1. Spirit Fanfics >
  2. Amor, lágrimas e sangue... >
  3. O indício de uma tempestade.

História Amor, lágrimas e sangue... - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


O primeiro capítulo demorou um pouco, mas finalmente está pronto, então aproveitem.

Capítulo 1 - O indício de uma tempestade.


Fanfic / Fanfiction Amor, lágrimas e sangue... - Capítulo 1 - O indício de uma tempestade.

Mel é uma garota muito calma e “na dela”, e não tem muita expectativa sobre sua vida futura, a mesma gostaria de ser imperceptível, porém, um fator faz todos a conhecerem, ela possui poder de feromônio, um poder peculiar e raro. Com isso, vive escutando cochichos e comentários maldosos sobre sua pessoa, mas ela disse que isso não a incomodaria enquanto ela tivesse Dylan e Leonel, ambos são namorados dela, sim, são um trisal, mais um motivo para todos odiarem ela. Leonel é um garoto bem carismático, esportivo e animado, ele é sempre bem generoso e sempre coloca Mel e Dylan em seus planos. Ele possui o poder de mutação de matéria sólida, todos querem ele no time por ser bastante resistente. Dylan já é um pouco mais reservado, ele é sincero com os sentimentos, mas não está sempre falando sobre. A habilidade dele é um tanto misteriosa, não tem um nome definido e ainda está sendo estudada, mas basicamente ele possui cordas constituídas por sangue, que saem de suas costas, que consegue chegar a temperaturas absurdas de alta.

    Mel, Dylan e Leonel, estudam em um colégio para pessoas especiais, chamado Colégio Elo, basicamente pessoas com super habilidades, pessoas normais também podem ingressar, mas somente se o objetivo delas for ajudar os alunos especiais.

 

¨¨¨¨¨¨POV Mel¨¨¨¨¨¨

 

