História Amor por encomenda - Capítulo 22


Escrita por:

Visualizações 193
Palavras 5.933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores

Dezembro começou me fodendo, tem 3 dias que eu estou acordando antes das 5 da manhã.
Mas Joy porque isso, o que está acontecendo?
- Não sei, eu simplesmente acordo como se eu já tivesse dormido horas e horas, mas na verdade eu só dormi umas 4 horas, enfim deve ser a idade chegando. kkkkkkkkkkkkkk
Mesmo podre estou aqui pra não deixar vocês esperando tanto. :)

Espero que gostem, boa leitura.

Capítulo 22 - Nas nuvens


O quarto ainda estava escuro, os olhos pesados de sono e uma preguiça incomum pela manhã, seus lábios não pôde deixar de sorrir, ainda nua embaixo do edredom pesado, flashes da noite anterior relampejavam em sua cabeça, fazer sexo... Sexo não, fazer amor com ela era como ter um sonho lindo todos os dias, daqueles que não dá vontade de acordar nunca. Virou-se e ainda de olhos fechados esticou o braço e buscou pelo corpo quente dela, mas só encontrou um espaço vazio e frio, virou novamente e pegou o celular em cima do criado, passava das 8, bocejou e espreguiçou, alguns meses atrás teria levantado às pressas e vestido a primeira roupa que encontrasse pela frente, entraria no carro e dirigiria que nem uma louca para o trabalho, agora se pudesse ficaria na cama o dia todo aproveitando cada segundo ao lado dela. Sentou-se, olhou o celular mais uma vez e se levantou deixando-o de lado. Caminhou preguiçosamente até o banheiro, fez suas necessidades, tomou uma ducha e nada de Alex aparecer, se secou vestiu um suéter longo branco justinho com detalhe preto na gola e na barra, calça de brim preta e pantufas. Os cabelos molhados ficaram soltos. Foi até a cozinha silenciosamente e a encontrou parada diante do fogão, cabelo úmido caindo sobre os ombros usando o mesmo roupão da noite anterior. impregnado com o cheiro delas, sorriu e se aproximou passo por passo.

- Bom dia - Piper disse abraçando a morena por trás.

- Bom dia - virou um pouco a cabeça. - Não te ouvi chegar.

- Eu percebi, posso saber em que estava pensando? - afastou o cabelo dela colocando-o para o outro lado deixando uma parte do pescoço nua e deu 3 beijinhos molhado. 

- Em quem seria melhor. - Se concentrou na frigideira.

- Em quem a senhorita estava pensando?

- Numa certa loira que está tirando toda a minha razão.

- Aposto que você está fazendo o mesmo com ela.

- Tenho quase certeza disso - desligou o fogo e se virou ficando de frente pra loira. - Eu estava prestes a levar o café na cama pra ela, mas ela se levantou e está pronta para ir trabalhar - sorriu. 

- O que seria o café da manhã?

- Café, suco e panquecas com cobertura de chocolate.

- Que mulher sortuda, posso ficar no lugar dela se você quiser. – Piscou. 

- A verdade é que você se parece muito com ela - buscou os lábios dela e a beijou com desejo. - É você serve - sorriu - com fome?

- Morrendo. 

- Quando você não está - Sorriu - levando o prato com as panquecas pra mesa.

- Estou gastando muita energia e preciso repor.

- Então a culpa é minha? - Pegou o café e a jarra de suco.

- É você quem está dizendo - foi até a mesa levando 2 xícaras, dois copos e se sentou. - Eu não citei nome de ninguém.

 - Senti que foi uma indireta - sentou ao lado da loira.

- Talvez tenha sido - beijou a bochecha dela e se serviu de panquecas.

- Nicky nos convidou para fazermos algo hoje. - Enchendo uma xícara de café.

- Orgia? - falou com a boca cheia. 

- Você está tão engraçadinha hoje - colocou a mão na perna dela. - E se fosse?

- Eu nem vou te responder.

- Foi você quem começou - sorriu e acariciou a perna dela.

- Qual é o convite? 

- Irmos a um bar, eu você e a namorada dela. O que acha?

- Vai ser bom conhecer suas amigas, principalmente essa que já cansou de te ver nua. - Alex riu.

- Nós nunca fizemos nada, somos como irmãs. - Piper a olhou.

- Nós podemos fazer isso.

- Ela vai adorar, está muito animada.

- Você não vai comer?

