História Amor Insano - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Pain, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Naruto, Revelaçoes, Romance
Visualizações 7
Palavras 1.828
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi, oi, oi pexual ( ~*0*)/
Estou muito ansiosa, pois essa é a minha primeira fanfic postada e estou muito feliz por conseguir posta-la e por poder interagir com vcs agora!!
Espero que gostem da fic, aliás, quem é q n gosta de um sasusaku?
Boa leitura pro cês, ok?

o.b.s: o cachorrinho da Sakura é mt fofo, né? (meu sonho ter um buldogue ou pug em casa e aq estou eu como sempre colocando um doguinho nas fic...mas o q seria da fic sem um doguinho, né non?)
E sim, optei por colocar o Sasori como o irmão de Sakura (ok, devo confessar q Sasori é um dos meus pg favoritos e n pude esquecer de coloca-lo aqui, MAS ELE E MT FOFO, n podemos negar)

~um beijo e um queijo (pq queijo é bão sô) <3

Capítulo 1 - O dono da Lamborghini


Fanfic / Fanfiction Amor Insano - Capítulo 1 - O dono da Lamborghini

Ah, Tóquio! Se alguma vez me dissessem que eu moraria aqui, eu jamais teria acreditado.

E, no entanto, tudo aqui é inspirador: sua beleza natural, os vendedores nas calçadas, a multidão quase constante, os bairros ecléticos e vibrantes.

Eu até me vejo desfrutando da excitação constante aqui.

Embora eu não tenha muita escolha, eu tenho que levar meu cachorro para passear. Ele merece um pouco do meu tempo. O meu cachorro e eu temos uma conexão especial. Algo que não se pode explicar.

Quando eu vi o seu rostinho fofinho, algo aconteceu. Algo estranho. Desde então, ele e eu moramos juntos no meu pequeno estúdio. A sua companhia me lembra a boa escolha que fiz ao trazê-lo comigo.

Duas almas solitárias, bem preparadas para uma jornada sem brigas ou ignorando um ao outro como todos os casais que eu conheço.

O meu cachorro é um buldogue francês. Com um físico encorpado e poderoso que o faz parecer um cão mal-humorado. Porém, na verdade, ele é super fofinho e adora brincar. A sua grande paixão é perseguir sua bola de tênis por horas no parque.

Eu olho para o meu cachorro, que diz muito sobre a minha motivação e, depois de acaricia-lo, saio do apartamento e vou para as ruas lotadas da cidade.

O que eu mais amo em Tóquio, além desses ternos e gravatas e pessoas que trabalham duramente, são os carros. E o resto...não me chama a atenção.

Eu cresci com um pai viciado em mecânica. Um verdadeiro purista. No bairro monótono em que eu morava, não havia muito o que fazer. Então passávamos nosso tempo nos motores de carros. Eu ainda me lembro da cara da minha mãe quando ela nos via nas tardes de domingo fazendo remendos na caminhonete.

Meu irmão mais novo, o Sasori, meu pai e eu voltávamos para casa cobertos de óleo de motor e graxa. Mas nós nos divertíamos muito. Eu tenho lembranças maravilhosas... E tudo parece tão distante agora.

O amor pelos belos carros é uma herança familiar que compartilhamos, assim como as covinhas em nossas bochechas quando sorrimos.

O Sasori e eu sempre fomos muito próximos. Muito mesmo. Ele é meu irmãozinho. A prova é que, assim que eu me mudei para Tóquio, ele saiu de casa para vir e se juntar a mim.

Claro, ele tem o seu apartamento, seus amigos e sua vida. Mas ele sabe que eu não estou longe, se necessário, e isso faz toda a diferença. Além disso, eu não tenho notícias dele há dois dias, o que para nós é uma eternidade.

De repente, eu ouço um grito estridente misturado com um guincho de pneus, eu olho para cima mais rápido que um relâmpago.

Um carro está correndo em minha direção!

Eu pulo um pouco descontroladamente e coloco a minha mão no meu peito, chocada. O carro acaba parando a dois milímetros dos meus pés.

Eu xingo o motorista do carro loucamente.

Eu cerro os dentes, horrorizada com o que acabou de acontecer. Eu olho para cima, realmente determinada a dar uma olhada para o rosto do motorista.

