História Amor? Nunca Foi Tão Doce! - Capítulo 273


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Docete, Lysandre, Nathaniel
Visualizações 185
Palavras 1.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente! <3

Consegui aquele tempinho hoje para escrever!
Espero que gostem <3

Boa leitura!

Capítulo 273 - "Abra"


Fanfic / Fanfiction Amor? Nunca Foi Tão Doce! - Capítulo 273 - "Abra"

-Eu não vou fazer o que pensa que eu vou fazer, agora saia da minha casa! – Helena empurrou o garoto – Se o meu namorado lhe ver aqui, desse jeito, ele vai acabar com você!

-Acha mesmo?

-Eu não pagaria para ver, agora sai! – Helena empurrou Feliphe até a porta – Espero que consiga se exibir assim para alguém trouxa que consiga cair na sua conversinha, meu caro.

-Heleninha, poderia ser você, não?

-Não! – Helena bateu a porta na cara do amigo.

Enquanto isso, uma parte do grupo estava no shopping da cidade procurando um presente decente para dá ao amigo, Frank.

-Jane, eu já falei que não vou comprar esse unicórnio para você! – Castiel puxou a namorada.

-Não sei o que estamos fazendo aqui, tenho certeza que o Frank não quer ganhar um ursinho de pelúcia... – Electra sorria.

-Foi a retardada que nos puxou até aqui – Castiel encarou Jane.

-Acho que o meu irmão ia gostar de algo mais sério...

-Bom, podíamos dá uma gravata a ele – Rosalya sorriu – Tem de várias cores em uma das lojas aqui, o que acham?

-Pensei em alguma coisa de papelaria... – Ariel fez uma cara pensativa.

-Alguém pode procurar logo um presente?! – Castiel puxava a namorada para fora da loja.

-Só acho que eu merecia um unicórnio daquele... – Jane forçou um sorriso.

-Estou com fome, quero pizza – Jenny suspirou – Matheus, quero lanchar...

-Podemos dá uma gravata mesmo, gostei da ideia Rosa – Ariel puxou a amiga.

-COMIDAAAA – Jenny saiu correndo em direção à praça de alimentação.

No escritório do pai, Frank estava trabalhando nos últimos relatórios.

-Olha que menino organizado – Lola bateu na porta – Atrapalho?

-Claro que minha irmãzinha não atrapalha... – Frank sorriu.

-Parece tão concentrado nessas coisas, eu juro que não teria essa concentração toda...

-Veio me procurar?

-Vim falar com o seu pai...

-Nosso pai, pode ir se acostumando.

-Eu sei, eu acho – Lola forçou um sorriso – Vim pedir emprego.

-Pedir?! – Frank falou assustado – Você é da família...

-Não da sua – Lola se sentou na cadeira – Vou trabalhar na lanchonete no primeiro piso, em um horário, o dinheiro é bom, então acabei aceitando.

-Vou passar lá de vez em quando para tomar um cafezinho...

-Eu apoio! – Lola sorriu – Alguma coisa parece que está lhe incomodando...

-Não é você...

-Então?

-Helena até agora não me ligou, e por incrível que pareça, eu fiquei um pouco cismado com toda aquela felicidade dela hoje pela manhã, na escola...

-Ela deve ter revisto algum amigo ou algo do tipo...

-Mais tarde eu ligo para ela. Apenas não gosto desse vácuo...

-Por incrível que pareça, ela consegue gostar de você Então eu ficaria tranquilo se fosse você.

-Você tem razão – Frank abraçou a irmã – Começa hoje o trabalho?

-Oh, que fofinhos – Isa entrou na sala – Acho que sua secretária não está passando muito bem, caro Frank, saiu correndo para o banheiro...

-O que você quer?! – Frank falou irritado.

-Eu? – Isa sorriu – Só vim lhe dá um breve aviso e eu vou embora. Adivinho que a Lola já saiba do que eu vou falar.

-Não sei.