- O que eu queria comer já está fora da cama e vestindo um monte de roupas. - Deu um sorriso safado.

- Não me atente. Isso está uma delícia, deveria experimentar. - Cortou um pedaço da panqueca, espetou com o garfo e levou até a boca da morena. Alex abriu a boca e abocanhou o pedaço que lhe foi oferecido.

- É eu também sou boa nisso, só não está mais gostosa do que você. - Mordeu o lábio inferior.

- Não fique provocando.

- Se não o que? - tomou um gole generoso do café.

- Vai ficar na vontade. – Riu - tenho muita coisa pra fazer no SPA hoje. - Enfiou o último pedaço de panqueca na boca.

- A é? - ergueu uma das sobrancelhas. - Está sujo.

- Onde? 

- Eu limpo pra você - ela se aproximou e lambeu gentilmente a calda de chocolate no cantinho dos lábios da loira.

- Vou trabalhar - levantou-se - antes que eu caia em tentação.

- Não vai comer mais?

- Eu comi 4 panquecas, não cabe mais nada aqui. – Passou a mão na barriga. - E você pare de me olhar assim.

- Não tenho culpa de você ser tão linda e irresistível.

- Vou pegar meu casaco e minha bolsa e vou trabalhar e não venha atrás de mim.

- Você é quem manda chefe – sorriu.

- Idiota - aproximou-se e deu um beijo nos lábios dela.

- Também amo você. - Segurou a cintura dela.

- É? - segurou gola do roupão e a fitou.

- Unhum. - Vai logo porque senão eu não vou responder por mim - apertou o bumbum dela e deu um tapinha.

 - A noite resolvemos esse probleminha - desvencilhou dos braços de Alex e se afastou. - Já me despeço de você - deu as costas e foi para o quarto.

Não demorou muito ela voltou vestida com um casaco e a bolsa a tiracolo. Alex estava sentada no sofá e se levantou para se despedir da amada. Se abraçaram e deram um beijo apaixonado, porém breve. Não queriam deixar as coisas mais quente do que estavam. Terminaram o beijo com vários selinhos.

 

***

Piper bem-humorada entrou no escritório e encontrou Polly deitada no sofá como quase sempre.

- Pol você acha que eu engordei?

- Bom dia pra você também. Contando com o fato de que você está comendo feito uma draga, você está ótima.

- É sério Pol, tive dificuldade em vestir essa calça hoje - cutucou a amiga que estava de olhos fechados.

 - Você engordou um pouco - se levantou ficando sentada. - Quase não se percebe, não se preocupe.

- Droga - desabotoou o botão - bem melhor.

- É só parar de comer igual pedreiro que você emagrece.

- Vai a merda. Ando muito ansiosa. 

- P 

- Oi

- Qual é o nome do remédio mesmo que você anda tomando.

- Que remédio?

- Queria saber pra não tomar dele, além de te deixar de bom humor o que é muitíssimo bom está te deixando louca - riu.

- Tá falando de que? – perguntou confusa.

- Olha como você veio trabalhar - apontou para os pés dela.

- Oh merda

- Lindas pantufas, quem te deu?
- São minhas ué
- Até uns dias atrás você não as tinha.

- Trouxe da fazenda. mentiu. - Não acredito que eu vim de pantufa - esbravejou - como ela me deixou vir assim - Piper sussurrou.

- O que você disse?

- Nada, só pensei alto.

- Me diz onde você tá com a cabeça, ou melhor pra quem você está dando.

- Não é da sua conta.

- Então quer dizer que tem alguém - riu com deboche.

- Não é da sua conta onde minha cabeça está - tentou parecer seria, mas acabou rindo.

- Piper eu te conheço, esse sorriso bobo todos os dias pela manhã, você está radiante, e não acho que é por causa de comprimidos. - Cruzou os braços - Você está dormindo com Larry?

- Não - fez uma careta - Omg definitivamente não, esqueça o Larry, porque eu já esqueci.

- P desde quando você me esconde as coisas de mim? Você acha que eu não reparo no seu comportamento, Josh eu sei que não é, e se não é o idiota do seu marido, quem é? Eu fui na sua casa e você não estava. - Piper olhava a amiga. - Se você não está vendo alguém o que você anda fazendo? - olhou fixamente pra amiga. Piper sentou ao lado da amiga e inclinou a cabeça pra trás e voltou olhando pra amiga.

- Eu tenho alguém - cuspiu as palavras - E tenho passado alguns dias, ou melhor as minhas noites com essa pessoa. - Sorriu e suspirou.

