História Amor Impossível - Fanfic Yuta (NCT 127) - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation, Neo Culture Technology (NCT), Red Velvet, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Chenle, Cho Kyuhyun, D.O, Doyoung, Haechan, Hyoyeon, Irene, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Joy, Kai, Kim Ryeowook, Lay, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Mark, Personagens Originais, RenJun, Sehun, Seulgi, Sooyoung, Suho, Sunny, Taeil, Taeyeon, Taeyong, Ten, Tiffany, Wendy, Winwin, Xiumin, Yeri, Yoona, Yuta
Tags Amor Impossivel, Bbxyuta, Imagine Kpop, Imagine Nct, Kpop, Nakamoto Yuta, Nct, Nct 127, Nct Dream, Nct U, Yuta, Yuta Nakamoto, Yuta Nct
Visualizações 234
Palavras 1.062
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oois.
Boa leitura

Capítulo 43 - E Agora?!


Fanfic / Fanfiction Amor Impossível - Fanfic Yuta (NCT 127) - Capítulo 43 - E Agora?!

`` S/n On ``

Fazia quase uma semana desde que eu soube que a Wendy havia fugido do hospital onde estava internada, eu estava bem receosa quanto isso, para falar a verdade, eu não queria nem sair para ir a escola, mas, infelizmente eu tinha que ir, hoje era sexta-feira, eu estava feliz, somente porque amanhã era sábado e eu não teria que fazer nada. 

Bem, acordei com o meu celular tocando, levantei tentando recuperar meus sentidos, desliguei a porcaria do meu celular e fui em direção ao banheiro, tomei um banho gelado, e fiz minhas higiene como eu sempre faço. Coloquei meu uniforme, arrumei meus materiais, hoje teria aula de dança, mas eu não estava muito no clima para ir.

Fui tomar o meu café, mas antes, passei no quarto do Yuta, para ver se ele estava acordado, bati na porta, e ele abriu, com os seus olhos inchados, indicando que ele acabará de acordar.

***

S/n: Eu te acordei? - estava mais que na cara que eu tinha feito aquilo.

YT: Não, eu já estava acordado faz tempo. - ele bocejou - Bom dia amor! - ele me deu um selinho.

S/n: Tem certeza? Porque se não eu te deixo dormir e passo aqui quando eu voltar da escola.

YT: Não tem problema S/n! Mas me diga, o que foi?

S/n: Eu vim ver se você estava acordado para tomar café junto comigo.

YT: Ah sim, vamos, você chegou em uma boa hora, eu estava morrendo de fome.

***

Fomos andando até o refeitório, que estava completamente vazio, pegamos o nosso café e nos sentamos em uma mesa qualquer que tinha ali por perto. Nesses últimos dias eu estava meio triste, eu tentava não desmonstrar ao máximo, mas eu me pegava milhares de vezes pensando por onde a Wendy andava. Só que parece que o Yuta aparentemente percebeu...

***

YT: O que foi S/n? - ele interrompeu sua refeição e me encarou sério.

S/n: Nada não. - eu também acabei interrompendo a minha refeição.

YT: S/n, eu te conheço, você não é assim, me conta o que está acontecendo, assim podemos resolver juntos. - Yuta Nakamoto era um fofo mesmo.

S/n: Ah Yuta, é só que eu estou com medo. - abaixei a cabeça.

YT: E é com medo da Wendy né? 

S/n: Sim...

YT: Relaxa S/n, eu não te falei que eu estou aqui com você? Eu prometo te proteger sempre que eu puder. - ele disse se aproximando de mim, e já me foi me abraçando.

***

Ele sempre me fazia se sentir protegida, por mais o que acontecesse, eu sabia que eu podia contar com o Yuta sempre, ele tentava me distrair, tentava me fazer rir, ou algo do tipo. Mas, infelizmente, nada adiantava. Quando eu percebi, já era hora de eu ir para a escola, o Yuta me levou até a van e me deu um beijinho de despedida.