    Começo do ano era sempre mais difícil, os alunos velhos, falando mal de mim para os alunos novos, e as “brincadeiras” sem graça, que insistiam em fazer todos os anos. Bom, diferente dos colégios normais, Colégio Elo, tem 6 ao invés de 3 anos de ensino, e eu estou apenas no segundo ano, e isso me irrita, são mais 4 anos aturando os mesmos idiotas. Entrei no meu quarto com as minhas malas, já vendo que passaria mais um ano sozinha, afinal ninguém quer dividir o quarto com a garota que possui feromônios, mas parei e fiquei chocada ao ver outra menina na cama direita do quarto.
-Olá, você deve ser a Mel.- A menina veio em minha direção e estendeu a mão para mim.
-Eu não posso encostar em você.-Passei por ela, e fui para o meu lado do quarto já que ela já escolheu o dela, coloquei minhas duas malas sobre a cama e me virei para ela.- Mas, prazer, qual seu nome?-Dei um pequeno sorriso para ela.
-Suzy, e fique tranquila, eu fui colocada no seu quarto porque também tenho feromônios.- A mesma também sorriu para mim.- Se não se importa, eu escolhi esse lado porque é mais iluminado, assim minhas plantas sempre terão luz.
-Sem problema, eu não gosto de luz mesmo.- Dei uma leve risada ao lembrar que o Leonel sempre fala que eu preciso de um pouco de sol para minha pele ficar mais bonita. Notei que ela tem bastante plantas, mas não é qualquer tipo de planta, alfazema, hortelã, ylang ylang, são tipos que possuem efeitos afrodisíacos, por cheiro, paladar, toque, me pergunto por que alguém teria tanta coisa assim? Ela tem também, um coelho meio preto e meio branco, que fica encolhido no meio da gaiola.- Você é do primeiro ano? Eu nunca te vi por aqui.
-Sou sim, fiquei tão feliz quando consegui passar na prova.- Ela terminava de borrifar água em suas plantas enquanto falava.- Enfim, eu vou visitar a escola antes de todos se reunirem no pátio para a proclamação do diretor.
    Depois que Suzy saiu do quarto, me coloquei a arrumar as coisas, eu realmente tinha pouca coisa, algumas roupas, um pequeno notebook, alguns livros, um teclado musical e uma câmera polaroid. Depois de tudo guardado e organizado decidi que ia dar uma volta também, fui para o refeitório, passei na máquina de bebidas e peguei um refrigerante e fui sentar em uma mesa que ficava no canto do grande salão que era o refeitório, logo que eu sentei, alguém cutucou meu ombro.
-Não deveria estar tomando refrigerante a essa hora da manhã.- Eu reconheceria essa voz a quilômetros de distância.
-Leonel!-Indaguei feliz e surpresa ao olhá-lo.-Não deveria me dar bronca a essa hora da manhã.- Ele sorriu, depositou um beijo no canto dos meus lábios e se sentou ao meu lado.-Como foi suas férias?
-Bom, meu pai me fez ficar olhando ele trabalhar e fazer negócios com os amigos dele.- Ele fez aspas ao falar ‘amigos’.- Inclusive umas das alunas novas é filha de um dos maiores investidores dele, enfim, e você?
-Nossa parece ter sido muito divertido, bom, eu consegui um emprego em um mercadinho para não ter que ficar lá na casa, enfim, você sabe como as coisas são lá.-Não gosto de comentar o que se passa na “minha casa”.- Você sabe quem é a nova rica que será bajulada?
-Sei sim, inclusive ela está sendo bajulada agora na nossa frente, se eu não me engano o nome dela é Suzy.- Olhei para a garota sendo cortejada e bajulada, levemente distante da gente, estou surpresa ao ver que é minha companheira de quarto, todas aquelas pessoas a volta dela sabiam que a mesma possui feromônios?- Ela é bem encantadora você não acha?
-E você é capaz de cair nesse tipo de truque?- Deixei de olhar para ela, para ver a cara confusa dele.- Nada não, eu divido o quarto com ela, vou deixar você pensar o motivo.
-Então ela…-Eu afirmei com a cabeça.-Mas não é proibido usar feromônio para manipular outros alunos?-Afirmei novamente.
-Mas não acho que ela está usando as habilidades dela, vamos levar em conta que ela também tem influência financeira nessa popularidade, e conhecendo nossos belos e porcos colegas desse colégio.- Nos encaramos pensativos.
-Bom, cheirosa ela é.-Ele me olhou com um sorriso faceiro, eu sabia que ele queria provocar, mas também sabia porque Suzy era tão cheirosa.
-Se Dylan te ouvir falando isso, vai ficar com ciúmes.
-Eu ouvi meu nome.-Dylan me deu um abraço e um beijo na cabeça de Leonel, enquanto nos dois riamos.- Falar mal dos outros pelas costas é feio.
-Não estávamos falando mal de você, apenas comentando algo que você faria.-Nos defendi.
-Nos conte como foi suas férias?-Dessa vez Leonel se pronunciou.
-Foi divertido, finalmente tive paz dos testes da escola, e sinceramente não gostaria de voltar aos testes.- Pelos poderes de Dylan serem uma novidade, a escola vive testando os limites, capacidades e habilidades novas, no final ele acaba na sala de piscinas resfriando o corpo.

    Nós três ficamos conversando tranquilos, vendo o movimento da escola voltar, contamos para Dylan sobre a garota nova, e logo que foi anunciado partimos em direção ao pátio para o diretor fazer o discurso de todos os anos. Ficávamos em fileiras separadas por turma, e cada turma tinha o segmento por ordem de tamanho, eu na fila das meninas ficava no meio, já na fila dos meninos, Leonel ficava um pouco mais ao fundo e Dylan entre os últimos. Ficamos trocando olhares e fazendo gracinhas, quem estudava aqui a mais de um ano, já sabia o discurso dele, fala as mesmas coisas o ano todo, parece até um robô.
-Qual o objetivo do nosso colégio?-Pronúncia o diretor de forma mais forte, fazendo todos o olharem.
-Construir um elo entre humanos e super humanos.- Todos os alunos responderam juntos.
-Dispensados.- Disse o diretor e logo saiu.

