História Amor para recomeçar. - Capítulo 95


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Argo Filch, Arthur Weasley, Fílio Flitwick, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lílian Evans, Lord Voldemort, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Murta Que Geme, Personagens Originais, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Hermione Granger, Severo Snape
Visualizações 68
Palavras 1.445
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Luna Lovegood e Carlos Weasley♥♥♥♥
Gente, estou muito feliz por estar recebendo comentários maravilhosos!
Nossa, eu nem sei expressar, a alegria que é escrever algo, que é realmente especial para mim, e ter junto dessa experiência, contato com vocês♥
Obrigada!

Capítulo 95 - Novas perspectivas


Fanfic / Fanfiction Amor para recomeçar. - Capítulo 95 - Novas perspectivas

POV Heleanor Campbell



Saiu de sua lareira rindo, se abraçando, se sentindo plena. Olhou o ambiente a sua volta. TV ligada, travesseiros espalhados, uma mamadeira jogada no canto vazia, um cobertor cobrindo duas figuras. Lili estava de lado, seus cabelos bagunçados e em um sono tranquilo.As mãos de Carlos estavam sobre sua bunda gorducha pela fralda, os cabelos ruivos dele longos, jogados no travesseiro. Ele era lindo. A visão era linda e reconfortante. Sorri e me permiti admirar, me sentando observando. Era até uma pena acordar ele. Me deitei ao lado de Lili, no tapete, desligou a tv. Dormiu com um sorriso torto nos lábios de contentamento. 



POV Carlos Weasley



Abriu os olhos e viu o teto. Havia dormido na casa de Hele. Respirei fundo e limpei meus olhos. Sentei passando a mão nos meus cabelos, buscando alguém. Nada de Lilian. Não me preocupei, pois na caixa do som da cozinha, tocava uma música suave, arpas e uma flauta doce. Heleanor. Era ela quem ouvia isso. Sorri. Fui até a cozinha e vi uma Lili feliz com a elfa Dedie, que poderia não gostar de adultos, mas crianças, adorava. E vi ela.

Estava com varinha na mão e fazia café. Panelas se movimentavam sozinhas, fazendo ovos, panquecas e bacon. Ao lado dela, na bancada ,havia uma fruteira. Me servi de uma maçã e sentei no balcão, rindo para ela.

- Bom dia! - Dei, sorrindo de orelha a orelha. 

- Bom dia! - Ela riu docemente. Fez alguns gestos com a varinha e me deu um abraço forte, ficando no meio das minhas pernas . Aquela maldita sensação, que já sabia, que iria permanecer eternamente me preencheu, fazendo querer arrancar cada parte da roupa dela e mostrar o que esses toques eram capazes de fazer, e sabia, ri mentalmente, que se tentasse, ela não seria capaz de dizer não. Afastei esse pensamento idiota, e sorri, me afastando. - Obrigada por ontem. 

- Nada de agradecimentos. Só pare com a palhaçada ok?-Ela me deu um copo de chocolate quente. 

- Feito!  

Olhamos Lili fazer algumas caretas, a elfa ao lado tricotando, um elefante rosa andava ao lado dela, fazendo a menina tentar a todo custo pegar a pelúcia. Observamos em silêncio e acabei dizendo, bem emotivo. 

- Ela é linda! Obrigado pela confiança. Amo vocês duas.-Puxei sua cintura de forma carinhosa e beijei sua testa. 

***

 

9 de Janeiro de 2001



A data do casamento de Heleanor e Snape não podia ser mais sentimental. Aniversário do morcego. Seria uma cerimônia mais do que simples, para poucas pessoas. Severo havia deixado bem claro sua aversão a qualquer tipo de exageros, falou com sua tradicional carranca de bom humor que cativava a todos. 

Minha mãe e McGonagall, definitivamente haviam virado avós supremas de todas as crianças. Tedd, com 3 anos, Victória, com 8 meses e Lilian, com 4 meses. Um grupo e tanto, essa Hogwarts iria pegar um bom trio, e ainda tinha o pequeno Al, que estava bem na barriga de Gina, que estava com 4 meses de gestação. 

Estava sentado na sala do senhor Lovegood, aguardando Luna. Segurava um pequeno e simples buque nas mãos. Havia acabado de falar com Xenofilio, que acabava de se arrumar, com um terno azul celeste. 

Logo ela desceu. E pela primeira vez, não estava esquisita. Achei estranho a mudança, o que me deixou curioso. Ela estava normal.Me aproximei, enlaçando sua cintura e dando um beijo demorado nela, a fazendo sorrir. Dei o buque e vi seus olhos brilharem. 

- Flores! - Ela aproximou de seu nariz e cheirou. - Obrigada! Mas elas ficariam melhor na natureza para podermos admirar. Assim, elas irão murchar. - Mantive uma gargalhada exagerada por um bom tempo. 

- Definitivamente, você é única mulher! - Ela deu de ombros rindo da minha reação. - Mas me diga. Cadê seus vestidos com flores chamativas?-Ela se encolheu um pouco. 

- Não gostou? - Ao ser questionado, parei e analisei atentamente. Usava um vestido vermelho lindo, de fato, mas não era ela. 

