História Amor obsessivo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Lei & Ordem: Unidade de Vítimas Especiais, Once Upon a Time, Supernatural
Personagens Cora (Mills), Crowley, Dean Winchester, Det. Olivia Benson, Emma Swan, Lúcifer, Rafael Barba, Regina Mills (Rainha Malvada), Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Samrowena Swanqueen
Visualizações 80
Palavras 2.656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Primeiro pacou


Fanfic / Fanfiction Amor obsessivo - Capítulo 1 - Primeiro pacou

 

Era um dia realmente bem anormal para os irmãos Winchester, nada estava acontecido, nem um simples caso de qual quer coisa, nada. Isso deixa Dean no tédio, por não poder fazer nada. Já Sam estava tranquilo como sempre, fazendo sua papelada entras da sua messa. Pegando em uma folha Dean a machuca fazendo uma bola, e atira na cabeça de Sam que lhe olha serio.

_ Que foi agora Dean?* serio

_ To no tédio * da de ombros

Suspirando quando revira os olhos, Sam se levanta da sua mesa para pegar mais uma caneca de café. Quando o mesmo ia voltando para seu lugar, uma mulher de estrutura baixa entra pela porta. Ela era muito linda para os olhos de Sam, seus cachos ruivos caiam em casata ate metade das suas costas, seu vestido vermelho colado em seu corpo e seus saltos da mesma core, davam um visam de uma Deusa desfilando ate si. Mais perto ela se aproximava, mas seu coração parava de bater. Ela tinha uns óculos de sol pretos, tapando seu olhos, mas dava para ver que seu lábio infiro estava um pouco enxado e vermelho.

_ Em que posso ajuda-la?* fala Sam

_ Olá eu gostaria de aprestar uma denuncia * diz a mulher retirando seus óculos de sol

Quando a mesma o faz, Sam podia ver que seu olho esquerdo estava roxo, mesmo com a maquiagem que ela estava usando. Guiando a ruiva para uma sala, onde pudessem falar a vontade Sam podia perceber que a mulher se encontrava bastante nervosa.

_ Qual seu nome?* abrindo uma pequena pasta

_ Meu nome é Rowena, Rowena Mills Wolf * fala um pouco baixo

Surpreso por estar falando com a mulher, do poderoso Lúcifer Wolf. Lúcifer era o melhor advogado criminal, ele já tinha ganhado milhares casos libertando muitos assassinos e criminosos. Ate tem historias que alguns violadores tinham saído em liberdade, graças a Lúcifer.

_ Ok Rowena. Me diga, o que lhe traz aqui?* olhando para ela

_ Cria apresentar queixa do meu marido, Lúcifer Wolf. * olha para Sam

_ O que ele fez com você ?* estudando seu rosto

_ Ele abusa de mim…. E me agride quando recuso ter relações com ele * aperta suas mãos

Desviando seus olhos do Sam, Rowena cravava suas unhas compridas em suas palmas. Já estava sendo bem difícil de estra ali. Sam não podia estar menos surpresa, Lúcifer tinha sempre um ar de superioridade, a te nas fotos que ele aparecia com sua mulher. Ele tinha que mostra que ela era sua propriedade, que ninguém podia se quer olhar para ela. A notando o que tinha sido dito por Rowena no pequeno bloco de notas, Sam se levanta da sua caberia, deixando Rowena na pequena sala.

-Então, temos um caso?* fala Dean se aproximando

_Temos um caso, bem fudido* passando pelo irmão

Entrando na sala da sargento Benson, vendo a mesma levantar a cabeça e sorrindo suave como sempre. Se aproximando da mesa da sargento, Sam seixa a pasta onde contia a enformação dada pela Rowena. Pegando na pasta e lendo seu contudo, Benson olha bem surpresa para Sam que asena com a cabeça.

_Temos um caso bem difícil em mãos * olhando para o bloco*_ Se for verdade, Lúcifer vai pelo ralo.

