História Amor ou Ódio? - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jang Doyoon, Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Punch (Samuel), Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Hansol, Romance, Scoups, Seungcheol, Seventeen, Vernon
Visualizações 290
Palavras 2.760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - Agora só podia ser realidade


Fanfic / Fanfiction Amor ou Ódio? - Capítulo 28 - Agora só podia ser realidade


 Ao chegarmos em casa, vimos Doyoon no sofá.

- Mano, Jessie vai jantar aqui tá.

Ele se levantou, vindo até nós: - Tudo bem, sem problemas - ele foi até ela e a cumprimentou com um abraço - Oi, faz tempo que não te via, como está?


Ela sorriu, aquele sorriso não me parecia muito suspeito, espero que ela não desenvolva um crush pelo meu irmão, porque né.

- Está tudo bem... e pois é... desde que você foi pra faculdade não tem voltado com tanta frequência pra cá né. Mas a última vez acho que foi logo quando inauguramos a piscina de vocês.

- Nossa... então faz uns dois anos, saudades daquele dia. Mas enfim, agora eu voltei, já que nosso pai não está aqui, vou ajudar a tomar conta dessa baixinha - ele me puxou pra um abraço e bagunçou meu cabelo. 

-  Doyoonnie!! Para com isso - sorri - Ei... Espera... Você não ia ficar só duas semanas? Como assim voltou?

- Segunda ou terça já estou voltando para faculdade, mas ano que vem eu termino e volto pra cá.

- A ta... já tinha ficado com esperanças que você voltasse esse ano. Mas enfim... se puder não mencionar mais nosso pai, agradeço, não quero lembrar daquele ser e Jessie não precisa saber o quanto nossa família é problemática.

Ele veio mais perto e beijou minha testa: - Desculpa meu amor... e achei que Jessie já soubesse das histórias.

- Bem... Ela sabe, porque né, como você acha que eu passei esses quatro anos sem você?

- Faz sentido - ele riu - Mas imaginei que tivesse mais alguém também, tipo o...

Eu o interrompi: - Não, foi só a Jessie mesmo. 

Ele me olhou meio confuso: - Tudo bem... vou deixar vocês agora... tenho que, você sabe, não fazer nada e tal enquanto eu ainda posso.

- Idiota - ri - Ok... Nós vamos subir.

      

 > Em meu quarto


Jessie: - De quem ele tava falando quando você interrompeu?

- Eu não sei...

- Não sabe mesmo ou não quer falar?

- Devia ser o Vernon... Quando ele saiu ainda éramos amigos.

- Mas ele não sabe do que aconteceu?

- Não sei... acho que ele sabe que nos afastamos um pouco, mas não deve saber de tudo, senão provavelmente teria batido no Vernon.

- Você acha mesmo que ele faria isso?

- Óbvio que sim, meu irmão é um amor... até mexer comigo ou com o Samuel, aí ele fica digamos que meio agressivo.

Ela riu: - Entendo... acho muito fofo isso, o jeito que seu irmão fala contigo também, te chamando de amor e de irmãzinha... eu queria um irmão assim as vezes.

- Ah você tem o Mingyu, é tipo um irmão.

- Mas não é a mesma coisa... a gente é como você e o Vernon eram, você sabe que não é igual.

- Tá, tenho que concordar... Vernon... esse nome já devia ter parado de me perturbar.

- Você ainda pensa nele?

- Infelizmente.

- Mas em que sentido?

- Amizade... a amizade que a gente tinha... eu ainda amo o Coups, isso não vai mudar tão cedo.

- Coitado, deixando o menino na friendzone. 

- O Vernon? Da onde você tirou isso? Ele não gosta de mim, muito menos desse jeito.

- Eu não sei se você finge ou se não vê mesmo. Por que você acha que ele fica indo atrás de você? Por que você acha que ele te beijou aquele dia? Ele está tentando voltar atrás... não que eu concorde com o que ele tenha feito... mas parece que ele está tentando. 

- Talvez ele só esteja assim agora justamente porque me beijou, ele deve estar se sentindo mal pelo que fez com o Coups...

- Ah não adianta mesmo hein, você sabe o quanto aquele bosta me irrita, se eu estou falando que ele está tentando, é porque ele deve estar mesmo né.

