História Amor Impossível - Fanfic Yuta (NCT 127) - Capítulo 69


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation, Neo Culture Technology (NCT), Red Velvet, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Chenle, Cho Kyuhyun, D.O, Doyoung, Haechan, Hyoyeon, Irene, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Joy, Kai, Kim Ryeowook, Lay, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Mark, Personagens Originais, RenJun, Sehun, Seulgi, Sooyoung, Suho, Sunny, Taeil, Taeyeon, Taeyong, Ten, Tiffany, Wendy, Winwin, Xiumin, Yeri, Yoona, Yuta
Tags Amor Impossivel, Bbxyuta, Imagine Kpop, Imagine Nct, Kpop, Nakamoto Yuta, Nct, Nct 127, Nct Dream, Nct U, Yuta, Yuta Nakamoto, Yuta Nct
Visualizações 154
Palavras 1.072
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 69 - Se Entendam...


`` S/n On ``

...e estava bom! Eu jurava que eu iria matar esses seres humanos inocentes, mas ficou bem gostoso. Bem, terminamos de comer, e o clima não estava muito bom por um simples motivo, o pai do Chenle deu um berro com ele quase agora por que à mãe dele mima ele demais.

~ Flashback On ~

-trinta minutos atrás...

[...]

Narradora On

S/n estava cozinhando, enquanto á mãe do Chenle foi chamar o pessoal para jantar, estava tudo calmo, mas a mãe dele acabou falando com ele como se ele fosse uma criança pequena, o pai vendo toda aquela situação, a mesma cena que se repetia desde que o Chenle nasceu, ele acabou gritando.

***

PC: PARA DE TRATAR O CHENLE COMO UM BEBÊ! - ele gritou, fazendo todos ficarem em um silêncio absoluto.

MC: Deixa eu falar com o meu filho do jeito que eu quiser! - a mãe de Chenle levantou a voz.

PC: Por isso ele cresce mimado! Você trata ele como se fosse uma criança! Eu não quero que meu filho precise de você para o resto da vida!

Chenle, vendo os pais naquela situação, não se agüentou e começou à chorar, ele buscava forças para enfrentar o pai, que no qual temia bastante, principalmente naquela cena, mas ele não encontrava.

PC: ESTÁ VENDO? ELE PARECE UMA MENININHA CHORANDO! ELE PRECISA SER UM HOMEM FORTE E MÁSCULO, E NÃO UMA DONZELA INDEFESA! - ninguém acreditou no que ele havia acabado de dizer.

S/n queria poder fazer alguma coisa à respeito, já que ela odeia brigas, e agradecia muito, já que seus pais se davam muito bem, mas a mãe dela lhe ensinou que se meter na briga de pais e filhos é errado e extremamente desrespeitoso, pois ela não era os pais do Chenle para dizer como eles devem tratar o filho, então ela teve que escutar todos aqueles sermões do pai do Chenle.

Foi quando, em um súbito segundo de tempo, Chenle explodiu, igual à uma bomba, ele não queria ter que passar por tudo àquilo, ele sabia que se visitasse seus pais novamente, isso iria se repetir.

CL: PARA DE GRITAR PAI! EU NÃO SOU UMA DONZELA INDEFESA COMO O SENHOR DIZ! MUITO PELO CONTRÁRIO, EU SOU UMA PESSOA FORTE, POR AGÜENTAR DURANTE ANOS ESSAS BRIGAS DE VOCÊS DOIS! - todos se surpreenderam com a coragem de Chenle.

MC: Tem como uma vez na vida, sermos uma família normal? 

***

Eles se calaram, a mãe do Chenle voltou para a cozinha onde a S/n estava, e onde a S/n pode escutar toda a gritaria, eles se sentaram no chão, todos reunidos como se nada tivesse acontecido, como se toda aquela gritaria não passasse de um imprevisto.

Narradora Off.

[...]