- Não é você. - Ganhei um abraço apertado e não entendi nada. 

- Obrigada! Eu pensei, em ficar mais bonita.-Ela não parecia ofendida em admitir, na verdade ela estava feliz por eu ter dito sinceramente, que aquele visual não era ela.

- Então suba, coloque seus vestidos de cores gritantes, que eu quero a minha Luna Lovegood aqui! - Ela sorriu. - Não posso entrar com você assim. Não aceito uma namorada sem flores coloridas. - Ela parou de rir, assim que disse a palavra namorada

- Namorada? - Ela repetiu.

- Isso... acho que estou envolvido o suficiente para assumir algo. Ir com calma, mas com uma relação definida. Se você quiser, claro. - Ela se jogou no meu colo, erguendo as pernas, e passando em volta da minha cintura. Rodopiei ela, me sentindo leve e feliz. 

-Eu quero! - Dei um beijo mais aprofundado, e ela subiu rápido. - Vou trocar de roupa!  

- Vai meu amor, acabe com essas meninas sem graça e criatividade! - Ela gritou do topo da escada. 

- Não seja cruel Weasley! - E sumiu me fazendo rir, e pensar, que talvez estivesse começando a se apaixonar, pela menina estranha e cativante, que trazia luz a todo lugar que ia.



POV Narcisa Malfoy


A cerimônia seria tradicional, e pela primeira vez,  retornaria a mansão, onde um dia, teria sido minha casa. Usamos uma chave de portal,  que havia sido criada,  especialmente para a data.Todo mundo bruxo sabia do casamento,  pois Severo Snape e Heleanor Campbell eram pessoas conhecidas. Ela como eu, veio de uma família tradicional e rica, que pregava puro sangue e cheias de contos macabros sobre violência e perseguição. 

O local onde seria consagrado o casamento, já havia sido purificado com sal, com água e ,mais um incenso para purificar ,era espalhado por uma bruxa velha , o cheiro de  sálvia me fez lembrar dos meus próprios votos com Lúcio.  No altar tinham duas velas brancas, um prato com terra, incensório, uma vareta, sino de altar, cálice com água, um cristal de quartzo, uma xícara de óleo de rosas para a consagração, par de alianças e duas cordas brancas para união das mãos. Perto do altar, tinha uma  vassoura de palha ,que seria usada no final da cerimônia para a realização do tradicional Pulo da Vassoura. Um belo athame cerimonial estava na mão da bruxa, traçando um circulo onde os noivos deverão ficar. Após a saudação de todos os convidados e abençoados com incenso ,o sino iria tocar para que ,a cerimônia tenha inicio. Os noivos ficam dentro do circulo e os convidados em torno deste, de mãos dadas devem formar uma corrente.

Lembrava como se fosse hoje. Suspirou perdida em lembranças. Em uma vida que não era mais sua, um jardim que tanto cuidou. Isso era passado, era uma nova pessoa. Lúcio quis ir nessa loucura e quase acabou com a vida de Draco. Olhei para os poucos convidados que já tinham chego, muitos ali eram mestiços.Até que não era tão ruim. Draco logo foi atrás de Dayne, estava obcecado na garota. Pelo menos, ela era melhor que Pansy. 

Me direcionei a uma mesa onde tinha meu nome,de McGonagall, Kingsley , Slughron e Flitwick. Sentei e fui servida magicamente pelo copo em cima da mesa. Fui interrompida por uma mão forte pousando em meu ombro. Kingsley. 

- Senhora Malfoy. - Tive minhas mãos beijadas, e notei o homem,  reparando em cada detalhe de seu rosto. 

- Malfoy...esse nome...- Ri vazia para ele, que percebeu. 

- Senhora Black então? - Ele se sentou,  ao meu lado. 

- Um sobrenome igualmente odiado. - Kingsley passou os olhos pelas pessoas que chegavam tímidas. Poucos foram convidados. 

- É só um nome Narcisa. 

- As pessoas não vêem assim...

- Transforme então esse nome,  que seu filho agora carrega, em algo bom.

-Estou tentando verdadeiramente Ministro. - Seus olhos cruzaram com os meus, e vi uma grande curiosidade dele por mim.

- Kingsley.Por favor...- Desviei os olhos dele me sentindo levemente corar. Anos e mais anos que não sabia o que era ser permitida ser apreciada,  até mesmo flertar. Kingsley notou. -Depois da cerimônia, me permitiria uma dança?  - Respondi sem olhar para ele.

- Dançar com uma ex Comensal? 

- Minha afilhada anda me convencendo que, os ex Comensais,  podem ter jeito. - Ainda não conseguia olhar ele, mas sorri. - Veja Severo? Quem diria que seria tão bom pai? - Olhei para ele meio aborrecida pelo comentário. 

- Severo sempre teve jeito para crianças. O senhor não o conhecia bem...Tanto que é padrinho do meu filho. -Ele sorriu satisfeito. 

- Realmente, não o conhecia bem...mas então, dançará comigo? - Dei atenção ao meu copo, e disse encarando ele. 

- Será um prazer. 





Notas Finais


Eeeeeeee
Cissa e Kingsley
Arrumei um homão da porra também para ela.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...