História Amor? Nunca Foi Tão Doce! - Capítulo 250


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Docete, Lysandre, Nathaniel
Visualizações 289
Palavras 2.168
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente <3

Postando mais um capítulo para vocês!

Amo vocês <3

Capítulo 250 - "Ah, Ah, Ahhh"


Fanfic / Fanfiction Amor? Nunca Foi Tão Doce! - Capítulo 250 - "Ah, Ah, Ahhh"

-Mellanie?! – John falou em tom de pânico.

-Ei! – Amélia havia chegado ao quarto, puxou o celular da garota ao mesmo tempo em que tampava a saída de som – O que pensa que está fazendo?!

-Eu...

-Alô? – Amélia falou um pouco nervosa – Olá, John!

-Eu juro que acabei de ouvir outra voz do outro lado da linha...

-Eu estou um pouco rouca – Amélia tossiu de propósito – Acho que ficarei em breve bastante gripada.

-Eu...

-Ligou para algo?

-Eu ia lhe convidar para ir jantar – John falou – Mas acho melhor não, talvez piore o seu estado de saúde.

-Eu adoraria, mas ficará para a próxima.

-Tudo bem, sem problemas...

-Podemos marcar algo depois, na escola nós conversamos. Até mais.

-Até – John percebeu que Amélia estava um pouco estranha – Até mais...

-O que pensa que está fazendo? – Mellanie encarou a moça – Que história é essa de você sair com o MEU John?

-Seu?

-Meu – Mellanie ressaltou.

-Ele está me convidando – Amélia entregou a xícara de café para a menina – Nesse caso, o interesse não está partindo de mim.

-Mas...

-Ele talvez tenha lhe esquecido Mellanie e está tentando reconstruir a vida.

-O John não é assim...

-Talvez ele não lhe ame mais e...

Mellanie deu um tapa no rosto da psicóloga.

-Aproxime-se dele e eu conto ao meu pai, sua vadia – A menina falou decidida – E se eu souber que você está dando em cima dele, não responderei por mim...

-Criança mimada – Amélia a encarou feroz – Seu pai vai saber o que acabou de fazer, e digo mais, se depender de mim, nunca sairá daqui.

Depois de uma longa jornada no supermercado, Jane, Alexy e Ariel resolveram ajudar Castiel a arrumar as coisas na cozinha.

-Eu odeio ver essas coisas e não poder comer – Anne começava a babar.

-Só ficou faltando algumas coisas...

-Eu sei, na verdade, a Jenny pegou as últimas coisas que a gente ia precisar.

-Não faz falta, podemos conseguir de outro jeito.

-Vou pegar alguns biscoitos – Anne ficou na ponta dos pés com a intenção de alcançar o pote em cima do armário – Vamos, vamos, quase lá...

-Não tem jeito mesmo – Castiel a levantou para que pegasse o pote.

-Obrigada – Jane corou – Acho que estou faltando crescer alguns centímetros.

-Quem manda ser uma nadadora de aquário – Castiel sorriu.

-Pare com isso!

-E vai fazer o que? Pular da calçada?

-Eu não sou tão pequena desse jeito!

-Ah – Castiel a encarou – Se não fosse pequena, não daria para fazer isso...

-Castiel! – Jane havia sido posta no batente da mesa da sala de jantar.

-Está vendo?

-Estou comendo, esse momento é sagrado...

-Concordo, estou com fome também.

-Quer um biscoito?

-Não. Eu quero você – Castiel a agarrou com força, fazendo com que o pote de biscoitos caísse no chão. Anne sentia seu fôlego sendo roubado.

-Castiel... – Jane levantava a blusa do rapaz – Eu quero você, agora...

O rapaz desabotoava rapidamente a roupa de Jane, os dedos ferozes para explorar, novamente, cada parte do corpo da menina. Da sua menina.

-Ai – Jane sentia seu peito esquerdo sendo apertado com força, enquanto o envolvia com beijos e seus braços.

Castiel abaixou o zíper da calça da menina, em um momento de loucura, descia sua boca pelo corpo de Jane.

-Mais.

Ele a encarou em seu quadril, corpo a corpo e adentrando em Jane, visualizando-a com a cabeça jogada para trás e com a boca um pouco aberta. O rapaz adentrou na menina.