-Bom, então fica garotinha – Isa suspirou – Acho que vai adorar saber que Feliphe Percy está em Sweet Amoris.

-Quem? – Frank fez uma cara de confuso.

-O que ele quer aqui?!

-Veio atrás de mim, vingou-se – Isa forçou um sorriso – O que acha?

-Bem feito – Lola cruzou os braços – É o mínimo que mereceu depois do que fez...

-MAS – Isa encarou os dois, profundamente – Ele não foi embora e, por incrível que pareça, ele está atrás de uma coisa, que nós duas sabemos muito bem o que é...

-Helena está com o Frank, ou esqueceu?

-Helena?! – Frank encarou a irmã – O que ela tem com isso?

-Feliphe era o antigo namorado dela, antes de ela se apaixonar pelo Castiel – Isa cruzou os braços – E iludir o meu irmão. O que acha?

-Os dois terminaram faz tempo.

-Mas ele voltou. E por incrível que pareça, Frank – Isa o olhou – Bem putinha a sua namorada, não?

-Sua...

-Frank, não vale a pena!

-Bom, o aviso foi dado, não dou um dia para vocês terminarem. Feliphe sempre consegue o que quer, e eu posso adivinhar, pelo que eu conheço e um pouco pelo que ele me odeia, deve está trabalhando muito bem para ter a Helena de volta...

-Saia daqui! – Lola empurrou a menina para fora da sala, enquanto Frank pegava, rapidamente, o celular para ligar para a namorada.

-Não ligue para o que ela disse, é tudo mentira.

-Do jeito que você reagiu, nem tudo pareceu que era mentira, Lola...

-Só não faça algo que se arrependa depois. Por favor.

Castiel, no shopping, estava terminando com suas finanças.

-Jane, quero ver mesmo se você vai comer essas duas batatas, os três hambúrgueres, os dois copos de refrigerante e as duas casquinhas de sorvete...

-Essa pizza está ótima! – Jenny comia, tomando suco de uva.

-Claro que eu vou, estou de dieta, ou não percebeu?! – Anne comia as batatas.

-Eu procuro não gastar dinheiro com as coisas, mas com comida é outra história – Eric ajeitava os óculos.

-Está uma maravilha mesmo – Electra sorriu.

-Eu disse para não colocarem queijo ralado nas minhas batatas rústicas! – Katherine falou revoltada – Kentin, eu quero suas batatas!

-Vou comer só um sorvete, por que estou de dieta – Alexy ajeitou o cabelo.

-Gordo – Ariel comia seu pedaço de pizza.

-Só acho que o foco foi mudado aqui – Rosa sorriu.

Quando chegou a casa, Feliphe sentou-se em um dos seus grandes sofás.

-Querido...

-Não me venha, agora não – Feliphe se levantou para ir até o quarto.

-Temos que conversar.

-Hoje não – E fechou a porta na cara da namorada.

Helena estava deitada em sua casa, com a luz do abajur ligada, estava chovendo lá fora, mas parecia que havia algo a mantendo um pouco inquieta.

-Atrapalho? – Frank bateu na porta do quarto.

-Frederick deixou você entrar?

-Pois é, ou deveriam trancar a porta com chave – Frank sentou-se ao lado da cama da garota – Você quer me contar algo?

-Ham?

-Isa apareceu lá em meu escritório e me contou que você encontrou uma pessoa...

-Então foi ela que o trouxe de volta?!

-Ela não disse isso, apenas me falou que vocês dois já ficaram juntos.

-Eu não vou trocar você por ele, se é isso que está passando pela sua cabeça.

-Claro que não é isso – Frank a beijou na testa – Eu confio em você e para provar isso...

O rapaz tirou uma caixinha do bolso do paletó.

-Para você.

-É pó de café?

-Não. Não dessa vez, é seu.

-Não é um dos colares velhos da sua família não, né?

-Abra! – Frank sorriu, gentilmente.

Helena obedeceu ao garoto.

-Frank...

-Quer casar comigo?


Notas Finais


e.e

HAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHA *se engasga *


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...