História Amor pra toda vida! - Capítulo 164


Escrita por:

Postado
Categorias Totalmente Demais
Personagens Arthur Valmont Carneiro de Alcântara, Carolina "Carol" Castilho, Cassandra Matoso "Sandra", Charles, Débora Matoso, Eliza de Assis, Fabio "Fabinho" de Bocaiuva Monteiro, Germano Monteiro, Gilda de Assis Machado, Hugo Matoso, Isadora "Dorinha" Castilho, Jamaica, Jonatas, Jorge "Jacaré" da Silva, Liliane "Lili" de Bocaiuva Monteiro, Maria Luísa "Lu", Personagens Originais, Rafael Guerra, Rosângela Castro, Silas, Sofia de Bocaiuva Monteiro, Zé Pedro
Tags Amor Pra Vida Toda, Cassinho, Gerlili, Totalmente Demais
Visualizações 67
Palavras 1.277
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 164 - Mini "dr"


❄️[Sábado]❄️

-Bom dia, filhota. -Disse Lili ao descer as escadas encontrando a filha exposta na mesa do café da manhã. -Caiu da cama cedo. O que houve?

-Bom dia, rainha. Não houve nada, apenas acordei cedo mesmo para resolver umas coisas. Cadê o papai?

-Ah sim. Bom, ele saiu para correr.

-Nesse frio?

-Eu achei uma ideia bem louca, mais seu pai é seu pai, né?

-Sim!! -Riu

-Já que estamos a sós aqui. Seu pai ontem me chamou atenção para dizer que ouviu você conversando com alguém, antes de entrar em seu quarto.

-Você contou algo, mãe?

-Claro que não, minha filha. Eu acho que ele deve saber que a senhorita já está bem grandinha.

-Isso é verdade.

-Mais enfim, o que você irá resolver hoje?

-Eu irei pegar as matérias perdidas da faculdade. E levar as meninas na casa da Simone e do Gabriel.

-Hum...tendi. Mais não vai se encontrar com o boy não?

-Se der e ele querer.

-Olha ela...

-E você, o que vai fazer?

-Eu vou esperar seu pai chegar para levar o Arthur no médico.

-Ah sim... Mãe, você ainda pensam em voltar para Angra?

-Seu pai pensa. Eu já não sei se seria uma boa ideia agora.

-Pois bem, eu acho que vocês deveriam ficar por aí, até quando o Arthur crescer um pouco.

-Sim. E você pensa em ir?

-Depois da faculdade, quem sabe?!

-Tá certa.

Minutos depois das duas tomarem café, Germano chegava...

-Bom dia para as mulheres da minha vida.

-Bom dia, pai.

-Bom dia, amor. -Lili beijou o.

-Já arrumou o Arthur?

-Calma meu amor, ainda é cedo. O médico é as duas e ainda são dez horas da manhã.

-É verdade.

-Bom, vou resolver a minha vida agora. Fiquem bem! -Se retirou.

-Vai lá, filha.

~*~

❤️{Lili} ❤️

-Vamos tomar banho juntos, meu amor? -Perguntou meu marido.

-Que convite irrecusável, né? -Respondi me aproximando.

-Pois é.

-Vamos logo.

-Te levo no colo. -Disse me pegando- Sentiu falta disso?

-É claro. -Sorri- Isso é bom.

-Muito bom!

Assim que chegamos no nosso quarto ele m pôs no chão e em seguida trancou a porta para que não fossemos interrompidos.

-Senti muita falta disso, ó. -Disse me beijando maliciosamente, com uma das suas mãos na minha coxa e outra na minha nuca.

-Calma...-Respirei- Vamos com calma. Eu também senti muita falta disso, mas, eu não estou cem por cento pronta para transar como transávamos antes. Vamos devagar.

-Tudo bem...-Se afastou.

-Poxa, Germano, me entenda pelo menos.

-Eu entendo. É que eu não consigo me controlar, você sabe.

-Eu sei meu amor. Mas, daqui algumas semanas vamos voltar tudo ao normal.

-Assim espero. -Baixou a cabeça

-Ei?

-Vamos tomar banho logo.

-Vamos, mais antes fale comigo.

-Falar o que?

-Amor, não vamos ficar nesse clima chato, né? Ou vamos?

-É...

-Eu também estou louca para lhe amar, ser amada. Mas, podemos ir devagar.

-Tudo bem...Vamos agora?

-Vamos!

Logo que entramos no banheiro o clima já não era o mesmo. Parecíamos dois estranhos dividindo o mesmo local, sem muito olhares, conversas. Eu sabia que ele havia ficado triste, como eu fiquei também. Porém, estou seguindo ordens médicas, e ele deveria entender isso. Até porque não é fácil você não ter relações com seu marido. Quando saímos do banho, pensei "por que não fugir um cadinho dessas ordens médicas?", assim fui direto para o closet e procurei algo bem sexy, que o deixasse muito louco. Daí achei uma langeri o qual ele me dizia que me deixava mais atraente. Quando voltei...

-Liliane o que significa isso?