- A quanto tempo? 

- Um mês eu acho, não sei, já perdi a noção do tempo.

- E porque eu estou sabendo só agora por livre espontânea pressão minha sobre você.

- Porque nós combinamos de não contar a ninguém. 

- Eu não sou ninguém Piper, eu sou sua melhor amiga - disse brava.

- Desculpa ok, mas eu também não sabia e ainda não sei como te contar. Você pode ficar um pouquinho feliz por eu ter encontrado alguém e ter seguido em frente?

- Eu posso tentar fazer isso agora que sei a metade da história e que não é o canalha do Larry. E o que é tão difícil nisso tudo me contar? - Ele é ladrão? 

- Pol, eu vou te contar tudinho desde o início, prometo, mas me dê só um tempinho ok?

- Farei isso só porque seja lá quem for está te fazendo tão bem que você está abestada - riu - não acredito que você veio de pantufa e nem percebeu - ainda rindo.

- Nem eu acredito - olhou para os pés.

- Só me diz uma coisa, é o cara do bar?

- Sim, mas eu distorci um pouquinho alguns pontinhos básicos - franziu o nariz e fez o gesto de pouco com os dedos. Polly a olhou - quando eu te contar você vai entender, não me odeie tá bom. - Beijou o rosto da amiga.

- Só não vou te dar uns tapas agora porque quero conhecer o gostosão.

- Não sei se você vai achar, mas eu acho - sorriu apaixonada - nunca me senti tão completa - fechou os olhos e o sorriso ainda perdurava em seus lábios.

- Você está parecendo uma idiota hipnotizada.

- Ela me deixa assim - murmurou 

- Não ouvi, o que você disse?

- Nada, vou trabalhar tenho uma palestra para dar. 

- Estranha - levantou e foi para o escritório.

Piper foi até sua mesa, puxou a cadeira e se sentou, abriu a gaveta pegou algumas folhas e começou a rascunhar alguns pontos importantes sobre estética, um rabisco ali, outro aqui, estava difícil concentrar. Pegou o celular, discou e esperou ser atendida.

- Oi querida - a voz soou terna do outro lado da linha. - Está tudo bem com você? Não é de ligar a essa hora.

- Está tudo bem mãe, só estou ansiosa e um pouco nervosa. Tudo bem por aí?

- Tudo ótimo. E o que está te deixando assim?

- Não é nada demais. Tenho uma palestra esse fim de semana em NY da qual eu esqueci completamente, os últimos dias foram corridos demais.

- Você é boa para falar, tem uma ótima desenvoltura.

- É, mas isso não anula o fato de que vai ser minha primeira vez nisso.

- Pensa positivo, você já falou para muita gente antes.

- Estou pensando. Eu queria te chamar pra ir comigo, você e o papai por 3 dias.

- Você vai sozinha?

- Vou, e é por isso que te liguei, Polly não quer ir.

- Não tem outra pessoa pra ir com você?

- Não mãe, não tem outra pessoa, se vocês não puderem ir, é só dizer.
- E a sua nova amiga?
- Ela está ocupada. Pode me acompanhar ou não?

- Vou falar com seu pai, depois te ligo dando a resposta.

- Espero a resposta ainda hoje, preciso reservar um quarto pra vocês.

- Te ligo daqui a pouco.

- Ok, beijos

- Beijos - desligou o telefone.

Voltou ao seu rascunho, até que enfim uma linha sem rasuras. O estômago roncou, pegou o celular, olhou a hora, já eram 11, se levantou e chamou Polly pra irem almoçar. Depois do almoço trocou algumas mensagens com Alex sob o olhar suspeito da amiga.

- Meu Deus P, vou ter que te filmar. Sabe quando a criança ganha um presente que tanto queria? Você tá igualzinha - jogou uma almofada na amiga.

- Vai a merda. 

- Não muito obrigada, estou muito bem aqui.

- Idiota - jogou a almofada de volta.

Mais tarde Nicky estava no apartamento de Alex esperando Piper e Lorna chegarem para irem ao bar que Lorna indicou.

- Qual é o seu problema em? - Nicky esbravejava - um século pra escolher uma roupa.

- Pelo menos já escolhi minha lingerie. - Um conjunto vermelho rendado, sutiã meia taça, e a calcinha com uma leve transparência.

- De muito bom gosto por sinal.

- Obrigada, minha loira adora.