- Está bem... mas ainda acho que não tem nada a ver... melhor mudarmos de assunto, não gosto de falar no Vernon.

- Tentando fugir da verdade né... tudo bem - ela riu - Mas enfim, seu irmão está bonito né.

- Quer pegar meu irmão agora?

- Olha... talvez, se você não se importasse, claro.

- Ai Jessie, o que que eu faço contigo? Sério...

 - Você tem muito ciúmes dele, devia parar com isso...

Olhei pra ela com uma cara de cu.

- Tá bom tá bom, foi mal.

- É que assim, iria ficar bem estranho pra mim se algo a mais acontecesse sabe, já pensou se vocês namoram, se brigassem, você iria falar mal dele pra mim e ele iria falar mal de ti pra mim, não ia ser muito legal né.

- Faz bastante sentido... mas só um beijo não dá nada.

- Jessie!

- Tá tá, podemos mudar de assunto de novo.

Dei risada: - Acho melhor.

Ficamos conversando várias horas, fazia tempo que ela não vinha aqui. Descemos apenas para o jantar, que meu irmão pra variar pediu pizza né. Eu não sei se foi impressão minha, mas meio que notei meu irmão flertando com a Jessie. Flertando, quem usa isso ainda, pareci minha vó, mas tudo bem, deu pra entender. Confesso que fiquei com um pouco de ciúmes sim, tipo, meu irmão e minha melhor amiga, ao meu ver, não dá muito certo. Mas caso aconteça, não posso impedir nada né.
 Enfim, mais ao fim da noite, Jessie foi embora.

Doyoon ainda estava na cozinha então fui até ele.
- Maninho, para de dar em cima da Jessie, está chato pra mim, valeu - e saí da cozinha, sim, era pra ser só um recadinho rápido mesmo.

Ele gritou: - SYONI! VOLTA AQUI AGORA!

- Sim?

- Que que foi isso?

- Isso o que?

- Fala sério, mana.

- Tá, foi só um recado básico.

- Posso saber da onde você tirou essa?

- Talvez estivesse bem na cara.

- Sério? Eu não consegui disfarçar?

- Doyoon!! - falei, olhando-o irritada - mas não, não mesmo.

Ele riu, apertando minhas bochechas e falando com uma voz bem retardada: - A minha lindinha está com ciúmes do irmãozinho, aw que fofinha, mas não precisa se preocupar não tá bom fofa - ele terminou dando uns tapinhas no topo da minha cabeça.

- Eu vou te matar depois disso ainda, só me espera.

Ele me abraçou pelo ombro: - Isso me preocupa um pouco, confesso - ele riu - Mas é sério, não precisa ter ciúmes de mim... se você soubesse o que eu faço na faculdade ou fazia quando tinha sua idade...

Olhei pra ele com cara de nojo: - Primeiramente, você parece um idoso falando "quando tinha sua idade" e segundo, eu não quero saber, não tenho definitivamente nenhum interesse nisso... Como você consegue ser tão amor mas ao mesmo tempo tão babaca,  é inacreditável.

Ele deu risada: - Porque você é minha irmãzinha, simples, não tem motivo pra eu ser babaca contigo. Você é uma das 3 pessoas que eu mais amo nessa vida. Viu, sou um amor.

- Eu ainda estou com nojo.

- Ah não vem com essa de santinha comigo não mana, que você e o Coups... já né. Ou você acha que eu não sei que vocês estavam transando aquele dia?

- Doyoon!

- O que foi? Nem venha com "Você está me deixando com vergonha".

- Tá bom, tá bom - ri - mas ah cara, não deu nem pra disfarçar? Nem um pouquinho? Estava tão na cara assim?

- Você estava só de camiseta, sem sutiã e toda suada. Enquanto ele estava na porta do teu banheiro vestindo a camiseta e também estava todo suado. Você achou mesmo que eu não ia notar? Como se eu nunca tivesse feito isso também... - ele riu.

- Acho que aquele foi um dos momentos em que eu senti mais vergonha em toda a minha vida, é sério, eu queria me esconder. E a culpa é toda sua por chegar sem avisar.

