História Amor Misterioso - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Alluka Zoldyck, Bonolenov, Chrollo Lucilfer, Feitan, Franklin, Gon Freecss, Hisoka, Illumi Zoldyck, Kalluto Zoldyck, Killua Zoldyck, Kortopi, Kurapika, Leorio Paradinight, Machi, Nobunaga Hazama, Personagens Originais, Phinks, Shalnark, Shizuku
Tags Feitan, Genei Ryodan, Hunter X Hunter, May, Trupe Fantasma
Visualizações 37
Palavras 1.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura ❤️

Capítulo 30 - A Verdade


Capítulo 30: A Verdade

No dia seguinte May já se sentia mais forte e estava quase totalmente recuperada então avisou a Ren que os dois já podiam conversar. May amamentou Akemi e a colocou para dormir, em seguida ela se sentou na cama e Ren ficou sentado em uma cadeira que estava próxima.

Ren: Por onde devo começar?

May: Apenas fale... Estou ficando aflita.

Ren: Como quiser...

Ele suspirou e passou as mãos pelos cabelos antes de começar a falar, parecia meio... Nervoso, talvez?

Ren: Sua mãe mentiu para você sobre muitas coisas, a primeira é sobre o seu pai.

May: O que tem ele?

Ren: Aquele homem não é seu pai biológico, ele foi morar com sua mãe ainda quando você era um bebê e seu irmão uma criança.

May: Mas... Por que ela nunca me contou?

Ren: Se você soubesse que aquele não era seu pai iria querer saber quem era o verdadeiro e iria querer encontrá-lo, certo?

May: Sim.

Ren: Sua mãe não queria isso, por isso fez com que você acreditasse que aquele homem era seu pai. Ela se surpreendeu quando essa sua “maldição” apareceu. Ela sabia que havia sido eu, e sabia que um dia eu me mostraria verdadeiramente para você. Ela tentou de muitas formas tirar isso de você, sem sucesso claro.

May: Então você é...

Ren: Sim, eu sou seu verdadeiro pai May. Sempre estive te observando, e lhe joguei essa “maldição” para lhe proteger. Você nunca poderia morrer a não ser que você mesma o fizesse. Aquele homem nunca se importou com você e Joker, tanto que suas dividas foram pagas por vocês. Ele sempre tratou vocês com desprezo e deboche, ele só tinha olhos para a pequena Shiemi que mal sabe que o pai é um homem desprezível.

Aquilo era muita informação para a cabeça de May. Ela ainda estava absorvendo então Ren deu uma pausa e depois voltou a falar.

Ren: Sua mãe tentou se livrar de você depois da “maldição”. Ela tentou te matar de diversas formas e nunca conseguiu então resolveu deixar pra lá.

May: Mas e o tempo que eu ficava em coma?

Ren: Eu deixava você adormecida por tempo o suficiente para tudo se acalmar e ficar seguro para você. A última vez que sua mãe tentou lhe matar foi quando você ainda estava no início de sua gravidez, ela descobriu um modo de matar você. Porém Joker a impediu.

May: Então, o homem que me criou não é meu pai e minha mãe sempre tentou me matar?

Ren: Sim.

May: Por que nunca apareceu?

Ren: Sua mãe me chantageou então nunca pude me aproximar de você como eu queria. Eu só podia te observar e falar com você quando a “maldição” tivesse efeito. Ela me odeia pelo fato de eu ter pedido o divórcio.

May: Então ela não aceitou?

Ren: Não, ela disse de muitas formas que não aceitaria que eu fosse embora de jeito nenhum, mas eu fui.

May: Tem mais alguma coisa?

Ren: Aquele homem tem uma gangue que comete estupro contra crianças e mulheres todos os dias.

May: O que?!

Ren: Eu lhe disse que ele é um ser desprezível, ele não se importa com nada.

Ren se surpreendeu com o que May fez, ela o abraçou. Ela o abraçou como alguém que está com saudades e não vê a pessoa a anos e ele retribuiu, era o primeiro abraço que ele ganhava da filha.

May: Obrigada por ter me protegido por todo esse tempo... E obrigada por ter me revelado a verdade... Pai.

Agora May sentia o que aquela pequena palavra significava. Ela nunca teve um pai de verdade até esse momento. E ela sempre sentiu falta de ter mesmo eu pai, porque aquele que a criou não era, nunca foi e nunca seria o seu pai.

Ren: O que planeja fazer agora?

May: Voltar pra Genei, voltar para o Feitan... Mas antes quero dar uma palavrinha com a mulher que eu chamava de mãe.

Ren acompanhou a filha até onde ela morava a um tempo atrás e ficou esperando do lado de fora. May entrou e foi direto para a cozinha que é onde sua mãe e o marido dela estavam. Ela entrou no cômodo recebendo olhares curiosos dos dois, afinal ela estava morta pelo o que souberam da Genei.

Mãe: Filha? C-Como você-

May: Cala a boca! Eu não sou filha de vocês! Eu sei de tudo! Sei que o Ren é meu pai e sei que você tentou me matar diversas vezes apenas porque odeia meu pai por ele ter se divorciado de você!

Os dois olharam chocados para May, nunca imaginavam que ela iria descobrir. A mais nova se aproximou do marido de sua mãe e lhe deu um forte tapa no rosto que fez o mesmo cair da cadeira.

May: Você merece morrer, seu estuprador de merda!

Mãe: O que? Como assim?!

May: Não sabia? Seu maridinho é chefe de uma gangue que estupra mulheres e crianças todos os dias.

May descontou sua raiva no homem a sua frente, o xingou de diversos nomes nem se importando.

May: Eu só não vou te matar porque você é pai da Shiemi. Quando ela for mais velha ela mesma vai querer te matar. Saibam de uma coisa: eu nunca irei perdoar vocês pelo o que fizeram, nunca!

E depois de dizer essas palavras ela segue em direção a Genei, estava louca para ver Feitan e mostrar a todos sua filha.

Ren: Ansiosa?

May: Demais. Hey, pai?

Ren: Sim?

May: Lysa está por perto. Será que pode cuidar da Akemi só um pouquinho?

Ren: Claro. Leve o tempo que precisar.

May: Obrigada, pai!

Lysa estava bem perto da trupe, May não teve piedade em matá-la tanto que a ruiva até confessou ter feito Feitan transar com ela. Depois de matar Lysa brutalmente, May seguiu para a trupe.

May: Oi pessoal! Sentiram minha falta?

Todos estavam surpresos e perguntaram o que havia acontecido, May explicou tudo e apresentou Ren como seu pai. Mas ela ainda não tinha visto Feitan então foi até o quarto dele procurá-lo.

May: Feitan?

O moreno se virou e olhou para May surpreso, antes que ele pudesse dizer algo ela o beijou. Era um beijo desesperado, cheio de saudade e amor. Feitan segurou forte a cintura de May e a puxou a mais para ele. Depois de finalizarem o beijo May percebeu que Feitan estava um pouco estranho.

May: O que foi?

Feitan: Eu... Transei com a Lysa.

May: Eu sei, ela me contou. Eu a matei.

Feitan: Eu não-

May: Não precisa se explicar, até porque temos coisas mais importantes para fazer agora. Espere aqui.

May pegou Akemi que estava com Ren e a levou até o quarto de Feitan.

May: Bom, conheça nossa filha... Akemi.

Feitan pegou a pequena menina em seus braços tomando cuidado para não machucar. Quando Akemi abriu os olhinhos para Feitan ele sorriu, aquela cena era maravilhosa na visão de May. Dava para sentir o quanto Feitan já amava Akemi.

Continua...



Notas Finais


Obrigada por ler ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...