História Amor Impossível - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bendy and the Ink Machine, Five Nights at Freddy's, Slender (Slender Man), Undertale
Personagens Alice Angel, Bendy, Boris the wolf, Chara, Chica the Chicken, Freddy Fazbear, Golden Freddy, Personagens Originais, Purple Guy, Sans
Tags Creepypasta, Liu Homicidal, Toddynho X Caroline
Visualizações 14
Palavras 2.359
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, LGBT, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


MÁ OEEE!! Eu tô aqui como sempre :v postando novo cap e etc. Mesmo que meus dias sejam lá muito atarefados e corridos por conta da escola e trabalhos escolares que pqp, não fazem ideia da sofrência q-q
MAS TÁ AQUI! Boa leitura <3
(Vocês vão ficar um tanto confusos :v)

Capítulo 13 - Conselhos E Fuga


Fanfic / Fanfiction Amor Impossível - Capítulo 13 - Conselhos E Fuga

~POV Caroline On~

Acordei agitada com os olhos úmidos de lágrimas, me levantei da cama e estava usando uma camisola transparente. Nem notei que a Biah já havia saído do quarto para tomar o café da manhã, que bela irmã eu tenho, nem me acorda antes de ir. Fui até o closet e peguei uma toalha, me apressei saindo do quarto e andando até o banheiro que não ficava muito longe.

Abri a porta do banheiro que estava apenas encostada, adentrei ao mesmo e deixei minha toalha encima da tampa da privada.

-Minha cara deve estar um cu. -Falei soltando um longo suspiro, fechei a porta e virei o rosto para um espelho enorme e largo na parede do banheiro que ficava acima da pia e a privada. -É, tá mesmo um cu! -Exclamei descabelando meu cabelo e sem mais hesitar, tirei minhas roupas apressadamente as jogando no chão e entrei no box.

~20 minutos depois~

Terminei o banho e enxuguei minha pele com a toalha, espremi meu cabelo para tirar o excesso de água e coloquei a toalha envolta de minha cintura. Fiz por último minha higiene pessoal, depois abri novamente a porta e saí apressada novamente até o meu quarto.

-Carol, ainda está aqui? Já é hora de escola! -Ouvi a voz da minha mãe. -E sua irmã já foi!

-Ela não me acordou para ir junto! -Exclamei ficando indignada e entrei no meu quarto.

-Mas você sabe muito bem o horário que deve acordar. -LuLuh falou e eu bufei.

-Sei, mas eu não estou com ânimo pra ir nessa merda de escola! -Exclamei indo até o closet. -Por mim, eu ficaria em casa pra sempre!

-Controla esse seu gênio, Caroline! -LuLuh exclamou aumentando o tom de voz, sempre que ela me chama pelo nome desse jeito, é porque está braba e eu estava pouco me importando com isso.

-Eu SEMPRE fui assim! Nada vai me fazer mudar! -Exclamei remexendo o closet todo à procura de alguma roupa que preste. -E eu preciso de roupas novas!

-Não reclama, você já está atrasada! Pega qualquer roupa e vai andando! -LuLuh exclamou e eu revirei os olhos sem que ela percebesse.

-Se for desse jeito eu não vou! Fico aqui! -Exclamei desafiando a LuLuh.

-Existe uma coisa ainda mais poderosa que sua birra, minha mão na sua cara! -LuLuh exclamou irritada e tirei um vestido preto com bordado vermelho no mesmo momento. -Muito bem.

-Me deixa sozinha! Quero privacidade! -Exclamei totalmente irritada e a LuLuh finalmente saiu do quarto para me deixar sozinha.

Peguei minhas roupas íntimas, um par de sapatilhas vermelhas e uma jaqueta da mesma cor. Fechei o closet e desenrolei a toalha que estava em meu corpo para começar à vestir as roupas que escolhi.

~POV Shadow Freddy On~

-ME CONTA COMO FOI ESSA AVENTURA! -Gritei afobado sobre a mesa do Toddy, todos da sala já estavam nos encarando e eu não me importava com esses olhares encima de nós.

-Fala baixo, porra! -Toddy respondeu completamente irritado. -É por isso que o colégio inteiro fica sabendo de tudo! Você fala mais alto que narrador de futebol!

-Mas você nunca me conta nada! -Exclamei cruzando os braços emburrado.

