História Amor? Nunca Foi Tão Doce! - Capítulo 272


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Docete, Lysandre, Nathaniel
Visualizações 242
Palavras 1.580
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente!

Postando mais um capítulo para vocês <3
Pessoal, poderei sumir, em alguns momentos, mas é devido as obrigações da vida.

Amo vocês <3

Capítulo 272 - "Simular Um Rapto"


Fanfic / Fanfiction Amor? Nunca Foi Tão Doce! - Capítulo 272 - "Simular Um Rapto"

-Isso não quer dizer que você não possa me contar as coisas! – Lizzy encarou o namorado – Eu poderia lhe ajudar de algum jeito.

-Não, não pode – Lysandre forçou um sorriso – Só quero que não se preocupe com isso, eu e o meu irmão cuidamos disso...

-Não gosto quando não me procura quando está precisando. Sabia que eu sou sua namorada nos bons e nos maus momentos, ok?

-Eu sei, meu amor – Lysandre a beija – E eu agradeço muito por você ter escolhido ficar ao meu lado.

-Espero que não se esqueça disso...

-Gente! – Gabi havia chegado com Jane e Ariel – Armin e Kentin tiveram uma ideia, sobre como podemos resgatar o dinheiro que a Isa pegou...

-Mas ela já comprou a loja de roupas, não podemos fazer nada.

-Venham! – Jane puxou os dois amigos.

Havia uma pequena aglomeração do grupo no corredor principal.

-Chegaram a princesa e o príncipe do algodão doce, agora fala essa porra com mais calma – Helena tomava um gole do café.

-Podemos simular um rapto – Armin falou – Eu já joguei um jogo assim, é massa, podemos pedir à quantidade que a Isa nos furtou.

-Eu não concordo muito, pediria uma quantidade maior – Kentin sorriu.

-Eu não pretendo quase tirar a roupa de novo para salvar vocês! – Helena falou envergonhada – E desde quando a Isa é burra a esse nível?

-Mas não iremos sequestrar qualquer pessoa, querida – Frank sorriu – Que tal o irmão dela?

-Isso vai dar merda, o tio deles é advogado – Jenny tomava seu suco de uva na caixinha.

-Eu não concordo nem um pouco com isso – Caroline falou nervosa.

-Seus fracos, é só para recuperarmos o nosso dinheiro – Eric ajeitou os óculos – Duvido que a Isa chame a polícia, ela gosta de resolver tudo sozinha.

-Não quero dormir na prisão, ok? – Ariel falou preocupada.

-Não fico tão preocupado assim, a questão é quem vai passar o trote – Alexy falou – Ela conhece quase todos daqui...

-Eu e mais uma pessoa – Armin falou.

-Então vamos sequestrar quem? – Matheus perguntou curioso.

-Ninguém menos que o próprio Henr.

-Henr?! – Caroline falou surpresa – Não me ponham de novo para tentar distrair o rapaz.

-Que menina inteligente, pois é exatamente isso que você vai fazer – Helena sorriu – E dá um jeito de pegar o celular dele para não receber nenhuma chamada da cretina da irmã dele.

-Isso vai dar muita merda – Electra encarou Eric.

-Vai eu e o Armin – Eric sorriu – Nunca verão uma narração de um sequestro tão bem feita!

-Vocês se divertem com isso, vocês são doidos! – Nathaniel ajeitava a gravata – Estou muito preocupado com outras coisas, inclusive...

-Já pensou Nathaniel? – Helena se aproximou do amigo – Que a Isa se torna tão forte e acabe ganhando a disputa para representante do grêmio estudantil?

-Isso é um absurdo e nem me venha com suas superstições, Helena!

-Vamos ou não fazer? – Castiel cruzou os braços.

-Hoje à noite, eu e Eric, precisamos de alguém que imite a voz do Henr... – Armin encarou os amigos.

-Como vai ser na minha casa – Castiel revirou os olhos – Eu posso tentar imitar a voz dele.

-Eu vou só para garantir que o Castiel vai abrir a porta – Helena levantou o braço.

-E eu pela comida – Jane logo em seguida.

-Se precisarem de ajuda é só dizerem – Elizabeth sorriu.

Melody se aproximou de Nathaniel e segurou o braço do rapaz.

-Preciso falar com você...

-Larga o meu namorado – Ariel encarou a menina – O que pena que...

-Calma, querida – Nathaniel censurou a namorada – Isso é assunto do colégio, depois nos falamos.

-Esse seria o momento de mandar ele se lascar – Helena sorriu.

-Não dê esses tipos de conselhos... – Frank segurou o braço da irmã.

Melody e Nathaniel se trancaram na sala do grêmio.

-Ela está doando todas as roupas da loja que ela comprou! – Melody mostrou pelo celular alguns dos compartilhamentos dos alunos – Isso é claramente para conseguir voto e passar na frente da gente!

-Tenha calma, os alunos nos conhecem e gostam da gente. Estamos aqui bem mais tempo do que a Isa e o irmão dela.

-Você está muito calmo para quem está prestes a sair do cargo de representante do grêmio!

-Por que eu confio nos alunos, e isso que ela está fazendo... – Nathaniel apontou para o celular – É por que sabe que não tem chances de ganhar e está usando desse meio para nos intimidar e tentar ganhar de nos.

-Espero que esteja certo, pois ao contrário...

-Confie em mim. Vamos ganhar.

Quando a noite chegou, estavam Armin, Kentin, Eric, Helena, Castiel e Jane reunidos.

-Nada de pegarem comida de novo – Castiel trazia um pacote de biscoitos.

