1. Spirit Fanfics >
  2. Amor inexpressivo >
  3. A dupla

História Amor inexpressivo - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - A dupla



Pela manhã do dia seguinte Becky acorda um pouco mais cedo do que o normal, pois está ansiosa para saber o que vai acontecer no dia de hoje.
Enquanto caminha pelo corredor de sua faculdade a procura de sua amiga, percebe que chegou mais cedo e que provavelmemte não encontraria a amiga naquele momento.
Decide ir para o terraço, o lugar onde seus pensamentos vão além, o lugar onde ter paz é a palavra certa. Ali ela pode desenhar e pintar, sem se importar com nada nem ninguém.
Becky desenha sua mãe, com lindos cabelos ruivos, olhos castanhos claros, pele clara, um sorriso que somente sua mãe podia fazer com que ela se acalmasse. Ela queria que sua mãe estivesse lá para poder ver como ela está se saindo bem na faculdade de seus sonhos, ela queria falar com sua mãe sobre tudo.
Terminando os traços mais importantes, Becky vê a hora em seu celular, que já marcava a hora em que todos os estudantes já estariam indo para suas salas.
Guardou seu caderno e passou pelo seu armário para pegar alguns livros e foi para a sala.
- Olá estudantes, hoje vamos nos aprofundar na lição sobre fotografia, isso ajudará vocês no trabalho.
Becky estava sentada prestando atenção, quando sente algo queimar sobre si, procura o que tanto a incomodou e encontra um par de olhos claros a encarando, Ethan a olha com tanta intensidade que Becky não evita olhar, porém quando percebe o que estava fazendo desvia a atenção para seu caderno, começando a fazer alguns rabiscos.
No final de uma das aulas, Becky está andando em direção ao seu armário, onde encontra sua amiga lhe esperando.
- Oi gatinha - sorri muito animada.
- Ah não, eu conheço esse sorriso.
- Adivinha quem me convidou para uma festa? - Becky arqueia uma sobrancelha para a amiga poder falar - Toper!!
- O cara do basquete. - diz dando um sorrisinho.
- Você precisa ir comigo, vamos arrasar nessa festa, vai que você encontre o seu querido amor por lá. - Maggie grita, atraindo alguns olhares curiosos.
- Maggie, nem toda a faculdade precisa saber que eu estou a procura de um amor.
- A precisa sim! Já vai colocando uns aí na lista, porque o tanto de babaca que tem por ai - Becky ri.
- Maggie você é muito doida.
- Apenas sou realista, você sabe quantas vezes eu já quebrei a cara por causa de homens, e vê se funcionou alguma coisa - Maggie ri.
- Um dia você vai encontrar um amor igual a mim - Becky sorri largamente.
Quando todas as aulas acabam, Becky vai para a frente da escola, para esperar Ethan.
Enquanto ela esperava ficou desenhando algumas coisa em seu caderno.
Ela esperou 1 hora, 2 horas, 3 horas. Percebeu que estava começando a chover mas continuou esperando ele mesmo assim.
Ele apareceu depois de 4 horas de espera.
Ele apenas parou em frente à ela sem dizer uma palavra. Frio como o gelo.
- porque demorou tanto?! - Rebecca diz indignada.
- isso não é da sua conta.
- Claro que é! Eu fiquei esperando por você 4 horas!
- Vamos fazer o trabalho ou não?! - Ethan diz com a mandíbula rígida.
- tudo bem, vamos fazer - Becky diz com um longo suspiro.
Ela não aguenta arrogância dele. E Ele não se importa.
Becky o levou até seu apartamento onde ambos fariam o trabalho.
O apartamento de Becky era colorido, havia quadros por toda a parte. Mas uma parte em específico que ela mais amava era a sua sala, sua sala era coberta de imagens de sua mãe, desenhos que sua mãe fez e lhe deu.
Eles adentram o apartamento dela.
- Pode se sentar se quiser, só por favor, não toque em nada - Ethan não diz nada, fica encarando a foto que tem ela e sua mãe.
- Quem é a mulher que está com você?
- Minha mãe, ela sofr...
- Eu não ligo.
- Se você não liga então porque perguntou quem era? - Becky diz se aproximando dele.
- Não é só porque eu não ligo que eu não posso pergunta! - Becky apenas revira os olhos em resposta. Vai ao seu quarto pegar as coisas para iniciar o trabalho ou nunca estaria feito - Vamos apenas fazer esse trabalho e depois não nos conhecemos mais - Ethan diz sério.
- Com o maior prazer - sorri forçado.
Eles começam a fazer o trabalho, porém cada um tem uma ideia diferente o que complica fazer o trabalho.
- Não, nós podemos tirar fotos de paisagens! - diz Becky na farta daquela discussão.
- Claro que não, eu acho que seria bem mais interessante se tirássemos fotos das expressões das pessoas.
- Tudo bem, você venceu, vamos logo acabar com isso.
Ethan pega sua câmera.
Ethan encontra o momento perfeito para tirar a foto, enquanto ela não prestava atenção. Ele percebeu que realmente aquilo tinha ficado legal
- vamos tirar fotos de nós mesmos - Ethan diz, entregando a foto para Becky que sorri.
- Uau, nada mal.
- Eu sei que sou bom - sorri de lado convencido, Becky apenas revira os olhos.
Ethan se levanta de seu lugar e pega um livro sentando na poltrona em frente a Becky. Então Becky encontra o momento certo para tirar foto dele, Ethan olha para ela no mesmo momento.
- Ei! - Ethan exclama tentando pegar a foto da mão de Becky.
- Também tenho o direito de tirar uma foto sua, você tirou uma minha, lembre - se direitos iguais! - Becky diz autoritária.
- Tanto faz - ele se encosta na poltrona - me deixa pelo menos ver como ficou?
- O.k. mas não rasga! - Becky entrega a foto para ele.
- É até que você manda bem.
Becky sorri com o primeiro elogio dele.
- Acho que a chuva parou, podemos tirar foto nossas no parque.
- Tudo bem, vamos lá.
Eles passam a tarde inteira tirando fotos, e não se dão conta do horário. Naquele diz Becky conhece um Ethan diferente, um Ethan sorridente e que fala o que pensa. Quando eles voltam para o apartamento dela, ela fica curiosa e pergunta:
- Porque você é tão frio?
- Olha isso não importa o.k.? eu vim aqui apenas para fazer o trabalho, não pense que somos amigos! - Quando Ethan diz isso, Becky sente uma pontada em seu coração mas não liga muito, apenas concorda com a cabeça.
- Boa noite Ethan.
- Boa noite.
Ela entra em seu apartamento, ela sabe que em algum momento vai explodir e dizer coisas que não deve para ele. Apenas não sabe o porque dele ser assim. O porque de ele mudar de humor tão repentinamente, o porque dele ser fechado ou também porque ele não expressa nenhuma emoção. Ela queria descobrir isso mas tinha medo de se machucar. O amor para ela nunca foi algo fácil mas ela queria tentar de alguma forma saber algo sobre ele, queria se aproximar.
Mas ela não sabe ao certo.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...