- Não quero saber. Anda logo daqui a pouco nossas garotas chegam e você ainda tá aí.

- Estou em dúvida em qual vestir. - A campainha tocou.

- Faz unidunite - se levantou - vou lá atender - Aposto uma cerveja que é a minha.

- Aposto duas que é a minha. – Sorriu.

- Já perdeu.

- Vamos ver. 

Nicky saiu do quarto e foi pra sala atender a porta.

- Oi loirinha - Nicky disse ao abrir a porta.

- Oi - Piper respondeu um pouco tímida e entrou. - Onde está Alex?

- No quarto. E por favor apresse ela, tem umas meia hora que ela está escolhendo uma roupa. 

- Darei um jeito - sorriu. Piper foi em direção ao quarto e Nicky sentou no sofá e ficou à espera de Lorna. Piper entrou no quarto Alex terminava de vestir uma calça de couro preta.

- Então estava desfilando de lingerie vermelha ultra sexy na frente da sua amiga? - Piper disse abraçando a morena por trás.

-  Em minha defesa eu não estava desfilando - sorriu virando de frente pra loira. - Ela nem mesmo estava me olhando - beijou os lábios marcado por um batom vermelho.

- Vou fingir que acredito - beijou o seio esquerdo por cima do sutiã. - Sua amiga pediu pra você agilizar. - Afastou da morena e deu as costas indo se sentar na chaise

- É uma apressada, Morello ainda nem chegou - abraçando a loira por trás - O que acha da gente - desceu a mão pelo ventre até o meio das pernas da loira e pressionou a sua intimidade.

- Al sua amiga está sentada no sofá lá na sala. 

- O que que tem? Ela já nos ouviu transando uma vez - beijou o pescoço da loira dando um leve chupão. - Não vai fazer diferença ouvir outra vez.

- Alex! - exclamou perplexa. - Como? - Piper virou ficando de frente pra morena. - Sério? - Piper perguntou incrédula.

- Sim, ela nos ouviu aquele dia - envolveu a loira nos braços.

- Vocês são loucas sabia - desvencilhando mais uma vez dos braços da morena - caminhou até a cama.

- Daqui a pouco você vai se acostumar com nossas doideiras.

- Veste uma camisa logo e vamos.

- Não está conseguindo resistir, não é? Pode confessar.

- Eu estou ótima assim - sentou na beirada da cama - pensarei no seu caso... mais tarde.

Neste meio tempo Lorna chegou.

- Ok Chapmam - pegou a camisa branca de botão em cima da cama e vestiu sob o olhar sedutor da loira.

- Essa blusa tá muito transparente pra usar com esse sutiã, você não acha?

- Não, eu não acho - sorriu - ela está ótima pra provocar minha parceira - foi um tanto irônica.

- Eu aposto que sua parceira não vai gostar de outras pessoas serem provocadas indiretamente. - Alex terminou de calçar o coturno e se levantou indo até a loira que estava sentada na beirada da cama.

- Tenho que confessar que - afastou as pernas da loira e ficou em pé entre elas - minha parceira é um tanto ciumentinha - levou uma das mãos no rosto da loira - e ela precisa saber que os outros não importa e que eu tenho olhos só pra ela - inclinou-se e deslizou a pontinha do nariz pelo dela e a provocou roçando os lábios nos dela e sorriu. Piper levou a mão na nuca dela e pressionou seus lábios nos dela, Alex resistiu não dando espaço pra língua dela, Piper prendeu o lábio inferior dela entre os dentes e o puxou.

- Isso não vale.

- E você me provocar vale? - puxou de leve o cabelo da nuca.

- Vale - deixou seu lábio a um centímetro dos lábios da loira - vale muito - encostou os lábios nos lábios dela e sem hesitar sua língua encontrou os lábios e uma pequena abertura entre eles a espera de sua língua. As línguas se tocaram e deslizaram uma pelas outra, os lábios se movimentaram lentamente e as línguas dançaram, uma dança sensual e lenta que foi se intensificando de acordo com o calor que começara a percorrer pelos corpos, Piper deitou, e Alex foi junto sem separar os lábios, pousando seu corpo em cima do corpo da loira. A paixão e a intensidade investidas no beijo as deixaram ofegantes.

 

Esquento isso

 

- Será que ela ainda não está pronta?

- Não sei, vou ir lá olhar.

- Baby e se ela estiverem você sabe o que.

- Não estão, e se estiverem eu acabo com a festa - Nicky disse se levantando - já volto.