-Que pobreza, eu sei que tem café “premium” aqui – Helena entregou a garrafa na mão do amigo – Seja um bom anfitrião e vá pegar para mim.

-E eu quero outro pedaço de bolo – Jane entregou o prato para o namorado.

-Eu estou tentando! – Armin conectava as chamadas do celular ao computador – Pede para o Castiel trazer o cabo para mim...

-Vão meter com força no computador – Eric ajeitava os óculos.

-Vamos repassar de novo? – Kentin pegou alguns papéis.

-Pode ir falando...

-Certo. Vocês primeiro vão dizer que estão com o Henr e depois pedem a quantia. Se ela insistir que não estamos com o idiota do irmão dela, passamos para o Castiel, que vai imitar a voz dele e ela vai acabar acreditando.

-Tome moças – Castiel jogou a garrafa na mão de Helena e o prato na namorada – Bom apetite.

-Metendo com força nas pessoas, o que é isso?! – Jane sorriu.

-Na próxima eu meto com força na sua cabeça! – Helena fechou a garrafa.

-Na de baixo ou na de cima? – Castiel falou maliciosamente para a amiga.

-Na de cima, imbecil – Helena tomou um gole do café.

-Coloquei açúcar viu – Castiel sorriu.

-Miserável, fez de propósito!

-PAREM DE BRIGAR – Eric gritou – Precisamos ter foco nisso!

-Consegui! – Armin mexeu no celular – Agora vai ficar melhor.

-Ótimo, vou pegar o celular dela...

Caroline ligou para o namorado.

-Querido – Ela falou baixinho – Não sei se vai dá certo, Henr não está retornando as minhas ligações.

-Como assim?

-Chama e chama e chama e ninguém atende!

-A princesinha vai acabar com o nosso plano? – Helena falou irritada.

-Tenta ligar para o outro número, não?

-Não, amor, ele não está atendendo.

-Com ou sem o Henr, vamos fazer – Eric falou decidido – É agora ou nunca. Pense que é melhor assim, pelo menos ele não vai retornar e ela vai acabar acreditando em tudo...

-Pegamos o dinheiro e voltamos com nossa vida normal – Kentin sorriu.

-Ótimo, amor? – Armin suspirou – Esqueça, vamos dá o nosso jeito aqui, qualquer coisa, se precisarmos de algo, eu lhe dou um toque.

-Certo, qualquer coisa me chame, beijos – Caroline encerrou a chamada.

-Até mais – Armin encarou os amigos – Vamos começar.

Eles digitaram o número do celular da Isa.

-Alô? – Isa atendeu.

-Alô! – Armin falou com uma voz mais grossa.

-Com quem eu falo?

-É o seguinte, minha irmã, o papo aqui é reto e não faz curva – Eric falava com uma voz grossa – Estamos aqui com o trouxa do seu irmão, entendeu?!

-E vamos encher a cara dele de bala se você não fizer o que estamos pedindo entendeu?

-Isso é um trote? – Isa suspirou.

-Claro que não, minha irmã – Eric falou – Quer que a gente acabe mesmo com o seu irmão?

-Oh, e o que eu vou ter que fazer? – Isa sorriu.

-Vamos querer uma determinada quantia, em troca da liberdade do seu irmão.

Jane colocou barulhos de tiro no fundo da chamada.

-Seu irmãozinho está gritando feito uma moçinha aqui – Armin tentava controlar o riso – Queremos a droga do dinheiro agora mesmo!

-Isso foram tiros?

-Foram, e os próximos serão na cara do seu irmão.

-Ótimo, passe para ele, sim?

-Ah... – Armin deu o sinal para o Castiel – Só duas palavras com ele!

-Henr?

-Oi Isa – Castiel tentava forçar uma quase voz do irmão da menina.

-Hum... – Isa suspirou – Eu acho que vocês ligaram errado, ele não é meu irmão.

-É... – Armin ficou sem reação.

-Você tem uma prima? – Eric perguntou.

-Tenho – Isa respondeu sem entender o intuito da pergunta.

-Qual o nome dela?

-Ruth.

-Então estamos aqui com a Ruth, entendeu?! – Eric engrossou a voz – E vamos meter a cara dela de bala!

-ISSO MESMO – Armin falou mais alto.

-Olha, eu estou realmente ocupada, liguem outra hora, adeus – Isa encerrou a chamada.

Helena caiu na gargalhada.

-Que porra foi essa que aconteceu aqui?! – A menina não se controlava.

-Eu sabia que isso não daria certo, desde o começo – Castiel se sentou no sofá.

-Se você tivesse imitado a voz do Henr direito, nada disso aconteceria!

-Enfim, não deu certo.

-Melhor parte foi “o papo aqui é reto e não faz curva” – Helena começou a ri.

-Eu sei que você gostou, Heleninha – Eric deu uma piscada.

-Bem convincente – Helena continuava a ri.

-Eu vou ligar para a Lizzy e dizer que não deu certo, precisaremos de outra coisa para recuperar o dinheiro de volta – Kentin pegou o celular.

Isa voltou a fazer as organizações na loja. O celular tocou novamente.

-Se for aquela palhaçada de novo, eu juro que...

-Isa? – Henr falava com a voz um pouco fraca.

-Henr?

-Isa. Eu preciso de ajuda...

-HENR?

Isa ouviu um estalo do outro lado da linha.

-Se isso for mais uma das brincadeiras de vocês, não tem graça!

-Minha irmã – Um rapaz falava do outro lado da linha – Reze para não acabarmos com o seu irmão até o final da noite. A conversa é a seguinte...


Notas Finais


O PAPO É RETO E NÃO FAZ CURVA KKKKKKKK
E deu merda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...