Fico hipnotizada pelo carro que salta à vista. Eu não posso acreditar nos meus olhos.

“Isso não pode ser verdade”, penso. Na minha frente tem uma verdadeira joia. Uma Lamborghini Aventador vermelho. Um assassino! Este carro vai de 0 a 100km/h no máximo... E não é o nível de entrada.

Se eu tivesse a escolha de morrer sob as rodas de um carro, este é o que eu teria escolhido.

Eu lentamente olho para o para-brisa para tentar avistar o sortudo dono. Provavelmente um velho rico com muito dinheiro em busca de emoções. É o que eu aposto.

Eu saio do meu mundo da lua e me concentro no que acabou de acontecer. Como pode ter um carro assim e dirigir daquele jeito?

Conforme eu gradualmente recupero meus sentidos, o carro de repente recua em um guincho de pneus. Eu posso ver o motorista girando e ouço o rugido do motor.

Meu sangue começa a ferver. Eu fico na frente do para-choque e bato no capô. Eu não conseguia acreditar que ele nem sequer sairia do carro, mesmo depois de quase me atropelar. Uma pena para os outros motoristas estão ficando impacientes e buzinando, pois ele não sairá dali até escutar o que eu tenho a dizer.

Ele buzina e faz seu motor rugir. Aparentemente, ele não está feliz também. Eu não me mexo nem um centímetro, e se ele abrir a boca, ele vai se deparar com o meu sapato.

- Qual é o seu problema?!! O que você está fazendo?!! – Eu grito, enfurecida. – Ei, eu estou falando com você! Onde você conseguiu sua habilitação?

Nenhuma resposta. Até que a janela do motorista, lentamente abaixa. Então eu vejo um cotovelo aparecendo.

Uma cabeça sai do carro. Um jovem de cabelos escuros, com o cabelo bagunçado olha para mim com os olhos grandes e risonhos. Estranhamente, ele parece familiar. Ok, então não é só o carro dele lindo, mas ele também. Parece que o já vi em algum lugar antes, talvez ele seja famoso?

“Vai, Sakura, se controla! Poderia ser o papa, mas você não merece morrer tão jovem”, penso.

- Algo errado, minha linda?

Ele realmente acha que é apropriado bancar o esperto agora. Pessoas que são jovens e charmosas, mas acima de tudo, tem dinheiro, acham que podem se safar de qualquer situação. Ele quase me mata e depois fala comigo como se eu fosse a sua secretária dos anos 50.

- Minha linda?! Quem você pensa que é? Cai fora! Você quase me atropelou com o seu grande...

- Sim, eu sei. Estou impressionado...o que eu posso fazer? A natureza tem sido generosa comigo... É assim que é...

Seria quase humilhante responder a essa tentativa patética de fazer graça. Até homens desesperados do metrô tem cantadas melhores.

- Você é cego ou o que?! Não viu a faixa de pedestres?! – Eu exclamo, olhando fixamente em seus olhos. Ele ergue a sobrancelha e um sorriso predador aparece em seu rosto. Lentamente, ele desliga o motor e sai do carro.

- Eu não sou cego, querida. Eu tenho olhos muito bons... Por outro lado, você deveria ver os seus... – Ele se aproxima lentamente de mim – Porque eu juro que você é a única cega...

Eu aperto meus lábios, para não rir na cara dele. Esse pavão tem resposta para tudo. Em vez de continuar rindo, me viro para o carro dele. Excelente. Ele é claramente incrível. Bem, o motorista também, mas ele não precisa saber disso. Um design clean e bem pensado. Aerodinâmica de alto nível, sofisticado, assertivo e elegante...tudo que eu amo. Se ao menos eu pudesse dirigir...

- Eu acho que você quis dizer do carro. Porque no que diz a respeito a qualquer outra coisa, eu sou obrigada a discordar. – Eu o respondo. Com um sorriso irônico, meus olhos se perdem na carroceria vermelha de fibra de carbono. Eu coloco a minha mão no flanco do carro para apreciar a sensação. Minha mão desliza ao longo da carroceria. É emocionante.

