História Amor não correspondido - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Yoonmin
Visualizações 27
Palavras 1.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiii ❤
Eu não pretendo postar todos os dias, porém sempre que eu tenho um tempo livre eu vou escrever (geralmente eu nunca faço nada nos finais de semanas)

O capítulo não ficou tãoooo grande, mas prometo tentar fazer maiores. Quero fazer capítulos grandes e postagens rápidas.

É isso gente ❤

Capítulo 2 - Segundo capítulo


Fanfic / Fanfiction Amor não correspondido - Capítulo 2 - Segundo capítulo

Namjoon não me deixou atender o meu celular, ele falou que seria pior para mim. Eu nem insisti muito, não está com vontade de fazer tal ato de qualquer maneira.

O Kim me olhou novamente e pude observar o seu rosto de preocupação, eu até entendo esse exagero todo, era a primeira vez que eu me mostrava tão frágil assim.

- Você deveria comer alguma coisa, o café ainda está servido.- Falou fazendo um leve carinho no meu rosto.

-Eu não estou com fome, obrigado pela preocupação, mas já pode ir. -Falei me afastando.

-Eu não vou deixar você aqui desse jeito! -falou em tom de protesto.Namjoon não me deixou atender o meu celular, ele falou que seria pior para mim. Eu nem insisti muito, não está com vontade de fazer tal ato de qualquer maneira.

Namjoon me olhou novamente, e pude observar o seu rosto de preocupação, eu até entendo esse exagero todo, era a primeira vez que eu me mostrava tão frágil assim.

- Você deveria comer alguma coisa, o café ainda está servido.- Falou fazendo um leve carinho no meu rosto.

-Eu não estou com fome, obrigado pela preocupação, mas já pode ir. -Falei me afastando.

-Eu não vou deixar você aqui desse jeito! -falou em tom de protesto.

-Nam de verdade, eu só quero ficar um pouco sozinho.-Falei já me recuperando do choro e olhando em seus olhos.

-Tem certeza?

-Sim, eu tenho.- Falei o abraçando.- Obrigado por me ajudar.

-Sei que faria o mesmo se fosse comigo.- Falou saindo do meu abraço.- Tchau e qualquer coisa é só me ligar.

- Tá bom.- Falei e vi ele saindo pela porta do quarto.

Me joguei na cama e comecei a pensar no que fazer agora. A verdade é que não tinha nada a se fazer. Eu fui um idiota de pensar que um dia Jimin poderia gostar de mim, a verdade é que ele nunca me veria de outra forma que não seja como amigo. Isso dói, pois nunca vou poder fazer ele feliz de verdade.

Levantei e fui rumo ao banheiro para tomar um banho e poder assim, trocar as roupas de ontem.

Me despi e liguei o chuveiro, não estava com paciência para tomar banho de banheira, enquanto a água morna caia sobre mim, as minhas lágrimas escorriam pelo meu rosto. Ainda não sei como vou superar isso, mas sei que preciso fazer alguma coisa.

Depois que eu terminei de tomar banho, enrrolei uma toalha na minha cintura e escovei os meus dentes. Sai do banheiro e fui até o meu closet procurar uma roupa para mim vestir. Eu não pretendia ir trabalhar na imprensa dos meus pais hoje, além do mais já era tarde e provavelmente eles não estavam mais em casa.

Sobre a empresa, ela seria passada para o meu nome em breve e eu não queria ter mais essa responsabilidade, mas não é como se a minha opinião contasse.

Peguei a primeira roupa que eu vi, era uma calça de moletom cinza e um blusa branca. Desci as escadas e vi que as empregadas estavam tirando a mesa do café, não me importei, pois a minha vontade de comer era zero.

Sendo assim, fui para a sala e me joguei no sofá. Não demorou muito para a campainha começar a tocar e eu ver alguém indo abrir a porta.

Segundos depois eu vi a figura de Park Jimin entrando na minha sala. Ele olhou para mim com lágrimas nos olhos e assim que se aproximou, ele se jogou no meu colo e deixou tudo aquilo que ele provavelmente estava segurando até agora sair.

