1. Spirit Fanfics >
  2. Amor Platônico. (versão Siyeon) >
  3. Fudeu

História Amor Platônico. (versão Siyeon) - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Sy - Foto do meu amor pra chamar atenção.

Capítulo 12 - Fudeu


Fanfic / Fanfiction Amor Platônico. (versão Siyeon) - Capítulo 12 - Fudeu


CONTINUAÇÃO DO ANIVERSÁRIO.

Pois é, ela havia gozado na minha boca, após alguns arfares ja que minha namorada não é de gemer. Subi beijando o corpo dela enquanto a mesma olhava pro teto.

- Você acha que um dia irá parar de me odiar e passar a me amar da mesma forma que te amo?

Como ela não respondeu eu subi, ficando em posição de flexão em cima dela, me abaixo e sussurro em seu ouvido.

 - Onde você está?

Ela meio que se assusta e me olha.

J - Aqui ora.

 - Não, você está longe... não respondeu minha pergunta, por isso subi.

J - Que pergunta?

"Aish"

 - Não importa mais... não mais.

Suspiro e sento na cama de costas pra ela, me inclino pra frente e suspiro.

"Ela não escutou, será que é um sinal pra desistir?"

Estava quieta quando senti ela sentar atrás de mim, acariciou minha costa e eu arrepiei com o toque dela.

"Quem diria Siyeon, apaixonada por uma nerd que te odeia."

 Senti um beijo na nuca e logo depois ela sussurrando.

J - Qual pergunta?

- Não vem ao caso... eu vou ligar a luz.

J- NÃO.... Não.

Ela me puxa e eu caio por cima das pernas dela, sorrio e me ajeito, ela se inclina e me da um selinho.

J - Eu te odeio.

 - Não parece...

J- Mas odeio, de todas as formas... desde o ser horrivel ao ser mais fofo, eu odeio até quando me faz gostar de você.

"Uuuhm então gosta de mim"

 - Então eu também te odeio.

J- Obrigada.

Ela respira aliviada, e eu sorrio acariciando a mão dela, a mesma me faz cafuné.

J- Qual era a pergunta?

- Se eu podia continuar.

"Melhor mentir"

J- Não deveria nem ter começado a primeira.

 - Hehehe...mas bem que você gostou.

J - É preciso ser doente mental pra não gostar de oral.

- Tem razão... vai me fazer dormir?

J - Não, vai ficar acordada também, como castigo.

- já que não vamos mais fazer aquilo, e aparentemente não posso ligar a luz pra procurar nossas roupas, vamos fazer o que?

J - Conversar.

 - Okay... meu appa perguntou por você, reclamou que não foi mais em casa.

J- Desde aquele beijo na frente deles eu não tenho mais coragem pra pisar ali.

 - Omma não gostou, mas ela é louca pela Gahyeon e a caçulinha fica perturbando falando de você, vamos dizer que até minha mãe pergunta por você, de uma maneira estranha mas pergunta.

J - Tipo como?

 - Tipo... "Ainda namora aquela garota?"  ou  "vai buscar aquela garota no trabalho?"   ou " aquela garota abusada disse quando vem aqui?"....essas coisas.

Ela sorri e me olha.

- Deita direito na cama.

Levanto e deito direto na cama, ela levanta enrolada no lençol e vai pro banheiro, fecha a porta e vai tomar banho... levanto e ligo a luz, me visto e depois me sento na cama.

"Nossa que sono"

J- Achei que tava dormindo sua praga.

 - Não consigo.

Olho e vejo ela enrolada na toalha, a mesma se aproxima e pega as roupas do chão e corre pro banheiro, depois volta, pega outro pijama no guarda roupa e me olha... suspira e vai pro banheiro, levanto e vou até minha mochila,  pego minha escova de dentes e coloco pasta, fico esperando ela sair.

J - achei que ia dormir assim

- não era uma má idéia, mas temos uma visita lá na sala

J - Temos?

