1. Spirit Fanfics >
  2. Amor Inesquecível >
  3. Capítulo 25

História Amor Inesquecível - Capítulo 28


Escrita por:


Capítulo 28 - Capítulo 25


- Julieta    

Eu estava no salão da mansão com o vestido de festa que usava no meu casamento quando um homem em cadeira de rodas se aproximou de mim, reconheci-o pela foto na sala, ele era meu sogro, Afránio Cavalcante, o Barão de Oro Verde, ele olhou com olhos calmos e um sorriso agradável

- Fico feliz que, finalmente, você tenha descoberto sua verdadeira identidade e retornado ao meu filho, ele estava tão triste sem você e eu também, queria aliviar sua dor, dizer a ele que você estava bem e faze-lo procurar por você, mas eu não podia, ele te ama tanto

"E eu aprendi a amá-lo novamente, Barão, o que devo fazer?" Não consegui me lembrar muito, quero que Aurélio seja feliz, mas para isso preciso me lembrar

"Acalme-se querida, você se lembrará de quando menos espera e será em breve

-Quando? –Eu disse olhando para ele desesperadamente– me dê uma pista que eu te imploro

"Voltando no tempo", disse ele, sorrindo.

"Voltando no tempo? O que você quer dizer com isso?"

- As respostas virão sozinhas Julieta, seja paciente - ele disse, pegando minhas mãos nas dele.     

Acordei daquele sonho confusa no dia seguinte, ¿o que meu sogro quis dizer ao dizer que eu precisava voltar no tempo para lembrar? Ele disse isso com tanta certeza como se soubesse o que aconteceria , talvez fosse uma pista, eu precisava falar com Aurelio para me ajudar, ele era seu pai, talvez ele soubesse o que significava, então eu me vesti, para ir ao seu quarto; no entanto, ele não estava lá, mas sim Dolores, que acabara de arrumar a cama.

- Bom dia Dolores

"Bom dia, Dona Julieta, você precisa de alguma coisa?"

"Não, é só que eu vim procurar Aurélio

-O senhor Aurélio saiu cedo

-Onde?

- Não sei, ele não deu detalhes, mas estava determinado e deixou uma mensagem para você

-Qual?

- Que ele a ama

- Obrigada Dolores, isso significa muito para mim

"Eu sei. Você quer que eu leve seu café da manhã para a cama?"

"Não, eu vou tomar café na sala de jantar

- Como você diz, Dona Julieta     

Deixei Dolores no quarto e desci para tomar café da manhã, a casa tinha um ar diferente com as rosas, estava linda, comecei a me sentir em casa naquele lugar, quando cheguei na sala de jantar, Camilo estava lá

- Bom dia Camilo

"Bom dia, mãe, você dormiu bem?"

"Sim, eu fiz e você?"

- Também, sente-se, pedirei à Mercedes que traga o café da manhã.

"E onde estão todos?" Eu disse quando me sentei

- Ernesto no escritório do prefeito, Emma na loja, Afránio, Catarina e Charles na escola e Jane foi visitar Elisabetta

-E você?

"Terminando o café da manhã para ir à empresa, pensei que nunca mais veria os vasos cheios de rosas vermelhas", disse ele, apontando para o vaso na sala de jantar.

- Você me disse que eu gostava de fazer isso e queria tentar ver se me lembrava mais e também porque a casa parecia um pouco triste

- Você está certo, era necessário

"Eu sempre gostei de rosas?"

- Desde que me lembro, quando eu era criança e voltava da escola, você quase sempre estava podando as rosas, arrumando-as e trocando a água

- Camilo me conta, como ela eu como mãe? Éramos próximos?

- Mais ou menos, quando comecei a estudar, você me enviou para o colégio interno e só nos víamos em férias e datas importantes

"Eu não queria ter você por perto?"

- Não é isso,  naquela época você estava criando o império do café e não podia cuidar dos negócios e de mim ao mesmo tempo, mas quando voltava, você se dedicava completamente a mim, me transformava em sua vida

"Foi justo, embora eu não acho necessário mandá-lo para longe de mim, muitas mulheres criaram seus filhos sozinhos e fecham enquanto trabalham, por que não pude?"

- Você não é como as outras mães, também pensou no meu futuro, precisava trabalhar para se tornar o que é agora: a “Rainha do Café”

"Eu era muito rigorosa?" Diga-me a verdade não importa

Sim e autoritária ,você queria impor sua vontade

"Eu sei, e Aurélio me disse que tentei separar você de Jane e também sei sobre as lutas clandestinas, perdoe-me por ter forçado você a fazer isso", eu disse segurando as mãos dele.

