História Amor ou Amizade? - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel
Tags Natsu Erza Mira Nami Naer
Visualizações 269
Palavras 2.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpe a demora....

Capítulo 12 - Experiência...


??? ON

Era um dia normal. Eu estava fazendo minhas coisas normais, no cair da noite eu recebo uma carta. Uma carta assustadora, nela descrevia meu físico, e tudo que eu havia feito no dia, como se alguém tivesse me observado, tinha também meu nome completo. O medo percorria meu corpo, mas a curiosidade e a aventura também.

No dia seguinte bem cedo, eu acordei e segui o endereço que estava escrito na carta. E me deparei com um prédio, na entrada do prédio vi belos cabelos ruivos balançando devido a uma leve brisa que soprava por aquela manhã. Logo essa ruiva cobre os cabelos com um chapéu e volta a andar calmamente na direção contrária do prédio, para onde eu estava indo.

Sem dar muita importância eu sigo meu caminho, indo até o apartamento descrito na tal carta.

Chegando lá toco a campainha, uma, duas, três vezes. Sem respostas, imaginei não ter ninguém, porém ouço vozes, minha curiosidade vai às alturas e eu sem pensar levo minha mão até a maçaneta e percebo a porta destrancada. Eu abro a mesma e a passos lentos vou até as vozes, observo a silhueta de uma bela garota de cabelos curtos e brancos, ela estava enfurecida com algo, à sua frente um garoto de cabelos rosados, ele estava com uma expressão assustadora em sua face, ele encarava a albina e vice-versa. Uma terceira pessoa se pronuncia com um “bom dia” seguido de um bocejo.

??? OFF

Mirajane: Que clima é esse? O que vocês têm? - ela notavelmente cansada se levanta lentamente indo atrás de Natsu o abraçando por trás - E quem a Loira ali na porta?

Depois de tal pergunta a atenção de Lisanna e Natsu é voltada para a Loira que fica meio sem graça.

???: Desculpem! Eu vi a porta aberta e ninguém atendia a campainha, acabei me deixando levar mas não fiz nada - tentava explicar as coisas desesperada.

Natsu: Isso é muito estranho, mas ainda tenho alguma paciência depois do chilique dessa coisa - apontando para Lisanna - Qual o seu nome? E o que faz aqui?

Lisanna: Não se refira a mim como coisa, pervertido.

???: Ah sim. Meu nome é Lucy, estou aqui porque recebi esta carta. Tinha informações bem específicas sobre mim e tinha o seu endereço também.

Lisanna: Você também? Eu recebi uma carta com a foto desses dois se agarrando e o endereço deles. Será que foi a mesma pessoa que enviou a nós duas.

Vejo que as duas tem muito o que conversar. Então, bom papo… - empurrou Lisanna e Lucy para fora do quarto ficando a sós com Mirajane.

Lisanna: Natsu, abre essa porta… - batia incessantemente na porta - Não toque na minha irmã. Natsu! NATSUUUU!

Após alguns minutos Lisanna cessou as batidas na porta e parou com os gritos, devido a voz que já ficava rouca.

Mirajane e Natsu passaram esse tempo a sós trocando vários carinhos, mas eles precisavam trabalhar. A albina foi a primeira a sair, indo para o banheiro do outro quarto. E Natsu saiu logo em seguida indo para o banheiro que ficava em frente ao quarto que ele estava. Ao abrir a porta, uma surpresa, Lucy estava lá, com as mãos abaixando sua calcinha. Natsu fecha a porta sem nenhuma reação. Mas ao se virar ouviu um gritinho agudo e bem fofo...

Eu: Porra… Fofo?

Lisanna aparece do nada como se esperasse por isso  Natsu a ignora e vai ao mesmo quarto que Mirajane. Ele vê algumas roupas sobre a cama e sem ver a albina ele entende que a mesma estaria no banho. Então, Natsu começa a procurar algo no closet e enquanto ele pegava uma roupa, Mirajane sai do banheiro totalmente nua correndo até o closet para pegar uma toalha, enquanto isso, Natsu entra no banheiro e toma um banho rápido. Ao sair, ele vê Mirajane terminando de se arrumar para o trabalho. Ele rapidamente coloca uma roupa e fica pronto também. Os dois se direcionam para a cozinha onde tomam o café como se não estivesse acontecendo nada fora do normal. Apenas uma loira e uma albina conversando no chão da sala como se fossem duas crianças.

Natsu e Mirajane precisam ir para o trabalho, na porta da saída Natsu se vira e tosse chamando a atenção das garotas na sala.