 - Você é a dona da casa e eu sua namorada e responsável por duas das pirralhas lá fora, sim TEMOS.

Vou até ela e sorrio sapeca, roubo um selinho e vou pro banheiro, tava terminando quando ela entrou no banheiro pra colocar o lençol no cesto. Puxo ela e aponto pro espelho, assim que ela olha eu  abraço por trás e tiro o cell do bolso.

J - Aff...

- Hey, somos oficialmente um casal agora, só uma foto.

J - para com isso.

 - Relaxa e sorria.

Sorrio e beijo o rostinho dela, ela tenta sorri e eu tiro a foto, depois ela sai enquanto eu coloco como papel de parede. Vou pro quarto, coloco uma babylook e me deito na cama.

"Sono."

Assim que ela abre a porta eu levanto e vou com ela pra sala Gahyeon dormindo no colo da Yoo e a Handong encolhida perto da Dami, elas estavam assistindo filme de Torror, Yoo estava rindo da Handong junto com a Dami.

"Filha da puta, a Gahyeon tem medo."

 - Porque não me chamou?!

Falo em tom sério e vou lá pegar meu bebê, nem olho na cara da Yoohyeon pra não ficar mais brava... levo ela pro quarto da minha sogra e a Minji abre a porta pra mim, entro e coloco meu denguinho na cama, ela acorda e eu sorrio, cubro ela e beijo seu rostinho.

 - Tá confortável e quentinha?

G - Uhum.

- Quer um pouco de água, um leitinho quente?

G - Nhão...só mimi, boa noite unnie.

- Boa noite meu bebê.

Sorrimos e eu beijei a testa dela ,levantei e sai,mas no corredor a JiU me segurou. 

J - Não precisava ficar chateada com a Yoo.

 - Eu cheguei naquele estágio em que você sente raiva de amar demais, não me julgue por favor.

Ela suspira e assente, voltamos pra sala e a JiU senta do lado da Yoo, suspiro e vou limpar o chão. Depois vou jogar no lixo as latinhas, pego o vinho na geladeira e vou pro quarto,  sento no chão e coloco musicas que me lembram do Taemin,  suspiro e fecho os olhos lembrando das vezes que ele me deu forças. Após um tempo alguém toca a minha mão e eu abro os olhos, suspiro e tiro um dos lados.

J - Porque se isolou?

 - Não queria olhar pra Yoo.

J - Ela foi embora, vem...vamos pra sala com as meninas.

Assinto e levanto desligando o cell e jogando na cama, ela vai na frente de cabeça baixa e eu saio em seguida, ela senta no sofá livre e eu na poltrona.

D - Que tal o jogo da garrafa?

H - Nem pense.

 - Da ultima vez quase houve morte hehehe.

J - Que tal mudar esse filme, os efeitos especiais dele são horriveis.

D - Que tal um Yuri? no volume baixo é claro.

H - Eu voto sim.

D - Siyeon?

- Eu não vou votar, já tô encrencada demais com a dona da casa.

J - Pode colocar, eu gosto de Yuri.

Ela estende a mão me pedindo a garrafa e eu nego, então ela levanta e pega da minha mão,  depois bebe e eu fico olhando.

J- O que?

 - Você e eu só estamos tomando isso e está acabando.

H - É só comprar mais.

 - eu estou alcoolizada, não posso.

J - Tem um mercado aqui perto.

Ela faz sinal e eu concordo, levanto.

 - Vou buscar minha carteira.

Vou pro quarto com ela e troco de roupas, ela ficou olhando pro meu corpo novamente e depois foi terminar de se arrumar. Saimos do quarto e eu digo que vou com ela até o mercado, as meninas assentem e nós saimos, seguimos pro elevador e descemos.

J - Elas devem estar felizes

 - Contando que não acordem a Makenae tá ótimo.

J - Hey relaxa um pouco, você sempre está tensa e pensando negativo.

"Relaxar,  okay"

 - Desculpe.