 

    Leonel e Dylan foram para seus quartos terminar de arrumar suas coisas, eu não sei o que Leonel tinha para arrumar já que ele tem quarto de luxo e tem até alguém para arrumar seu quarto por ordem da mãe. Quando cheguei no corredor que dava acesso ao meu quarto, vejo Suzy sendo paparicada pelas cobras do nosso colégio, passei reto e rápido para que não me notassem, entrei no quarto, peguei meu notebook e comecei a procurar notícias sobre meu pai. Minha mãe sempre falou dele, e sempre deixou bem claro que não podemos nos envolver com ele, porque iríamos ser um incômodo, nunca entendi o porquê, mas sempre mantive distância, lembrei que tinha que falar com o Kenichi, então sai correndo em direção ao dormitório masculino.

            Logo que cheguei ao dormitório masculino, mandei mensagem para o Kenichi me encontrar na entrada, o mais velho pediu alguns minutos que logo desceria. Quando chegou já foi logo entregando um caderno cheio de anotações.

-Na primeira página tem todo o cronograma das aulas, e não falte nenhuma aula, meu tempo é precioso e tempo que eu estou te ensinando eu poderia estar estudando, então não falte nenhuma aula, gosto de pessoas que tem compromisso.- Kenichi falou e logo saiu, sem me deixar sequer falar nada.

-Ei o que você está fazendo aqui?-Viro e vejo Dylan caminhando em minha direção.-O que é este caderno?

-Ah não é nada, eu só achei que tinha perdido, enfim, eu vim ver se você precisa de ajuda.- Escondi o caderno atrás de mim e sorri para ele.

-Sim, eu quero ajuda, vai para as escadas de saída de emergência atrás do prédio, que eu vou abrir a janela para você.

Me deu um beijo na bochecha e entrou no prédio, e eu fiz exatamente o que ele pediu. Quando terminei de subir as escadas de emergência, ele já estava na janela me esperando, estendeu a mão e me ajudou a entrar, o quarto estava completamente arrumado, somente no lado do parceiro dele que as malas estavam sobre a cama.

-Eu pensei que ainda não tinha terminado de arrumar as coisas.-Vejo ele indo em direção a cama e sentando.

-Leonel me ajudou, eu só queria sua companhia mesmo.-Me sentei ao lado dele.

-Mas e seu companheiro de quarto? Aonde ele está?- Deitei minha cabeça no ombro dele.

-Bom, eu fui na secretaria perguntar sobre ele, afinal só as malas dele estão aqui, me disseram que ele só vai chegar próxima semana.-Ele segurou meu queixo e me fez o encarar, me beijou suavemente, logo depois deitou na cama e deu uns tapinhas no colchão, sinalizando para eu me deitar junto e é claro que eu fiz.- Eu estava com muita saudade, foi muito solitário essas férias.

-Você sendo fofo?-Ele riu do deboche.- Também senti saudades, eu basicamente passei minhas férias inteira trabalhando para não ter que ficar em casa e aturar minha mãe.

-Como você acha que vai ser esse ano?-Ele começou a acariciar meu cabelo.

-Espero que calmo e sem muitas emoções, eu não aguento mais as cobras mexendo comigo.-Ele me abraçou forte sabendo o quão difícil isso era para mim.- E você?