Natsu: Bem, vocês estão bem crescidinhas mas, comportem-se e não abram a porta para estranhos - falou num tom autoritário, arrancando uma risadinha de Mirajane.

Uma gota surge na cabeça das garotas e uma veia salta na testa de Lisanna.

Lisanna: Fique quieto na sua, rosadinho - falou num tom de deboche retrucando a piada do mesmo.

Mirajane: Querido, elas estão carecas de tanto ouvirem as regras - resolveu entrar na brincadeira - E vocês duas, respeitem os pais de vocês. Pelo menos ele não foi comprar cigarro. Temos que ir, fiquem à vontade para usar qualquer coisa para preparar o almoço. Tenham um Bom Dia.

E assim os dois saíram, já no térreo Mirajane e Natsu andavam de mãos dadas com os dedos entrelaçados. Em frente ao prédio os dois pareciam conversar sobre algo mas pararqm ao ouvir um “Sai da frente”, em seguida uma garota que vinha correndo tromba neles derrubando Natsu no chão.

Mirajane: Natsu você está bem? - perguntou com certa raiva na voz.

Natsu: Acho que sim… - estranhou a reação da albina.

Mirajane: Então que tal parar de apalpar essa garota? - a albina já estava envolvida em uma aura flamejante.

Natsu: … - num salto o rosado sai daquela situação e se desculpa com a garota que prende a atenção dele por alguns instantes - Desculpe, mas eu te conheço?

???: NÃO, digo, acho que não… até mais - a passos apressados ela se distância deles.

Mas a tal garota acabou deixando uma albina muito furiosa.

Mirajane: Então você a conhece, né? - era visível que a albina não estava nem um pouco feliz com o ocorrido.

Natsu: … - ainda olhando o caminho da garota misteriosa - Acho que não e… - levou um choque de arrepios ao pôr seu olhar sobre a albina, vendo a expressão fria da mesma - Mira…?

Mirajane: Mh mmmmmhr…

Natsu: Eh?

Mirajane: Não vou perder!!! - surpreende o garoto quando ela afunda a rosto do mesmo em seus seios.

Natsu tenta a todo custo se afastar, pois o ar se fazia necessário, mas ele desistiu da ideia quando a própria Mirajane se separa e com 3 palavrinhas derrete o rosado e finaliza o mesmo com um longo e caloroso beijo.

Eu: Me lembrou MK…

Os dois voltam a andar e logo a albina já se via no Hospital, na entrada ela foi parada por uma rosada bem preocupada.

Áries: Ei Mirajane, tem planos para o almoço? - perguntou furtivamente, como se estivesse fugindo.

Mirajane: Eu não, por quê? - respondeu com um sorriso bobo no rosto.

Áries: Eu tô precisan-... Você está bem? - arqueou uma das sobrancelhas ao encarar a albina.

Mirajane: Estou sim, obrigada. Você dizia?

Áries: Sim, venha almoçar comigo, você pode gostar. E para de ficar viajando, esse seu sorriso me dá arrepios.

Assim o turno da manhã foi passando e como de costume foi bem tranquilo. Não tinha complicações nos pacientes da manhã e nem ocorrências novas.

Chegada a hora do almoço Mirajane seguia Áries por uma rua quase deserta. Não era um bom lugar para um piquenique. Um lugar naquela rua chamava atenção. Talvez seja o nome ou a placa de neon ou quem sabe a luz azul que piscava sem parar na porta.

Mirajane: Áries, você não errou o caminho?

Áries: Não, é aqui mesmo. Entre, logo vai começar.

As duas entram, Mirajane estava relutante, mas entra depois de alguns minutos. Áries insistia que o lugar era um restaurante mas o lugar tinha uma aura de perversão, muitas garotas usando biquínis pequenos, alguns homens de tanguinha e ambos serviam as mesas. A luz era bem fraca, o barulho não incomodava uma conversação.

Áries: Então Mirajane… Você tem experiência?

Mirajane: *COF COF* O quê? Como assim?

Áries: Meu namorado, ele se focou muito no trabalho, isso não é ruim, mas me sinto sozinha, parece que ele se esqueceu de mim. Não quero fazer ele escolher entre eu e o trabalho mas ele não dorme direito, não come, não faz nada. O que eu faço?

Mirajane: Ah... Essa experiência... - pensou aliviada - Converse com ele, não sobre o trabalho, leve-o para espairecer, mudar os ares, é sempre bom.

Áries: Tem certeza disso?