-Gente, terminamos de tirar as coisas do – Alexy ficou pasmo com os sons que estava ouvindo – MEU SANTO, O QUE É ISSO?

-Alexy, eu... – Ariel foi puxada pelo amigo – O que pensa que está fazendo?

-Shiu! – Alexy colocou a mão na boca da amiga – Está ouvindo?

-O que é isso?! Alguém está morrendo?!

-Não. Alguém está em uma situação bem peculiar aqui...

-Acho que devíamos chamar a Jane – Ariel sorriu.

-Shiu! – Alexy falou – Acho que a Anne está bastante ocupada agora.

-Ai meu santo pirulito – Ariel falou surpresa – É o que eu estou pensando?

-Sim. Nascemos para ouvir os gemidos do Castiel transando – Alexy falou envergonhado – O que eu estou fazendo da minha vida.

-Vamos sair daqui!

-Vamos! – Ariel e o amigo saíram da casa.

No dia seguinte, Elizabeth havia se encontrado no portão da escola com Caroline.

-Eu falei com a minha mãe, ela é médica – Caroline informou – Ela falou que esses testes de farmácia não possuem cem por cento de confiança.

-Eu não vou para o hospital. Não quero que ninguém saiba disso.

-Contou ao Lysandre?

-Não tive coragem.

-Pois arranje, ele está vindo logo ai atrás.

-Bom dia, meninas – Lysandre beijou a namorada – Eu liguei para você a noite e não me atendeu...

-Já devia está dormindo – Lizzy mentiu – Alguma coisa?

-Gente, vou comprar minha ficha do almoço logo, sabe, fica uma fila enorme depois – Caroline sorriu nervosa – Depois nos falamos Lizzy.

-Tchau – Elizabeth acenou em tom de despedida.

-Tudo bem, agora vai me contar o que está acontecendo? – Lysandre falou em tom de desconfiança – Já passamos por momentos assim...

-Eu vou lhe contar, mas não aqui.

-Tudo bem, vamos à padaria aqui da esquina, não comi nada no café da manhã – Lysandre ofereceu o braço para a menina segurar – E unimos o útil ao agradável.

-Concordo – Lizzy aceitou a proposta.

No corredor, Alexy e Ariel estavam envergonhados com a situação de ontem.

-Eu tive pesadelos com isso, e quando acordei, não era o Castiel gemendo, era o cachorro do vizinho latindo – Alexy falou.

-A gente saiu sem avisar, espero que não desconfiem que...

-Oi gente, bom dia – Jenny abriu o armário para colocar alguns livros – Fiquei testando a nossa receita ontem de strogonoff de frango e claro, ficou ótima.

-Não estou muito preocupado com isso agora não.

-Vocês estão bem, parecem pálidos – Jenny falou desconfiada.

-Nós... – Ariel falou envergonhada.

-Estávamos na casa do Castiel, como pessoas normais e descentes e morais e estudiosas e...

-Nós ouvimos o Castiel e a Jane transando.

-ÉOQUEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE – Jenny gritou.

-Shiu! – Alexy tampou a boca da amiga – Está louca?!

-HDHEBSKJUDHEBEJDEJF – Jenny tentava falar com a mão do amigo em sua boca.

-Solta ela, Alexy – Ariel puxou o amigo.

-Nossa, que horrível, traumatizante – Jenny falou assustada – Como era?

-Eu não vou imitar o Castiel gemendo – Ariel cruzou os braços.

-Era tipo... – Alexy corou – AH, AH, AH...

-Vai colocar um ovo, Alexy? – Helena havia chegado com Frank.

-Está com prisão de ventre, Alexy? – Frank sorriu – Tem um danone que é ótimo...

-BOOORAAAAAAAAA ALEXYYYYYYYYYYYY – Ariel gritou.

-Que porra era essa que você estava fazendo? – Helena tomou um gole do café – O que inventaram agora?

-O Alexy estava imitando o Castiel gemendo – Jenny soltou uma gargalhada.

-Pare de espalhar essas coisas! – Alexy encarou a amiga.