-Claro, se eu contar que meu pau é pequeno, todo mundo já sabe em menos de um segundo! -Toddy exclamou irônico e eu fiz uma cara de nojo.

-MAS EU SOU SEU ÚNICO MELHOR AMIGO NESSE CU DE ESCOLA! -Gritei na cara do Toddy provocando uma ventania. -Se vacilar comigo, vai ficar alone nessa bosta. -Abaixei o tom de voz e falei na maior elegância do mundo.

-Ora, essa... -Toddy falou suspirando de forma pesada e eu o encarava maliciosamente nos olhos à espera da resposta dele. -Tá, eu conto! Mas se você contar pra alguém, eu vou comer teu cu com sal e pimenta.

-Eu sou uma sombra. -Falei fazendo uma cara de bunda e Toddy fez a mesma cara.

-Que merda, hein? -Toddy perguntou irônico e eu joguei os ombros para trás. -Bom, sabe ontem de noite quando vocês todos saíram da casa da Carol?

-Sei. -Falei o olhando e me caiu a ficha. -Não me diga que a mãe dela se irritou com o namoro de vocês e pediu pra você se afastar dela?

-Porra, como você adivinhou? -Toddy perguntou e depois abaixou a cabeça entristecido. -O pai dela ameaçou de chamar a polícia e eu saí de lá...

-Que triste, mas as coisas boas passam muito rápido pela nossa vida. -Falei filosofando e Toddy concordou. -Mas o que aconteceu depois?

-Os policiais me pegaram no caminho e fui levado para uma cela de vigilância extrema e eu quase morri. -Toddy falou e eu arregalei os olhos.

-E como não morreu? -Perguntei curioso e Toddy começou a suar frio.

-Eu consegui me soltar das correntes e detonei todos eles! Depois fugi e voltei pra casa levando bronca do meu irmão como sempre... -Toddy revirou os olhos e eu desconfiei da primeira parte que ele contou.

-Você não tem forças pra quebrar nem um cabo de vassoura com a perna, imagina correntes de aço. -Falei sério e Toddy bufou.

-Mas a desgraça estava frouxa! -Toddy exclamou irritado e antes que eu respondesse, senti alguém tocar em meu ombro.

-Papagaio negro, vai pra sua carteira antes que eu te transforme em um brinquedo. -Era a voz do Jason, congelei com o tom de voz frio e assustador que ele usou para dizer tais palavras por alguns segundos e voltei para minha carteira.

Quando me sentei na carteira, virei o rosto e vi que o Golden Freddy se sentou do meu lado.

-Oi. -Golden falou desanimado e eu fiz uma cara de bunda.

-Que milagre você se sentar na frente, particularmente falando. -Falei desconfiado pro Golden e ele abaixou a cabeça sem responder.

~POV Caroline On~

Cheguei correndo pelo portão da escola, passei pelo saguão e o corredor sem me importar com os adultos reclamando e dizendo para eu andar devagar por ali. A correria teve fim assim que parei em frente à porta da minha sala, suspirei profundamente para não sentir algum tipo de remorso da professora reclamando do meu atraso e abri a porta que estava apenas encostada.

-Posso entrar? -Perguntei passando somente minha cabeça pela brecha da porta, via todos os olhares ficarem encima de mim incluindo a da professora que parecia indignada comigo.

-Está atrasada, Caroline. -Falou seriamente. -Na próxima vez se houver mais um atraso em minha aula, é falta! Pode entrar.

Passei pela porta e a fechei, olhei em volta e restou apenas uma carteira vazia perto de uma janela fechada com cortinas até o piso. Fui até essa mesma carteira e a ocupei.

-Que saco... -Falei sussurrando baixo enquanto começava a tirar meu material da minha mochila.

-Carol, porque você se atrasou? -Um amigo meu chamado Guilherme me perguntou ao meu lado.

-Não interessa. -Falei friamente e Guilherme pareceu se rebaixar com minha resposta. -Olha, desculpa...

-Sem conversas enquanto estou explicando! -A professora bloqueou nossa conversa, minha vontade era de manisfestar raiva dela, mas me lembrei de que na escola se deve respeito aos mais velhos e professores.

