ainda mais.


- Fica de quatro pra mim. - sussurrou no ouvido do moreno.


- Hum... uhum - ele somente assentiu e se posicionou de quatro no chão. Jaay parou em pé atrás dele e começou o movimento de entrar e sair com o pênis no cuzinho dele.


Jaay ia com força e velocidade, sem dó e nem piedade do coitado do Miki que era o passivo.


Miki gemia e soltava grunhidos cada vez mais alto.


Após aquela boa foda os garotos tiveram que limpar o gozo com a água gelada da torneira mesmo. Despois vestiram-se pegaram suas coisas e foram rumo a sua casa.


             JAAY ON


Chegando em casa guardamos as coisas e fomos pro quarto.


Quando entrei no quarto Miki estava sentado na cama.


- Amor. Eu vou tomar um banho ta bom?


- Claro amor.


Ele saiu com uma toalha na mão e foi até o banheiro.


              MIKEL ON


Entrei no banheiro, me despi e fui para o box. Mas antes que eu ligasse o chuveiro a porta se abriu e vi o Jaay completamente nu me olhando com aquela cara erótica e seu típico jeito malicioso...




Notas Finais


Pontinhu! Hehe...
Gostaram?
Ta meio bug eu acho mas vomo que vomo hahaha... bjsss



https://www.spiritfanfiction.com/historia/moments-lemon-yaoi-13483372


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...