Nicky chegou no quarto e parou no batente da porta com os braços cruzados, limpou a garganta. Alex e Piper pararam o beijo e a olhou.

- Puta que pariu vocês duas, tomar no cu, a gente lá na sala esperando vocês e vocês prestes a trepar, vai se foder Alex, desculpa Piper - Piper arregalou os olhos e empurrou a morena fazendo com que ela levantasse. Alex riu.

- Vou, mais tarde com meu amorzinho. - Ajeitou a camisa dentro da calça - podemos ir, estou pronta.

- Cara de pau – riu.

- P não liga pra Nicolle, ela é louca assim mesmo e não leve para o lado pessoal todos esses palavrões que ela mencionou é coisa nossa.

- Isso mesmo loirinha vai se acostumando. - Piper se posicionou ao lado de Alex e pegou a mão dela entrelaçando os dedos.

- Pelo visto terei que me acostumar com váaaaaaarias coisas não é mesmo? - olhou pra morena e depois pra loira de cabelo encaracolados esvoaçantes.

- Pode ter certeza que sim - Nicky disse e saiu do quarto sendo seguida pelas duas.

Ao chegarem na sala antes das apresentações Lorna e Piper se olharam.

- Chaveirinho? 

- P? É você mesmo?

- Meu Deus - Piper soltou a mão de Alex e foi de encontro com Lorna para abraça-la. Elas deram um abraço apertado e saudoso. Nicky e Alex se olhavam e olhavam para elas sem entender nada.

- Achei que nunca mais veria você - Lorna disse olhando nos olhos de Piper.

- Nem eu, senti tanto sua falta - se abraçaram mais uma vez.

- Eu tinha muita vontade de te ver outra vez. Pensei que você já estaria casada com filhos... E você está aqui namorando a melhor amiga da minha namorada. Cacete nunca poderia imaginar que você mudaria de time em toda minha existência.

- Uma longa história, depois te conto, vamos ter muito tempo - se abraçaram outra vez.

- Alguém vai nos dizer o que está acontecendo? - Nicky perguntou.

Elas se separaram e olharam para as namoradas que tinham um ponto de interrogação bem grande na testa.

- Estudamos juntas e eramos as melhores amigas antes de eu ir embora – a baixinha disse olhando pra Nicky e depois olhou pra Piper.

- Perdemos contato depois de um tempo. Al lembra daquela história que te contei do beijo - Alex pensou um pouquinho e meneou a cabeça positivamente - é ela.

- Uau. - Colocou as mãos na cintura - acho que não quero pensar sobre isso.

- Nem eu - Nicky disse. - E acho melhor nós irmos o Uber tá chegando. 

Alex foi a primeira a sair seguida de Nicky, Piper e Lorna que foram tagarelando até chegarem ao bar.

O local estava tranquilo, o bar tinha uma mistura de retrô e moderno, tinha a parede do bar pintada em vermelho, o balcão com revestimento geométrico preto e branco, do lado direito mesas e cadeiras do lado esquerdo ao lado do bar 2 mesas e os sofás em L substituíam as cadeiras, a luz baixa e a música ambiente deixava o lugar ainda mais aconchegante.

Elas optaram pelo sofá, Lorna e Piper se sentaram no meio entre Alex e Nicky.

Pediram cervejas para começarem e Alex e Nicky pediram atenção de suas respectivas companheiras.

- Podemos conversar as 4? - Nicky sugeriu. 

- Desculpa baby - Lorna pediu - empolgamos.

- Estamos vendo - Alex retrucou - terão bastante tempo para colocar todos os assuntos em dia.

- Vocês têm razão - Piper disse.

- Não sei vocês, mas eu estou morrendo de fome - Nicky reclamou.

- Eu também. Minha última refeição foi o almoço - Piper falou colocando a mão sobre o estomago.

- Está sem comer até agora? 

- Não tive tempo, mas eu almocei bem - deu um selinho na morena.

- Vou pedir frango no balde e molho picante pra acompanhar, quem me acompanha?

Todas aceitaram, mas Piper pediu molho agridoce.

A conversa seguiu descontraída, risos na maior parte do tempo, comeram e beberam.

Os respectivos casais trocaram beijos e carícias algumas vezes. Depois um longo beijo que não só tirou o fôlego delas, mas de Nicky e Lorna também. Lorna falou.

- Eu ainda estou estupefata que isso está acontecendo. - falou olhando para o casal.