~POV Toddynho On~

No meio do horário, estava com o cotovelo apoiado sobre a mesa enquanto segurava meu queixo e fingia entender a explicação do Jason. Não conseguia me concentrar, meus pensamentos me bloqueavam e cada vez mais sentia que ia surtar de saudades da Carol.

-Toddy, Toddy, TODDY, PORRA! -Jason gritou me fazendo sair dos meus pensamentos e virar a cadeira para trás pelo susto. -Responda quando estou falando com você!

Ouvia risadas preencherem toda a sala, me levantei e coloquei a cadeira em pé novamente.

-Bom, imagine-se numa seguinte situação: Você encontra duas pílulas na rua, uma te dava a imortalidade e a outra seria de conseguir tudo o que deseja. Qual você tomaria? -Jason perguntou e eu fiz uma cara de bunda.

-Sério isso? -Perguntei de volta.

-Apenas responda. -Jason cruzou os braços.

-Conseguir tudo o que eu desejo, claro. Assim eu desejaria a imortalidade e teria os dois de uma vez. -Falei revirando os olhos sem que Jason percebesse e ele logo concordou.

-Fiz essa pergunta porque notei que você não estava prestando atenção na minha aula e parece que perdeu alguém. -Jason falou sério e eu desviei o olhar. -Mas um conselho: Nada é para sempre.

-Jason dando conselhos? O mundo vai acabar! -Ouvi a voz do Slender se manifestar no fundo da sala e alguns deram risadas por tal comentário.

-Caham, voltando para a explicação... -Jason falou e voltou a explicar novamente o assunto do trimestre.

//Quebra De Tempo//

Finalmente deu o horário do intervalo, estava no saguão da escola onde eu continuei ainda pensativo no momento.

-Toddy, tenta se animar, cara! -Olhei Shaddy chegar flutuando até mim e eu virei a cara.

-Você não entende, minha vida não é mais a mesma sem a Carol! -Exclamei.

-É mesmo? Quer dizer que aquele cara legal, engraçado e que estava pouco se fodendo pros pensamentos dos outros, não existe mais por causa de uma menina? -Shaddy perguntou indignado e eu fiquei calado por alguns segundos.

-É que ela foi a única que me fez sentir melhor, ninguém no mundo conseguiu me fazer ser sensível e amoroso. -Falei entristecido.

-Se você está com essa certeza toda...então porquê não vai atrás dela e tenta pela segunda vez convencer os pais? -Shaddy perguntou e eu balancei a cabeça em reprovação.

-Eles são capazes de chamarem a polícia de novo! -Exclamei bagunçando os meus longos fios de cabelo em nervosismo.

-O amor não é um crime. -Shaddy falou me encarando preocupado. -Tenta, cara! Não gosto de te ver assim, você me animou no dia do meu aniversário e quero retribuir isso agora.

-É a primeira vez que falo isso, mas...eu estou com medo! -Exclamei abaixando a cabeça. -Medo de nunca mais ver a Carol...

-O medo é algo natural, todos sentem! Mas você ainda consegue superar isso, mesmo você sendo incapaz de certas coisas. -Shaddy falou e nossa conversa foi bloqueada pelo sinal tocando. -Bom, pense nisso. -Shaddy desapareceu nas sombras.

-Talvez ele tenha razão...estou sendo mesmo um covarde.. -Falei comigo mesmo e comecei a andar de volta para a sala.

-Falando sozinho? -Golden perguntou aparecendo ao meu lado e dessa vez não me assusto por sua aparição.

-Só estou pensando alto. Tem problema nisso? -Perguntei tentando ser rígido com o Golden, mas no fundo queria falar normalmente como bons amigos no dia anterior.

-Tem, você acaba virando um velho caduco desse jeito. -Golden falou sorrindo e eu dei um soco no ombro dele. -Ai, doeu! -Exclamou colocando a mão no ombro fingindo uma dor, sendo que bati bem fraco dessa vez.

-Fresco! -Exclamei apressando o passo e Golden me seguia sem tanta pressa.

-Velho caduco. -Golden falou me provocando e eu mostrei o dedo do meio pra ele. -Delicado como sempre. -Sorriu.

Cheguei na sala voltando para meu lugar, estavam poucos de volta nas carteiras e os que faltavam ainda estavam chegando. Olhei o Shaddy vir novamente até minha mesa e bufei.