-Não acredito que é nisso que estou pensando – Helena fez uma cara assustada.

-Foi com a Jane, meu santo Zeus, claro que não! – Alexy corou.

-Eu só cheguei e ouvi – Ariel informou.

-Que gemido horrível do Castiel – Helena falou.

-Não acredito que estão avaliando isso – Frank falou envergonhado.

-Repete – Helena sorriu.

-Eu não vou fazer isso de novo...

-Eu lhe envio umas fotos do Kentin na praia – Helena sorriu.

-Era assim: AH, AH, AH, AHHHH – Alexy repetiu os barulhos.

-Bom dia gente – Eric se aproximou com Lucas e Electra – O que o Alexy está tentando fazer?

-Com toda certeza não é pensando na nossa receita – Lucas abriu o armário.

-O Alexy está imitando o Castiel gemendo – Helena caiu na gargalhada.

-ÉOQUEEEEEEEEEEEEEEEEEE – Eric gritou.

-BOOOORAAAAA ALEXYYYYYY – Jenny gritou.

-Com que intenção?! – Eric olhou estranho para os amigos – Não me diga que...

-Foi com a Jane – Alexy falou – Vou escrever logo isso na minha testa.

-O que você não faz por umas fotos do Kentin, amiguinho – Ariel sorriu.

-Não vou imitar mais ninguém gemendo aqui. Isso foi bem constrangedor e impactante para o meu ser de luz.

-O Castiel geme como o meu cachorro – Lucas falou – Impressionado.

-O que tem eu ai? – Castiel e Jane se aproximaram do grupo.

-Essa não – Alexy colocou o caderno em seu rosto – Nada, nada demais...

-AH, AH, AH Castiel AH, AH, AH – Helena imitou o amigo – AH, AH, AH...

Jenny, Eric e Ariel caíram na gargalhada.

-Que droga é essa? – Castiel encarou a amiga.

-Não sei, pergunta ao Alexy, foi ele que ouviu você gemer ontem.

-Eu lhe odeio, Helena. SUA BRUXA SEM CORAÇÃO – Alexy gritou.

-HAM? – Jane falou envergonhada – Vocês já não tinham ido embora?

-Claro que não, estávamos na cozinha e ouvimos... – Ariel falou.

-Eu só estava dizendo que fiquei traumatizado, só isso – Alexy falou.

-Será? – Helena pegou o celular – Gravei tudo, por que sou dessas.

-Alexy – Castiel encarou o amigo – Vou contar até três e...

-Dá licença ao Alexyzinho – O rapaz saiu correndo.

Nathaniel e Melody chegaram perto do grupo com alguns panfletos.

-O que é isso? – Frank viu a foto de Nathaniel no folheto.

-Estamos começando a propaganda para a votação do representante do grêmio estudantil, temos todos os anos – Nathaniel sorriu.

-E sempre o Nath ganha – Melody falou – Claro, esse ano não deve ser diferente.

-Eu e Melody sempre ganhamos para representante e vice, porém, como temos novos rostos aqui, estamos investindo em propaganda.

-Tem algum nome já?

-A nossa chapa é a número um – Nathaniel falou – Mas temos dois outros concorrentes, entre eles a Lola, com a Ambre como vice.

-Que lixo – Helena falou – Faço questão de queimar e destruir todos os cartazes delas...

-E a outra dupla?

-Vai ser a Íris e a Kim – Nathaniel informou – Porém, o término para as inscrições nas chapas ainda não acabou.

-Queremos garantir, é isso – Melody encerrou o assunto – Contamos com o voto de vocês.

Na padaria, Elizabeth estava tentando procurar as palavras certas para falar.

-Os salgados daqui são ótimos, tem certeza que não quer nada?

-Tenho, querido – Lizzy sorriu – Essa salada de frutas está ótima.

-Pode começar a me contar o que está lhe incomodando tanto...

-Lys – Lizzy falou um pouco envergonhada – Isso pode não está cem por cento certo, mas eu estou um pouco preocupada, e não queria lhe contar antes que tivesse a certeza que...

-Fala...

-Eu estou grávida – Elizabeth falou – E eu não sei o que fazer.

-Grávida?

-Grávida.