Saimos do elevador e eu pego na mão dela, encaro o porteiro e saio com ela do prédio...começamos a caminhar e fomos pra uma pracinha e mais a frente ela apontou o mercado, resolvemos ir até a pracinha fazer hora, conversamos um pouco e ela me perguntou o motivo por eu ter repetido.

Sy - Foi uma época difícil, Gahyeon teve pneumonia e meus pais tinham contas pra pagar, eu faltava aula e ia trabalhar, juntei dinheiro e paguei o tratamento da minha irmã, Dami só não fez o mesmo porque eu ameaçava ela, meus pais passaram a brigar por causa das nossas notas baixas mas eles não entendiam que era porque não dormíamos direito e nem pensávamos em provas por preocupação com a menor... foi quando eu comecei a beber e dormir fora de casa, aluguei um carro e comecei a trabalhar com ele, eu tinha documentos falsos, graças aos deuses eu nunca fui pega,  quando completei a maior idade eu tirei minha carteira e comecei a trabalhar de forma correta... ajudei  Dami no colégio e sai de casa, eu passei 6 meses fora, Gahyeon já tinha melhorado mas com a minha ausência ela começou a se negar a tomar os remédios, foi quando eu voltei pra casa e expliquei minha opção sexual, meus vícios e tudo mais... eles deram sermão mas mandaram eu ficar pela Gahyeon, eu pedi pro meu pai ser meu fiador e comprei aquele carro, tentei terminar o colégio mas o trabalho não deixou, aí perdi mais um ano... agora este ano eu tô tentando terminar novamente.

J - Ficou com raiva?.... da Yoohyeon por ela ter te julgado?

 - Não... ela não sabia da minha familia, na verdade fora a minha família apenas você sabe.

J - E porque contou pra mim?

 - Porque eu estava me perdendo... e você me fez voltar.

J - Como assim?

- eu estava me tornando uma pessoa irresponsável, mas você entrou na vida das minhas irmãs e se tornou pra elas o que eu era no passado, isso me trouxe de volta, a irmã mais velha, responsável, companheira, super protetora.

J - Que bom que voltou.

- Eu fico feliz que as duas tenham você, elas são meus bens mais preciosos e quem beija minhas irmãs adoça minha boca.

J- Minha mãe fala isso de mim hehehe.

 - Acho que já deu tempo delas fazerem bastante coisa.

J- Concordo.

Levantamos e fomos até o mercado, compramos mais dois vinhos e mais uma dúzia de cervejas, alguns doces pra ela e salgadinhos,voltamos e fizemos bastante barulho pra abrir a porta, vimos que as duas não estavam ali, sorrimos e entramos em silêncio, seguimos pra cozinha e fomos colocar  as bebidas na geladeira, escutamos um gemido manhoso e sorrimos, balanço a cabeça em negativo e termino de guardar as cervejas, depois fui abrir o vinho.

Seguimos pra sala e começamos a tomar vinho, comendo salgadinhos e assistindo Dorama, ela se encosta no meu ombro, sorrio e a aconchego.

 - Hey... aquele nitendo ali funciona?

J- É claro...

Sy - Que tal um versus?

Ela levantou como uma bala e oi instalar, começamos a jogar Street Fighter e ela descobriu que sou ótima jogando de Bison, estavamos nos divertindo bastante, fazia muito tempo que eu não me sentia tão jovem.

 - Perdeu hehehe vai ter que beber de gute gute.

Ela Sorri e pega a garrafa de vinho, virou e tomou bastante, depois se arrepiou toda.

 - Quer mudar? que tal sonic?

J - Não... vamos dar uma pausa.

- Está se sentindo mal?

Olho pra ela preocupada.

J - Não.... eu só quero dar uma pausa e curtir minha namorada um pouco que tava tão carente hoje e eu ainda não sei porque.

Sorrio.

Sy - Não era nada, era só ciumes da visita que estava a atenção da minha namorada e da minha caçula de mim.

- Ownt.

