História Amor Por Acaso - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Felipe Neto, Lucy Hale, Selena Gomez
Personagens Felipe Neto, Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Felipe Neto, Luccas Neto, Lucy Hale, Romance, Selena Gomez, Youtuber
Visualizações 29
Palavras 1.344
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demora, boa leitura.

Capítulo 7 - Capítulo 7


Fanfic / Fanfiction Amor Por Acaso - Capítulo 7 - Capítulo 7

Eu não estava conseguindo acreditar naquilo que eu estava vendo.

Eu estou gravida!

Não é possível meu Deus. Como isso aconteceu? O que vou fazer agora? O que vai acontecer com a minha vida. Culpa daquele desgraçado, ele me enganou disse que tinha usado camisinha e eu acreditei.

Você é muito burra Camille, como pode deixar isso acontecer? Eu devia ter tomado a pílula do dia seguinte mesmo assim. Mas não eu sou burra não  pensei.

Andava de um lado para o outro no meu quarto sem saber o que fazer, aquele teste tinha que estar errado. Peguei outro teste e fiz.

Positivo.

Peguei mais um e novamente...

Positivo.

Eu queria muito que aquilo fosse um sonho, mas não era, eu estou grávida do Felipe Neto. Guardei os testes nas caixas e me deitei na cama encarando o teto tentando arrumar um jeito de sair de tudo isso, mesmo que seja impossível. Dentro de mim cresce uma vida inocente e que não foi nada planejada, mas que eu jamais faria algum mal a ela. Passei a madrugada pensando maneiras de como iria contar para minha mãe, como ia fazer para criar essa criança sozinha,  por que sei que o pai jamais acreditará que é seu filho. Todo esses pensamentos me deixaram cansada e adormeci em meio a perguntas e confusões na minha mente.

[...]

- Camille! — despertei com alguém gritando meu nome e esmurrando minha porta. Que inferno isso, não se tem paz nessa casa?

Me levantei e olhei em volta,  catei os testes e guardei no fundo da gaveta,  abri a porta e vi minha irmã.

- O que foi Bea? — perguntei sonolenta, estava muito cansada.

- Pensei que tinha acontecido algo,  estou te chamando a meia hora. — ué nem ouvi,  só agora quando acordei.

- O que houve?  — me apoiei na porta.

- Vem comer. A comida já  esta pronta. — comida? Olhei para janela tentando ver o tempo.

- São que horas. — perguntei confusa, parece que mal deitei na cama.

- Meio dia e quarenta. Dormiu bem? Tá com uma cara abatida. — neguei, difícil dormir bem sabendo que se está grávida.

- Estou sem fome, depois como algo. — ameacei fechar a porta.

- Espera. Você esta bem? — minha irmã insistiu.

- Estou Beatriz,  só estou com sono. Mamãe esta ai? — eu precisava saber,  tinha que tomar coragem e contar a ela,  não  ia adiar,  odeio mentiras.

- Sim,  está esperando para comermos. — precisava me preparar para ouvir um belo sermão.

- Depois eu desço agora não quero comer. — fiz uma careta e Fechei a porta.

Fui ao meu banheiro e tomei uma ducha demorada, precisava relaxar e sentir a água escorrendo pelo meu corpo ajudava. Não sei qual vai ser a reação da minha mãe, mas espero muito que seja positiva.

Sai do banheio e me vesti,  me olhei no espelho e minha aparencia estava um pouco melhor, pentiei os cabelos e sai do quarto segurando meu celular, quando cheguei no andar de baixo pude ouvir as vozes de minha mãe e irmã,  meu coração parecia que ia sair pela boca. Fui até as duas e ambas me olharam meio confusas.

- Mãe preciso conversar com você. — minha mãe franziu a testa e esperou eu falar.

- Quer que eu saia? — minha irmã perguntou e eu neguei.

- Eu vou ser bem direta, porque isso de enrolar não é para mim. — As duas se entreolharam e me olharam de volta. Respirei fundo criando coragem. - Eu estou grávida.

As duas arregalaram os olhos e suas feições eram incrédulas. Faz tempo que não namoro e nem falo que sai com alguém, mas minha irmã sabe sobre a boate, só não sei se ela vai ligar as duas situações. Ambas não diziam nada penas me olhavam até que minha irmã abriu a boca e com certeza ela entendeu.

- Como isso aconteceu Camille? — minha mãe perguntou e seu tom era autoritário o que me deixou com um pouco de medo.