- Se você continuar a acaricia-lo assim, eu vou ficar com ciúmes. – O garoto me encara, sorrindo. Eu rapidamente tiro a minha mão e olho com ceticismo para o dono dessa maravilha.

- Ciumento com um carro, o que você é? Uma criança mimada?

- Eu não sei. Mas se você gosta, é o que eu sou, prometo. – Ele pode não ter habilidades de condução, mas esse cara tem o dom da conversa. E mesmo que ele quase tenha me matado, conversar com ele não é desagradável.

- Eu acho que eu estou me apaixonando por você, mas não se afaste muito do seu carro, temo que longe dele o encanto acabe. – Eu lanço um olhar para ele. Parece que eu acertei o ponto. Seus olhos nublam e ele cruza os braços para me olhar.

- Se você quer saber tanto assim, então aceite meu convite para jantar comigo... – Eu não esperava que ele me pegasse desprevenida. Normalmente, sou eu quem provoco esse tipo de reação. Seu sorriso reaparece, mais marcado dessa vez. Ele mudou para o modo predador. Esse cara tem certeza de si e de seu charme, e ele está certo, mas isso me irrita e eu odeio ser tomada por tola.

- Claro, com um carro desse, você tem um forte argumento a seu favor. – Eu roço meu dedo pela lataria antes de dar a ele um olhar desafiador. – Mas eu prefiro homens a carro. Os de verdade...aqueles com mais em suas cabeças do que sob o capô. Aqueles que não precisam de um motor sofisticado para se garantir.

- Ora, ora. Uma nervorsinha e amantes de carros bonitos. Interessante. - Seus olhos nublam e ele ergue uma sobrancelha, surpreso.

- Sim e você pode até aprender algo sobre esses carros comigo! – Meus olhos escurecem e o estranho solta uma gargalhada como se eu tivesse dito a ele que meu bisavô inventou a água quente.

Eu dou um passo para trás e dou uma olhada no carro. Eu listo suas especificações em detalhes.

- Impressionante. – O garoto olha para o lado e eu percebo que o seu rosto fica avermelhado. – Wikipédia? Ou o seu namorado estava falando sobre isso com os seus amigos e você escutou só para o caso dele estar falando de uma mulher?

- Eu gosto de aprender pelos livros e com a mão na massa. Você não precisa de um homem para isso. – Não posso deixar de sorrir e desviar o olhar para atravessar a rua. O que eu ainda estou fazendo aqui falando com o cara que quase cortou minhas pernas? Ao nosso redor, a vida continua e as pessoas, passando, olham fugazmente para o Lamborghini. Motoristas fazem o mesmo. Algumas pessoas olham com admiração, outras buzinam. O Lamborghini ainda está no meio do caminho e está ocupando espaço.

- Você não deve sair daqui se você acha que ninguém vai acabar batendo no seu carro estacionado assim. – Eu respondo. O homem bonito de cabelos escuros olha para a rua. Ele gira as chaves do carro em volta do dedo com um breve aceno de cabeça.

- Você não esta errada. Eu tenho que seguir de qualquer maneira. Aqui está! – Ele pega o que parece ser um cartão de visitas do bolso interno e entrega para mim. – E sobre suas pernas, não se preocupe, eu vou te recompensar.

Eu estreito meus olhos e pego, intrigada, quando ele volta para o carro. Se lê “Sasuke Uchiha. Importação – Exportação” em letras maiúsculas com um número de celular abaixo.

- Me liga se você quiser falar sobre carros ou todas aquelas outras coisas que você gostaria de me ensinar... Enquanto isso, se você puder sair da minha frente, seria uma pena danificar um corpo tão bonito... – E num piscar de olhos, ele liga o carro. Volto para a calçada e o vejo escorregar no fluxo do tráfego, rugindo o motor do carro.



Notas Finais


Apresento a vcs o Sasori Haruno kaoskaos (n é mais da Areia vermelha, blz kaosk)
Espero q tenham gostado, vou tentar me adiantar com alguns capítulos q serão postados logos. Ou pelo menos vou tentar postar 2 por semana (EU VOU TENTAR, SÉRIO).
Vejo vcs no próximo capítulo, qualquer tipo de crítica (q seja construtiva), será bem-vinda!!! e so sorry por qualquer erro na gramática, amores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...