- É difícil de acreditar, eu mesmo ainda fico assim, olho pra ela e me pergunto o que ela fez para me conquistar - falou olhando pra Alex, admirando-a.

- Eu sou irresistível já disse isso. – Beijou a bochecha rosada da namorada.

- Deixa de ser convencida Al - Nicky disse.

- Fala pra elas amor o quanto eu sou irresistível. – Deu uma picadinha.

- Ela é convencida - Piper disse em meio a um sorriso. Todas riram

- Vai ter troco. 

- Vocês são tão fofas - Lorna disse com carinha apaixonada - não é baby?

- Elas não são nada fofas - bebeu um gole de cerveja - fofas somos nós - beijou a namorada.

- Preciso ir ao banheiro - Piper disse - já se levantando.

- Eu vou com você - segurou a mão da loira e se levantou. 

- Onde vocês estão indo? - Nicky perguntou. 

- Ao toilette, não vamos demorar.

Nicky deu de ombros e grudou na namorada. Alex e Piper saíram deixando o casal aos beijos.
Piper entrou no reservado, Alex foi até a pia, lavou o rosto e ficou esperando, assim que Piper abriu a porta ela a empurrou de volta pra dentro.

- O que você está fazendo?

- Nada. Ainda - fechou a porta e prendeu a loira contra a parede - estou morrendo de vontade de você. - A voz transbordou desejo.

- Al aqui não.

- Porque não? Você tá me provocando a noite toda. - Segurou na gola da blusa dela e a outra foi até o bumbum.

- Esse banheiro é sujo, não pode esperar chegar em casa?

- Não - colou os lábios nos dela - vai ser gostoso fazer aqui - mordeu o lábio inferior dela enquanto desabotoava sua própria calça.

- Alguém pode nos pegar.

- Ninguém vai nos pegar, vai ser rapidinho - pegou a mão da loira e a conduziu para dentro da sua calça. - Piper a fitou-a e não a impediu - sinta - sem hesitar Piper escorregou a mão entre meio as pernas da morena e sentiu a umidade atravessando o tecido fino da calcinha. Ela sorriu e mordeu de leve o lábio inferior. - Você sabe o que é isso? - falou bem próximo ao ouvido dela.

- Não - sua mão permanecia imóvel, apesar da vontade de movimenta-lo e sentir a carne macia, quente e úmida por baixo do tecido fino ela se controlou.

- É o resultado da sua provocação - ao terminar de falar mordeu o lóbulo da orelha, beijou o pescoço e mordeu próximo a nuca. Piper sentiu todos os seus pelos se eriçarem. 

- Eu estou começando a achar que você é a tentação em pessoa.

- Talvez eu seja - enfiou uma das mãos por baixo da blusa da loira, fazendo-a arrepiar ainda mais com o toque gelado da mão sobre seu corpo quente, a respiração saiu em forma de gemido. Alex a beijou com desejo e no calor do momento Piper apertou o sexo quente da amada fazendo-a gemer entre o beijo, Alex massageava um dos seios de Piper e apertava o bumbum com a outra mão. Terminaram o beijo com um selinho longo.

- Você é terrível - Piper disse um pouco ofegante - você sempre consegue o que você quer? - subiu um pouco a mão até o cos da calcinha e a enfiou pra dentro, Alex afastou um pouco as pernas facilitando o acesso.

- Na maioria das vezes - respirou fundo ao sentir Piper penetra-la com o dedo do meio.

- Também com esse rostinho lindo - levou a outra mão na face dela e apertou os dois lados próximos aos lábios com o polegar e o dedo indicador fazendo os lábios formar um biquinho - com essa voz rouca e sedutora - mordiscou o lábio inferior - é quase impossível dizer não pra você - a beijou antes que elas pudesse responder, a língua inundou a boca da morena e a beijou lentamente no mesmo instante que começara a movimentar seu dedo dentro de Alex no mesmo ritmo do beijo. Não demorou muito Alex gozou e pousou a cabeça no ombro da loira, fazendo-a sorrir. - Satisfeita? - Piper perguntou enquanto retirava seu dedo de dentro da vagina pulsante.

- Por enquanto - disse com a voz baixa.

- Você é uma louca adorável - sorriu e fechou a calça da morena. 

- Que você ama e não sabe mais viver sem - sorriu e deu um beijo curto nela.

- Amo, e você aproveita dessa condição.

- Aproveito porque eu também te amo.