_Eu acho que pode ser verdade, Rowena esta com marca em seu rosto. E parecia bem nervosa quando fala sobre o assunto * olhando a sargento

_Pode ser sim, mas não podemos esquecer que Lúcifer é poderoso. Mesmo que tudo que ela diga seja verdade, vai ser muito difícil de o por atras das grades * olha Sam*_ Mas não posso negar, que vai saber bem quando ele for preço

Sorrindo para Sam, Benso se levanta da sua mesa. Andando devagar ela se retira da sua sala, parando perto da mesa de Dean ela da ordem para começarem a investigação, quando ela ia levar Rowena ao hospital para poderem fazer alguns exames nela. Entrando na sala onde ainda estava Rowena, Benso podia ver em seus olhos que a mulher ruiva estava cansada e a batida.

_Olá, eu sou a Sargento Bensan. Mas pode me chara de Olivia * sorri suave*_ Eu vi boscala para a levarmos ao hospital, sou para fazer alguns exames. Tudo bem?

_Hooo, claro, tudo bem sim* se levanta da cadeira

 Siando da pequena sala, as mulheres saem do esquadrão indo para o hospital. Quando isso Sam e Dean chegam na casa dos Wolf, saindo o carro Dean fica chocado pelo tamanho da quela casa. Andando ate ao portão Sam carrega em um bocão, para avisam sua presença.

_Sim?* fala uma voz feminina

_Olá, eu sou o detetive Sam, este e meu parceiro Dean. Gostaríamos de fazer algumas perguntas para o senhor Lúcifer * diz Sam com sua voz tranquila

_O senhor Lúcifer não se encontra no momento, mas não deve demorar

Assim o portão se abre, dando passagem para que eles pode sem entrar por ele. E foi o que eles fizeram, entrando eles passam por um enorme jardim ate chegar a porta da casa, que se abre antes de poderem bater na mesa. Uma mulher alta com roupa de empregada, da passagem para eles, os guinado para um sala de estar bem grande.

_ Querem beber alguma coisa?* olha para eles

_Não obrigada * fala Sam sorrindo suave

Acenado com a cabeça a senhora sai da sala, os deixando aços. Se erguendo do sofá Dean começa olhando para todos os olhos, vendo se achava alguma coisa suspeito. Mas aquela sala estava tão bem arrumada, para seu desgosto pessoal. Uns passos foram ouvidos, quando Dean e Sam se viram para aporta que se abre, um rapaz de procimadante 16 anos entra pela porta. Ele tinha uma estrutura media, cabelos de um castanho claro e seus olhos forma o que chamaram atenção de Sam, eram um azul vivo penetrante, que lembrava dos verde da Rowena.

_ Quem são vocês?* olhando os irmãos

_Eu sou o Dean, este e meu irmão Sam. Nos somos detetives, cremos fazer algumas perguntas ao teu pai* fala suave

_ Ele não é meu pai * seiro

_ Hooo, desculpa então * sorri sem graça

_ Vocês estão investigar o que?* cruza os braços 

_Ha bem, ele foi acusado de agrecao e violação * diz Sam olhando para ele

Surpreso pelo que ele ouve, o menino da um pequeno sorriso de lado. Mas o desfaça som uma tosse falca, se sentando no sofá de frente para Sam, ele cruza seus pernas olhando para eles.

_O que vocês querem saber?

_ O que nos queres contar?* rebate Dean

Olhando para Dean, que ainda estava em pé perto de uma das janelas. O rapaz suspira longo, passando sua mão em seus cabelos escuros.

_ Eu sei quem fez a queixa, eu pensei que ela nunca ia fazer. Mas ela diz a verdade * baixa um pouco a cabeça *_ Alguns anos atras era tudo bom, sabem? Ele era simpático, atencioso. Ele realmente se preocupa coma a gente. Mas quando ele caso com minha mãe, ele mudo. Começou ficando possessivo com ela, não deixava ela falar com amigos ou alguém. Ate que aprendeu em casa, para não poder sair. Ele pensava que ela pudesse o trair se o fizesse.

_ Porque que tua mãe não fez queixa antes?* fala Sam

_Porque ela amava ele* olha para Sam*_ Ele sempre pedia desculpa por suas atitudes, dizendo que amava ela, que não conseguia viver sem ela e blá blá blá. Ele foi ficando pior com os anos, batendo nela, ameaçando de morte a te obrigando a fazer sexo…

Desviando seu rosto dos olhos dos irmãos, o rapaz se levanta do sofá andando pela sala de estra, ate ficar de frente para a janela grande. Pondo as mãos atrás das costas, ficando a olhar para fora da mesma.