-Isso o que?

-Essa langeri. Por acaso vai dormir agora?

-Nossa Germano, eu só coloquei essa langeri para lhe atrair.

-Por acaso esqueceu no que me disse?

-Não. Mais pensei bem.

-Ahram...sei.

-Poxa amor, eu odeio ver a gente assim, nesse clima chato por besteira.

-Eu também...

-Então vamos aproveitar um cadinho agora.

-Não, Liliane.

-Não vai querer mesmo? -Fiz uma cara raivosa.

-Não, não quero. Vou descer, tchau! -Disse batendo a porta

-Nossa que grosso. -Falei comigo mesma.

Depois dessa mini "DR", me arrumei e fui direto para o quarto do Arthur, que se encontrava ainda dormindo.

-Mãe? -Disse a minha filha entrando no quarto -Tá tudo bem?

-Oi minha linda. Não, não está nada bem.

-Você e o papai brigaram de novo?

-Não foi uma briga grande, foi uma briga por besteira. Coisa de casal.

-Hum... sei. Mais não foi nada sério mesmo, né?

-Não, meu amor...

-Ufa! -Respirou aliviada.

-Bom... você não ia sair?

-Ainda vou. Só estou esperando o Vini buscar as meninas.

-Tendi...que bom que ele agora tá se tornando presente.

-Pelo menos isso. É até bom que ele faça isso com as meninas, só assim a gente percebe que ele pode ter mudado.

-Exatamente. E é bom ver vocês dois assim também.

-Assim como, mãe?

-Se mantendo contato pelas meninas.

-Ah sim. Pensei que você estivesse pensando em um outro sentido.

-Não vou negar que eu pensei mesmo, mas, ontem percebi que você nem pensa em reatar com ele.

-Não penso mesmo. Não quero me magoar novamente, sabe? Então eu pensei muito em dar uma chance ao um novo amor. Porque não adianta reatar para depois acontecer a mesma coisa.

-Você está certa minha filha. É assim que a vida toca.

-É claro que eu queria que o nosso amor fosse eterno, porém, as coisas não são como queremos, não é mesmo?

-Verdade...-Eu disse olhando para o Arthur -Seu irmão é tão lindo.

-Muito!!

-Com esse seu novo amor, você pensa em ter mais filhos?

-Tu é bem rápida, né?

-Eu só fiz uma pergunta.

-Eu sei, estava brincando. Então, eu não quero ter mais filhos, já basta duas de uma vez.

-Tem razão.

-E você?

-Tá doida, filha? A minha fábrica já acabou!

-Ahram sei...

~*~

💙{Germano}💙

Assim que eu sai do quarto, resolvi procurar o Zé Pedro, eu precisa de uma amigo, conversar...E logo fomos ao Flor do Lácio.

-Que bom que você veio. -Agradeci.

-Imagina. O que houve desta vez?

-Eu e a Lili...depois do nascimento do Arthur mal curtimos nossos momentos a sós, mal transamos.

-Ué, por que?

-Por ordens médicas.

-Ah, isso é normal. Acontece.

-Eu sei. Mas, hoje eu estava com muita vontade, sabe?

-Poxa, Germano... você deveria entender que a sua mulher também tem, mas, pelo bem dela ela deve obedecer as ordens. Pelo menos algumas semanas.

-Sim, Zé Pedro. Só que eu não tenho culpa por não poder me controlar.

-É, isso é verdade. Mais pense comigo, em breve vocês estarão normal, é só uma que questão de semanas.

-Tem razão.

-Mais agora me conta...Como está se sentindo papai?

-Ótimo. O Arthur é bem tranquilo, é a cara da mãe.

-Eu vi ele tão rápido que nem percebi.

-Tendi...-Bebi um gole de cerveja.

-Acho que agora irei voltar para casa. Ainda tenho que levar o Arthur no médico, para consulta.

-Vai lá, meu amigo.

-Fique bem. Obrigado por ter vindo.

-Imagina.

Logo se despedimos e eu segui de volta para casa. Assim que eu cheguei estranhei ao encontrar com o Vini.

-Boa tarde...-Disse ele

-Boa! -Respondi -Tudo bem?

-Sim e com o senhor?

-Tudo ótimo. Deseja entrar?

-Eu só vim mesmo para buscar as meninas. Já avisei a Silvia.

-Ah sim, tudo bem.. Faça um bom aproveito com as meninas.

-Obrigado.

Eu já estava estranhando essa mudança dele a poucos dias, mas, pensei que ele poderia sim estar mudado. E eu cheguei a pensar na possibilidade dele reatar com a Silvia. Ambos pareciam estar próximos, e era algo legal. Quando entrei em casa, encontrei a Lili e o Arthur já arrumados me aguardando...

-Pensei que havia esquecido da consulta. -Disse ela

-Descupa, eu precisava sair.

-Tudo bem...

-Vamos?

-Sim!!

~*~

Ambos seguiram o caminho para o consultório...


Notas Finais


E ai, meus amores...sentiram saudade? 🤔🤗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...