História Amor? Nunca Foi Tão Doce! - Capítulo 272


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Docete, Lysandre, Nathaniel
Visualizações 207
Palavras 1.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente <3

Deu para fazer mais um \o/

Espero que gostem! <3

Capítulo 272 - "Acho Que Você Deveria Ir"


Fanfic / Fanfiction Amor? Nunca Foi Tão Doce! - Capítulo 272 - "Acho Que Você Deveria Ir"

-É impressão minha ou você está rindo muito? – Castiel encarou Helena, enquanto os dois estavam comprando lago para comer na cantina do colégio – E quando isso acontece, ou você vai cortar alguém ou alguém que você detesta está se dando bem mal...

-E por acaso aqui tem uma placa proibindo alguém de sorrir?!

-Helena sorrindo? – Eric apareceu ao lado do amigo – O mundo vai acabar?!

-Está bem contente a senhora... – Nathaniel pegava o seu salgado.

-Povo que gosta de cuidar da minha vida, que lindo – Helena sorriu sarcasticamente – Só não mostro o dedo, por que estou com a mão ocupada.

-Pelo menos não é a boca, não é Jennyzinha? – Eric encarou a menina.

-Vá se lascar – Jenny pegava seu suco de uva com pastel.

-Tem gente que está com fome aqui, atrás de vocês! – Jane ficava de ponta de pé para alcançar o balcão.

-Vou pegar um lugar para a gente, antes que Ambre e as amiguinhas acabem lá.

-Lola já pegou para a gente – Lucas informou – Por incrível que pareça, não me acostumo dizendo uma coisa dessas, depois de tudo.

-Se a Helena está sorrindo, acredito até em milagre agora – Castiel pegava o refrigerante.

-Vou sentar, adeus – Helena deixou os amigos para trás – Sai do lado do meu namorado.

-Helena... – Frank a censurou com o olhar.

-“Por favor” – Helena suspirou – Saia do lado do meu namorado, por favor.

-Nossa, Frank, está conseguindo educar o monstro? – Lola pegou sua tigela com cereal – Isso é inacreditável!

-Vá tomar no...

-Helena! – Frank segurou a mão da namorada.

-Estou paciente, a paz habita em meu lindo ser – Helena tomou um gole do café – Tudo está melhor agora.

-Podemos agora saber o motivo de tanta felicidade? – Alexy tirou os fones de ouvido.

-Depois de ouvir a Jenny falando aquilo na sala, ganhei o meu dia – Kentin sentou ao lado de Katherine.

-Eu disse para não colocarem tomate no meu sanduíche! – Kath se levantou revoltada em direção a cantina – Era sem tomate!

-Cada louco que eu vejo... – Caroline comia sua maçã.

-Tudo bem – Priya sentou ao lado de Lucas – Acho que temos uma historinha por trás disso tudo, não é mesmo?

-Não sei do que está falando – Helena tomou um gole de café.

-Se a Helena não contar, eu conto – Priya falou tentando socializar com o grupo.

-Não vai dá para você contar, infelizmente – Helena pegou o copo de café.

-Por quê?

-Por que vai ter café na sua roupa – Helena jogou metade do líquido na calça de Priya – Ops, caiu sem querer...

-Malvada a garota – Eric revirou os olhos.

-Não tem problema, tenho uma reserva no armário – Priya sorriu – Mas eu acho que tem um pouco de refrigerante no seu cabelo...

-No meu... – Helena sentiu todo o líquido escorrendo em seu cabelo.

-Priya, não devia ter feito isso! – Alexy falou assustado.

-EITA CARAMBA – Electra sentiu o bebê chutando na barriga.

-Meu bem? – Eric falou preocupado.

-Eu...

-A BOLSA ESTOUROU, AJUDA AQUI! – Eric colocou Electra nos braços.

-ALGUÉM PEGA A CHAVE DO CARRO! – Elizabeth falou preocupada.

-BORAAAAAAAAAAAA ELECTRAAAAAAAAA – Gabi gritou.

-Eric! – Electra encarou o namorado – Não tem nada de “bolsa estourando”!

-Por que falou espantada então?

-Senti o bebê chutando a minha barriga!

-Tinha que ser tapado mesmo! – Helena encarou o menino.

-Pelo menos eu estou limpinho! – Eric ajeitou os óculos.

-Não – Jenny jogou o suco de uva na cara do amigo – Isso é pelo picolé!

-Amor – Matheus meteu o bolo na cara da namorada – Por ter demorado duas horas para me responder no celular.

-Vai todo mundo se lascar! – Jenny encarou os amigos, e sem olhar por alguns segundos, as comidas estavam “voando” de um lado para o outro na sua frente.

-OLHA O DANONEEEEEEEEEEEEEEE – Alexy tacou em Lucas.

-Toma aqui os tomates, seus imbecis! – Katherine tacava as rodelas na cara dos amigos.

-Ninguém toca nos meus bisco... – Kentin levou suco de laranja na cara – Meu olhos, JANE!

-Quem jogou pimenta na minha cara?! – Castiel falou revoltado e com os olhos fechados, ardendo – Eu vou acabar com você!

-O que está acontecendo aqui?! – John e Faraize apareceram.