- Não sei direito mãe. — senti minhas pernas fraquejarem e me sentei. - Eu tinha bebido um pouco e fiquei com um cara e rolou. — cobri meu rosto com as mãos, estava envergonhada demais para olhar para minha mãe.

- Você não conhece o cara? — minha mãe praticamente gritou.

- Eu conheço, mas não quero nada dele. — respondi decidida, eu não quero nada do Felipe.

- Não sei o que fazer com você Camille, jamais esperei que você pudesse ser tão irresponsável. — senti o tom de desapontamento da minha mãe e meu peito doeu.

- Eu sei que eu tive culpa em parte, mas ele me enganou dizendo que tinha usado camisinha. — expliquei e minha mãe apenas negou. - Mãe não fica assim comigo. — pedi.

- Eu preciso pensar Camille, eu fico feliz que eu vá ter um netinho ou netinha, mas isso foi irresponsabilidade demais, precisa ir ao médico e fazer exames, saber se esta tudo bem com vocês. Afinal transou sem camisinha com um estranho. — assenti e minha mãe levantou-se veio até mim e me abraçou.

Retribui o abraço a apertando contra mim, não sabia como ela realmente iria agir ela poderia me por para fora ou ficar feliz, mas pediu que eu a deixasse pensar. Seu desapontamento é o que mais me dói, vê-la assim é pior que a morte.

Minha mãe soltou o abraço e beijou minha testa, nos olhou e beijou a de minha irmã, as olhamos subir e depois nos olhamos, queria saber o que Bea ia falar, estava esperando tudo.

- Como você está com isto? — Bea perguntou e segurou minha mão.

- Estranha, não sei como me sentir, me sinto feliz por ter um bebê dentro de mim, mas triste por causa do pai e dessa bagunça que vai ser nossas vidas. — suspirei pesado, me sentia perdida sobre esse assunto.

- Vai contar para ele? — neguei de imediato. - Por que?

- Você acha que ele vai acreditar que foi por um acaso que eu fiquei grávida dele? Ele vai dizer que eu armei tudo, que quero dar o golpe nele. — senti umas lágrimas cairem sobre meu rosto eu nem queria chorar mas, foi mais forte que eu.

- Ele não tem que achar Cami. Você sabe que não foi intencional, que aconteceu porque ele foi um idiota e te enganou. Pensa direito, pelo menos se você disser  ele não pode alegar que você nunca o contou. — ela tinha razão, mas ...

- Eu não sei Bea, de repente essa gravidez nem chegue ao fim. — disse sem pensar e me repreendi mentalmente por tal ato.

- Nem ouse Camille! — ela se levantou brava.

- Não vou fazer nada, mas pode acontecer. Nunca se sabe. — suspirei novamente. Deus me livre acontecer algo, seria horrível.

- Mas não vai. Não pensa coisa ruim, eu e a mamãe vamos sempre estaremos aqui. Te ajudaremos a cuidar desse bebê e de você. — ela se sentou do meu lado e me abraçou.

Sorri e retribui seu abraço, ficamos conversando por um tempo e comecei a me organizar, precisava ir ao médico, fazer exames e saber se eu e o bebê estamos bem. Agora não tenho que cuidar só de mim, tenho que cuidar de nós.

[…]

4 semanas depois

Nas últimas semanas tenho tentando me distrair o máximo possível, meu estômago não me dá paz, Bea e mamãe não param de ficar me vigiando e cuidando, parece que estou doente e não grávida, as vezes é bom, mas as vezes me irrito. Eu gosto de ser paparicada, mas elas estão passando dos limites.

Meu canal vem aumento cada dia mais, mesmo depois de diminuir a quantidade de vídeos, os enjoos, tonturas e vomitos estão cada vez mais fortes, espero que pare logo não aguento mais passar fome.

Meu corpo também está diferente fisicamente, meus seios e minha barriga mudaram, principalmente a barriga, nao posso passar na frente do espelho que já me perco ali me olhando, é uma barriguinha pequena, mas faz diferença. Agradeco por estar tudo bem comigo e com meu bebê, tão pequeno e já trazendo tanto amor.

[…]

 


Notas Finais


********************

Sei que demorei, mas foi sem querer, tive probleminhas com o celular, e um leve bloqueio criativo. Espero que tenham gostado. Acham que ela deve contar ao Felipe?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...