-Tudo bem – Lysandre falou – Por que não me contou logo?

-Estava com medo do que fosse pensar.

-Pensou que eu ia fazer o que?

-Eu não sei.

-Se você estiver realmente grávida, não é o fim do mundo – Lysandre segurou a mão da moça – Você não fez o filho sozinha.

-Lys...

-Eu estarei ao seu lado, independentemente do que os seus pais ou os outros disserem...

-Eu lhe amo, sabia? – Lizzy o olhou com carinho, admiração e orgulho.

-Digo mais – Lysandre sorriu – Como somos cuidados com isso, qual método você usou para descobrir?

-Teste de farmácia.

-Vamos ao hospital, lá e mais seguro e o resultado não trará dúvidas.

-Mas hoje não, eu estou mais segura por ter falado com você sobre isso.

-Tudo bem...

-Temos o aniversário da Jane hoje à noite, na casa do Castiel.

-Podemos ir amanhã, antes da aula, e eu vou com você.

-Obrigada – Elizabeth sorriu – Obrigada por existir.

Enquanto isso, o grupo organizava o aniversário de Anne.

Helena mudou o nome do grupo para AH, AH, AHHHHH

Que droga é essa? ~Rosa

e.e ~Helena

BOOORAAAAAAAAAAA CASTIELLLLLLLLLLLL ~Ariel

u.u ~Alexy

AH, AH, AH, AHHHHHHHHHHHHH ~Helena

Parem com isso, como se ninguém gemesse aqui ~Kentin

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ~Eric

Mas o Castiel geme como um animal ~Helena

BOOOORAAAAAA CASTIELLLL ~Gabi

Chamou de animal e tacou o macete ~Eric

Precisamos organizar o aniversário da Jane, as coisas estão na minha casa! ~Caroline

AH AH AH AHHHHHHHHHHHHHHHHH TÁ CERTO AHHHHHH ~Jenny

Primeiro veio os 16cm, depois o Poste, agora são os gemidos ~Ariel

Minha culpa u.u ~Alexy

Depois eu lhe pago Alexy, relaxe ~Helena

-Não sei esse bully todo com o Castiel, Helena gritava quando fazíamos ~Kentin

TXAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA ~Eric

ÉOQUEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE ~Jenny

Relevações reveladoras sendo reveladas aqui com muita revelação ~Alexy

BOOOORAAAAAAA HELENAAAAAAAAAAAAAAAAA ~Gabi

TEAM BRUXA DOS GEMIDOS ~Eric

Não sei no que está falando... ~Helena

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ~Castiel

Só observo a treta ~Kath

Além disso, Kentin e Kath estavam se pegando no corredor, hoje ~Gabi

TXAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA ~Ariel

CALEM A BOCA, O NIVER DA JANE ~Rosa

Vou levar as coisas para a casa do Castiel mas preciso de ajuda ~Caroline

Eu vou está com o carro na parte da tarde, mas preciso de mais alguém ~Armin

Eu vou ~Kentin

Certo ~Caroline

Imagino o Castiel desejando feliz aniversário para a Jane, gemendo KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK eu sou doente ~Eric

AH AH AHHHHHHHHH FELIZ AHHHHHHHH ANIVERSÁRIO AHHHHHHHHHHH JANEE AHHHHHHHHHHH ~Jenny

HAHAHAHAHAHAHAH ~Lucas

Lucas tá gemendo, também? ~Ariel

Tô rindo u.u ~Lucas

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK MORTO FT ENTERRADO ~Alexy

John, de maneira inquieta, estava esperando Amélia em sua casa, ele sabia que havia ouvido a voz de Mellanie e ia tirar isso a limpo, com ou sem a colaboração da moça. A campainha tocou.

-John – Amélia entrou na casa – Eu vim logo que eu...

-Ela está com você?!

-Quem?

-A Mellanie!

-Claro que não, o que pensa que...

-Eu quero a minha mulher de volta – John segurou o braço da moça com força – Vai colaborar ou não?!


Notas Finais


Primeiramente: AH, AH AHHHHHHH KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK


Segundamente: Tem gente que ainda está me odiando por que eu tinha matado a Mel, gente, calma, paz no espírito. Tem coisa pior por vim <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...