Mirajane: Não, porque não conheço ele, mas é o mais normal a se fazer, eu acho.

Áries: Ei, se você quiser um namorado tem muitos caras solteiros aqui - abriu um pequeno sorriso.

Mirajane: Eu passo…

Áries: Eu insisto… - fez sinal para um garçom ali perto - Eu gostaria disso aqui - aponta para um item do que parecia ser um cardápio - E você Mira?

Ao ouvir a pronúncia “Mira” o Garçom que estava com uma roupa de mordomo e uma máscara, gelou, deixando cair a caneta e o bloco de notas, nisso a albina passou a encará-lo. Com um jeito desajeitado ele pega as coisas que caíram no chão, se desculpa e tenta manter uma postura firme.

Garçom: E-Então… A Senhorita gos-gostaria da opção 3? - com uma voz um tanto trêmula ele aponta para um prato do cardápio.

Mirajane: Aceito sim… Obrigada.

Assim ele se retira do local.

Mirajane: Conheço esse garçom…

Áries: O quê? Ele parece meio frouxo, nada contra o jeito dele, afinal não o conheço, mas você namoraria ele?

Mirajane: Então, acredito que por não conhecer ele você não deveria fazer tais julgamentos…

Áries: Claro. Longe de mim fazer julgamentos tão precipitados, mas como você disse o conhecer, achei que você teria uma resposta concreta sobre um relacionamento com o mesmo. Foi mais uma curiosidade…

Mirajane: Oh desculpe, não quis causar essa impressão, e sobre sua pergunta-

Garçom: Aqui está o pedido que fizeram. Peço perdão pela demora e aproveitem. Gostariam de já pedir a bebida?

Áries: Sim, quero esse suco de limão rosa.

Mirajane: O mesmo…

Logo ele aparece com um bandeja e dois copos  nela. Assim ele se retira mais uma vez. Mirajane e Áries comem e logo pedem a conta. Já no lado de fora as duas voltando para o hospital, esbarram com uma vista, infelizmente bem comum. Um par de homens pareciam assediar uma garota. Esses dois homens prendem uma garota na parede, a garota estava trajada com vestes pretas, um grande e belo chapéu e a leve brisa fazia balançar longos cabelos ruivos. Os homens tinham um físico bem parrudo e tinham um sorriso medonho em seus rostos. Ambos pareciam convictos e certos de que teriam algo de bom.

???: Darei uma última chance de recuarem, um último aviso pra vocês que não tem experiência…

Homem 1: Você parece bom convencida, isso me irrita, mas tem um corpinho maneiro,vou te levar pro meu barraco pra eu brincar um pouco.

???: Tá bom, você pediu - ela avança alguns passos, ficando bem na frente do homem, ela forma um punho com a mão direita e prepara um soco, e golpeia o primeiro homem no peito.

O soco não pareceu forte o suficiente mas fez o homem cair desacordado no chão.

Homem 2: Sua Vadia, o que você fez? - sacou uma pistola e com as mãos tremendo mirou na direção da ruiva.

???: Apenas o amor me move. Se não me conhece, não tem meu amor. Sem meu amor, você não é nada pra mim. Quer ser algo pra mim? Me conheça. Me deixe te conhecer e acima de tudo… Não se deixe ser distraído por uma frase boba… - ao terminar a frase, ela já tinha se aproximado do homem, sem o mesmo perceber, com um chute ela o desarma e com outro chute ela faz o mesmo voar até algumas latas de lixo, que estavam por ali,o desacordando.

Mirajane reconheceu de longe mas Áries se surpreendeu com os movimentos da ruiva. Mirajane seguiu seu caminho para o hospital, Áries logo seguiu para o hospital também, com um pequeno atraso por conta da cena que presenciou. “Aquilo foi incrível” e “Parecia até filme” eram as únicas coisas que passavam pela sua cabeça no momento.

O restante do dia para Mirajane foi normal. Ela terminou seu turno e foi pra casa,chegando no apartamento percebeu não ter a presença de ninguém, na mesa de centro da sala de estar tinha um recado.


Recado: Obrigada pela hospitalidade. Eu vou embora essa noite portanto não deixa a “Florzinha”  te tocar. Conversei com a Lucy e ela não tinha nenhuma má intenção. Ficamos amigas bem rápido. Ela também pediu desculpas. Em geral estarmos bem.

Ass: Lisanna


Mirajane: Ok. Agora é só eu encontrar o Garçom no curso e teremos uma conversinha.


Notas Finais


Espero que tenha compensado...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...