Cheguei na escola, e a professora entrou, me sentei em meu lugar e a aula começou. Eu escutava algumas meninas cochicharem o meu nome diversas vezes, eu já sabia de qual assunto se tratava.

~Quebra de tempo, fim da aula~

Bem, a aula terminou, ainda bem, eu já não aguentava mais esperar, perguntei se alguém iria embora comigo, Jaemin se estranhou.

***

JM: Ué, mas você não tem aula de dança hoje?

S/n: Sim, mas eu não estou a fim de ir hoje. - falei bem seca.

V: Então, se você for sozinha para casa, tem algum problema? - Vitória perguntou.

S/n: Não, eu vou de boa, eu vou ficar esperando a van aqui fora.

***

Me despedi deles, afinal, eu só os encontraria novamente, por volta das duas da tarde, fiquei no lado de fora da escola, já que a van se atrasou hoje. Poucos minutos depois, ela chegou, e eu entrei. Quando eu percebi que tinha alguém diferente dirigindo, não dava para ver quem era, bom, deve ser motorista novo, a Marina deve ter trocado por segurança.

Só que as coisas começaram a ficar estranhas, quando o motorista mudou a direção, eu senti um arrepio percorrer a minha espinha, que eu nunca havia sentido antes, ao invés de ir para a empresa, ele estava me levando em um caminho totalmente diferente do qual eu fazia todos os dias.

***

S/n: Quem é você? E para q onde está me levando? - questionei, com medo da resposta

Xxxxx: Eu sou o seu pior pesadelo S/n! - e ela riu sarcasticamente, eu reconheceria essa voz em qualquer lugar, era a Wendy. 

S/n: W-Wendy?

WD: Olá S/n! Tudo bem, não se preocupe, aonde eu vou te levar vai ser em um lugar super legal e adequado a pessoas como você! - foi quando ela me bateu com alguma coisa, me fazendo desmaiar na hora, eu não acredito que eu entrei na van errada.

~Quebra de Tempo, Onde eu estou?~

Acordei, com uma dor inexplicável na parte de trás da minha cabeça, eu parei de pensar na dor, assim que eu olhei ao meu redor e vi onde eu estava, aparentemente eu estaria em algum galpão, até porque a Wendy não é inteligente o suficiente para escolher um bom lugar.

Tentei me soltar, até porque eu estava presa em uma cadeira, completamente amarrada por grossas correntes, toda vez que eu tentava me soltar ou fazia algum movimento brusco, as correntes machucavam a minha pele grosseiramente. Eu já estava em desespero, quando eu começo a escutar passos bem distantes de mim, que aos poucos, eles começaram a chegar bem mais perto de mim. Era a Wendy, agora sim, eu estaria morta. Adeus.

***

WD: Ora, ora, cara S/n. A bela adormecida finalmente acordou? Está pronta querida? Vamos começar a brincar, agora...

***

E ela falava sarcástica, eu estava cada vez mais em pânico, meu cérebro não captava direito as informações, era muito difícil raciocinar em situações de risco, principalmente eu, que sou meio burra...

Ela me rodeava, quando ela parou, em frente à uma mesa, que continha uma porção de instrumentos cortantes ou algo parecido. Aí meu deus, eu vou ser torturada? Não é possível. Eu poderia tentar gritar, vai que alguém me escutava? Mas não adiantaria, eu estava com um pano amarrado em minha boca, que várias vezes me impedia de respirar, quase me fazendo desmaiar.

Ela pegava alguns objetos e me encarava, com um olhar sínico, eu já sabia o que ela tinha em mente, mas o meu medo é que ela tranformasse seus piores desejos em realidade. Ela já me odiava, ainda ela tinha a oportunidade de me matar, sem que eu pudesse fazer algo para impedir, agora é meu fim...


Continua...






Notas Finais


Caso o capítulo tenha ficado pequeno, relaxem, eu ainda estou editando a fic...

E ai? O que vocês acham que vão acontecer? Comentem

Beijos no kokoro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...