História Amor misterioso - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Alluka Zoldyck, Bonolenov, Chrollo Lucilfer, Feitan, Franklin, Gon Freecss, Hisoka, Illumi Zoldyck, Kalluto Zoldyck, Killua Zoldyck, Kortopi, Kurapika, Leorio Paradinight, Machi, Nobunaga Hazama, Personagens Originais, Phinks, Shalnark, Shizuku
Tags Álcool, Amor, Assassino, Feitan, Genei Ryodan, Gravidez, Hot, Hunter X Hunter, Luta, May, Morte, Romance, Trupe Fantasma
Visualizações 76
Palavras 1.003
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!!

Capítulo 28 - Akemi


Meses depois...

A alguns dias May completou oito meses de gravidez. Estava sendo uma gravidez tranquila e ela estava bem. Ela sentia muita falta de Feitan e do pessoal da Genei, mas tinha paciência para esperar o momento certo de voltar. Lysa não havia mais aparecido na Genei para tentar algo com Feitan, e a Genei continuava protegendo o corpo de May. A garota ultimamente anda muito mais sozinha já que Ren quase não aparece mais, ele está sempre ocupado e May fica um pouco triste por isso.

May: É meu bebê, somos só nós. Como será que seu pai está? Será que ele ainda pensa em mim?

Nessa hora a criança deu um chute e May interpretou isso como um sim e sorriu.

May: Acho que vou andar um pouco.

Ficar naquele mundo alternativo era como estar em uma cidade completamente vazia, o único som audível era os dos passos de May. Estando sozinha ela podia refletir e pensar bastante. Ela pensava em como mataria Lysa, ela queria fazer a garota sofrer bastante já que por culpa dela May precisou fingir estar morta. May também pensava nesse amor que Lysa parecia sentir por Feitan, mesmo sendo rejeitada ela nunca desistia, May sempre se perguntava o motivo disso. Será que Feitan alguma vez havia demonstrado sentir algo por ela?

May parou de pensar nisso quando sentiu uma dor forte na barriga, ela já vinha sentindo contrações fortes a alguns dias, mas não se importou muito com isso. Ela se sentou sobre a grama abaixo de uma árvore e ficou acariciando sua barriga.

May: Será que você nascerá hoje?

E ela estava certa, já que estava sozinha não teve muita escolha e teve seu bebê com um pouco de dificuldade. Ao pegar o ser tão frágil nos braços ela sorriu, Feitan estava certo, era uma menina.

May: Bem vinda ao mundo... Akemi.

Ela voltou com a filha para a casa onde sempre ficava e percebeu que Ren estava lá, assim que ele viu a pequena menina nos braços de May abriu um leve sorriso.

Ren: Imaginei que ela nasceria hoje. Já decidiu o nome?

May: Akemi. – Respondi rapidamente.

Ren: Combina com ela. Preciso conversar seriamente com você, mas por hora apenas descanse pequena May.

May: Conversar seriamente? – Perguntei um pouco confusa, mas ele não disse mais nada e apenas se retirou me deixando sozinha novamente.

Ela estava mais confusa do que nunca, mas preferiu apenas ir descansar e esperar a hora da conversa. Enquanto isso na Genei, Feitan estava com uma sensação estranha, talvez estivesse sentindo algo por causa do nascimento de sua filha, mas ele não teria como saber. O moreno apenas ficou perto do corpo de May, ele se perguntava quando e se ela iria acordar.

Lysa POV On:

Já havia esperado tempo demais, eu precisava agir agora. Esperei meses e meses para ter certeza de que Feitan não iria mas querer saber de May. Talvez ele até tivesse descartado o corpo dela. A algum tempo um novo Sex Shop foi aberto aqui na cidade, ontem eu dei uma passadinha lá e comprei algumas coisas, tenho certeza que Feitan não resistirá a mim. Estou preparada para uma possível rejeição, mas sei que desta vez não será assim. Ninguém irá me impedir de ter Feitan pra mim, ninguém.

Lysa: Meu querido Feitan, mesmo se você não me quiser eu irei te fazer querer. Você se surpreenderá com essa carta que tenho na manga.

Fui para casa e fiquei planejando o meu plano, iria agir em alguns dias e não podia falhar. Talvez essa fosse minha última chance e eu iria fazer de tudo para ter Feitan para mim.

Lysa POV Off

May POV On:

Depois de descansar um pouco eu fiquei cuidando de Akemi, Ren parecia um pouco inquieto então eu resolvi conversar com ele.

May: O que está havendo, Ren?

Ren: Apenas estou pensando naquela vadia da Lysa que está planejando algo.

May: Eu preciso voltar o mais rápido possível.

Ren: Sim, mas está fraca para isso agora. Tem certeza de que não quer que eu a elimine? Posso fazer as piores das torturas com ela. – Ele disse com uma voz extremamente fria e com um sorriso meio psicopata estampado no rosto.

May: Obrigada, mas não. Prefiro fazer eu mesma.

Ren: Compreendo.

May: Você é muito.... Misterioso. Não dá pra saber o que pensa, você é meio indecifrável. Às vezes me dá um pouco de medo.

Ren se aproximou de mim e sussurrou em meu ouvido:

Ren: Não precisa ter medo de mim, eu nunca irei lhe machucar.

Eu me arrepiei inteira depois disso e não disse mais nada. Ele queria conversar sério comigo e aquilo estava martelando em minha cabeça. O que ele iria dizer? Eu estava sentindo que ele iria revelar algo muito grande, mas eu tinha medo.

May: Sobre a minha maldição. Você irá me contar sobre isso?

Ren: Você saberá de toda a verdade escondida, pequena May.

May: Por que sempre me chama de pequena May? Eu não sou uma criança.

Ren: Talvez você não aparente ser uma criança mesmo, mas para mim você sempre será. Me lembro de quando você era apenas uma garotinha, era tão frágil, tão inocente. Era como um ponto de luz nesse mundo perverso e malicioso. Eu sempre odiei o fato daquele homem tratar você sempre tão mal.

May: Fala do meu pai? – Perguntei um pouco curiosa.

Ren: ELE NÃO É O SEU PAI! – Ele gritou ao mesmo tempo que socou a mesa, assim abrindo um buraco nela.

Ren gritou e eu fiquei surpresa e um pouco assustada, apenas abaixei minha cabeça. Tentei voltar a conversar, mas ele passou a me ignorar. Como assim o meu pai não é meu pai? Agora eu estava tensa, se aquele homem que eu chamo de pai desde criança não for meu pai biológico, eu nem vou me surpreender já que ele sempre me tratou de um jeito diferente. Ele nunca se importou comigo ou com Joker, mas se ele não é meu pai... Quem é então?

Continua...


Notas Finais


Obrigada por ler ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...