- Aproveita porque é uma aproveitadora de mocinhas indefesas - riu baixo.

- Você é uma bobinha incorrigível

- Já podemos ir?

- Você não quer?

- Quero, e quero muito, mas é melhor não, já demoramos demais.

- Prometo te compensar em casa - deram mais um beijo e saíram do banheiro.

- Não vou passar a noite com você hoje.

- Como assim não vai passar a noite comigo hoje? Porque?

 - Preciso trabalhar na minha palestra - disse enquanto lavava as mãos - e você é uma grande distração.

- Sério?

- Sério, eu preciso me concentrar, mesmo que você fique quietinha eu não vou conseguir pensar direito. 

- Você pode trabalhar no meu meio escritório – sorriu.

- Não vai dar certo eu sei - pegou a mão dela e a puxou pra fora do banheiro. - Não fique chateada.

- Eu não estou chateada.

Terminaram o trajeto em silêncio.

- O que é? Vocês foram construir o banheiro primeiro pra depois usar, ou a fila estava virando a esquina – riu.

 - Tivemos um probleminha - Alex disse tomando o resto da cerveja.

- Sei o tipo de probleminha que vocês tiveram – falou ainda rindo.

- Precisamos ir embora.

- Que bicho a mordeu? - Nicky perguntou pra Piper.

- Não sei.

- Piper precisa trabalhar.

- Podemos ficar mais um pouco - acariciou o braço dela.

- Não quero que nada atrapalhe sua concentração.

Nicky e Lorna se olharam.

- Sério Alex? - A loira falou baixo e a encarou reprovando a atitude. Depois de alguns segundo em silêncio.

- Desculpa, estou sendo infantil. - Deu um selinho nela - podemos ficar o quanto você quiser. - Torceu os lábios. - E você tem todo direito de querer trabalhar em sua casa.

Percebendo o azedume Lorna deu a ideia de pedirem a conta, já estava tarde e também precisava trabalhar no dia seguinte. Elas concordaram, dividiram a conta e foram embora. Nicky e Lorna resolveram ficar no apartamento de Alex a convite da própria, Piper decidiu não subir, era melhor se despedirem na rua mesmo.

- Te vejo amanhã ok?

- Se não tem outro jeito - fechou os lábios em um bico.

- Se eu não fizer isso vou ficar atrasada.

- Ok. Você está bem pra dirigir?

- Estou, eu não bebi tanto como vocês. 

- Mas bebeu. colocou as mãos um pouco para baixo dos ombros dela - Me liga quando chegar em casa?

- Mesmo se você não pedisse eu ligaria - abraçou a morena - te amo.

- Também amo você - retribuindo o abraço e lhe dando um beijo nos lábios. - Desculpa pela minha infantilidade.

- Você já pediu desculpas e eu já a desculpei - beijou o colo dela - nos vemos amanhã - Piper disse se afastando da morena.

- Até amanhã - acompanhou Piper até o carro, deram mais um beijo de despedida antes da loira dar partida no carro.

//

 

A quarta feira amanheceu gelada, Piper até pensou em voltar pra cama e ficar mais um pouquinho, mas sozinha não tinha graça. O estômago ainda estava ruim da noite anterior, misturar vodca e cerveja não foi uma boa ideia, e todos aqueles pedaços de frango só piorou a situação. Por causa disso até poderia tirar o dia de folga, mas se não fosse para o SPA acabaria indo pra casa de Alex, e ela precisava terminar de montar sua palestra, já que o mal-estar a impediu de se concentrar na noite anterior. Vestiu o casaco, pegou um par de luvas o gorro e desceu as escadas indo até a cozinha, encontrando Frieda que terminava de passar o café. A boca salivou ao ver uma cesta em cima do balcão recheada com croissant, mas o estômago também reclamou, não só de fome.

- Bom dia Piper, bom te ver em casa. - As duas sorriram - virou turista em sua própria casa. - A loira riu.

- Bom dia, de vez enquanto é bom aparecer. - Fez uma careta divertida - E eu já não gosto dessa casa como eu gostava antes. 

- Acredito que sei o motivo - olhou-a com ternura -Trouxe croissant.

- Eu até gostaria de comer um ou dois, talvez 3 - sorriu - mas não estou me sentindo muito bem, bebi um pouquinho além da conta ontem, e você já pode imaginar o que aconteceu.

- Isso não é nada bom.

- Eu que o diga, mas vou ir tomando café pelo caminho, daqui a pouco estou novinha em folha.