- Não importa, além do mais, você me fez um favor, me tornei um homem real e independente

- Mas foi injusta, já que como sua mãe deveria ter te protegido, entendido e respeitado sua decisão, você amava Jane e, em vez de ajudá-lo a dar o melhor para ela, eu dei as costas para você

"Pare de se sentir culpada, mãe, é o passado e concordamos em viver no presente e ser felizes, aconteça o que acontecer

"Jane me disse que você tem aquela empresa de café, Três Mosqueteiros, quer me contar sobre isso?"

“É claro, é um café artesanal, mas com capacidade para ser produzido industrialmente. Inicialmente, começou como um pequeno negócio, mas com a ajuda de Ernesto, Januário, Barão e produtores do Vale, expandiu-se e agora é um sucesso, tem muitos lucro, se você quiser eu vou te levar

- Não Camilo, ainda não estou pronto para ser visto por tantas pessoas; sei que em algum momento terei que fazê-lo, mas ainda não

- Respeitarei sua decisão, mãe, tudo estará no seu tempo     

Mercedes chegou com o café da manhã e Camilo e eu continuamos conversando mais um pouco, até que ele teve que ir trabalhar e eu passei pela casa, procurando uma pista que me ajudar a voltar no tempo, como o Barão disse no sonho, comecei o estudo, mas havia apenas registros contábeis, livros de administração

- Deve haver algo que possa me ajudar a me reconectar com o meu passado de uma vez por todas     

Saí do escritório e, quando estava prestes a subir as escadas, a porta se abriu e Aurelio apareceu, com o terno e os olhos que, sem poder ver, eram os mais bonitos do mundo e Tiao, o motorista.

- Aurelio, Tiao

- Bom dia, Dona Julieta

"Bom dia, meu amor", ele disse sorrindo, "você dormiu bem?"

"Sim, muito bem, graças a Deus. E você?"

-Bem, obrigado "Bom", eu disse, suspirando, "onde você estava?"

 

- Fui visitar o coronel Brandão, marido de Mariana -Está bem? –Eu disse o percebendo um pouco triste

- Sim, só estou cansado, desculpe não ter dito bom dia

"Não se preocupe, Dolores me deu sua mensagem, eu estava procurando por você

-Que acontece Meu Amor?

"Eu só tenho que te dizer uma coisa. Vamos para o meu quarto", eu disse, guiando-o até as escadas.

-O que aconteceu? –Ele disse quando estávamos no quarto

"Sonhei com seu pai, com o barão

-Com meu pai?

- Sim, com o homem na pintura da sala

 "E o que aconteceu no sonho?" Ele disse quando eu o sentei

- Estávamos na sala e então ele veio, conversamos, eu disse a ele que queria recuperar a memória para poder fazer você feliz e ele disse que recuperaria a memória quando voltasse a tempo, perguntei o que ele queria dizer e ele respondeu que as respostas viriam sozinhas

"Meu pai te contou isso?"

"Sim, e eu não tenho ideia do que ele quis dizer, é você?

"Não tenho ideia do meu amor, se soubesse eu diria, mas devemos confiar nas palavras dele, meu pai era um homem sábio

"Você herdou isso dele", eu disse colocando a mão no rosto dele, "você é um homem tão amoroso e gentil

- Não, eu sou um homem comum, Julieta, pai, avô e marido dedicado, que tudo o que ele queria desde que conheceu você foi fazer você feliz

. "Desde que entrei em sua casa?"

- Desde aquele dia até agora   

 Não resisti e beijei-o nos lábios, como nas outras vezes em que Aurélio correspondia, era tão bom estar em seus braços, quando eu estava em Santa Catarina sempre tive a sensação de que algo estava faltando na minha vida e não quero dizer falta de memória, Agora eu sei o que era, o amor desse homem na minha frente, meu marido.

"Você está aproveitando o fato de que eu sou cego para continuar roubando beijos de mim", disse ele depois de nos beijar.

"Eu não tenho idéia do que você está falando", eu disse, rindo.

"Você não sabe?"

- No Aurelio

-Pois eu sim

-A sério? Conte-me

- Você é louca por esse homem e ele é louco por você e ele quer recuperar todo esse tempo em que fomos separados e continuar com a vida maravilhosa que tivemos - disse me atraindo para ele me beijando de novo

- Aurelio, agora que você mencionou, não há um álbum de fotos de todos esses anos?

- Sim, na gaveta do criado-mudo deste lado, há uma pasta com capas vermelhas    

Ajoelhei-me em frente à mesa e abri a porta pequena, a gaveta estava quase vazia, exceto por uma caixa, um livro e o álbum, peguei e depois sentei-me ao lado de Aurélio e abri o álbum, encontrei fotos do nosso casamento, semelhantes o que Emma me mostrou em Santa Catarina e assim, nós dois parecíamos felizes.

