1. Spirit Fanfics >
  2. Amor Incondicional >
  3. A volta do passado

História Amor Incondicional - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - A volta do passado


Regina acorda com a sensação da sua fralda estar molhada. Abre os olhinhos castanhos lentamente, vendo tudo ao seu redor escuro. Seu coraçãozinho bate acelerado, não consegue ver nada. Ouve um barulho na janela, e começa a chorar. Chama por Belle, sua babá varias vezes. Em seguida, chama por sua mãe Cora, que também não responde.  Lágrimas cai de seus olhinhos castanhos como cachoeira. Sua vontade é de retirar sua fralda, mais tem medo de sua  Mamãe lhe bater. Como fez outras vezes. Tenta se levantar da cama,  mas suas perninhas estão moles, não consegue nem se sentar.  Fica deitada enrolada na coberta, onde se encolhe e chora por longas horas até que é vencida pelo cansaço e  acaba dormindo.

Cora, olha para se relógio o observa que faz horas que sua filha está dormindo. Sem fazer barulho vai até seu quarto observando  sua pequena, abre a porta tendo a imagem de uma Regina adormecida na cama com os olhinhos  vermelhos e inchados de tanto que chorou.  Cora aperta a fralda da filha, sentindo que está cheia. Pode se sentir que é urina, pois está morna. Com certeza, Regina chorou tanto que acabou fazendo xixi varias vezes. Coloca a chupeta rosa com vários corações nos lábios da Filha, troca rapidamente sua fralda colocando uma fralda seca e o ursinho que Belle deu cobrindo  seu pequeno corpo adormecido.  Ouve seu celular vibrando e ao olhar para o visor é a imagem de Henry.  Imediatamente sai do quarto de Regina, para que possa atender e falar com o marido sem acordar a filha.  Henry nunca foi um pai presente, sempre viajou muito e raramente está em casa. Quem cuida de Regina, é Cora, que fica o tempo todo ao lado da filha.

-Henry? Como Você está meu amor? Como está a viagem?  Que dia Você volta? – Pergunta Cora com sua voz de mulher dedicada e preocupada com o marido. Cora ama Henry,  e é grata por tudo o que  o marido He fez todos esses anos.

- Estou bem...  Liguei para lhe avisar que minha volta para casa, será adiada. Terei que ficar mais um tempo aqui meu amor.  Como está Regina? Estou com saudades da nossa filha.  Onde Ela está?  Quero ouvir sua voz.

Ao ouvir que o marido vai demorar para voltar. A voz de Cora se entristece.

– Regina está dormindo.  Ela está com saudades.

- Em breve estarei em casa. Eu amo Vocês duas. Agora tenho que ir, Eu te amo, Cora. – Fala Henry desligando o celular.

Após desligar o celular, Cora, entra no quarto olhando para os olhinhos negros de Regina que a olha profundamente.

 –Se sente melhor, Regina? –Pergunta Cora olhando para a filha.

–Sim, Mamãe! Podemos ir no parque?

 –Podemos!

Cora arruma Regina e em poucos minutos ambas chegam ao parque. Ao chegar no parque, está cheio de crianças da idade de Regina.   Cora se senta em um banco de frente para um enorme lago olhando para a pequena dentro do carrinho sonolenta.

Observa de longe, um menininho com aparentemente 5 ou 6 aninhos andando em sua bicicleta azul. Quando se aproxima e para em sua minha frente olhando para o carinho mais precisadamente para Regina.

- Olá Senhora!  Que bebê lindo!

Cora olha para o menino. 

– Qual  é o seu nome?  O que faz no parque sozinho? Onde está seus pais? Você sabe que não pode ficar sozinho?

- Meu nome é Daniel Colter. Estou andando de bicicleta, com meu primo.   Eu não tenho papais, Eles morreram em um acidente de carro.  Tenho apenas meu tio Gold, que cuida de mim e de meu primo Baelfire.  Qual é o nome do bebê? – Pergunta o menino olhando para dentro do carinho observando a pequena Regina dormindo.

- Seu nome é Regina, é a minha filha.

Regina abre os olhinhos e encontra com os olhos azuis de Daniel lhe olhando, sente uma vergonha dentro de si.  Por estar chupando uma chupeta rosa.  Rapidamente Regina cobre os rostinho com a mantinha, pois tem um menino lhe olhando.

- Ela acordou Senhora! – Fala Daniel olhando para Cora.  Que ao ver Regina com a mantinha no rosto puxa da filha. – Por que está escondendo o rosto? – Pergunta Cora com a voz autoritária para a filha, que se encolhe no carinho de medo de  receber um castigo.  - Esse é Daniel! Fala “Oi” para Ele.