Após toda essa turbulência antes do jantar, como eu disse o clima havia ficado bem esquisito, os olhos do Chenle já estavam ficando inchados pelo fato de ele ter chorado bastante enquanto os pais estavam quase se matando, eu precisava fazer alguma coisa para isso acabar e eles serem uma família feliz, ver o Chenle naquela situação estava acabando comigo. 

Chenle me disse que quando isso acontecia, o que era com muita freqüência, ele corria para o quarto de seu irmão, que é treze anos mais velho que ele, e ficava durante umas duas horas, ou até a poeira acabar, Chenle chorou quando contava isso, ele disse que se arrependeu de ter nascido, eu só queria matar o pai dele por isso.

Ficamos naquele maldito silêncio, até acabarmos de comer, assim que acabamos, eu ajudei a mãe do Chenle a lavar a louça, percebi que a sua expressão alegre sumiu do rosto, eu tenho que fazer qualquer coisa que ajude essa família a ficar em equilíbrio.

Fomos para a sala, estávamos assistindo algum programa Chinês, que eu não gostei, mas que por acaso é uns dos favoritos da mãe do Chenle, então nem vou dizer nada, estava um silêncio horrível, então eu propus uma brincadeira.

***

S/n: Pessoal, vamos fazer uma seguinte brincadeira? - todos olharam para mim.

JN: E o que seria S/n? - Jeno estava agradecendo aos céus por eu ter feito algo descente.

S/n: É assim, cada um fala uma verdade ou algo que sempre quis falar para tal pessoa, por exemplo: "Eu sempre achei o sorriso do Ten bonito", e essa pessoa na qual eu falei pode falar uma verdade ou confissão para mim ou para outra pessoa e assim por diante, mas só tem uma regra, a pessoa vai ter que ouvir sem dizer nada!

JM: Pode ser...

S/n: Okay, eu começo, Sinto inveja do cabelo do Johnny.

JHN: Sempre soube! - debochou.

S/n: Ele é convencido ele.

JHN: Sou mesmo amor, enfim, agora eu sou eu... Confesso que queria saber dançar igual ao WinWin.

WW: Nem danço tão bem assim.

YT: Não WinWin, imagina...

WW: Se vocês estão dizendo, quem sou para discordar... Então, agora sou eu! Eu queria que o Chenle falasse tudo o que quisesse falar neste exato momento! - o WinWin já havia entendido o porquê do jogo.

CL: Agora...aparentemente sou eu, okay - respirou fundo - Eu queria que meu pai me amasse! Que ele gostasse de mim. - todo mundo ficou de boca aberta.

PC: Eu queria pedir desculpas para o Chenle, por tudo o que ele ouviu de mim esses últimos anos, eu queria confessar que eu sempre tive orgulho do Chenle, por ele ser essa pessoa incrível que é, muito obrigada por ser meu filho.

CL: Eu queria um abraço do meu pai agora - os dois já estavam chorando.

***

Meu jogo pelo o que eu vi, havia dado certo, eu estou feliz que os dois tinham se entendido, eu estou bem aliviada por isso, não iríamos para o hotel amanhã, todos nós vamos sair para comer fora, o primeiro dia em que o Chenle vai aproveitar com o pai depois desses anos conturbados...

Fomos dormir juntos, já era meia noite, só que tem um problema, ninguém dormiu, fizemos uma festa do pijama, já era a terceira que eu fiz com os meninos, mas dessa vez não vai ter verdade e desafios, ou brincadeiras do tipo, mas teve algo bem legal essa noite... Nós vamos madrugar jogando video-game!

Isso mesmo, ninguém poderá dormir essa noite, vamos ver quanto tempo aguentamos acordados, mas antes de tudo isso acontecer, fomos tomar um banho, só que tem um pequeno problema, somos em quatorze pessoas, e só tem um banheiro, ficamos quase duas horas para todo mundo tomar seu banho, ainda bem que foi por ordem de idade, EU SOU A MAKNAE DO GRUPO! CHUPA SOCIEDADE, Mas coitado do Taeil, que é o nosso Hyung....


Continua....





Notas Finais


Comentem o que acharam amores!

Beijos no Kokoro.
— @bbxyuta <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...