"De quem foi a idéia de fazer este álbum?" -Eu perguntei 

- De nós dois, estávamos escolhendo as fotos que queríamos colocar e percebemos que haveria muito espaço e decidimos preenchê-lo com momentos importantes, sendo o primeiro o nosso casamento

- Parece que foi um dos melhores dias da minha vida, em todas as fotos eu sorrio e inspirar felicidade

- Porque foi um dia muito feliz, do começo ao fim

-Como foi a festa? Porque nós tivemos uma festa depois, certo?

- Claro que e foi lindo, aqui na mansão, um baile de máscaras

"Como quando nos beijamos pela primeira vez?"

"Exatamente por que fizemos isso e também para compensar o que aconteceu depois do beijo

-O que aconteceu?

- Você interrompeu a dança e pediu a todos que descobrissem seus rostos

-E por que?

"Para descobrir Jane, você sabia que ela estava lá depois que Camilo lhe disse que eles haviam terminado.

- Eu preguntaria por que ele fez isso, mas sei muito bem o motivo. Fico feliz que ele tenha decidido enfrentar tudo e todos para ficar com ela.

- Camilo herdou sua essência, meu amor, ele é igual a você em todos os sentidos - ele disse colocando o rosto no meu pescoço

"Posso dizer o mesmo de você e Emma, ​​são muito parecidas", eu disse enquanto virava a página para ver mais fotos.

-Obrigado

- Aurelio, onde estamos nesta foto?

-Qual?

- Estamos na praia

- Estava na nossa lua de mel, a mesma a que fomos quando aconteceu o acidente que arruinou nossas vidas

- Calma, eu não quero que você fique triste, nós também estamos revendo a nossa vida e, pelo que vejo, foi lindo, em todos estamos nos abraçando e sorrindo - falei, tocando amorosamente as fotos de uma vida que não lembrava

- Porque a todo momento eu queria ter você perto de mim como agora e nunca deixar ir

- Eu também não quero que você me solte

"Nunca", ele disse, beijando minha bochecha, "desta vez eu não vou deixar você ir."

"Não vou a lugar nenhum, você pode ter certeza", eu disse enquanto virava outra página. Parei quando vi uma foto que realmente me impressionou onde eu estava carregando uma criança. 

-Que linda foto

-Qual?

- Onde estou com um bebê

- Deve ser Charles, quando ele nasceu, eles tiraram muitas fotos de você quando ele nasceu

"Ele era um bebê lindo

- Ele herdou da avó

- Ele se parece com Camilo

- E Camilo parece com você como eu te disse    

 Vendo essa foto, formou-se em minha mente uma idéia de que eu precisava compartilhá-la com Aurélio, então, depois de suspirar, disse:

- Aurelio

-Me diga meu amor

"Você e eu nunca pensamos em ter um filho propio?"

- Para ser sincero, não

-E você não gostaria?

"Bem, agora que você diz isso, é claro, mas por que você está me dizendo isso?"

- Não sei, é que estou ótima com meu neto nos braços que me ocorreu, é um absurdo, desculpe

"Não é bobagem, um mini Aurélio ou uma mini Julieta, seria bom, um pedacinho dos dois crescendo aqui", disse ele tocando minha barriga

"Não seria estranho?" Afinal, não temos vinte

- Para o amor não há idade e, se tivermos essa bênção, será muito bem recebida

Continuamos assistindo o álbum, até Aurélio dar sinais de cansaço, ele me pediu para levá-lo ao seu quarto, mas eu sugeri que ele ficasse comigo, enquanto dormia, não conseguia parar de pensar na conversa que tivemos sobre ter um filho, Seria a coroação da minha volta, mas eu ainda não tinha certeza de me entregar a ele, queria estar completa e, para isso, precisava recuperar toda a minha memória, estava desesperada.    

Levantei-me um momento para colocar o álbum na gaveta e depois peguei o livro que estava lá, para me distrair com esses pensamentos, abri e fiquei surpreso com o que dizia na primeira página:

"Amor surgido da dor", de Julieta Sampaio, dedicado ao meu amor Aurélio, um lembrete do bem que você me fez desde que apareceu na minha vida

Eu havia escrito um livro para Aurélio? Por que você não me disse nada? Certamente ele não sabia, talvez eu tivesse escondido, estava curiosa sobre o que encontraria naquele livro, então saí da cama para não acordar Aurélio e me sentei em uma das cadeiras ao lado da porta e comecei a ler


Notas Finais


O que terá escrito nesse livro, Será que um baby Aurieta está chegando? Não se esqueça de comentar e boa leitura


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...