Sorrio e empurro ela levemente, levanto e vou buscar o outro vinho, volto e me sento novamente ao lado dela, a mesma se aproxima, coloco a garrafa um pouco longe pra não bater e pego o controle, foi quando ela tirou da minha mão e veio sentar no meu colo, sorri acariciando  as coxas dela.

- Achou algo melhor pra fazermos?

J - Cala a boca antes que eu me arrependa.

 - Se não quer transar melhor nem me atiçar.

J - Não podemos simplesmente trocar beijos?

Sorrio e assinto.

Sy - É  claro que podemos.

H - Uyyy olha amor.

Olhamos pra direção da voz da Handong, vimos ela e Dami de mãos dadas, Handong usava o camisão da Dami e short, já Dami estava de shortinho e topper, elas sentaram no outro sofá e ficaram nos olhando.

D - Continuem.

"Nojentas"

 - Vocês limparam onde transaram?

D - Não, mas fica tranquila, o colchão do chão é nosso e vocês ficam na cama, assim ninguém ver nada se algo acontecer no meio da noite.

-Aprendeu bem. - sorri convencida

D - Com a melhor.

H - Estavam jogando?

- sim.

H - Estavam perdendo tempo com isso?

D - Amor, JiU é otaku, é assim que ela se excita kkkkk

Ela tenta levantar mas eu impesso, sussurro em seu ouvido.

Sy - Não vale a pena, vai lá por seu pijama, eu vou procurar um Yuri bom pra gente assistir.

Tiro meu pendrive que tava no colar e vou lá colocar na TV, tava escolhendo quando a Minji surgiu com o celular.

J - É a BoRa, quer falar com você. 

Dami revirou os olhos e JiU sentou no sofa, suspiro e vou falar com ela no quarto.

- o que você quer BoRa?

B - saber se meu amor está com saudades de mim.

- ta falando de quem? De mim, Da Dami ou da JiU?

B - Dami? Ficou maluca?

- Não da uma de fingida BoRa.

Ela suspira.

B - como descobriu.

- vi uma folha de diário, queimada mas li o suficiente. 

B - Eu não sabia que ela tava realmente gostando de mim, achei que era só pegação e pronto, Dami não parecia ser do tipo que se apaixona.

- Estamos no mesmo barco BoRa, erramos com pessoas por amar quem não merece.... eu te peço desculpas, perdão... te peço perdão de todo meu coração, por ter te usado, mas entenda que eu não sinto o mesmo por você e nunca vou sentir.

B - você nem se esforça.

- Porque somos diferentes SuA, não nos enquadramos uma na outra, desiste de mim, eu não sei a quanto tempo você alimenta esse sentimento por mim, mas desista, não se sinta rejeitada, você é uma boa garota, só precisa se amar, se encontrar primeiramente e criar juízo, desista de mim... eu nunca irei te amar, e te ver como algo a mais que a garota que eu destruí a vida.

B - Você não destruiu, realizou meu sonho de ser minha primeira vez. 

Suspiro.

- tenha uma boa noite BoRa.

Desligo e vou pra sala, dou o celular da JiU e volto pro quarto, tiro a baby look e mando mensagem pra Seulgi... depois vou pra sala, pego o vinho e me sentou no sofá, JiU senta entre as minhas pernas, então deito ela no meu colo.

HanDami voltam da cozinha e JiU da play, elas se sentaram no outro sofá e praticamente fizeram o mesmo que nós duas.

Ficamos assistindo o filme e bebendo, trocando caricias também.

Assim que o filme acabou nós levantamos, e eu coloquei todo mundo pra limpar a sala enquanto fui limpar a cozinha... ajeitamos os lixos em sacos separados pra reciclagem e assim que terminamos seguimos pro quarto e eu coloquei umas músicas pra tocar.

HanDami arrumou o colchão delas e se deitaram, levanto e vou até a cozinha, pego agua e vou por ao lado da Gahyeon... dou beijinho no meu bb e me assusto com a JiU na porta semicerro os olhos, saimos e eu continuei olhando feio.