_ Como sabe que ele obriga ela?* pergunta Dean

_ Porque primeiro não sou burro. Ela escondia as marcas que ele fazia nela, mas anda dava para se notar. Mesmo se não se desse, ela começou a ficar com medo de qual quer toque, ate do meu. Minha mãe ficava tensa quando me aproximava de mais dela, e uma noite quando pensaram que ia dormir fora eu ouvi.

_ O que ouviste?* Sam

_ Minha mãe gritando (Não) desesperada. Eu subi rápido as escadas ate seu quarto, quando abri a porta, ele esta sobre ela rasgando suas roupas. * tremendo* Eu corri para cima dele, o retirando sobre ela. Quando ele levanto a mão para me bater, minha mãe fico no meio levanto o tapa no meu lugar. Primeira vez que vi o olhar de raiva em seus olhos, ela aviso que ele podia fazer o que quisesse com ela, mas se ele levantasse a mão contra mim mais uma vez, ela matava ele. * sorri suave

Se regendo do sofá Sam anda ate ao rapaz que se vira para ele, dando um pequeno cartão onde continha seu numero de telefone, Sam sorri suave mente para ele.

_ Qual quer coisa me liga, não importa o que * sorrindo

_Fergus * pega no cartão

_Como?

_Meu nome, Fergus Mills Macleod

Acenado com a cabeça os irmãos se retiram da mansão. Mesmo sabendo que ainda tinham que fazer perguntas para o Lúcifer, aquelas que tinham obtido do filho da Rowena tinham sido oro. Entrando no carro o telemóvel de Sam começa a tocar, pegando do mesmo ele ve o numero da sargento.

_ Sargento

_Sam, alguma novidade?* pergunta

_ Sim, falamos com o filho dela, que afinam as agrecao como a violação. E pelo que ele disse já tem ano, que isso anda acontecer * suspira

_ A credito que sim, seus exames acocam o mesmo. E tema algo mais * soa um pouco preocupada

_O que tem?* se preocupa com o tom da sargento

_Rowena esta gravida, e pelos cálculos já tem 3 meses

Era como se de alguma forma o mundo de Sam tivesse caindo, ela estava gravida daquele traste. Lúcifer podia bem usar esse bebe contra ela, como ele fazia com o Fergus, para a mente perto dele.

_Isso é mau* fala baixo

_ De certa forma, Lúcifer é um bom manipulador, ele vai usar esse bebe contra ela. Não tenhas duvidas

_Eu não tenho

Desligando a chamada, Sam aperta forte o telemóvel em sua mão. Olhando para ele Dean estava com uma sobrecilha levantada, pela preocupação que seu irmão tinha pela quela baixinha ruiva. Ligando o carro Dean dirige de volta para o esquadrão, o percurso foi feito todo em silencio. Não porque Dean cria, ele ate tentava puxar assunto com Sam mas nunca obetia qual quer resposta do mesmo.

 

 

Hospital:

 

Quando a sargento Benson chegou ao hospital com Rowena, elas foram ate uma sala especial para que Rowena ficasse a vontade para poder fazer seus exames. Deitada sobre uma casa, Rowena respondia a pergunta feitas pela sargento. Que ficava ataras da cama, dando a poio e forca para ela. As respostas da Rowena podiam ser bem vagas, mas a sargento podia as entender bem.

 

 _ Me diz uma coisa Rowena. Porque que aguento estes anos todos?* atras da cama

_Antes ele dizia que nunca mais ia voltar a fazer, eu acabava por o perdoar. Mesmo sabendo que ele estava mentido, mas… La no fundo eu acho que ele podia mesmo parar * suspira longo

_Mas ele nunca paro, não foi?* olhando ela

_Não… nunca * desvia seu olhar

_O que mudo?