-Eu vou fazer esse ano ser melhor, quero aproveitar o máximo do meu tempo livre com você e Leonel, e quero aprimorar minhas habilidades, assim vou me tornar menos perigoso para vocês.- Abraçada ali com ele, eu me sentia em zero perigo, não entendo porque ele acha que pode nos machucar.
-Você nunca machucaria a gente, eu tenho certeza disso.
    Deixei um leve beijo em seus lábios, o que incentivou ele a buscar um beijo mais feroz, as coisas estavam esquentando, as mãos dele já passeavam pelo meu corpo de forma completamente indecente, quando levei minhas mãos para debaixo de sua camisa, alguém abriu a porta e eu pulei da cama com o susto.
-Vocês nem se quer me chamaram para participar?-É Leonel com o braços cruzados parado na porta, eu parada de frente para o Leonel completamente vermelha com a mão no rosto e Dylan rindo da minha cara.-Estou esperando uma explicação.
-Bom, eu estava esperando você chegar para tentar algo, mas não resisti atacar ela, estava com muita saudades, então assumo a culpa.-Dylan levanta da cama e estende a mão para Leonel, que logo pega na mesma, Dylan puxa o menino em sua direção o rendendo em seus braços.-Mas não se preocupe que só agora as coisas vão realmente começar.
    Dylan tranca a porta, envolve seus braços na cintura de Leonel e começa a beijá-lo, o mais baixo logo cede aos encantos e se entrega ao beijo cheio de desejo, por um instante eles param, Leonel estende a mão em minha direção, assim que toco sua mão, o menino me puxou, fazendo ficar entre ele e Dylan; enquanto beijo Leonel, Dylan deixa selares em meu pescoço, enquanto sua mão acaricia meu corpo, as coisas vão ficando bem quentes e excitantes, todos sabemos aonde isso parou.
    Depois que terminamos nossa “brincadeira”, ficamos conversando um pouco até dar o toque de recolher, afinal a saudade entre nós era grande, eles me ajudaram a sair pelas escadas de emergência e segui para o meu dormitório. Logo que cheguei no quarto, Suzy estava sentada em uma cadeira no meio do quarto em direção a porta, parei assustada ao encontrar a menina assim.
-Entre e feche a porta.- Fiz como ela pediu.- Você não tem vergonha de se envolver com tantos meninos ao mesmo tempo?
-Do que está falando?- Apesar de nervosa, minha pergunta saiu calma.
-Primeiro, te vejo falando com Kenichi, e ele te entrega algo, depois te vejo entrando na janela do quarto de Dylan.-Meu corpo começa suar frio.-Mais alguém esta envolvido nisso?
-E por que isso seria da sua conta?- Arrisco ser um pouco arrogante.
-Que fofa você, é mais assustada que meu coelho, vamos ver se é tão obediente quanto.-Ela se levanta e fica bem próxima de mim.-Dylan e Leonel sabem sobre Keniche? Que vai se encontrar com ele todos os dias sozinha esse ano? Se eu não me engano, Dylan já teve um surto de ciúmes que não foi nada bom, não é? O diretor sabe que você fica pulando a janela dos meninos para fazer coisas impuras?- Eu estava estática, não conseguia entender como ela sabia de tanta coisa e nem porquê ela usaria isso contra mim, ela perguntou se tinha mais alguém porque já sabia de Leonel. O que eu fiz para ela?
-Como sabe de tudo isso? Qual o seu interesse na gente?- Suzy começou a rir da minha cara e colocou a mão no meu ombro.
-Eu sei muito mais sobre você, do que pode imaginar, e não ouse testar a minha paciência, você não me conhece e não sabe do que eu sou capaz.- Ela aperta meu ombro me causando dor e minha expressão mostrava isso, faz uma cara de nojo e desprezo para mim.- Você irá me ajudar a conquistar Leonel, vai me ajudar a fazer ele ficar caidinho por mim, se não eu destruo sua vida e a vida da sua mãe, já pensou todos te olhando com nojo e desprezo pela sua linda atitude do passado? Imagina a reação dos seus queridos namorados ao verem que você não passa de uma prostituta e assassina, junto com sua mãe.
    Com a mão que estava no meu ombro, me empurra para o lado, me fazendo cair sentada e sai do quarto, a expressão dela era completamente diferente da de um minuto atrás, era um rosto radiante e sorridente. Eu estava completamente estática no chão, com muita raiva, não conseguia sequer segurar as lágrimas que insistiam em cair, eu só conseguia pensar em como não parti para cima dela, por que tenho que ser tão frouxa?

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e aguardem por mais capítulos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...