J- Foi mal pelo susto

 - Isso não se faz.

J - Você parece até a mãe dela e não irmã.

 - Ciumes?

J - É claro.

 - Bem ela me considera como appa, então eu estou fazendo meu papel certo?

J - Certo.

Voltamos pro quarto e vimos as outras duas já se pegando.

- Eita.

Fomos pra cama após JiU apagar a luz, abraço ela por trás e dou beijinho na nuca.

J- Até você?!

 - Não tô fazendo nada demais.

H - JiU é toda virjona.

D - Hahahaha.

J- Meu pau.

 - Hey, voltem a se pegar, cuidem da vida de vocês.

H - Uy sermão.

D - Amor deixa elas.

JiU rir e vira pra mim, começa sussurrar.

J- O que a SuA queria?

 - Perguntar se eu estava com saudades dela.

- Nossa.

 - Ela não tem limites

J - Ela te ama.

- Eu sei, eu tentei gostar dela, mas sei lá...eu sinto como se....

J - ....  como se você estivesse tapando um buraco com um punhado de terra.

- É.

J- Eu te entendo.

- Mas com você é diferente.

Sinto o cheirinho do perfume dela.

J- Não inventa SiYeon.

 - Desculpa.... vamos mudar de assunto.

J- Olha, você é legal mas... não da.

- eu já entendi... não ta mais aqui quem falou.

J- Ta fazendo eu me sentir culpada

 - não era minha intenção.

Ficamos caladas e eu suspiro, viro de peito pra cima e fico pensando na minha vida, enquanto me concentrava na música.

"Melhor eu me mudar dessa cidade."

Ela acaricia meu rosto, olho pra ela e a mesma se aproxima, começamos um beijo calmo, sem maldades, sem segundas intenções, era algo sincero, algo que queríamos.

Nos separamos pela falta de ar e eu volto a olhar pra cima, eu ja tava desistindo dela e planejando a cidade pra onde iria, quando ela veio pra cima de mim me beijando.

"Eita"

Sento com ela no meu colo e a puxo com força colando nossos corpos, ela arfa e eu acaricio suas coxas enquanto ela tira meu topper, tiro a camisa dela e voltamos a nos beijar intensamente com direito a lingua e algumas mordidas, ela a rebolar no meu colo, arfo e desço  beijando seu pescoço, desço mais a boca e abocanho um dos seios dela começando a mamar passando a língua no mamilo, ela arfa e eu escuto o gemido da minha cunhada.

"Eita porra"

Mordisco o mamilo dela e ganho um gemido manhoso, sorrio e coloco ela na cama ficando por cima. Escutamos as duas embaixo comentando sobre nós duas mas ignoramos, me livro das roupas dela e começo a acariciar seu corpo enquanto beijo cada centímetro dele.  

"Pode me chamar de abelha porque hoje eu tô só no melzinho."

Me ajusto entre as pernas dela e começo com leves lambidas, algumas sugadas e enfim abocanho o clitóris dela chupando com certa força.

Após um tempo ela goza na minha boca e eu tomo toda minha recompensa e fico beijando as penas dela e acariciando o clitóris com a mão.

"Ela deve ta com cede."

 - Quer um pouco de vinho?

J- Uhum.

Levanto e pego a garrafa, dou na boquinha dela e depois tomo um pouco, coloco a garrafa novamente no chão e me sento encostada na parede, puxo ela pro meu colo e acaricio suas coxas.

 - Você não é de gemer ne?

J- Na verdade.... é a primeira vez que estou sendo passiva pra alguém.

- Nossa, me senti honrada agora.

Ela Senta no meu colo de frente e eu seguro o lençol em suas  pernas cobrindo a reta guarda dela, ela morde meu lábio e eu sorrio.

J - Me responde uma coisa?

- Diga.

J - Está se apaixonando por mim ou já é tarde demais?

"Fudeu" 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...