_Não aguento mais esse medo, de poder perder meu filho. Eu.. tenho medo o tempo todo, não consigo dormir, mal como.* poem as mãos em seu rosto*_ Sou cria voltar no tempo, e nunca ter o conhecido

_Te prometo que vamos conseguir o prender * poem suas mãos sobre as dela, as retirando do seu rosto*_ Mas não garanto que vai ser fácil

_Eu sei, ele é o maldito Lúcifer afinal * faz careta

Deixando a Rowena no quarto descansando um pouco, a sargento fala com a medica que já tinha os exames da ruiva nas mãos. Sabendo que esta luta ia ser muito mais difícil, agora que sabia que Rowena estava gravida dele. A sargento liga para Sam, para saber se tinham mais algo prova. Os exames sempre são o suficiente, ela podia abrir um julgamento mas não ia ganhar sou com aquilo. Sabendo que o filho da Rowena não sou sabia dos aboços, como já tinha visto dava como testemunha do caso, podia ser uma grande ajuda no tribuna. Guardando o telemóvel a sargento volta para o quarto, vendo já a Rowena em pé, a mesma estava falando com o marido ao telemóvel que parecia chateado. Se aproximando da mesma a sargento podia houver muito bem os gritos de raiva de Lúcifer, do outro lado da linha.

-Tudo bem?* vendo ela desligar a chamada

_ Não, ele já sabe sobre a denuncia* olha para a sargento

_Melhor assim, você tem onde ficar com seu filho?

_Sim,sim. Tenho minha irmã, que não mora muito longe daqui* olha para ela

_Ainda bem, eu vou consigo e com Sam buscar suas coisas e seu filho* poem uma mão sobre seu ombro*_ Tudo vai correr bem

_Eu espero que sim, sabe, e difícil ter esperanca quando sua vida nunca foi boa* sorri sem humor

_Eu entendo, minha também não foi. Mas agora ela esta melhor, tenho meu filho que é tudo para mim * sorri

_Que bom, como ele se chama?* curiosa

_Noah * sorrindo

_ Bonito nome* sorri

Sorrindo para a sargento elas se vão em bora do hospital, quando estavam chegando a mansão da Rowena. A sargento liga para Sam, para ir ter com elas no casso de Lúcifer ficar agressivos. Que na opinião da sargento não era ma ideia, assim será bem mais fácil no tribunal, mas não podia arriscar avida da Rowena, nem do bebé. Entrando na mansão, Rowena e a sargento podiam ver Lúcifer em pé perto das grandes escadas de bacos cruzados.

_Sargento Benson, que prazer vela * fala irónico

_Que pena que não posso dizer o mesmo, D.Lúcifer * fala seca

_Que faz aqui, e com a minha mulher?* serio

_Vim ajuda-la com suas malas

_Como é que é?* fala entre dentes

_Vim buscar minhas coisas e do meu filho, to deixando esta casa.* anda a te as escadas passando por ele*_ Te estou deixando

Quando Rowena subia as escadas para seu quarto, Lúcifer olhava com raiva e odio para a sargento na sua frente. Mas o mesmo sabia como revolver as coisas, fechando os olhos ele se encosta para traz mantendo sua calma. Mas ela não dourou muito quando ouviu a voz de Sam, abrindo os olhos lançando sua raiva para o mesmo. Quando viu Lúcifer lhe olhar com raiva, o mesmo não podia ficar em diferente. Sua touca de olhares raivosos podiam ser vistos pela sargento, que os estava a estudar eles. Ouvindo passos nas escadas todos olharam para as mesma, vendo Rowena e Fergus descendo por elas com malas em mãos. Fergus estava com um sorriso de orelha em orelha, por finalmente se livra de Lúcifer. Quando Rowena tinha sua postura regida e seria Deixando Fergus passar por ela, Rowena e lonqueada por Lúcifer que fica na sua frente lhe olhando.

 _Sai da frente* seria

_Não. Não podes ir assim, eu te amo Ro* toca seu rosto suave mente

_Sou mentiras * bate na mão dele*_ To farta das tuas mentira, para mim chega

Passando por ele, Lúcifer segura forte seu braço. Quando o mesmo segurava seu braço, Sam se aproxima  logo de Rowena, em um ato de proteção.

_Isso não vai ficar assim, tu es minha e de mais ninguém * fala baixo, com sua voz amiassadora

Soltando ela, Rowena suspira baixo andando passo bem largo e rápidos para fora da casa. Fergus olho para Lúcifer com odio, antes de ir atras da sua mãe, junto com os demais o deixaram para traz com fúria.

 

 

Continua


Notas Finais


Espero que tenham gostado, nos voltaremos haver para o proximo capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...