Regina olha para o menino em sua frente, e fala um Oi com a chupeta em sua boca.  

- Quando for falar com alguém, retire sua chupeta da boca.  É falta de educação. – Fala Cora,  olhando para Regina que tem os olhinhos cheios de lágrimas.  

 Daniel, fica paralisado. Seus olhinhos azuis brilha de medo.

- Não chora Regina, Eu tenho um pirulito. – Fala o menino que retira do bolso de sua calça Jeans um pirulito rosa de coração e entrega para Regina.  – Pode chupar.

 Regina ao pegar o pirulito, cai de suas mãos

 – Deixa que Eu abro. – Fala Daniel que abre o pirulito colocando na boca de Regina. – Cora apenas observa a cena encantada. – Gostou do pequeno menino, se mostrou um verdadeiro cavaleiro. - A Senhora quer um pirulito? – Pergunta Daniel que retira outro pirulito do bolso de sua calça jeans  entregando para Cora.

- Obrigada, querido! Eu não gosto de pirulitos, provoca caries dentarias.

Daniel olha para tudo atentamente, Regina tem os olhos lindos.  Ouve a voz de seu Tio lhe chamando de longe, que vêm acompanhado de seu primo Baelfire, que está em uma bicicleta verde.

Cora, ao ouvir alguém chamando o pequeno menino olha para o som da voz. E reconhece o homem que vem andando com uma bengala.  

- Não pode ser !  Fala para si mesma. – Seu coração acelera ao ver que cada vez mais o homem se aproximar. – Qual é o nome do seu tio Daniel? – Pergunta Cora olhando para o menino.

- Mr. Gold!

Os olhos de Cora se arregala, será o mesmo Mr. Gold que namorou na sua adolescência? Ao ver o homem em sua frente, pode ver seus olhos. Realmente é seu antigo namorado da adolescência.

- Eu não falei para não se afastar de mim, Daniel?  Me desculpa, por meu sobrinho estar lhe atrapalhando. – Fala Gold olhando para a mulher em sua frente, quando olha atentamente se lembra quem é a mulher. – Você?

Cora se mantêm em silêncio, sua voz não sai de seus lábios.

Quanto tempo  não nós vimos ?  Essa é sua filha? – Pergunta Gold olhando para Regina adormecida no carrinho. -Ela é uma criança linda!  Posso pegar Ela no colo?

Cora se espanta.  Por  que, Gold, está pedindo para pegar sua filha no colo. 

- Pode sim! –Sua voz sai baixa e rouca.

Gold pega Regina no colo  se encantando pela pequena que dorme serenamente.

– Ela está  linda, com esse vestido. 

- Esse é seu filho? Tem seus olhos. – Pergunta Cora olhando para Baelfire. 

- Sim...  Esse aqui é meu tesouro, seu nome é Baelfire. Ele é bem tímido. – Fala Gold sorrindo para o filho que abaixa a cabeça envergonhado. – Já... Esse aqui. – Fala apontando para Daniel. - É meu sobrinho Daniel! Ele mora comigo, o crio como meu  próprio filho.  E o nome dessa princesa qual é?

- Regina!  - Fala Cora olhando para a filha que continua dormindo.

- O nome de uma Rainha, igual ao da mãe. Os anos lhe  fizeram  bem Cora, continua linda como sempre. Vejo que está casada. –  Gold, olha para a aliança de ouro no dedo de Cora.  – Se casou com Henry? Ele é o pai de Regina?

- Sim!  Me casei com Henry, e Ele é o pai de Regina.

Um silencio fica entre os dois.

 Daniel e Baelfire, pegam suas bicicletas e vão andar pelo parque.   O silencio é quebrado pela tosse de Regina. Que faz com que ambos olhem para a pequena que dorme.

– Eu tenho que ir, está ficando tarde e Regina está doente. 

Gold coloca a pequena no carrinho cobrindo seu corpo depositando um beijo em sua testa.

– Você é linda, Regina. Cuide de sua mamãe. – Fala Gold olhando para Cora. - Onde posso lhe encontrar? Quero conversar com Você a sós.

- Não sei se é uma boa idéia?

- Precisamos conversar, Cora? Te espero em meu apartamento, é ao lado da delegacia, número 8.

- Tenho que ir. – Fala Cora que sai empurrando o carinho de Regina. 

 Gold olha para a mulher de longe. Será que Regina é sua filha? Se parece tanto com Baelfire.   Precisa descobrir a verdade, já perdeu a mulher que ama. Não vai perder  sua filha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...