- Eu imagino como você possa ter se sentido, não deve ser legal você estar lá no meio do negócio e teu irmão abrir a porta. Desculpa mana por você sabe, estragar o momento - ele riu - Mas é que eu queria fazer uma surpresa pra minha irmãzinha, nunca que eu ia imaginar que você estaria com um cara no quarto, né.

- Realmente não é nada agradável, pode ter certeza disso. Eu não acredito que eu estou falando sobre isso com você... sério mesmo.

- Você deveria agradecer por ter um irmão assim, qualquer outro provavelmente iria te matar depois daquilo.

- Faz bastante sentido até... e não é tão ruim, tipo, é bom saber que eu tenho alguém pra conversar e me ajudar mesmo que seja sobre isso.

- Estarei sempre aqui pra ti!

- Ah como você é fofo - abracei ele apertado - Sério, não entendo como você pode ser tão babaca em relação às outras gurias e tal.

- Eu não sou babaca... só porque eu "pego geral" não significa que eu seja babaca.

- Só por você falar que "pega geral" já te torna babaca.

- Sério?  Ah mas eu não sou, não acho que eu já tenha feito mal pra alguém. Você me conhece, você sabe que eu não sou de tratar os outros mal. Eu nunca desrespeitaria alguma garota ou faria algo que ela não quisesse.

- Eu sei irmãozinho, só estou brincando, você é um amor, a garota que namorar contigo terá muita sorte. Mas eu tenho que gostar dela, senão não vai rolar, e é bom que ela seja simpática comigo.

- Ok... tudo bem, você acha mesmo que eu iria namorar alguém que não gostasse de você? - ele apertou minhas bochechas - ninguém mexe com a minha irmãzinha.

- Tem como você se bater ou algo do tipo? Porque a única pessoa que está me incomodando agora é você. Para de apertar minhas bochechas!

- Não reclamava disso quando era menor.

- Eu tinha 8 anos, Doyoon. - disse com uma cara séria.

- Ai tá, desculpa.

- Idiota... mas voltando ao assunto inicial, você estava dando em cima da Jessie, não estava?

- Merda, pensei que tinha esquecido... Ela está bonita cara, a culpa não é minha... eu até ficaria com ela, mas sei lá, ela é sua melhor amiga, ficaria um pouco estranho, eu iria ver ela muito seguido, não costumo ver de novo as garotas que eu pego, a não ser que seja pra né...

- Como eu disse: B.A.B.A.C.A.... depois dessa eu vou subir, boa noite.

- Ah SyoNi... foi mal, não fica puta com seu irmão não... ele vai embora essa semana, lembra?

- Chantagem emocional não funciona, pode parar, e pare de usar terceira pessoa se estiver falando de si mesmo, SyoNi agradece.

- Chata como sempre - Eu já estava na metade da escada, ele veio correndo e me abraçou, quase me derrubando - Não está braba com seu irmão né?

- Não estou, idiota, mas se puder não me derrubar, eu agradeço.

- Tá bom mamãe.

- Gente, mas você está retardado hoje né, o que que te deu?

- Sei lá.. estou muito feliz, mas ao mesmo tempo triste por ter que voltar pra faculdade... vou sentir sua falta maninha.

- Também vou, Yoonnie.

Passei o fim de semana todo com meus irmãos, já que Doyoon teria que ir embora e provavelmente voltaria só no fim do ano ou no próximo. Foi um dos melhores fins de semana da minha vida, até que né, chegou domingo a noite e eu tive que me preparar pra segunda-feira, ir pra escola, voltar pra realidade... será que o Coups tá com aquela garota aleatória?
Eu realmente espero que não... ah que merda. Só queria que esse fim de semana durasse pra sempre...

     

> Segunda de manhã


Cheguei na escola, tudo a mesma bosta como sempre. Estava andando pelo corredor pra ir pra sala, ainda não tinha visto o Coups. Até que notei que ele estava conversando com a mesma garota de semana passada... não podia ser verdade, eles estavam mesmo juntos então?
Estava tudo normal, os dois estavam conversando, ela se esfregando nele de um jeito bem exagerado, até que ele fala algo no ouvido dela e ela começa a gritar.

- Eu não acredito Coups, mesmo depois de tudo, você vai ser assim comigo?

- Eu estou tentando ser o mais calmo possível, Hannah, mas se você não quiser colaborar, eu também sei gritar, eu já falei que eu não quero você, sai de perto de mim de uma vez, eu não aguento mais você.