-Você virou amigo do Golden? -Shaddy perguntou desconfiado. -E aquela rivalidade toda?

-Do que você tá falando, caralho? Eu nunca vou ser amigo de um babaca! -Exclamei emburrado e Shaddy me encarou.

-Vocês dois pareciam conversar como amigos e ele tá diferente hoje...tipo, antes a cara dele era vazia e hoje tá aí, sorrindo igual um psicopata que acabou de sair da cadeia! -Shaddy exclamou.

-O certo é manicômio! E não, não somos amigos. -Falei tentando o convencer, mas o professor chegou e rapidamente Shaddy voltou para o lugar antes da bronca.

~Um tempo depois~

As aulas infernais finalmente acabaram, suspirei fundo e me levantei da carteira em que estava. Os outros saíam apressados da sala, exceto Shaddy que fez questão de me esperar e peguei minha mochila a colocando nas costas.

-Vamos. -Shaddy falou e saímos da sala por último.

-Shaddy, preciso de um outro conselho... -Falei tímido e Shaddy continuou a me seguir flutuando pelo corredor vazio e silencioso que ficou. -O que eu devo fazer para que os pais da Carol me aceitem?

-Você tem que mudar seu estilo, depois precisa começar a desapegar de facas e essas coisas de assassino. -Shaddy falou e eu tirei minha faca de meu moletom apontando pra ele.

-A minha faca é sagrada! -Exclamei sério e Shaddy fez uma cara de bunda.

-Mais do que a Carol? -Shaddy perguntou e eu fiquei calado por alguns segundos. -Encaro isso como um 'não'.

-Adeus, minha alma gêmea. -Falei beijando a lâmina da faca e choramingando. -Foi bom enquanto durou...

-Deixa de cu doce e joga essa faca pra longe. -Shaddy falou sério e percebi que chegamos no saguão da escola, joguei a faca no horizonte que piscou uma luz quando terminou longe.

-Shaddy, me abraça, eu tô chorando. -Falei choramingando e Shaddy bufou.

-VEM LOGO, TODDY! -Ouvi a voz do Horror Sans perto do portão da escola acompanhado do Liu e da Jane, me despedi do Shaddy e saí correndo até lá. -Espera, tá chorando por quê? A bezerra faleceu?

-Não, eu joguei a minha faca fora. -Falei abraçando o Horror Sans.

-Que viadagem, vamos embora! -Liu exclamou sério e no mesmo momento nos teleportamos para nossa casa.

-Toddy, que história é essa de jogar a faca fora? Você e ela faziam tudo juntos e até iam pro banheiro juntos! -Horror Sans exclamou se soltando do abraço.

-Eu tive que trocar ela pela minha nova vida. -Falei chorando de forma dramática e Horror Sans suspirou.

-Tudo pela Carol...que merda, hein? -Horror Sans falou se jogando no sofá e pegando rapidamente o controle de trás da almofada.

-É o amor que mexe com a minha cabeça e me deixa assim... -Jane começou a cantar uma música para combinar com o momento e do nada a campainha tocou.

-Eu atendo! -Liu exclamou indo até a porta e assim que abriu, rapidamente um gato de pelos brancos passou entre as pernas do mesmo quase o derrubando. -OH, CARALHO!

-Espera... -Encarei aquele gato vindo até minha direção. -CAROL?! -Exclamei surpreso e o gato se revelou ser a Carol numa transformação.

-Toddy! -Carol me abraçou fortemente e eu comecei a beijar ela de forma insaciável.

-Não quero estragar esse momento, mas...VOCÊ FICOU LOUCA DE VIR PARA CÁ?! -Liu se manifestou e a Carol escondeu o rosto sobre meu peitoral.

-E-eu fugi! -Carol exclamou e todos ficaram boquiabertos.

-COMO É QUE É?! -Gritamos juntos.

-Eu estava na escola, minha professora deixou eu ir pro banheiro e eu fiquei na minha forma de gato pra fugir pelo portão! Depois eu comecei a me lembrar do caminho que o Liu me levou de volta para casa e eu cheguei aqui! -Carol exclamou abaixando suas orelhas. -Não vou suportar mais nenhum dia longe do Toddy!

Continua...

Notas Finais


Oh-uh! -Anti Spoiler-


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...