-Cuidado! – Lizzy puxou John – O senhor vai acabar levando uma torta na cara!

-OLHAAAAAAAAAA O DANONEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!

-O que aconteceu aqui?! – Faraize perguntou assustado – Isso é uma loucura coletiva?!

-O que andam colocando na comida desses alunos?! – John sorriu.

-OLHA O TOMATEEEEEEEEEEEEEEEEE!

-NATHANIEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEL – A diretora gritou – O que está acontecendo aqui?!

Todos pararam por um momento, menos Castiel, que estava quase “cego”.

-Eu quero os responsáveis por isso, imediatamente, na minha sala!

-BOORAAAA PRIYAAAAAAAAAA! – Helena bateu palmas – Ela é a responsável por essa palhaçada toda.

-E a atração principal foi você, Heleninha – Eric limpava os óculos.

-Todos para a minha sala, incluindo o representante de turma!

Depois de uma detenção para quase todos, Helena voltou para casa.

-Cheguei, Fred – A menina colocou o casaco pendurado na porta.

-Heleninha, adivinha quem está aqui? – Fred sorriu, estava na cozinha.

-Não quero saber se algum dos seus amigos retardados estão ai com você. Não sei por que ainda insiste nisso – Helena pegava o celular.

-É assim que você trata o seu irmãozinho? – Feliphe apareceu ao lado da porta da cozinha – E inclusive, acabei de fazer café...

-Feliphe – Fred sorriu – Acha mesmo que eu não a chamaria se não fosse importante?

-Vou contar quantas vezes você, realmente, me chamou para algo importante – Helena falou corada – Não entendi o lance do café...

-Isso é chantagem pura com você – Fred pegou o casaco – Não briguem crianças, vou voltar para a faculdade, só chego à noite!

-Vê se não volta! – Helena falou irritada – É bom seguir o seu amigo, o que acha?

-Não somos amiguinhos, Heleninha? – Feliphe a encara – Fiz até café para você!

-E quer que eu lhe dê um prêmio?! – Helena entrou na cozinha.

-Que tal “estou feliz em lhe ver de novo”?!

-Não estou feliz em lhe ver de novo – Helena revirou os olhos.

-Como a minha Heleninha não está feliz em me ver de novo?!

Feliphe se aproxima do rosto da garota.

-Não ganho nenhum beijo dessa boquinha?

-Feliphe – Helena o afastou – Não sei por que voltou, eu estou namorando.

-Ham?! – Feliphe a encarou – Isso é uma brincadeira sua?!

-Claro que não! – Helena pegou um pouco do café – Deveria ter perguntado para a Priya, antes de vim me procurar.

-E vai dizer que ele faz um café tão bom quanto o meu?

-Ele faz outras coisas bem melhores que você – Helena sorriu de maneira irônica.

-Por que você não me avalia então?

-Não vou fazer isso, vista essa camisa – Helena desviou o olhar.

-Ele lhe deixa assim, também? – Feliphe a encura-la contra a parede.

-Pense muito bem no que você vai fazer...

-Eu sei que você esconde o seu canivete ou na bolsa, ou aqui – O rapaz coloca a mão no quadril de Helena – Eu me lembro bem...

-Daquela vez que eu tentei lhe acertar?

-Não. Daquela vez que eu lhe mordi bem aqui – Feliphe sorriu – Vai dizer que não se lembra?

-Acho que você deveria ir... – Helena é segurada pelo pulso.

-Como eu queria beijar essa boquinha agora – Feliphe a puxa para mais perto – Só um beijo...

-Não – Helena sorriu – Vai querer ficar sem calças, também?

-Quer que eu fique?

-NÃO! – Helena falou assustada – Vista-se e saia da minha casa.

-Posso saber como é o nome da criatura que está lhe roubando de mim?

-Frank. Ele é mais bonito e inteligente do que você.

-Mas eu sou eu, meu amor – Feliphe tomava um gole do café – Está um pouco de calor aqui, não?

-O que pensa que está...

O rapaz jogou café na camisa de Helena.

-Ops, alguém vai ter que trocar de roupa aqui...

-Seu...

Alguém havia tocado a campainha.

-Não se mova daqui! – Helena encarou furiosa o rapaz.

-Eu lhe espero, meu amor.

-Eu não sou seu "amor" - Helena revirou os olhos.

Era Jane e Ariel na porta.

-HELENA! – Jane abraçou a amiga.

-O que vocês querem?!

-Estamos pensando em fazer um aniversário surpresa para o meu irmão!

-Ham?

-Isso! – Jane sorriu – Não sabia que amanhã é o aniversário do Frank?

-Claro que eu sei! – Helena falou irritada.

-Por que tem café na sua camisa? – Jane perguntou curiosa.

-Olha, falamos disso depois...

-Mas...

-Tchau! – Helena fechou a porta na cara das amigas.

-Bem educada – Feliphe cruzou os braços.

-O próximo vai ser você!

-Então vem – Feliphe a puxou – Vem bater outras coisas na minha cara...


Notas Finais


e.e

ESTOU TENDO UNS PENSAMENTOS PENSANTES QUE SÃO RETOS E NÃO FAZEM CURVA
#Feliphe ou #Frank


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...