Retribui o abraço dele e beijei o topo da sua cabeça, o cabelo dele era tão cheiroso, ele era cheiroso, que dava vontade de ficar naquele abraço para sempre. Mas como tudo que é bom dura pouco, ele logo desfez o abraço e olhou para mim, nesse momento eu não aguentei, os olhos dele estavam vermelhos, cheios de lágrimas e seu rosto estava inchado.

Esperei ele se acalmar um pouco e falei:

-O que aconteceu Jimin?

- O J-jeo-n fa-lo-u assi-m qu-e ele n-ão qu-er nad-a séri-o co-m-ig-o. Respondeu se desesperando novamente.

E foi nesse momento que passei a não confiar em JeonKook. Não que eu já não soubesse que isso ia acontecer, mas nunca imaginei que o Jimin iria ficar tão triste dessa forma.

-El-e f-alo-u qu-e iss-o qu-e ti-ve-mos e-ra a-pe-nas dese-jo carnal. Eu me de-clare-i, fale-i tu-do, e e-le f-alo-u que isso e-ra só dese-jo.

Abracei ele novamente. Isso dói tanto em mim.

-Estou aqui com você Jimin. -Falei tentando confortar ele.

-Mas você não é ele. -Ele falou se afastando um pouco de mim.

Isso foi o fim para mim. Eu sei que não era ele, sei que não era a mesma coisa, mas eu só estava tentando ajudá-lo.

-Eu sei que eu não sou ele, mas diferente dele eu sempre estive aqui quando você precisou.-Falei com os olhos cheios de lágrimas.

-Mas o Jeon também já me ajudou muitas vezes.

Não pensei que ele fosse defender o JK.

-Estou vendo como ele te ajuda. Se ele é tão bom assim, vai lá com ele, eu não aguento mais. -Falei e comecei a subir as escadas, corri para chegar logo ao meu quarto.

Quando eu cheguei tranquei a porta e sentei no chão, encolhi o meu corpo e desabei de uma vez.

O pior era que tudo aquilo que Jimin me tirou estava voltando.

Olhei para o meu pulso e vi as marcas antigas que eu tinha nele. A mesma pessoa que me tirou da depressão está fazendo me fazendo voltar a ela. Não que depressão tivesse cura, mas eu nem me lembrava mais como era ter esse sentimento de está na terra sem saber qual era a razão. Por algum tempo o Jimin me fez se sentir útil, mas tudo foi embora quando ele falou aquelas palavras "mas você não é ele"

Levantei e fui em direção ao banheiro. Chegando lá, eu procurei pela única coisa capaz de me tirar toda aquela dor que estava no meu coração. As lâminas.Namjoon não me deixou atender o meu celular, ele falou que seria pior para mim. Eu nem insisti muito, não está com vontade de fazer tal ato de qualquer maneira.

Namjoon me olhou novamente, e pude observar o seu rosto de preocupação, eu até entendo esse exagero todo, era a primeira vez que eu me mostrava tão frágil assim.

- Você deveria comer alguma coisa, o café ainda está servido.- Falou fazendo um leve carinho no meu rosto.

-Eu não estou com fome, obrigado pela preocupação, mas já pode ir. -Falei me afastando.

-Eu não vou deixar você aqui desse jeito! -falou em tom de protesto.

-Nam de verdade, eu só quero ficar um pouco sozinho.-Falei já me recuperando do choro e olhando em seus olhos.

-Tem certeza?

-Sim, eu tenho.- Falei o abraçando.- Obrigado por me ajudar.

-Sei que faria o mesmo se fosse comigo.- Falou saindo do meu abraço.- Tchau e qualquer coisa é só me ligar.

- Tá bom.- Falei e vi ele saindo pela porta do quarto.

Me joguei na cama e comecei a pensar no que fazer agora. A verdade é que não tinha nada a se fazer. Eu fui um idiota de pensar que um dia Jimin poderia gostar de mim, a verdade é que ele nunca me veria de outra forma que não seja como amigo. Isso dói, pois nunca vou poder fazer ele feliz de verdade.

Levantei e fui rumo ao banheiro para tomar um banho e poder assim, trocar as roupas de ontem.