- Você deveria descansar, e parar de beber.

- Não estou tão mal assim - encheu o copo térmico de café e o tampou. - E não bebo sempre.

- Deveria ouvir o seu corpo - resmungou - Algum pedido especial para o jantar?

- Não precisa se preocupar, não devo jantar em casa. – Sorriu.

- Quando vou conhecer a pessoa que está te dando esses sorrisos e te roubando de mim?  

- Em breve. - Sorriu - Vou trabalhar.

- Bom trabalho e melhoras.

- Obrigada - despediu-se de Frieda e saiu.


Alex procurou por Piper na cama e só ao encontrar o lugar vazio se lembrou que ela não tinha passado a noite, o sonho que teve com ela parecia tão real. Pegou o celular e o óculos, colocou-o e desbloqueou o celular, mensagens de Sylvie e Piper, lógico que ela abriu a mensagem de Piper primeiro.

Bom dia meu amor.
 Já estou no SPA, estou morrendo de saudades, vou tentar sair mais cedo e passar um tempinho com você, antes de voltar as minhas anotações, ontem não consegui escrever uma palavra, o estomago estava péssimo, e o meu tempo está contado. Beijos gostoso. Te amo

Alex sorriu e digitou uma resposta.

Bom dia amor.
Deveria ter dormido comigo, eu iria cuidar de você. Também estou morrendo de saudades. Quase senti o gosto do beijo, quero muitos deles mais tarde. Você está se sentindo melhor?
Te amo!!!

Piper respondeu de imediato.
O estomago tá meio estranho, mas estou bem melhor comparando com ontem.

Vou cortar sua bebida. mandou uma risadinha. espero que você fique ótima, vou levantar e dar uma saidinha. Falo com você depois. Beijos.

 

Depois de enviar as mensagens, olhou a mensagem de Sylvie respondeu e se levantou. Nicky e Lorna já tinham ido embora, o que lhe restava era tomar café sozinha.
Depois de tomar café na cafeteria perto do seu apartamento saiu para fazer compras, reabastecer a dispensa e a geladeira que estavam praticamente vazias. Ao chegar em casa guardou as compras e deitou no sofá na companhia de Harper, procurou por algo interessante, mas acabou deixando em um noticiário, seus pensamentos divagavam entre Piper ficar 3 dias fora e na conversa que teria com Sylvie e isso a atormentava, poderia até ser hipocrisia da sua parte, mas ela sentia pena da mulher, querendo ou não existia sentimentos bons por Sylvie. Por volta das 3hs o celular tocou e pelo toque ela já sabia quem era.

- Oi meu amor - ela atendeu sorridente.

- Oi vida, como você está nesse dia cinza e gelado?

- Esperando ansiosa meu cobertor de orelha chegar.

- Não vou poder ir - a voz soou triste.

- Porque? - Alex se sentou – é sobre a palestra?

- Não, minha mãe está aqui.

- O que sua mãe está fazendo aí? Que pergunta idiota, ela é sua mãe não precisa de motivos para estar aí.

- Na verdade ela tem motivos pra estar aqui.

- Aconteceu alguma coisa e você não me contou? Você está bem. Pipes você está bem? – Perguntou preocupada.

- Estou bem, fique tranquila. Para não ir sozinha até NY eu convidei meus pais para irem comigo, ia te falar ontem, mas acabei esquecendo.

- Então seus pais estão aí.

- Só minha mãe, tem uma vaca pra criar e meu pai preferiu ficar. Achei que ela viria só amanhã, mas...

- Ela resolveu te fazer uma surpresa.

- Exatamente isso, aproveitei que ela foi ali buscar um café pra te ligar, se por acaso eu começar a falar estranha é porque ela chegou.

- Ok. Já estou morrendo de saudades, só de pensar em ficar todos esses dias sem te ver.

- Eu também, queria sentir só um pouquinho do seu cheiro antes de viajar. – Suspirou. 

- Deveria ter ficado comigo ontem.

- Para de falar isso, já estou ficando muito arrependida de não ter ficado... Isso Angel podemos marcar na segunda feira.

- Angel?

- Vai dar tudo certo sim, não se preocupe. Até segunda, beijos

- Te amo, beijos pra você também - suspirou e desligou o telefone.


Notas Finais


Aí amores eu sei que tá muito melado, mas eu não sabia como descrever esse relacionamento se não fosse assim, sou muito trouxa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...