- Vai ser assim então... pode esperar Coups, volta lá pra sua nerdzinha escrota. - ela falou em um tom (tentando parecer) ameaçador.

- Não coloca ela no meio... até porque - ele puxou ela pra perto falando algo em seu ouvido, logo em seguida ela saiu chorando pra não sei aonde.

Queria muito saber o que ele havia falado pra ela, mas não consegui ouvir.
Eu estou um pouco feliz por isso, tá, talvez eu esteja muito feliz, significa que o Coups não quis ela. Espera, Hannah? Não é a ex-namorada problemática dele? Não foi ela que me mandou um bilhete dizendo pra eu ficar longe do Coups já que ele era dela?... bom, pelo menos não tenho que me preocupar mais com ela, pelo visto ele quer distância dela... o que não me ajuda muito, já que ele também não me quer mais. Mesmo assim, é bom saber que ele não está com ninguém, talvez eu esteja sendo egoísta, mas não posso mentir e dizer que ficaria bem se ele namorasse com outra pessoa.

Passei as próximas aulas pensando no que ele poderia ter dito pra ela pra que ela saísse daquele jeito, tudo bem que ela parece meio obcecada com ele, então tenho a impressão que qualquer coisa a faria sair daquele jeito.

Já era hora do intervalo, e como sempre, eu estava com a Jessie.
Do nada alguém me chamou, não reconheci a voz de quem era.

- Oi... SyoNi, não é?

Me virei e olhei um pouco espantada... não lembro de ter falado sobre esse meu apelido pra ele, aliás, não lembro de ter falado com Joshua alguma vez na minha vida.
- Sim... sou eu.

- Aqui - ele me entregou um envelope - Coups pediu pra te entregar isso.

- É... obrigada Joshua - achei aquilo bem estranho, porque Coups mesmo não veio falar comigo?

- Por nada - ele saiu.

Olhei pra Jessie com uma cara de quem estava achando aquilo muito estranho: - O que foi isso?

Jessie: - Você que me diga... Joshua vindo te entregar uma carta do Coups? Deve ter sido ideia dele, Joshua parece ser do tipo fofo, romântico... e ainda consegue ser tão lindo.

- Ai Jessie... Você e os seus crushes.


- Ah mas é verdade... enfim, o que diz a carta?

" Oi SyoNi... não nos falamos há alguns dias já, mas queria pedir se poderia vir me encontrar no terraço hoje às 7 da noite, queria conversar com você, é algo de certa forma importante...

                                             Beijos, Coups
"

- Ele quer me ver hoje a noite!?

- Vai amiga, não perde essa chance.. e ele ainda escreveu 'beijos' no fim, parece ser algo bom.

- É acho que sim... espero que seja...

Tínhamos aula a tarde, então apenas fiquei esperando na escola até as 7 para ir ao terraço.
Eu estava muito ansiosa, Coups queria falar comigo, isso deve ser algo bom né.

Quando eu cheguei lá, apenas tinha várias velas que formavam um coração. Achei aquilo muito fofo. De repente Coups chegou e ele estava com umas flores na mão. Eu não fazia a mínima ideia do que estava acontecendo. Ele se posicionou no meio do coração, e então me chamou para ir até lá, ele me entregou as flores, que eu obviamente aceitei, logo em seguida me deu um abraço. Eu não podia estar mais feliz com aquilo, ele ainda não tinha dito nenhuma palavra, eu não sabia se aquilo era fruto da minha imaginação ou se era verdade... mas mesmo se fosse um sonho, eu não queria acordar.

- Coups...

Ele fez sinal de silêncio com o dedo, então pegou meu rosto e me beijou de uma forma delicada e lenta. Aquilo me trouxe uma sensação indescritível, mas ao menos agora eu sabia que não era minha imaginação.
Ele parou o beijo e me olhou nos olhos, estava pronto pra falar alguma coisa. 


Notas Finais


Voltei❤

Eu sei que a história é mais focada na SyoNi com o Vernon e o Coups. Mas eu gosto também de escrever sobre os outros personagens. Então espero que vocês gostem, ou ao menos não se importem muito com isso.
Obrigada por acompanharem😊❤❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...