Me despi e liguei o chuveiro, não estava com paciência para tomar banho de banheira, enquanto a água morna caia sobre mim, as minhas lágrimas escorriam pelo meu rosto. Ainda não sei como vou superar isso, mas sei que preciso fazer alguma coisa.

Depois que eu terminei de tomar banho, enrrolei uma toalha na minha cintura e escovei os meus dentes. Sai do banheiro e fui até o meu closet procurar uma roupa para mim vestir. Eu não pretendia ir trabalhar na imprensa dos meus pais hoje, além do mais já era tarde e provavelmente eles não estavam mais em casa.

Sobre a empresa, ela seria passada para o meu nome em breve e eu não queria ter mais essa responsabilidade, mas não é como se a minha opinião contasse.

Peguei a primeira roupa que eu vi, era uma calça de moletom cinza e um blusa branca. Desci as escadas e vi que as empregadas estavam tirando a mesa do café, não me importei, pois a minha vontade de comer era zero.

Sendo assim, fui para a sala e me joguei no sofá. Não demorou muito para a campainha começar a tocar e eu ver alguém indo abrir a porta.

Segundos depois eu vi a figura de Park Jimin entrando na minha sala. Ele olhou para mim com lágrimas nos olhos e assim que se aproximou, ele se jogou no meu colo e deixou tudo aquilo que ele provavelmente estava segurando até agora sair.

Retribui o abraço dele e beijei o topo da sua cabeça, o cabelo dele era tão cheiroso, ele era cheiroso, que dava vontade de ficar naquele abraço para sempre. Mas como tudo que é bom dura pouco, ele logo desfez o abraço e olhou para mim, nesse momento eu não aguentei, os olhos dele estavam vermelhos, cheios de lágrimas e seu rosto estava inchado.

Esperei ele se acalmar um pouco e falei:

-O que aconteceu Jimin?

- O J-jeo-n fa-lo-u assi-m qu-e ele n-ão qu-er nad-a séri-o co-m-ig-o. Respondeu se desesperando novamente.

E foi nesse momento que passei a não confiar em JeonKook. Não que eu já não soubesse que isso ia acontecer, mas nunca imaginei que o Jimin iria ficar tão triste dessa forma.

-El-e f-alo-u qu-e iss-o qu-e ti-ve-mos e-ra a-pe-nas dese-jo carnal. Eu me de-clare-i, fale-i tu-do, e e-le f-alo-u que isso e-ra só dese-jo.

Abracei ele novamente. Isso dói tanto em mim.

-Estou aqui com você Jimin. -Falei tentando confortar ele.

-Mas você não é ele. -Ele falou se afastando um pouco de mim.

Isso foi o fim para mim. Eu sei que não era ele, sei que não era a mesma coisa, mas eu só estava tentando ajudá-lo.

-Eu sei que eu não sou ele, mas diferente dele eu sempre estive aqui quando você precisou.-Falei com os olhos cheios de lágrimas.

-Mas o Jeon também já me ajudou muitas vezes.

Não pensei que ele fosse defender o JK.

-Estou vendo como ele te ajuda. Se ele é tão bom assim, vai lá com ele, eu não aguento mais. -Falei e comecei a subir as escadas, corri para chegar logo ao meu quarto.

Quando eu cheguei tranquei a porta e sentei no chão, encolhi o meu corpo e desabei de uma vez.

O pior era que tudo aquilo que Jimin me tirou estava voltando.

Olhei para o meu pulso e vi as marcas antigas que eu tinha nele. A mesma pessoa que me tirou da depressão está fazendo me fazendo voltar a ela. Não que depressão tivesse cura, mas eu nem me lembrava mais como era ter esse sentimento de está na terra sem saber qual era a razão. Por algum tempo o Jimin me fez se sentir útil, mas tudo foi embora quando ele falou aquelas palavras "mas você não é ele"

Levantei e fui em direção ao banheiro. Chegando lá, eu procurei pela única coisa capaz de me tirar toda aquela dor que estava no meu coração. As lâminas.



Notas Finais


Beijos 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...